História Singular - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel
Visualizações 101
Palavras 2.337
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


PRIMEIRAMENTE ME DESCULPEM PELA DEMORA OKAY?
Mas vocês já estavam avisados né amores <33333
Não iria demorar tanto se eu não estivesse com bloqueio criativo, mas faz parte minha gente.
AGORA, O QUE SÃO ESSES 64 FAVORITOS? GENTE EU AMO VOCÊS NA MORAL!
Eu fico MUITO feliz de ver Singular conquistar tantos leitores assim <3333
E os comentários de vocês nem se fala, amo cada um <3

GENTE DO CÉU, que dificuldade pra escrever esse capítulo, quase chorei pra escrevê-lo, juro! Tanto que ele está bem bosta kkkkkkkkkk cada k é uma lágrima
Mas ele está aqui e pessoas, eu vou tentar escrever o próximo o mais rápido possível pois eu vou ter simulado daqui uma semana e eu já estou estudando mais pesado do que meus estudos diários, então por favor, tenham paciência comigo!
AI QUE TIRO DE GIF SOCORRO
ENFIM MEUS AMORECOS, VEJAMOS O QUE VOCÊS ACHARÃO DESSE CAPÍTULO 5!

Boa leitura!

Xxx Liv

Capítulo 5 - Capítulo Cinco - Eu acabo de decretar.


Fanfic / Fanfiction Singular - Capítulo 5 - Capítulo Cinco - Eu acabo de decretar.

Capítulo Cinco – Eu acabo de decretar.

Acordar com ressaca ainda era algo que eu odiava, mesmo já estando acostumada com a dor de cabeça matinal. Suspirei e me levantei espreguiçando-me levemente, afinal cada movimento que eu fazia era um latejo a mais em minha cabeça.

Virei a cabeça para o lado e encontrei Ambre completamente largada em sua cama abraçando um ursinho de pelúcia. Tive que evitar uma risada para não piorar minha cabeça.

Flashes da noite passada passaram por minha mente e eu não pude evitar um sorriso. Eu poderia dizer que havia feito um pequeno progresso com Castiel. Talvez a única relação que eu possa ter com ele é amizade, mas isso já vai saciar minha curiosidade. Mesmo eu não entendendo o que me atrai tanto nele, mesmo assim tem algo nele que prende a minha atenção e isso é um pouco estranho, visto que nem nos conhecemos direito.

-Eu não acredito que já está de manhã – ouvi a voz arrastada dela e logo depois um resmungo – Acho que vou faltar novamente.

-Não vai não – falei rindo e ela resmungou novamente.

-Você é má, Rose – levantou-se e eu quase gargalhei ao ver seu cabelo em cima de sua cara e grudado em seu rosto por conta da baba – Não comente sobre.

-Não falei nada – falei não resistindo e rindo um pouco – Eu vou tomar banho, vamos ter que tomar café da manhã fora, eu ainda não fui ao mercado. Então, não demore como sempre.

Entrei no banheiro e fui direto para o chuveiro sem nem prestar atenção em meu reflexo. Tomei um banho rápido, apenas para tirar toda a preguiça e tentar melhorar um pouco a minha cara acabada.

Sai enrolada na toalha e com meus cabelos levemente molhados por eu não ter usado a touca para não molha-los. Encontrei Ambre deitada novamente e quase babando.

-Banho, Ambre – falei e a mesma grunhiu arrastando-se até o banheiro.

Ajeitei minha tala no pulso e passei um pouco de pomada nos ralados da perna para que cicatrizassem mais rápido. Sequei meu cabelo levemente com a toalha e percebi que ele estava mais bagunçado que o normal. Ajeitei-o levemente com meus dedos e deixei da maneira que eu gostava, ondulado e levemente bagunçado.

Coloquei um short jeans claro de cintura alta e um cropped preto mais curto que o normal. Por cima coloquei um kimono preto com alguns desenhos em branco por cima. Calcei uma sapatilha vinho de veludo com bico fino e encarei-me no espelho do quaro. Gostei do resultado e coloquei um anel grande junto com algumas pulseiras douradas.

Passei uma maquiagem leve nos olhos, apenas um delineado e rímel. Carreguei mais em minha pele escondendo minhas olheiras e espinhas, um batom vermelho escuro e fiquei feliz ao ver meu reflexo.

Peguei minha bolsa com minha carteira e meu celular. Tirei algumas fotos enquanto esperava Ambre e acabei postando uma no Instagram. Mexi mais um pouco nas redes sociais e logo a loira apareceu completamente emburrada, mas pelo menos agora parecia uma pessoa de verdade.

Ela também tinha uma maquiagem pesada na pele escondendo qualquer erro que tivesse ali. Seus olhos estavam mais carregados que o meu trazendo uma maquiagem em tons de rosa e roxo, mas seus lábios continham apenas um gloss labial transparente.

-Vamos? – ela perguntou pegando suas coisas e eu assenti pegando a chave do carro.

Fomos em direção ao café perto da faculdade e comemos coisas rápidas, apenas para não ficar com o estomago vazio por muito tempo. Foi coisa de poucos minutos, então já logo fomos para a faculdade e chegamos um pouco mais cedo que o normal.

-Eu juro que eu não aguento mais – Ambre falou se jogando na cadeira e eu ri levemente.

-Mal começou as aulas, Am – falei e me sentei ao seu lado, começando a mexer desinteressadamente pelos aplicativos.

-Bom dia – Debrah e Armin chegaram juntos e falaram com a gente. Ambre revirou os olhos e apenas cumprimentou o moreno.

-Bom dia, gente – respondi sorrindo levemente e voltei a mexer no celular tentando conter meu sono que já voltava a dar sinais de vida.

-Vocês se lembram de algo de ontem a noite? – Armin perguntou sentando ao meu lado e todas nós negamos.

-Não lembro direito nem como voltei para casa – Ambre falou rindo e repentinamente um par de olhos cinza vagou por meus pensamentos.

Lembranças que eu não me recordava começaram a surgir e eu pude ver Castiel dirigindo meu carro enquanto eu estava praticamente apagada. Ele e Lysandre ajudando eu e a loira e um sorriso surgiu em meus lábios e eu me levantei em um pulo arrastando Ambre comigo.

-O que foi sua louca? – ela perguntou e eu continuei procurando a sala do primeiro ano.

-Castiel e Lysandre nos levaram para casa ontem – falei lhe olhando com um pequeno sorriso nos lábios e continuei a procura-los – E nós temos que os agradecer – falei e ela estava ligeiramente surpresa.

Em uma das primeiras salas do nosso bloco, eu encontrei Castiel sentado em sua cadeira lendo um livro e completamente concentrado. Seus cabelos estavam jogados para o lado e sua franja caia levemente por sua testa e pelo lado direito. Ele parecia usar um suéter vermelho com uma camisa branca por baixo. Uma calça jeans clara acompanha seu suéter e um coturno preto completava sua roupa. Ao mesmo tempo em que ele estava levemente cafona, ainda continuava sendo o mais belo de todos que eu já vi.

Ouvi um suspiro atrás de mim e olhei Ambre que encarava fixamente Lysandre. Soltei uma leve risada e ela me olhou estranho.

-Já está na época de suspiros? – perguntei e ela revirou os olhos me dando-lhe seu dedo do meio.

-Ambre – a voz animada de Lysandre preencheu meus ouvidos e eu pude ver o garoto a poucos metros de nós olhando fixamente para a loura ao meu lado. Eles não perdem tempo mesmo.

-Oi pra você também, Lysandre – falei rindo e ele se desculpou meio envergonhado.

Deixei os dois conversando e pude notar Am mexer incontáveis vezes no cabelo. Ela estava flertando descaradamente e nem tentava disfarçar isso. Essa é minha garota, só podia ser um pouco mais discreta.

Cheguei perto do dono dos cabelos negros e parei um pouco atrás dele espiando seu livro. As palavras estavam todas confusas e escritas de um jeito estranho, com certeza deveria ser francês, já que é a nacionalidade de Castiel.

-Eu sei que a senhorita está ai, Rose – sua voz roupa soou por todo o ambiente e eu abri um grande sorriso.

-Como percebeu? – perguntei sentando-me na cadeira ao seu lado e ele direcionou seus olhos para mim fechando seu livro e marcando a página.

-Você não é tão silenciosa quanto pensa – ele falou simpático e abriu um pequeno sorriso.

-Apenas gostaria de agradecer por ontem – falei sorrindo levemente e as bochechas dele tomaram uma coloração levemente avermelhada.

-Está tudo bem – ele falou e sorriu levemente – Era o mínimo que eu poderia fazer – ele falou e encarou meus olhos âmbar profundamente.

-Eu vou invadir sua zona de conforto, estava falando sério – falei e abri um sorriso travesso, suas bochechas ficaram mais vermelhas e ele ficou sem graça.

-Tudo bem – sua voz falhou levemente e suas bochechas estavam tão vermelhas que eu poderia jurar que ele estava passando mal.

-Só um simples ‘tudo bem’? Não parece o cara que foi grosso comigo quando me atropelou – falei sorrindo maldosa e ele desviou o olhar do meu.

-Desculpe por aquilo, foi completamente falta de educação de minha parte – ele falou brincando com a capa de seu livro.

-Está tudo bem Castiel, estou apenas enchendo seu saco – falei e ele abriu um pequeno sorriso.

-Bom, eu te vejo no almoço? – perguntei e ele negou com um sorriso simpático nos lábios.

-Meus pais estão na cidade, vou sair para almoçar com eles – levantei as sobrancelhas, levemente surpresa, mas logo voltei a ter meu sorriso travesso nos lábios.

-Então te vejo hoje na praia – falei já me levantando.

Depositei um leve beijo no canto de seus lábios e sai nem esperando para ver a expressão em seu rosto. Eu não podia negar que tinha um leve sorriso vitorioso nos lábios. Talvez não tenha finalidade e talvez nem faça sentido, mas eu acabo de decretar que eu irei conquistar Castiel Ozanan.

Talvez essa vontade seja por ele ser diferente do que eu esteja acostumada. Talvez seja por sua beleza e talvez também seja por sua inocência. Talvez ele não mereça isso, mas uma conquista não significa ter seu coração, apenas um beijo e eu estarei completamente realizada.

Talvez seja completamente errado ter essas intenções, mas era inevitável. Algo nele me atraia de uma forma exagerada e grandiosa, e infelizmente eu tinha essa mania adquirida por culpa da Ambre. Essa mania de ter tudo que eu quero, e no momento eu quero Castiel Ozanan.

(...)

Ao chegar a casa eu tomei uma coragem vinda de algum lugar desconhecido e fui com Ambre ao supermercado. Claro que a loura queria pegar cada item de cada corredor que passávamos, mas como nosso dinheiro era escasso então pegamos apenas o necessário.

Quando cheguei a casa eu corri para o banho e apenas me lavei rapidamente. Deixei meus cabelos com as mexas de cima presas em um pequeno coque.

-A onde vai com tanta pressa? – Ambre perguntou enquanto mexia freneticamente em seu notebook.

-Pra praia – falei e comecei a procurar uma roupa para colocar.

Coloquei um sutiã trabalhado branco e por cima uma blusa folgada de renda vasada. Peguei um short jeans destroyed claro da Ambre e o vesti. Olhei-me no espelho e achei meu cabelo estranho demais, no fim das contas, acabei o soltando e prendendo apenas minha franja para trás. Calcei minha rasteirinha de antes e como já estava sem a maquiagem de manhã, resolvi passar um pouco de rímel, apenas o necessário para deixa-los com um pouco mais de volume.

-Eu vou caminhar lá um pouco – falei e Ambre apenas concordou ainda prestando atenção na tela do computador.

Sai do prédio e praticamente corri até a praia. Na segunda, era mais cedo quando eu fui para a praia. Afinal agora o sol já estava se pondo e o céu já começava a ficar levemente escuro. Vasculhei a praia com meus olhos e achei um ser alto de cabelos tão negros quanto o céu que se formava.

Ele estava novamente sem a camisa. Suas costas eram largas e tinha várias pintinhas espalhadas pelos ombros e o começo das costas, já no final da mesma, duas grandes covinhas se encontravam ao pé de suas costas. Castiel usava uma calca fina cinza escura e um tênis branco nos pés. A blusa era azul e estava em sua mão.

Ele estava em pé de frente para o mar como se estivesse pronto para parti. Seus calcanhares giraram levemente e ele ficou de frente para mim mesmo distante. O vento estava forte e refrescante enquanto balançavam seus cabelos para frente de seu rosto.

Seus olhos cinza encontraram com os meus âmbares e um pequeno sorriso surgiu em seus lábios. Não pude deixar de soltar um suspiro de alivio quando vi que ele ainda se encontrava ali, mesmo que já estivesse pronto para ir embora.

Caminhei descalça até a sua frente e ele apenas continuou parado com o peito desnudo. Meus olhos trabalhavam em analisar cada parte de seu tronco e eu podia jurar que uma leve baba estava escorrendo pelo canto de meus lábios. Sim, eu já o via visto antes dessa maneira, mas poder observar dessa maneira era sem duvida mil vezes melhor.

-Estava me esperando? – perguntei assim que parei a sua frente e ele soltou uma leve risada enquanto olhava para seus pés.

-Apenas observando o por do sol. Não tem praia em Estrasburgo – ele falou e observou rapidamente o mar antes de voltar a me olhar.

-Nunca tinha saído de lá? – perguntei curiosa e ele negou.

-Meus pais não eram muito receptivos a ideia de ter o primogênito da família Ozanan longe de nosso pequeno império – olhei confusa para ele e ele balançou a cabeça levemente – Nada demais, eles apenas não me queriam longe de casa, tanto que já estão aqui me visitando.

Castiel estava neutro a falar de sua família. Não demonstrava grande carinho e nem desgosto. Era estranho, eu nunca vi alguém ser tão imparcial em relação à família. Eu sou uma pessoa completamente apegada a minha, afinal, eu já tive grandes perdas nela, como também já vi pessoas terem grande rancor dos pais, mas ser tão irrelevante dessa maneira era novidade para mim.

-Eu tenho uma visão de mundo diferente de você, eu acho – comentei levemente e ele me olhou confuso – Você é muito centrado, precisa se soltar mais – falei e ele riu.

-Eu fui criado diferente de você, senhorita Collins – ele falou e vestiu sua blusa. Quase soltei uma exclamação em negação, quase.

-Eu fui criada em uma família humilde, apenas isso – falei e dei de ombros sentando-me na areia que começava a ficar gelada. O moreno sentou ao meu lado e fechou os olhos – Não tive essa criação rígida que você provavelmente teve em sua família, acho que as coisas daqui e da França são diferentes – falei levemente confusa e ele apenas riu alto.

-Com todo o respeito, você não tem conhecimento de mundo, não é? – ele perguntou e eu neguei rindo.

-Com todo respeito – falei imitando sua voz e ele riu – Eu acho que você tem que viver mais do jeito Rose Collins – ele negou rindo levemente e eu abri um grande sorriso.

-Dispenso a oferta.

-Não sabe o que está perdendo – falei e o encarei. Ele encarou-me de volta e ficamos nos olhando por longos minutos – Você está se soltando, isso é bom – falei e abri um pequeno sorriso, ele sorriu de lado e voltou a olhar o mar.

-Você disse que queria invadir minha zona de conforto, apenas estou facilitando as coisas, Rose – ele falou e olhou no fundo dos meus olhos com o mesmo sorriso de lado habitando seus lábios. Porra, que homem.


Notas Finais


-Gracie: https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/c3/fc/e4/c3fce4367e801a2e0683f3fec24a75d5.jpg
-Marie: https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/94/85/f8/9485f829122c61d18930b0f1bb112bed.jpg
-Gracie (praia): https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/8a/f3/d3/8af3d3779929ea49749b65943be2a6ca.jpg

QUERIA DIZER QUE PARA MIM LYSANDRE É O LUCKY BLUE SMITH E NINGUÉM MUDARÁ ISSO
-Lysandre: http://www2.hm.com/content/dam/HM%20Life%202016/Top%20Model%20Secrets/JANB3-16-TL-Lucky_Blue_Smith.jpg
ASSIM COMO QUERIA DIZER QUE DIGAM O QUE QUISEREM, COLE SPROUSE PARA MIM É O CASTIEL E NOVAMENTE, NINGUÉM MUDARÁ ISSO
-Castiel: http://hero-live.s3.amazonaws.com/wp-content/uploads/2017/03/HERO-17_COLE_SPROUSE_76377_Page_1_Image_0001-1-1-664x866.jpg

Mas claro que vocês imaginam do jeito que quiserem rs
ME DESCULPEM A DEMORA DE NOVO!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...