História Shy Love - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Hongbin, Hyuk, Ken, Leo, N, Ravi
Tags Hetero, Leo, Ravi, Shylove, Suhyung
Exibições 31
Palavras 1.660
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello!
Como prometido, dessa vez eu nem demorei😉
Terceira parte só pra vcs, meus amores
Curtam bastante e desculpem qualquer erro
😘
Go! Go! Go!

Capítulo 6 - Encontro Secreto (Part. 3)


Fanfic / Fanfiction Shy Love - Capítulo 6 - Encontro Secreto (Part. 3)


- Pov. Lee Suhyung -

 

A tal "brincadeira do biquíni'' mais parecia uma suruba. Consistia praticamente em uma piscina, com mais ou menos 15 garotas de biquíni dentro e 5 rapazes, e a regra principal era: o cara que conseguisse arrancar mais biquínis, ganhava. Acho que eu era a única que assistia aquela cena horrorizada. Aquilo já deveria estar rolando a uns 2 minutos e a essa altura algumas meninas já estavam praticamente nuas.

Olhei para o lado e encontrei Ravi e os outros morrendo de rir, enquanto eu tentava descobrir aonde estava a graça naquilo. Finalmente a buzina foi tocada, dando fim aquele ''jogo'' 


- Já temos um vencedor, galera! - Exclamou N no microfone. - Com 11  peças de biquínis arrancados o vencedor é... Ken! - O loiro comemorou levantando as peças de biquínis como se fossem troféus.

Revirei os olhos, definitivamente aquele não era o tipo de encontro que eu esperava. Não aguentava mais ficar naquele lugar com tantas pessoas fúteis ao meu redor, estava prestes à me despedir de Ravi e chamar um táxi, se ele pretendia continuar naquela farra, ele ia continuar sem mim, porque eu já estava decidida a ir embora. Andei apressada até o mesmo, mas parei na metade do caminho, quando vi Ravi se aproximou de N e cochichar alguma coisa no ouvido do mais velho, enquanto me fitava com um sorriso malicioso nos lábios.


- Atenção! - N voltou a falar no microfone. - Nós faremos uma segundo rodada, e dessa fez com uma participante especial... Lee Suhyung! - QUE?! Senti meu corpo gelar quando ouvi o meu nome. Eu não ia participar daquela brincadeira, não mesmo!


- Vem Suh! - Ravi me puxou para perto da piscina.


- A-any, any! Eu não quero. - Tentei me afastar, mas ele continuou me puxando.


- Ah qual é! Vem, vai ser legal.


- Não obrigada, eu não estou usando biquíni e também não estou nenhum pouco afim de participar dessa brincadeira.


- Ah para com isso, as meninas emprestam um biquíni pra você. - Dessa vez N que me puxou.


- Eu não quero!


- Tá com medinho de ficar sem nada, Suhyung?! - Provocou, Ken.


- Any! eu só não que... - Eu mal fui capaz de terminar e de repente alguém me empurrou, me fazendo cair dentro da piscina. Não tive tempo nem de prender a respiração e com isso acabei aspirando um pouco d'água. Tudo aconteceu muito rápido e quando consegui voltar a superfície para respirar, todos estavam rindo de mim. Senti meu rosto queimar, estava tão constrangida que tratei de sair o mais rápido daquela piscina.


- Suh, você esta bem? - Ravi aproximou-se de mim.


- É CLARO QUE NÃO! - Gritei irritada, enquanto saia do meio daquelas pessoas.

Já não conseguia nem pensar direito, estava com muito raiva e pra piorar minhas roupas estavam completamente encharcadas. Afinal quem foi o filho da puta que me empurrou? Entrei na casa procurando em meio a bagunça alguma coisa que pelo menos desse pra me secar, mas aquilo era mais dificil que procurar uma agulha no palheiro.


- Tome. - Escutei uma voz familiar atrás de mim e quando me virei, encontrei Hongbin parado com uma toalha na mão. Não é possível, aquela era a segunda vez só naquela noite que ele aparecia pra me salvar - Agora tenho um '' anjo da guarda'' é isso? - 


- Não vai querer? - Levantou uma sombrancelha.


- Obrigada. - Peguei a toalha de sua mão. Tentei secar algumas partes do meu corpo, mas minhas roupas continuavam encharcadas tornando tal ato em vão.


- Assim não vai dá, você tem tirar essas roupas.


- C-como?! - Arregalei os olhos.


Ele riu da minha cara de espanto e aproximou-se mais um pouco.


- Não vai adiantar se secar se suas roupas continuam molhadas. Venha. - Agarrou minha mão e novamente saiu me puxando escada a cima. Sinceramente eu estava me sentindo algum tipo de brinquedo que de vez em quando era arrastado pra cima e pra baixo. Se ao menos ele me dissesse para onde estava me levando eu iria numa boa. Aff...

No andar de cima haviam várias portas que se estendiam em um longo corredor  - Talvez aquela fosse a única parte da casa que não estivesse uma zona -. Hongbin parou em frente a terceira porta e à abriu  me puxado pra dentro. Aquele era um quarto feminino, as paredes eram pintadas de lilás, sobre a cama de casal coberta com uma colcha de estampa floral haviam algumas almofadas, e espalhado nas paredes, haviam várias fotos.

Levei um tempo observando cada foto, e o que mais me chamou atenção foi a figura de uma bela jovem que aparecia em todas as fotos. Aparentava ter mais ou menor a minha idade, seus cabelos eram pretos e batiam um pouco abaixo dos ombros, sua pele era um pouco escura e seus olhos cor de mel. Realmente uma garota muito bonita. Na maioria das fotos ela aparecia acompanhada de outras pessoas, talvez fossem amigos ou parentes. Haviam algumas com N e outras em que ela aparecia abraçada com Hongbin.


- Aqui deve ter alguma roupa de sirva em você. - Disse Hongbin, enquanto vasculhava uma das gavetas do guarda roupas.

Não prestei muita atenção no que Hongbin fazia, me encontrava entretida nas fotos, nas pessoas das fotos e de como elas pareciam felizes.


- Hanna.


- O que disse? - Me virei para fita-lo.


- Chan Hanna. Esse é o nome dela. - Apontou para a foto dele com a tal garota.


- Ela é muito bonita. - Sorri.


- Ela era a irmã mais nova do N hyung.


- Como assim era? - Estranhei.


- Bem, ela... Ela morreu... Em um acidente de carro. - De repente seu semblante se tornou triste.


- Oh... E-eu... Eu não sabia que N oppa tinha uma irmã...


- Ela estudava em outra escola.


- Você e ela?...


- Sim. - Percebi seus olhos ficarem marejados e uma lágrima escorrer pelo seu rosto. - Ela era minha namorada. - COMO? EU OUVI BEM?


- Eu sinto muito... - Me aproximei dele.


- Nos conhecemos por causa do hyung, ele sempre dizia que sua irmãzinha não poderia namorar nenhum de seus amigos, a não ser comigo. - Deu um meio sorriso. - Passamos por muitos momentos felizes juntos... 


- E quando foi que... Que ela morreu?


- Há dois anos atrás. Hanna e N voltavam pra casa depois de uma festa, já passava da meia noite, e por um motivo bobo os dois começaram a discutir dentro no carro.  O hyung estava com raiva e por um momento que pôs sua atenção na irmã, acabou perdendo o controle do carro, batendo em outro carro que seguia na direção contraria. - As lágrimas já banhavam o rosto de Hongbin. - O hyung saiu apenas com alguns arranhões e uma fratura em uma das costelas, mas ela... - Hongbin não conseguiu concluir suas palavras, e apenas deixou que as lágrimas tomassem conta de seu rosto.


 - Ela só tinha 17 anos... - Eu não sabia por que, mas escutar aquela história trágica me fez sentir um aperto no coração, e quando me dei conta, eu também estava chorando. Me aproximei de Hongbin e sem hesitar o abracei fortemente, deixando que chorasse o quanto quisesse.

Jamais imaginei que tal tragedia havia acontecido à N e à sua família, e principalmente Hongbin.... Em suas palavras dava pra perceber o quanto ele à amava.


- Você esta me molhando. - Sorriu minimamente.


- Oh! M-me desculpe... - Me afastei sorrindo sem graça.


- Tudo bem. - Sorriu. - Tome, vista essas roupas. - Me estendeu um short jeans e uma blusa branca.


- Tem certeza? Eu não sei se devo vesti-las...  N oppa pode achar ruim.


- Ele não vai achar ruim, confie em mim. - Sorriu.


- Tudo bem...


De repente se fez um silencio constrangedor. 


- Hongbin? - Chamei e o mesmo virou-se para me encarar. - E-eu preciso que você saia pra eu poder me trocar...


- Ah sim! Claro, me desculpe... - Observei suas bochechas ficarem coradas e ele rapidamente saiu do quarto.

Procurei me vestir o mais rápido possível. Retirei minha roupa molhada e as coloquei em cima de uma cadeira que havia ali. Dei uma última olhada no espelho e me virei para uma das fotos de Hanna-ssi.


- Obrigada pelas roupas, Dongsaeng. - Sorri para a foto como se aquela fosse Cha Hanna em pessoa.


 De repente batidas na porta me assustaram.


- Suhyung, posso entrar? 


- Sim. - Hongbin adentrou o quarto e no momento em que colocou seus olhos em mim, ele paralisou. - V-você... Você esta parecida com a Hanna. - Seus olhos me fitavam dos pés à cabeça. - Esta linda.


- O-obrigada... - Senti meu rosto queimar.  

Novamente um silêncio se fez e a atmosfera pareceu mudar de repente. Hongbin passou a me fitar freneticamente e agora aproximava-se de mim. Não entendi o que ele pretendia fazer, e numa  forma tola de tentar me afastar, comecei a dar passos pra trás ao mesmo tempo que ele continuava vindo em minha direção com aquela expressão indecifrável.

Dei mais dos dois passos pra trás, até senti minhas costas se chocarem contra a parede. Os braços de Hongbin se fecharam ao meu redor e de repente eu estava encurralada entre a parede e  Hongbin.


- Hongbin, O-oque está fazen?...


- Shhh. - Pôs o dedo nos meus lábios me fazendo calar. De repente ele aproximou-se mais um pouco, encostando os lábios no  meu pescoço, deixando beijos e chupões pelo local. Tal ato me fez soltar um gemido baixo e acabei me arrepiando involuntariamente. - Droga!

Seus lábios subiram passando pela lateral do meu rosto até pararem no meu queixo. Com uma mão acariciou o meu rosto, mantendo seu olhar fixo nos meus lábios, que agora estavam a poucos centímetros dos seus.


Continua...
 


Notas Finais


Avisando que o próximo capítulo pode demorar alguns dias para ser postado pq estou em período de provas na faculdade😉

Qualquer coisa podem me comunicar nos comentários😉
😘💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...