História Sinner KIM TAEHYUNG - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~paula_b

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts, Sobrenatural
Exibições 60
Palavras 1.598
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá olá! Eu sei eu sei, eu mal terminei a fic do Namjoon e agora venho com essa, mas calma, essa fic pode ser do V, mas Namjoon e todos os meninos também estão nela! Espero que gostem!

Capítulo 1 - Begin


A luz diminuía mais a cada vez que o corredor se tornava mais fundo, ele seguia longo por todos os lados, e parecia um verdadeiro labirinto, sua decoração precária, mas chique só tornava tudo aquilo mais absurdo de ser visto a olhos normais, um ser comum nunca andaria por ali sem se queixar da pouca luminosidade, ou do clima horripilantemente frio e nada convidativo.

O som dos passos aumentava gradativamente ao passar pelas várias portas que ali residiam, talvez estivessem com pressa, ou talvez apenas impacientes, aquele lugar era conhecido demais para que o dono daqueles passos apenas parasse para apreciar a vista que tinha custado talvez uma vida para ser construída com muito esmero, não era nada de se orgulhar entretanto, era um pouco frustrante, gastar sua vida para decorar corredores que quase não eram usados a menos que quisessem ser feitos como uma base militar criada na grande Guerra Fria.

O menino passou as mãos pelos cabelos pretos frustrados, as madeixas incomodavam sua pele e o irritavam, ele não tinha problemas com calor, mas certamente aquilo o estava fazendo se sentir quente, por mais frio que fosse. Ele trajava uma roupa séria demais para sua idade, vinte e três nas costas e muitas memórias para contar, às vezes ele só queria ter a possibilidade de esquece-las ou de querer se lembrar quando bem queria, mas infelizmente isso não era possível.

A porta no final do corredor já em breu se abriu e parou por um momento, fechando seus olhos irritados pelo excesso de luz, ele respirou fundo, por mais que fosse inútil, na tentativa de se acalmar, ele então apoiou a palma fria na porta mais fria ainda e a abriu por completo, encontrando ali as pessoas mais familiares em toda sua vida de milênios.

- Finalmente Yoongi, achamos que teríamos que esperar por três séculos. – Ele sorriu de canto.

- Não teria sido um problema para vocês. – E a porta se fechou atrás de si.

[...]

O sinal tocou como em qualquer outro dia, alto e extravagante, dezenas e dezenas de estudantes começaram a sair de suas salas a caminho da última aula daquele dia, um alívio para quase todos, que desejavam ir para casa naquele quase final de tarde de uma segunda-feira, no meio de tanta correria, uma menina tentava equilibrar seus livros em uma mão enquanto abria seu aplicativo de mensagens, apressada para conseguir ouvir os áudios antes que entrasse na sala e tivesse que guardar o aparelho de novo, mas para sua surpresa, enquanto passava pelos corredores e abria o grupo, só havia uma mensagem que por acaso era de sua dupla na próxima aula, a menina suspirou e levou o celular ao ouvido.

“YongBin, venha logo, eu não agüento mais te esperar!” – A voz do outro lado soava manhosa e diabética, fazendo YongBin guardar seu celular novamente, em puro vexame, pensando se realmente deveria ir para a aula e ter que agüentar aquela menina que chamava de amiga.

- Finalmente você chegou, quanto mais planejava ficar parada no meio do corredor? – YongBin foi recebida com um olhar de repreensão da amiga, que logo se curvou em um sorriso aberto, feliz em vê-la, a recém chegada se sentou ao lado da anterior e colocou os livros em cima da mesa, aliviada. Os que tinham acabado de entrar a imitavam, incluindo uma menina que ninguém ainda tinha visto por ali, já que aquela era uma escola não muito grande, era normal todos saberem ao menos o rosto do outro, mas ela não, era uma menina pálida com cabelos muito escuros e sardas no rosto, ela se sentou na cadeira trás de EunHee, observando a movimentação da dupla a sua frente, com certo incômodo.

- Você não sabe a quantidade de gente que tem nesse lugar? Nem se eu fosse invisível passaria por todos eles em menos de cinco minutos. – A outra concordou, mas não se virou pra frente, apesar de o professor ter acabado de entrar na sala e esperasse silêncio de todos. – Vai prestar atenção na aula não?

- Hum, não sei, hoje estou aquele espírito de não querer fazer nada, mas sei que você não vai me acompanhar, então só me resta prestar atenção não é? – YongBin passou as mãos pelos cabelos escuros, moldando-os no dedo e antes que pudesse dizer alguma coisa, o som da porta se abrindo chamou sua atenção, normalmente, o som de uma porta não chama a atenção de ninguém, mas naquela faculdade as coisas eram um pouco diferentes, ninguém entrava na sala depois do professor, a menos que você fosse um funcionários com alguma notícia bombástica, você não entrava na sala depois do professor.

- Licença... – O professor se virou em direção a porta com ódio no olhar, YongBin e EunHee olhavam a cena segurando a risada abafada, os outros alunos estavam tão em choque que mal se mexiam, o menino que tinha acabado de entrar na sala se virou para o professor depois que fechou a porta e um sorriso minúsculo surgiu em seus lábios quando viu a expressão do mesmo, EunHee tirou a mão da boca, agora atônita com a ousadia do menino, ela observou enquanto ele pedia desculpas e passava as mãos no cabelo rosados, ele tinha ombros realmente muito largos, que pareceram maiores ainda quando ele passou ao seu lado.

- Binnie? Ta me ouvindo? – Seus pensamentos fora interrompidos com uma mão balançando em frente aos seus olhos, tampando sua visão, ela se virou, um pouco perdida, nem percebendo que a aula já tinha voltado ao normal e que o menino já estava sentado em seu lugar prestando atenção como todos os outros alunos da sala. – O que aconteceu?

- Nada Hee, está tudo certo, só achei engraçado como ele entrou na sala de repente, todo mundo sabe que é proibido. – Agora elas sussurravam. – Ele nem entregou uma autorização!

- Vai saber já é normal ele chegar atrasado.

- Mas como, ele não é aluno novo então? Como pode aquilo estar na nossa sala e não termos visto antes? – Ela falava com a cabeça meio baixa, tentando se tornar meio óbvia para o professor enquanto anotava tudo o que ele escrevia na lousa. EunHee sorriu estranho para a amiga, a empurrando de leve.

- O que você quer dizer com isso, EunHee? – As duas começaram a rir de novo, uma tinha as bochechas vermelhas de vergonha e a outra a olhava maliciosa, a aula que antes corria normal agora parecia estranhamente quieta, aqueles que conversavam baixo entre si agora as olhavam, inclusive o menino dos cabelos rosas, que achava graça das duas.

- YongBin, EunHee, vocês querem mesmo ser expulsas da minha aula? Eu acho que minha matéria é importante para vocês duas... – As duas pularam quando ouviram o professor, elas se olharam surpresas, a primeira abaixou a cabeça e a segunda continuava olhando para o lecionador em busca de alguma resposta para aquele escândalo, até que o som do sinal mais uma vez foi ouvido. – Vocês estão com sorte hoje, mas se isso se repetir, vocês estão fora.

O homem voltou a lousa, agora apagando-a, a dupla relaxou nas cadeiras o sentimento de felicidade pela aula ter acabado era sem igual, EunHee se levantou em um salto, se virando para ver se o menino rosado ainda estava ali, e abriu a boca em exaspero, não achando mais ninguém ali.

- Binnie, quando ele saiu?

- O que? Ele já foi? Mas não deu tempo de ninguém sair ainda. – As duas terminaram de arrumar suas coisas, caminhando até a porta, ninguém tinha saído ainda, e mesmo quando elas olharam pelo corredor, ele não estava mais ali. – Acho que não percebemos, só isso.

- Mas isso é impossível, ninguém sai tão rápido assim, nem o sinal tinha tocado ainda. – Elas pararam no meio do corredor, tentando achar espaços para abrirem seus armários, quando uma menina parou ao lado delas, ela segurava seus livros com os dois braços cruzados na frente dos seios, e as olhava como se soubesse de algo que não sabiam.

- Então falando sobre SeokJin? – Ela abriu seu armário, jogando todos os livros dentro do mesmo, pegando seu celular, se virando para ir embora. – Esqueçam, as chances dele aparecer na vista de vocês agora é nula.

A menina saiu e deixou as duas li, ainda paradas no meio de todo aquele vai e vem dos alunos sem se moverem.

- Tudo bem ela ter falado toda essa besteira e ter saído, mas quem é ela? – Eun Hee sentia a urgência de ir atrás da menina, quem ela pensava que era pra vir e jogar aquela afirmações sem sentido pra cima dela? Exatamente: ninguém.

- Olha, tudo bem você não conhecer ele, mas ela eu já acho exagero, aquela é Kim Hasol, a presidente do conselho, todo mundo conhece ela, acredite, se você precisa de alguma coisa, é com ela que você tem que falar.

- Ah! – A mais baixa estalou os dedos, como se tivesse feito uma nova descoberta brilhante. – Agora tudo faz sentido, todo mundo fala dela, certeza que ela não anda fazendo umas coisas ilícitas por aí?

- EunHee! Quem é você pra falar dela, você mal sabe da vida da menina, e ela nunca fez mal a ninguém. – YongBin parou para pensar por um momento. – Pelo menos eu acho.

- Vamos fazer o seguinte, deixa ela pra lá, deixa ele pra lá, só vamos embora, eu não tenho mais porque ficar por aqui.

A outra concordou e as duas terminaram de guardar seus materiais, enquanto isso, a aluna nova da sala andava na direção oposta a delas.


Notas Finais


Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...