História Skool Luv Affair - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bangtan Sonyeondan, Bts, Colegial, Menção!2seok, Menção!taekook, Yoonmin
Visualizações 13
Palavras 3.367
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


POV do Jimin (:

Leiam as notas finais, por favorzinho <3

Boa Leitura!

Capítulo 3 - Boys In Luv


Fanfic / Fanfiction Skool Luv Affair - Capítulo 3 - Boys In Luv

Reencontro é o ato ou efeito de reencontrar(-se); novo encontro; redescobrimento.

Senti as mãos de Yoongi envolverem meu pulso e me puxarem para a porta do lado oposto à do banheiro, eu não conseguia imaginar para onde ele estava me levando. Fez um movimento fazendo com que eu entrasse primeiro, passando pela porta logo após, fechando-a. Era um depósito de limpeza, aparentemente. Havia estantes de metal cinza do meu lado direito e esquerdo, repletas de produtos, detergentes e rolos de papel. Atrás da porta era onde estavam localizadas todas as vassouras e rodos.

Suga me encarava de um jeito tão penetrante e sedutor, que não consegui me segurar ao vê-lo morder o lábio inferior daquele jeito que eu descobri ser um ponto fraco pra mim, apoiado sobre a porta. Com certeza estava esperando alguma reação minha, parecia curioso pensando se eu o beijaria ou o agrediria por me trancar naquele lugar. Escolhi a primeira opção – a mais agradável, é claro – e me aproximei-me meio incerto, puxando-o pela gravata para colar nossos lábios num beijo sutil, apenas um encostar de lábios. Min passou a língua quente pelo meu lábio superior, fazendo-me arfar e encará-lo, me perdendo por uns segundos naquelas orbes negras que brilhavam intensamente. Joguei-me em seu corpo, aprofundando o ósculo, minha língua afoita indo de encontro com a sua, senti suas mãos apertarem possessivamente a minha cintura, nos mantendo juntos. Levei meus dedos pequenos aos seus cabelos negros, puxando-os um pouco, passando a fazer um cafuné, provocando um arfar vindo do mais velho. Ele parecia tão sensível em meus braços.

– Caralho, Park... – gemeu com aquele timbre grave quando comecei a beijar seu pescoço tão branquinho, lisinho que cheirava a um perfume doce desconhecido (talvez de framboesa?) e menta. Distribuí selares calmos e molhados na área, e Yoongi respondia a tudo apertando a minha cintura. Pena que não podia marcá-lo como desejava, imagina como ficaria aquela área cheia de marcas arroxeadas e vermelhas. Mal tive tempo de aproveitar o momento quando senti o garoto vira-me bruscamente, me colocando contra a porta, voltando a me beijar na mesma intensidade de antes, e concentrei minha atenção em apreciar aqueles lábios finos que combinavam tanto com os meus que eram carnudos, aquela língua que chupava a minha de um jeito que me arrancava os mais intensos suspiros e arrepios.

Senti algo vibrar sobre a minha perna, uma sensação que não pareceu incomodar só a mim, mas ao mais velho também, que quebrou o beijo, afastando-se de mim frustrado. Eu peguei meu celular que tocava pela terceira vez naqueles poucos segundos, olhei para a tela e vi um “TaeTae” brilhando. Respirei fundo, recuperando o ar perdido pelos momentos de segundos atrás, passando as mãos meio trêmulas pelos meus cabelos castanhos.

– A pessoa não vai parar de ligar, melhor atender. – Yoongi disse, apoiando o corpo na estante à minha esquerda. Seu peito subia e descia freneticamente, seus lábios vermelhos e os olhar brilhante. Como aquele garoto é lindo!

Atendi o celular no quarto toque, sendo recepcionado por um Taehyung de voz grave e preocupado.

– Alô? – falei despreocupadamente.

– Hyung? Estou te procurando, estamos te esperando na mesa do refeitório, mas não apareceu então Jin hyung achou melhor vir te procurar. Está tudo bem? – o garoto disparou tantas palavras que acabei demorando alguns segundos processando todas aquelas frases.

– Estou. – respirei fundo, buscando controlar minha respiração – Ah- Er... E-Eu tive um problema com uns documentos, precisei acompanhar a secretária até a Diretoria para esclarecer o mal entendido. Onde está? – Onde eu havia ganhado toda essa habilidade para mentir?

– Estou na frente do banheiro, vim procurar por você aqui! – reclamou – Já que está na Diretoria, estou indo ai. – Pude ouvir passos vindos do corredor, arregalei os olhos e Yoongi me olhou confuso. Fez menção de falar, porém levei meu indicador até seus lábios, pedindo silêncio – Ok Tae, não precisa mesmo, já estou a caminho. Volta para refeitório e-e me espera, já-á estou chegando.

– Tudo bem hyung, por culpa sua minha comida está esfriando. – ouvi-o bufar.

– Eu deixo você comer a minha, está bem? Só volta pra lá. – Min me fazia tentar ficar calmo, indo em direção à porta, apoiando na mesma por precaução.

– Já estou voltando, até daqui a pouco. – foquei minha audição e consegui ouvir os passos se distanciando dali, cada vez mais baixos até sumirem.

– Uau, isso foi... Foi meio... – Yoongi quebrou o silêncio que estava instaurado entre nós daquele pequeno cubículo. O lugar estava quente, e eu me sentia levemente tonto, creio que foram muitas emoções num curto espaço de tempo e num cômodo minúsculo.

– Foi inesperado. – essa foi a melhor palavra que consegui achar em meio ao meu vocabulário meio escasso, falei enquanto guardava o meu aparelho celular no bolso da frente da minha calça.

– Desculpa, - Yoongi falou de um jeito tímido, coçando a nuca – Foi impulsivo da minha parte.

– Tudo bem, eu também correspondi então... Peço desculpas – completei, havia dois impulsivos dentro daquele depósito pequeno – Meu Deus! Preciso ir antes que o Taehyung decida me procurar de novo! – falei num tom alto algumas oitavas, assistindo o mais velho se distanciar da porta, abrindo-a e checando se havia mais alguém ali, por sorte o corredor continuava vazio. Todos estão almoçando, Jimin, pensei. Saiu do cômodo antes, e eu o segui. Yoongi fechou a porta atrás de nós, logo voltando seu olhar para mim. Confesso que eu estava meio envergonhado, me agarrar escondido com alguém no primeiro dia era algo que eu definitivamente não havia planejado, e ainda mais ser alguém que eu conhecia e não conhecia. Suga parecia se sentir da mesma forma, olhava para mim e logo desviava o olhar suas próprias mãos, um claro sinal de desconforto. Achei sensato seguir meu caminho e esquecer aquilo.

– Bom, vou indo. – avisei, começando a caminha devagar em direção ao refeitório.

– Vou esperar um pouco aqui, você sabe... Para não desconfiarem – virei meu rosto para si e concordei – Te vejo por ai, Park.

Assenti novamente, deixando o lado esquerdo do meu lábio se erguer num sorriso singelo, voltando a olhar para frente, logo me distanciando dele. E foi quando eu senti minha barriga roncar pela primeira vez naquele dia. Adentrei no local, meus ouvidos sendo tomados por barulhos de conversas vindas de todas as direções, de pessoas caminhando a procura de um lugar vago. Paguei uma badeja, seguindo pela fila que agora estava minúscula. Não peguei apenas um pouco de carne, arroz e bastantes legumes – algo que eu gostava bastante – uma garrafa de água e uma de suco de morango. Quando me virei, vi Hoseok hyung acenar de um modo nada discreto, balançando os dois braços acima da cabeça, abrindo um daqueles seus sorrisos brilhantes. Caminhei até eles, me sentando no único lugar vago na mesa para quatro pessoas, ao lado de Taehyung. Comecei a comer tranquilamente, e logo avistei Yoongi entrar pela porta branca, caminhando despreocupadamente até a fila que já nem existia e pegando apenas um refrigerante, voltando a caminhar e sentando junto com seus amigos do time de basquete, sendo cumprimentado pelo mais alto que lhe deu uma tapa na cabeça. Como ele estava tão bem depois do que aconteceu? Eu ainda estava com borboletas alçando voo em meu estômago e minhas pernas ainda bambeavam um pouco.

– Resolveu o problema com os documentos? – fui tirado de meus devaneios por Jin, que repousava o rosto na mesa e recebia um cafuné carinhoso de Hobi.

– Ahm, sim. Foi só um mal entendido no final, a-acho que ela só me confundiu com outro calouro. – acabei gaguejando e quase me engasgando com um pedaço de carne. Retirem o que eu disse sobre mentir bem.

– Que bom! – Hoseok e Tae falaram em uníssono, e caímos na risada.

– Aconteceu alguma coisa interessante nas férias de vocês? Porque eu apenas procrastinei na fazenda dos meus avós e brinquei bastante com o jjanggu.  – Jin hyung iniciou uma conversa casual e eu agradeci a todos os deuses por isso.

– Eu aproveitei bastante no Havaí, então... Sinto falta de surfar e do clima quente. Quase me acostumei a viver lá. – Hobi falava devagar, apoiando o rosto nas duas mãos, claramente relembrando suas memórias construídas lá.

– E você se atreveria a viver lá sem mim? – Seokjin reclamou fingindo estar bravo, Hoseok acabou entrando na brincadeira do namorado. E em meio a essa conversa eu insistia em observar aquele garoto de cabelos negros que tem cheiro de menta com framboesa, e lábios tão doces quanto mel. Agora eu o via sorrir, e foi quando reparei em seu sorriso. Era tão inocente, beirava o infantil – mas não de um jeito ruim – com toda gengiva rosada aparecendo que em conjunto com seus olhinhos fechados onde mal aparecia aquelas orbes negras e brilhantes formavam uma visão extremamente adorável. Nem percebi quando os outros três começaram uma conversa amistosa sobre o que tinha acontecido recentemente e as fofocas, eu ainda estava focado em admirá-lo em silêncio, finalizando o meu almoço, tomando apenas o restante do suco que continha na garrafa.

– Vocês souberam que o Suga terminou com a namorada? – Taehyung comentou. Ao ouvir aquilo, acabei engasgando com o líquido. Então ele tinha namorada?

O de cabelos quase loiros passou a acariciar as minhas costas, enquanto eu tentava me recompor.

– Qual delas? – Hobi indagou sem animação alguma.

– A Jihyo. Aquela de cabelos longos e olhos tão grandes quanto. – Hoseok tinha uma expressão confusa em seu rosto, assim como Jin – Aquela que estuda na escola de meninas ao lado. – Taehyung apenas gesticulava de forma engraçada enquanto descrevia a tal garota.

– Ele tinha namorada? – murmurei baixo, e infelizmente o garoto capturou o que eu falara de forma clara.

– Terra chamando Park Jimin! – o mais novo balançava a mão esquerda na frente do meu rosto. Afastei-a com uma leve tapa.

– O que? – perguntei, tentando disfarçar meu embaraço – Eu só fiquei um pouco... Hm, chocado, sei lá.

– Tá bom... Você só está surpreso porque mal o conhece, mas todo mundo aqui sabe que o Suga não passa dois meses com uma namorada, e sempre pega geral nas festas que ele mesmo dá. 

– Ele realmente parece esse tipo de cara. – indaguei, tentando me incluir na conversa.

– Acho que ele ainda não achou aquela pessoa que conseguirá virar o mundinho dele de cabeça pra baixo. – Jin acrescentou – Enquanto isso não acontece ele tem que aproveitar mesmo. No lugar dele é o que eu faria.

– Bem que eu queria entrar naquele mundinho, - virei-me para Taehyung. Aonde aquele garoto quer chegar com aquela conversa? – Pena que é tão hétero...

Não consegui segurar a minha risada, fazendo os meninos me olharem confusos. Mal sabiam que eu estava aos beijos com Yoongi há apenas meia hora atrás.

– Você está bem? – Seokjin perguntou.

– Eu estou bem sim, – controlei a minha risada, passei apenas as mãos pelos cabelos castanhos só para bagunçá-los de leve – Só me lembrei de algo engraçado, nada demais.

– Acabei de lembrar que ainda precisamos nos reunir com o pessoal sobre a peça teatral de inverno. Ideias?

– Pensei em algo clássico, uma lenda talvez. – Jin falou, animado.

– Ou talvez algo mais atual. – comentou Taehyung, digitando animadamente no celular.

– Ou talvez uma junção dos dois, ué. Poderiam juntar uma lenda antiga e fazer com que ela aconteça nos dias de hoje. Acho legal, sei lá. – comentei sem humor, vendo os olhos de Jin hyung brilharem em minha direção. Então eu falei algo útil?

– Acho que a ideia do Jimin é promissora, Hobi. Podemos explorar por esse ponto e ver no que dá. – o mais velho concluiu – Você deveria nos ajudar no clube de teatro, Jimin.

– Talvez algum dia, mas hoje não. Tenho aula de biologia avançada nas segundas e quartas. – disse, me despedindo deles, piscando e acenando. O refeitório já estava vazio, Yoongi já tinha deixado o local com seus amigos. Eu apenas depositei minha bandeja no local indicado e segui rumo à aula sala de aula.

➷➷➷➷➷➷

Saí do Colégio às três horas, acompanhado dos meus novos três amigos. Jogávamos conversa fora enquanto caminhávamos rumo à pracinha em frente. Logo a mãe de Seokjin chegou, parando o carro ao nosso lado e acenando sorridente. Hoseok decidiu pegar uma carona, e restou apenas Tae e eu. Estava calor naquela tarde, então optamos por ir até a sorveteria na rua à direita. Um estabelecimento simpático e levemente colorido esperava por nós, adentramos no ambiente e fomos recebidos por uma garçonete bem humorada. Pedi um sundae de frutas vermelhas e Taehyung preferiu um sorvete de menta com chocolate, que descobri ser seu favorito. Pagamos e pegamos nossos pedidos, e decidimos sentar em uma das mesas brancas com detalhes em azul próxima à janela.

– E ai hyung, o que achou do seu primeiro dia? – Kim perguntou, com a boca cheia do sorvete.

– Foi muito bom, Tae – pausei – Foi melhor do que eu esperava. Achei que seria difícil, porém percebi que as pessoas de Seul são bem amigáveis. E obrigado por ter me ajudado hoje, sabe, me apresentando todo o colégio...

– Sem problemas. É bom ter você no nosso grupo. Hoseok hyung já amou a ideia que você deu para a peça de inverno, então ele vai continuar insistindo para que entre para p clube de teatro.

– Eu não sei atuar, Tae. – falei baixo, minha voz estava cheia de insegurança.

– Não é apenas de atores que vive o teatro, hyung. Precisamos de pessoas que escrevam bem para serem roteiristas, pessoas que sejam boas com trabalhos manuais para ajudar nos cenários, pessoas criativas, pessoas que entendam de tecnologia, músicos... Todos são importantes. Você parece ser bem criativo, poderia nos auxiliar na parte de criação. – o Kim parecia querer me convencer de que seria uma boa ideia. Talvez fosse eu estaria mais próximo deles e ainda seria útil.

– OK, você me convenceu! Vou pensar, preciso analisar a minha grade curricular primeiro. – Eu realmente iria pensar na proposta.

– Sério hyung? – assenti e vi os olhos de Tae brilharem – Vai ser legal ter você lá. Bom, mudando de assunto... Já tem alguém que achou interessante? – o garoto mudou de assunto do nada, e agora me encarava com olhos curiosos, enquanto levantava as sobrancelhas. Acabei rindo com a cena.

– Taehyung, eu acabei de chegar!

– Mas eu vi você olhando para o Suga hyung... Nem tente mentir.

– Eu não vou, – tentei me justificar – Todo mundo estava olhando pro Suga, inclusive você.

– Argumento justo. – desistiu, passando o dedo no potinho de sorvete e lambendo-o em seguida. Mexia freneticamente no celular mesmo com o dedos sujos e grudentos, e eu apenas continuava tomando a sobremesa gelada.

– Jimin hyung, preciso ir! Minha mãe está com o carro estacionado logo aqui em frente. – falou Taehyung, se levantando da mesa, eu o acompanhei e juntos saímos do estacionamento. Vi um carro cinza se aproximar de nós, e o vidro do lado do passageiro foi aberto revelando uma mulher bem jovem e bonita, com cabelos negros e curtos.

– Vamos Tae! Preciso fazer o jantar! Seu amigo vai conosco? – perguntou, destravando a porta para que o filho entrasse.

– Não, não! Moramos em lado opostos, estou indo pegar o ônibus. – respondi, dando uma última colherada do sorvete.

– Ok, então. Até mais... – a senhora disse, acenando para mim e sorrindo. Agora sei de quem Taehyung herdou aquele sorriso quadricular. 

– Jimin, mãe! Jimin hyung! – Tae a cortou rapidamente.

– Até mais, Jimin hyung! – falou em tom de brincadeira, rindo e acenando para mim. Acenei de volta com um sorriso nos lábios, rindo do revirar de olhos do mais novo. A esperei dar partida no carro e segui rumo ao ponto de ônibus.

➷➷➷➷➷➷

Busquei me sentar na última cadeira, colocando meus fones de ouvido e escolhendo uma das minhas playlists de músicas mais calmas. Encostei a cabeça na parede e me peguei pensando novamente no meu breve e nada convencional encontro com Min Yoongi. Eu definitivamente não esperava descobrir que estudávamos na mesma escola, ou seja, iriamos compartilhar os mesmos corredores e professores. E também não achei que agiríamos daquela forma, aos beijos num armário de limpeza. Não era o que eu esperava do meu primeiro dia de aula numa escola em Seul.

Lembrei-me do jeito que ele correspondeu aos meus toques de forma tão entregue, o jeito que seus lábios se encaixaram tão bem nos meus, sua língua acariciando a minha, suas mãos grandes e possessivas em minha cintura... Também lembro-me bem de como ele falou que foi apenas um ato impulsivo... Claro que nada daquilo poderia significar algo para ele, eu era apenas mais um na longa listinha de “ex ficantes do Suga”. Porém algo era diferente: Taehyung havia dito que Yoongi era hétero, o que não era verdade. Será que eu havia sido o primeiro garoto que ele havia beijado. Então isso o tornaria bissexual... Vejo que Min Yoongi ainda estava descobrindo sua sexualidade, e isso não era da minha conta, era algo que ele teria que compreender em si e sozinho. Eu sei que para mim contar que era gay para os meus pais foi mais simples, ambos eram compreensivos e tolerantes, e me apoiaram abertamente sobre, mas sei também que nem todos os pais são exatamente como os meus.

Parei de devaneios quando vi que o veículo se aproximava da minha parada. Levantei-me e fui até a porta. Desci e caminhei até o fim da rua, chegando em casa logo. Aporta de madeira escura e maciça estava destrancada, mamãe já devia ter chegado. Corri até a cozinha, encontrando a mais velha em frente ao fogão, mexendo nas panelas e provando um pouco do molho que fervia.

– Cheguei! – gritei, vendo a saltar com o susto, virando em minha direção com os olhos arregalados.

– Que susto, Jimin! – reclamou, indo até mim, já que eu estava sentado sobre um dos bancos, os braços apoiados no balcão alto.

– Me desculpe, omma. Como foi seu dia?

– Correu tudo bem. Venha até aqui e corte os legumes para mim, já que está ai sem fazer nada. – ordenou, e eu desci do banco, indo até a pia e lavando as minhas mãos. Logo meu pai chegaria em casa, e eu já estava com fome.

➷➷➷➷➷➷

O momento do jantar foi bem agradável, papai falava radiante sobre o novo cargo que exercia e como estava se dando bem com seus colegas de trabalho. Ambos fizeram muitas perguntas sobre o meu primeiro dia, tentei responder a todas calmamente, tomando cuidado para omitir qualquer dado sobre Yoongi, a última coisa que eu queria eram pais curiosos sobre a minha confusa vida amorosa. Continuamos a conversa na sala, enquanto comíamos alguns mochis que a minha mãe havia comprado numa loja de doces no centro. Chequei o celular, vendo que já passava das dez da noite, e o aparelho estava descarregando. Dei boa noite aos meus progenitores, peguei minha mochila que estava largada ao lado da porta e subi as escadas rumo ao meu quarto. Fui diretamente para o banheiro, tomando um banho quente e rápido, lavando bem os meus cabelos castanhos. Ao sair do box, coloquei o roupão seco e fui até a pia, lavando meu rosto novamente com produtos apropriados e escovando meus dentes. Voltei para o quarto e fui até o armário, peguei peça intima e meu pijama e me vesti. Eu ainda não poderia dormir, queria adiantar um trabalho de Biologia. Liguei o notebook e me sentei na cama, porém cinco minutos depois peguei-me buscando pelo nome “Min Yoongi” no seach das redes sociais.

“Qual o seu problema, Park Jimin?”, indaguei a mim mesmo, analisando com olhos atentos o perfil do mais velho. “Ah, foda-se.”, resmunguei me repreendendo. Meu interior queria conhecê-lo melhor. Não havia muito de si em seus perfis, consegui saber muito sobre si, apenas que gostava de hip hop e música clássica – uma combinação bem diferente eu diria, jogava no time de basquete há bastante tempo e era o capitão, também havia muitas fotos em que ele era marcado, principalmente nos perfis de Jeon Jungkook e Kim Namjoon - fotos de festas e vídeos de jogadas nas partidas e treinos na quadra. “Eu preciso é dormir.”, falei baixo, desistindo do trabalho de Biologia e de ser stalker, desligando o aparelho em minha frente. Conectei o celular na tomada e me joguei nas cobertas, teria um dia longo amanhã. Dormi rapidamente, imaginando aquelas orbes negras me encarando intensamente e se um dia as teria focadas em mim novamente.


Notas Finais


ATENÇÃO AQUI: Eu escrevi uma oneshot yoonmin hoje e to com ela prontinha (até a capa eu fiz rápido!) só que é a primeira vez que escrevo lemon, foi meio que um teste pro lemon de SLA. Pretendo postar ainda essa semana, assim como o próximo capitulo.
Era só isso mesmo, bj


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...