História Singular - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Swanqueen
Exibições 76
Palavras 1.799
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 15 - Dane-se o mundo


Fanfic / Fanfiction Singular - Capítulo 15 - Dane-se o mundo

Pov Regina continua

Abri o portão, Emma entrou e fechou com uma das mãos e já me empurrou contra a parede me deixando sem saída. Me beijando e me imprensando contra a parede, desceu para meu pescoço, cheirando e beijando, estava amando aquilo, mas estávamos de frente com o portão:

— Emma estou amando, mas estamos de frente com o portão. - Ela me interrompeu dizendo.

— Que se dane o mundo...

Ela continuou me tocando, me beijando, eu estava de frente com vulcão prestes a explodir, foi quando ela tentou erguer meu vestido que eu tive que parar com aquilo e a levar para dentro.

— Hey minha loira, acho que o mundo não precisa ver tudo né, vem comigo e me diz o que tem para me dizer. - A puxei pela mão, ela não disse nada, me acompanhou, eu não podia acreditar que ela estava ali, e melhor, parecia que eu ia receber a melhor notícia da minha vida, entramos pela porta da sala e então a puxei a colocando em minha frente, a soltei, queria saber se foi só um impulso que a fez agir daquela forma.

— Regina depois que você saiu da praia, eu simplesmente soube que não queria ficar sem sua companhia, eu tive a certeza do que eu já sabia, que a gente se pertence, que você veio pra mim, que de alguma forma a gente já se conhecia e se amava.

— Emma eu sempre tive essa certeza, mas precisava que você também tivesse.

— Eu tenho. - Se aproximou e foi me empurrando até que eu me encostasse na porta, acho que iríamos continuar de onde paramos no portão, me beijou com pressa, e o vulcão Emma se acendeu novamente, ela tocava em meios seios com as duas mãos, massageando, eu claro estava excitada, não achei que Emma iria ser tão dominadora assim, beijava meu colo e suas mãos pareciam descontroladas ela queria me provar, me devorar, eu estava me deliciando com tudo isso.

— Está me deixando louca Emma, toda arrepiada. - Ela passou suas mãos em meus braços para sentir e depois levou uma de suas mãos até minha coxa e começou a subir lentamente.

— Aqui também? - Disse me provocando e eu gemi baixinho, puxando seus cabelos, ela queria me ver louca, eu queria saber até onde ela iria com isso.

Ela colocou sua mão em minha intimidade e eu não consegui pensar mais em nada, só nas sensações que ela me causava, ela pode perceber com certeza o que me causava, e eu não estava acreditando que Emma, que até ontem nunca tinha ficado com uma mulher agora seguia seu extinto e seguia o caminho certinho do prazer. Ela sugava, lambia e beijava meu pescoço, mordiscava minha orelha, eu já não mandava em mim, com minhas mãos em suas costas, alcancei a barra da blusa dela e fui subindo, ela ergueu os braços e a blusa voou longe, por um momento a calmaria chegou em Emma, ela deu um passo atrás e me olhou:
— Você é tão linda. - Com as pontas dos dedos foi passando por todo meu corpo me causando diversas sensações maravilhosas, eu comia com os olhos a minha loira eu queria tocá-la, a pele branquinha, ela tinha uma pinta no meio dos seios, estava louca pra lamber e chutar seus seios branquinhos, seus olhos verdes me olhavam com tanto desejo que eu não podia fazer ela parar, eu quero tudo essa noite, tudo o que ela quiser. 
Ela me olhou, sorrio e colocou suas mãos ao redor de meu pescoço, encostou sua testa na minha e disse:
— Isso é a loucura mais deliciosa que já vivi.
— Você não imagina o que está sendo para mim, Emma você é incrível.
— Você que é.
Disse e me beijou, mas o beijo agora foi calmo e cheio de sentimentos, um beijo que traduzia tudo que estávamos sentindo, acho que agora é hora de tomar as rédeas e mostrar pra Emma como é ser levada aos céus. 
Ela estava ali na minha frente, linda, mas aquele vulcão que chegou passou e seu sorriso agora estava com um ar tímido, mas seu olhar era penetrante não sei quantos segundos ficamos paradas na porta num transe maravilhoso então uma breve lucidez, voltei a atenção para ela, para a mulher que roubou meu coração aproximei e parei na sua frente peguei em suas mãos novamente e ergui juntando as palmas de nossas mãos eu sorria com os olhos e ela sorria mas não conseguíamos dizer nada só aproveitar desse momento tão esperado, soltei de suas mãos e passei em seu rosto de leve eu precisa sentir ver que não ia simplesmente sumir diante dos meus olhos, toquei em seus cabelos em seu pescoço e me aproximei bem devagar até tocar em seus lábios macios, nossos olhos se fecharam e eu tive aquela sensação de quando você tem a certeza que vai ser pra sempre, sim eu sei que vai ser pra sempre, que ela é realmente o grande amor da minha vida e aquele beijo foi a coisa mais doce e mais sincera das nossas vidas, senti uma de suas mãos adentrando meus cabelos na minha nuca e com firmeza me trazer mais pra perto como se pedisse pra nunca mais parar, mas não teve jeito a gente precisou respirar...
Eu só consegui dizer o quanto era bom ter ela ali comigo, que eu quase não acreditava e ela sorria como sempre por me ver toda atrapalhada, sem jeito, peguei em suas mãos e a chamei para o quarto, parei ao lado da cama e perguntei se estava tudo bem com ela que afirmou estar bem, então colei meu corpo no dela e apertei queria sentir cada pedacinho dela, beijei sua boca de novo, seu pescoço e senti ela se arrepiar e curvar o corpo pra trás como se entregasse, a deitei na cama com carinho, nossa respiração… ah a respiração estava daquele jeito ofegante e delicioso de quando se sente que vai fazer amor, então cochixei em seu ouvido " Eu amo você e tô muito feliz por ter vindo, senti seu corpo arrepiar e voltei a beija-la com desejo, desci para o pescoço depositando beijos por onde percorria em seu corpo.
Corpo nunca antes percorrido por mim, não conseguia me controlar, sabia que não podia deixar marcas mas era tão forte o desejo que provavelmente alguma marca ficaria em seus seios ou abdômen, mas certamente ela também não estava ligando para isso agora, tudo o que via em sua expressão era desejo também, minhas mãos faziam os desenhos de seu corpo e eu me deliciava pelo calor de seu corpo, seu cheiro... estava me deliciando com o perfume de seu corpo, me ajoelhei com as pernas entre seu corpo e fiquei a olhando não resisti e a beijei, minha língua pediu passagem e novamente foi como se chegasse ao céu, nunca na minha vida imaginei viver isso, viver um amor tão Singular, passei as mãos em seu rosto e perguntei se estava tudo bem pois sempre muito falante hoje estava quieta como resposta ela colocou suas mãos em minhas costas e senti quando segurou em meu vestido e puxou tirando e jogando para um canto qualquer, foi um recado muito bem dado de que não era pra eu parar então dei um rápido beijo em sua boca e fui lá para a parte de baixo da cama nos seus pés, fiquei ao lado de suas pernas e com as pontas dos dedos fui subindo dos pés até sua coxa onde percebia você ficar arrepiada, coloquei as mãos por dentro do cós da calça e junto com a calcinha tirei delicadamente, a olhava a cada movimento meu e sorria mas agora tinha algo errado ela estava apreensiva então perguntei se queria que parasse, eu quase não consegui fazer essa pergunta com medo de ter que parar mas a resposta dela foi pra continuar, eu entendia, sempre foi um conflito de sentimentos estar com uma mulher, viver um romance assim, por isso pararia se preciso mas ela não quis parar e ver ela se entregando pra mim foi algo inexplicável, quantas vezes a desejei na minha cama, quantas vezes a tive em meus braços. E hoje meu sonho se tornando realidade, refiz o caminho de volta para suas pernas fazendo menção que ela abrisse as mesmas, ela atendeu meu pedido, beijei suas coxas e dei leves mordidinhas quando me aproximava de sua intimidade sentia o cheiro doce feminino...delicioso...Me concentrei em sua intimidade estava depilada nas laterais e poucos cabelinhos em um pequeno triângulo e sem tocar podia sentir o quando estava molhada, ela gemeu com o toque quente de minha língua em sua intimidade e isso me fez ir ao céu e quase gozar só nesse primeiro contato, me concentrei novamente e então dei a atenção devida com movimentos circulares ao redor de seu clitóris sentindo o quanto estava rígido pelo desejo suguei com gosto.
—Ahhh linda ...ahhhhh.

Agarou meus cabelos e empurrava minha cabeça cada vez mais para entre as suas pernas, onde eu me deliciava lambia, mordiscava, ora com ímpeto, ora suavemente. Quando ela estava quase no clímax, parei, eu estava enlouquecida e queria gozar junto com ela, encaixei meu sexo molhado e quente, sobre o seu em um encaixe perfeito uma cavalgada louca e insana, gemíamos, quase que gritávamos.

—Ahhhhhh amooor...goza comigo linda.

Gozamos ao mesmo tempo, corações acelerados, eu buscava o ar que me faltava, meu corpo ainda sobre o dela. Ficamos um tempo imóveis, enquanto nossas respirações voltavam a um ritmo menos acelerado. Assim que consegui falar, perguntei se estava tudo bem e ela respondeu com um sorriso e tirou o cabelo que caia sobre meus olhos.

— Tudo ótimo - Ela disse.
Então a beijei novamente, queria deixa-la enlouquecida, beijava-lhe os seios, sugava -o, enquanto minha mão massageava seu sexo. Ela gemia, arfava e apertava-me os cabelos com força. Em um movimento rápido e brusco, pôs-se sobre mim e sua mão entre minhas pernas.

—Tem certeza?– Perguntei arfando, os olhos como chama de fogo, tamanho o meu desejo e surpresa.
— Sim meu amor...eu quero te faz0er minha.

Não foi preciso esperar mais, enfiou lentamente um dedo como que abrindo passagem, em seguida um segundo, aumentando a intensidade das estocadas, enquanto seu sexo deixava um rastro molhado em minha coxa. Senti um leve desconforto, uma pequena dor que logo foi substituída pelo prazer de seus dedos em mim, cada vez mais ágeis, velozes.

— Ahhh amor, mais rápido...vaaai...ahhhh.

Ela roçava seu sexo em minha perna e tbm estava louca de desejo, assim gozamos juntas novamente. E assim entramos madrugada adentro, fazendo amor até esgotarmos as forças...

Ao acordar no dia seguinte não a vi o meu lado na cama. Em seu lugar havia um coração feito de papel e um bilhete dizendo:
— Linda!! Eu amei tudo, tudo, não quis te acordar, estava tão linda dormindo.
PS: Te amo



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...