História Sinhá - (Camren) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Camren
Exibições 26
Palavras 798
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Desejo


Fanfic / Fanfiction Sinhá - (Camren) - Capítulo 1 - Desejo

No século dezenove, numa fazenda perdida no interior do Brasil, vivia Camila, única filha sobrevivente de doze bebês nascidos aos seus pais. Seu pai era o maior e mais rico produtor de café daquelas bandas, e sua mãe uma senhora muito considerada na região.

Desde muito criança Camila fora prometida em casamento a um primo seu que não conhecia. Ele fora se formar doutor na Europa e voltaria em breve, então a data seria marcada.

Naquele tempo as mulheres se casavam com quem seus pais escolhiam.

A fazenda era muito grande, um dia a cavalo não era suficiente para percorrer tudo. Havia a casa grande, uma capela, celeiros, pomar, açudes e a senzala, onde moravam cerca de 200 escravos. Mais adiante ficavam as casas dos feitores e outros funcionários, e depois as vastas extensoes de cafezais.

Camila acabara de completar 17 anos. Ela tinha uma mucama de estimação, de sua mesma idade chamada Lauren. As duas eram inseparáveis desde pequenas.

Na verdade elas haviam nascido no mesmo dia. A mãe de Camila não tinha leite e a mãe de Lauren, a empregada Clara, amamentara as duas. Ela era a cozinheira da casa. Sinhá Sinu, mãe de Camila, era madrinha de Lauren.

Lauren era filha de pai negro e era uma linda mistura cabelos negro cor da noite , e olhos esverdeados.

Camila era Morena, olhos da cor da canela e a pele brinzeada. Tinha um rosto de anjo.

Fazia um dia lindo de sol, sem nuvens nem vento. As duas meninas foram até uma pequena cascata que corria por entre os matos. Era o recanto preferido de Camila e onde costumavam se banhar nos dias de calor.

Subiram devagar a trilha de pedras, Lauren protegendo Camila com uma sombrinha de renda. Aquele era um isolado e nunca ninguém ia lá... mas naquele dia foi diferente.

As duas ouviram sons estranhos, gemidos abafados, sons de corpos se esfregando... se esconderam atrás de umas árvores e viram o que jamais esperavam ver.

Sobre um gramado perto da água, um homem e uma mulher completamente nus. Lauren e Camila os reconheceram. Eram , o Austin, e Alexa, uma das mais belas escravas da fazenda. Ele deitado de costas e ela montada em cima dele, gemendo alto os dois, ele agarrando as enormes tetas da escrava, ela rebolando a bunda farta e revirando os olhos para o céu...
As duas, estarrecidas, não conseguiam se mover do lugar, nem tirar os olhos daquela cena... aqueles dois corpos nus, febris, o suor que escorria da pele reluzente da negra, os dedos do feitor afundados na carne apetitosa daquelas tetas... fosse lá o que estivessem fazendo, pareciam estar gostando muito...

Camila e Lauren eram virgens, mas a de olhos verdes  era menos inocente que sua Camz. Tinha livre acesso à senzala e sabia como as crianças nasciam. Alexa tinha cerca de 20 anos e já tivera 5 filhos. Decerto ela e Austin estavam fazendo mais um...

De repente ele deu um urro animalesco, que ecoou pelo silêncio do lugar, e Alexa começou a tremer toda, como se estivesse ardendo em febre. Camila pareceu acordar de um encantamento e puxou Lauren pela mão.

- Vamos sair daqui, Lo!

Camila correu até a casa grande, subiu os largos degraus de pedra quase pisando na barra rendada de seu vestido cor de rosa, entrou em seu quarto e se jogou em sua larga cama, sentindo-se banhada de suor, rosto ardendo, e uma estranha vontade de chorar. Lauren sentou na beira da cama.

Camz quer um chá de erva cidreira, perguntou. Lauren , o que eles estavam fazendo? Perguntou a mocinha muito chocada.

Lauren baixou os olhos. Estavam fodendo,Camz , respondeu. Sô Austin tava fazendo outro fio na Alexa...

Camila arregalou seus grandes olhos castanhos. Como você sabe disso, Lauren? Você não é mais moça? Eu sou moça, Camz, respondeu a mais velha  mas as negra da senzala me contaram...

Camila sentou na cama e enxugou os olhos. Então eu não quero casar, falou. Nunca eu vou fazer aquilo... Eu vou trazer o chá, disse Lauren perturbada, e saiu correndo com seus pés descalços mal roçando o assoalho.

Camila teve um pouco de febre e não desceu para jantar aquela noite. Ela fez Lauren jurar que jamais contaria a ninguém o que haviam visto naquela tarde.

Lauren puxou cuidadosamente o mosquiteiro de filó ao redor da cama de Camila, disse boa noite e se recolheu ao seu modesto leito, num canto do aposento. Duas velas de cera, acesas sobre um pequeno altar na penteadeira, forneciam uma fraca luminosidade ao ambiente.

Camila sentia o suave perfume de alfazema que exalava dos lençóis e não conseguia adormecer. Parecia ter perdido algo aquela tarde. Sentia sua pele palpitar, sentia todo o corpo sensível, pedindo por alguma coisa...

Pela primeira vez sentia desejo.


Notas Finais


Então !!!
Continuo ou não ...!?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...