História Skinship: O vazio entre nós - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias B.A.P, Girl's Day, Madtown
Personagens Bang Yongguk, Daehyun, H.O, Minah, Personagens Originais, Youngjae
Tags Bromance, Romance, Song Jaeho
Visualizações 2
Palavras 2.137
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Shonen-Ai
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Algumas pessoas dividem o mesmo passado, os mesmos lugares e as mesmas pessoas, mas nunca se conhecem até que um dia o destino resolve fazer com que ambos se esbarrem...


Boa leitura!

Capítulo 6 - CINCO ponto DOIS - Seu passado também é meu


2 anos e 8 meses antes

 

05/12/2014

Sexta-feira

 

 

 

 

 

 

 

Ligação

 

Youngjae: Hyung, preciso do seu carro emprestado.

Yongguk: Tudo bem, eu deixei ele estacionado perto daquela árvore de sempre. Você tem a segunda chave, não é?

Youngjae: Sim tenho, sempre carrego comigo, você sabe.

Yongguk: Sei. Por favor venha me pegar aqui no estúdio mais tarde, já que vai estar com o carro.

Youngjae: Pode deixar. Obrigado, Hyung~

----------------------------------------------

 

—Bang Yongguk-shi? – chamou uma voz feminina, doce e moderada.

Viro-me e encaro uma garota de cabelos negros, porém mais castanho-escuro que preto, pele alva e um pequeno sorriso que chegava perfeitamente aos olhos.

—Oh, sou eu. O que deseja?– digo sem entender do que se trata.

—Nada demais. Você apenas me pareceu solitário aí no canto.– disse a garota simpaticamente.

—Ah, isso... Eu só... Estava recebendo uma ligação, então vim aqui para o canto.– disse e por algum motivo me sentia mais tímido que o normal na presença dela. —Desculpe, mas você não me disse seu nome, e você já sabe o meu.

A garota mostrou um sorriso terno e genuíno.

—Claro, até porque eu quem o procurou e não o contrário.– ela diz de modo brincalhão. —Eu sou Shin Yangmi, do departamento de comunicação.– ela disse e se curvou em seguida levemente.

—É um nome bonito, quais são os caracteres?– perguntei curioso.

—Eu sabia que você era alguém interessante.– Shin Yangmi prossegue sorrindo e põe uma mecha de cabelo atrás da orelha. —Os caracteres são yang (洋) como o substantivo Oceano, e mei (美) como o adjetivo Bonito.– ela responde sorridente.

—Sendo assim você é um belo oceano?– perguntei divertidamente e retribuindo o sorriso, já não me sentia tão tímido ou desconfortável.

Shin Yangmi assentiu em resposta.

—Também é estagiária do professor Kim, Shin Yangmi-shi?

—Sim, ele me convidou a me juntar a equipe de estagiários há 2 semanas, e eu achei que seria uma boa oportunidade.

 

Depois daquilo nos tornamos próximos, já que estávamos estagiando juntos.

***

 

2 meses depois

07/02/2015

Sábado

 

 

 

 

 

 

 

Estávamos juntos na cafeteria perto da universidade.

Yongguk-hyung finalmente estava namorando a Yangmi-nuna, claro, aquilo deixava a Minah-ya completamente desconfortável, mas ela me disse que não iria se declarar para o Hyung nem mesmo diante daquilo, e que se sentia feliz que ele finalmente havia encontrado alguém, e de quem todos gostávamos.

Sei... Com certeza você tá morta de feliz de ver o Hyung com outra, Bang Minah...

De fato até a Minah-ya gostava da Yangmi-nuna, elas eram do mesmo departamento e a Nuna era uma pessoa agradável.

—Jae-ya~ o que está fazendo?– era a Nuna, chamando minha atenção, porque eu provavelmente estava distraído.

—Hã... Eu me distraí do nada, desculpe, Nuna.– respondi para ela que me devolveu um sorriso em resposta.

Nuna e eu nos tornamos muito próximos. Eu era realmente grato por ela ter tirado a Minah-ya da cabeça do Hyung, já que se depender deles eles jamais terão algo, e o Hyung sempre era triste por isso, mesmo que ele não admitisse para as outras pessoas, eu sabia. E não podia fazer nada, um grande problema em ser amigo de ambas as partes envolvidas, ambos me fizeram prometer jamais contar nada ao outro, sendo que Minah-ya quase arrancou meus órgãos quando me fez prometer.

Mesmo que eu fosse muito calado e esquisitão, a Nuna era gentil comigo e amava meu irmão, então eu não poderia estar mais feliz por eles, principalmente porque é sério, já que a Nuna me confessou que quer apresentar o Hyung aos pais dela depois que eles completarem 100 dias juntos. Atualmente eles estão juntos há 23 dias apenas.

***

 

82 dias depois

01/05/2015

Noite de sexta-feira

 

 

 

 

 

 

 

—Yongguk-shi, está nervoso?– perguntava Yangmi à mim já pela quarta vez.

Nem havíamos saído da casa da minha família ainda e, Youngjae me olhava de um jeito engraçado do sofá da sala. Yangmi estava sentada à mesa da cozinha de frente para mim, estávamos conversando um pouco antes de irmos conhecer os pais dela, ao que eu havia concordado alguns dias antes, desde que estávamos namorando sério, já haviam se passado os 100 dias há cerca de 5 dias, e eu realmente gostava dela.

Quando completamos 100 dias juntos, eu a levei até Busan e ficamos olhando o mar, onde num certo ponto perto das pedras, que se podia ver o outro lado no horizonte, ela tirou uma foto e mais tarde quando chegamos ela disse que daria à Youngjae.

Youngjae recebeu a foto no celular muito contente e passou a usá-la como tela de bloqueio, já que a tela do celular era uma foto dele com Jaeho, Yangmi e eu na cafeteria.

Agora estávamos namorando há 105 dias e estávamos indo conhecer os pais dela, até porque Yangmi já conhecia os meus, e era totalmente fã da minha mãe, que na verdade é minha madrasta. Quando Yangmi descobriu que minha mãe era a grande atriz Lim Seongah, ela quase teve um ataque do coração. Mas ela e meus pais se adoraram instantaneamente.

 

—Youngjae-ah, me deseje sorte... Vai que os pais dela não gostem de mim.– digo à Youngjae ao passar por ele na sala no caminho de sair para pegar o carro e partir com Yangmi para a casa dos pais dela.

—Claro, boa sorte, Hyung. Lembre de não gaguejar, você faz muito isso quando fica nervoso. E de qualquer modo, a família da Nuna não tem como não gostar de você. Não é Nuna?– diz Youngjae piscando um olho pra Yangmi que devolve a piscadela a ele e começa a rir.

Vamos até o carro na garagem e finalmente estamos saímos.

No meio do caminho o celular de Yangmi toca e ela atende.

 

Ligação

 

Yangmi: Omma~ estamos indo encontrar vocês já. O que houve?

Mãe de Yangmi: Oh, filha. Você poderia deixar para amanhã? Seu Appa e eu saímos um pouco atrasados do estúdio, por conta de um cliente. Estamos bem cansados, então se desculpe com o seu namorado por nós e pergunte se tudo bem por ele se for amanhã.

Yangmi: Claro, Omma, não tem problema.

Mãe de Yangmi: Que bom. Assim vocês podem até mesmo aproveitar essa noite para saírem com seus amigos. Mas não chegue muito tarde, okay?

Yangmi: Okay, Omma, obrigada, amo você.

-------------------------------------------------------------

 

—Yongguk-shi, Omma disse pra irmos apenas amanhã, ela e o Appa acabaram de chegar do trabalho e estão bem cansados. Ela disse que poderíamos sair, desde que eu não voltasse tarde.– Yangmi disse tranquilamente aquilo após desligar a ligação.

—Por mim tudo bem. O que quer fazer agora?– pergunto a ela em tom calmo, enquanto vou diminuindo gradualmente a velocidade do carro.

Ela pega o celular e olha as horas. São 20h34.

—Podemos ligar pro Jae-ya e pedir que ele venha nos encontrar na Cafeteria junto com o Jaeho-shi. O que acha?– Yangmi perguntou sorridente.

Estávamos todos sempre juntos na cafeteria nas horas vagas, éramos do tipo que estudava e não frequentadores de baladas, então todos combinávamos bem, Yangmi era uma companhia agradável pra todos e Jaeho sempre animava qualquer ambiente.

—Claro, ligue pra eles... Mas– paro e olho pras nossas roupas, eu estava de terno e ela usava um vestido, não parecíamos muito apropriados a situação que teríamos a frente. —vamos voltar em casa e trocar de roupas.

Ela ri alegremente.

—Claro, mas seria um problema se eu não tivesse deixado minha mala na sua casa quando voltamos de Busan, porque aí agora eu não teria nada pra vestir.– ela diz e continua rindo.

—Engraçadinha... Você fica bem em qualquer coisa, até em roupas minhas.– digo olhando atrevidamente para ela que dá um tapinha na minha mão que está sobre o volante.

—Espero que Jae-ya jamais te ouça falando assim e com essa cara, senão ele vai perder a ilusão do Hyung tímido.– Yangmi diz mostrando a língua brincalhona pra mim.

Ligo o carro e dou meia volta.

 

Chegando em casa trocamos de roupas e então vamos com os meninos até a cafeteria costumeira.

 

Jaeho parecia meio sonolento aquela noite particularmente, já Youngjae parecia um viciado em açúcar, tomando seu quarto copo de Caramel Macchiato.

Já estávamos ali há cerca de 2 horas mais ou menos quando o celular de Yangmi toca, pela segunda vez naquela noite.

Ela tenta atender, mas reclama com a pessoa do outro lado da linha que a ligação está ruim.

—Yongguk-shi, vou aqui fora atender essa ligação, aqui dentro o sinal está péssimo.– diz Yangmi se levantando da cadeira.

—Claro, não demore muito, daqui a pouco estaremos indo embora, seus pais disseram pra você não voltar tarde.– falo para ela com um sorriso.

Ela então sai pelas portas da cafeteria.

***

 

Saio da cafeteria e tento falar com minha irmã que está do outro lado da linha.

—Jemi-ya– digo pro celular, mas a ligação caiu.

Olho as horas na tela do telefone: 23h57.

Arregalo os olhos assustada.

—Pensei que havíamos passado somente umas 2 horas na cafeteira.– digo a mim mesma em voz baixa.

Então ligo novamente a tela do celular e começo a discar o número da minha irmã, quando clico no botão de chamada um homem passa correndo por mim, esbarrando em mim e fazendo meu celular cair, já que não o vejo mais em minhas mãos.

—Descupe.– diz o estranho correndo.

Olho pro chão a procura do meu telefone e não vejo nada, de repente me ocorre que o homem esbarrou em mim de propósito para tirar minha atenção e me roubar.

—YAH~ SEU CRETINO.– grito e saio correndo atrás dele que não está muito longe.

Eu estou quase o alcançando quando ele se vira...

***

 

Se passaram cerca de 10 minutos desde que a Yangmi saiu pra atender o telefone. Preocupado eu vou a procura dela. Assim que abro as portas vejo ela correndo até alguém que não conheço, e antes que ela chegue nele ele se vira na direção dela.

Yangmi chega nele rapidamente e não consigo ver corretamente o que está havendo, mas parecem estar brigando, eu observo sem entender por cerca de 2 segundos e então vou até onde estão, mas antes que eu chegue de fato lá vejo homem correr e Yangmi pisar em falso.

Quando chego onde ela está, fico paralisado. Ela está com uma faca enfiada até o cabo na barriga e há mais 2 cortes do lado.

Yangmi vai desmoranando até o chão e a seguro, a paralisia finalmente passando. Eu só penso em gritar e ir atrás do cara, mas não consigo fazer nada além de olhar pra ela e começar a chorar.

Yangmi ainda segurando o último fio de vida olha pra mim com um sorriso triste e ensanguentado.

—Me desculpe não ter entrado logo...– ela diz baixa e roucamente, engasgando com o próprio sangue.

Eu a apoio no meu braço e seguro sua cabeça a apertando contra o meu corpo e começo a gritar ao vento.

Youngjae chega com Jaeho, ambos desesperados, e liga pra emergência imediatamente.

Minutos depois uma ambulância com 3 paramédicos chega e nos leva ao hospital, com Youngjae seguindo a ambulância no meu carro.

Não havia mais o que fazer, Yangmi não estava mais nesse mundo.

 

Quando o médico não conseguiu fazer nada e veio à mim pedindo as informações sobre a família dela, eu lhe entreguei a bolsa com os documentos dela que tinham ficado na cafeteria quando ela saiu, e que Youngjae trouxe.

Eu pensei em esperar pelos pais dela, mas não tinha certeza se conseguiria encará-los. Então escrevi um bilhete e pedi que a atendente que ficou com os pertences de Yangmi, pra que colocasse junto as coisas dela, para ser entregue aos pais de Yangmi.

O bilhete dizia:

"Eu sinto muito não ter conseguido proteger sua filha."

 

Após aquilo, Youngjae, Jaeho e eu não fomos ao funeral de Yangmi, nenhum de nós conseguiu. Apesar que o Aboji foi em nome da nossa família, já que a Omma também não pôde ir devido o trabalho.

Assim nunca conheci a família de Yangmi corretamente.

***

 

Presente

04/07/2017

Noite de terça-feira

 

 

 

 

 

 

 

Jemi está olhando para mim de cima, falando algo que não consigo ouvir direito, ela me sacode e depois tenta me ajudar a levantar do chão.

Eu sento na cadeira com a ajuda dela.

—Sunbaenim, você está bem?– ela pergunta.

Dessa vez consigo ouvir claramente. Balanço a cabeça pra recobrar os sentido, olho para ela com uma angústia crescendo dentro de mim.

—Eu acho que não estou me sentindo muito bem, Shin Jemi-shi. Vou pedir ao Hyung que venha me buscar.– digo isso e tento desviar dos olhos dela.

Ela assente silenciosamente enquanto envio uma mensagem de texto para o Hyung, com as mãos trêmulas.

Minutos depois o Hyung chega, nos despedimos de Jemi e entramos no carro. Assim que ele fecha a porta do carro, eu olho pra ele com o olhar desesperado.

 

 —Hyung, temos um problema.– digo sem esconder o desespero na voz.


Notas Finais


Parece que alguém compartilha um passado triste...

E os problemas começaram... Será?


Até o próximo capítulo~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...