História SkyHazard - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Alienígenas, Ficção Cientifica, Futurista, Futuro, Guerra, Planetas, Sci-fi
Visualizações 3
Palavras 1.690
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Steampunk, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 14 - Ponto de Vista


Eu fiz com que Michael me mostrasse todas as câmeras do local para eu poder ter uma noção de como era o local completo.

 - A reunião está terminando, é melhor você se apressar. - Michael disse com um notável nervosismo em sua voz. 

 Não pude deixar de reparar que estava suando, eu não podia culpá-lo afinal eu o estava colocando em uma enrascada. Michael me indicou onde era a saída apontando as câmeras e disse para eu correr até lá. Ele me deu um comunicador para ele me guiar.

 Agora que eu sabia que apenas ele cuidava da vigilância eu só precisava ser rápido para escapar enquanto ele me guiava pelas câmeras.

 - Me bate. - disse Michael quando eu estava na porta pronto para correr.

 - O quê? - Eu virei pra ele.

 - Eu fiquei com vergonha de pedir. Eu preciso de ferimentos caso perguntem porque eu deixei você fugir. - explicou Michael.

 - Você está certo. - Eu disse.

 Eu fui até ele e antes de mudar de idéia eu dei um forte soco no rosto de Michael fazendo o cair com tudo no chão.

 - Não precisa tentar me matar! - reclamou Michael se levantando.

 - Desculpe. - Eu disse sem me sentir culpado. 

 - Está tudo bem, agora é melhor você correr rápido. Acho que esse soco foi o suficiente. - disse Michael levando a mão no local onde eu o acertei. 

 Eu concordei e comecei a correr pelo corredor com Michael me guiando.

 - Desça as escadas na terceira porta à esquerda. - disse Michael. 

 Eu corri até a direção que Michael disse e abri a porta e desci as escadas, havia outro largo corredor no local. 

 - Corra até o final do corredor e vire a direita.

 Novamente eu segui as instruções dadas por Michael, pensei que estivesse me ajudando. Eu corri até um local e vi a sala onde estavam fazendo a reunião, passei discretamente por ela sem ninguém me notar. Antes de ficar a salvo, vi um deles sair pela porta e me escondi em uma fresta na parede. Ele passou na minha frente mas não me notou. Eu não conseguia ver se mais alguém vinha atrás dele então esperei mais até ficar seguro. Não falei nada no comunicador com Michael para o homem que estava agora de costas para mim não escutar. Para o meu azar Michael também não estava dizendo nada, provavelmente estava nervoso com o sujeito quase me vendo.

 - Porra! - Michael gritou no comunicador.

 O homem voltou para a sala de reuniões e eu me senti aliviado.

 - Michael, o que houve? - Eu perguntei.

 Eu ouvi um barulho de algo se quebrando no comunicador. 

 - Quem caralhos é você? - Michael gritou. 

 - Que porra você tá falando? - Eu perguntei. 

 Michael deu um grito e não disse mais nada. 

 - Michael, o que aconteceu?

 Eu ouvi uma risada maléfica no comunicador.

 - Quem está aí?

 - Eu estou te vendo, parece que te encontrei Zuko. - disse uma voz conhecida. 

 Eu me lembrei daquela voz e tentei recordar de quem era. Então eu lembrei de tudo que sofri nas mãos do zorak e consegui desvendar. 

 - Eozard!

 Nebula Y 

 Lynn não conseguia acreditar que Amest havia assassinado Talt, pelo menos não sem um motivo. 

 - Onde ela está? - Lynn perguntou.

 - Ela fugiu. - disse Walt. 

 - Para onde?

 - Ela ainda está na nave, foi para a parte da escola militar. Connie está com ela.

 Lynn retirou uma arma de seu bolso e começou a correr de volta para o quarto.

 - Aonde você vai? - gritou Walt. 

 - Vou atrás dela. 

 Lynn entrou em seu quarto e acordou Rebecca desesperadamente que levantou assustada. 

 - O que aconteceu? - Rebecca perguntou confusa.

 - Amest. - Lynn respondeu.

 - O que tem ela? 

 - Aparentemente ela matou Talt, precisamos ir atrás dela. 

 Rebecca levantou e vestiu seus trajes de soldado. Lynn também trocou suas roupas comuns para roupas de soldado.

 - Você tem certeza de que está pronta para usar essa roupa de novo? - perguntou Rebecca. 

 - Eu não tenho opção. 

 Rebecca sorriu para Lynn o que a deixou um pouco envergonhada, ela sorriu timidamente de volta mas logo tentou se concentrar pois não estava em um momento apropriado para aquilo. Claro que gostaria de acordar ao lado de Rebecca e passarem o dia juntas mas não era essa a realidade que viviam, provavelmente nunca teriam essa vida juntas.

 Saíram do quarto e correram para um teletransportador para chegarem o mais rápido possível em Amest.

 Quando chegaram na escola militar não encontraram nenhum aluno, todos haviam sido evacuados devido a uma zorak estar escondida no local. As crianças estavam com medo pelo que contavam sobre os zoraks para elas, ter uma zorak dentro da SkyHazard era amedrontador. 

 Lynn e Rebecca reviraram a escola militar procurando pelas duas. Quando entraram em uma sala, uma mão tampou a boca de Lynn e a puxou para dentro de uma porta que ficava dentro da sala. 

 - Lynn! - Rebecca exclamou.

 A mesma mão puxou Rebecca para dentro da porta. 

 Estava escuro e ficaram tentando ver o que estava ali. Uma lanterna se acendeu. 

 - Sou eu. - disse Connie se revelando.

 - Puta merda, você nos assustou! - disse Rebecca.

 - Onde está Amest? - Lynn perguntou. 

 Connie apontou a lanterna pra cima e mostrou um alçapão aberto sobre elas.

 - O que aconteceu com ela? - perguntou Rebecca. 

 - Talt tentou pegar ela enquanto nós dormíamos então ela arrancou a cabeça dele. - explicou Connie. 

 - E o que vamos fazer? - questionou Lynn. 

 - Nós precisamos tirar ela daqui. - disse Connie.

 - Eles irão atrás de nós. - disse Rebecca.

 - Não podemos deixar Amest. - disse Lynn. 

 - Por quê não? Ela é a porra de uma zorak! - indagou Rebecca.

 - Diferente de vocês, eu vivi no mundo real. Sei que os zoraks são perversos mas não são tão diferentes de nós. - disse Lynn.

 - Então nós vamos atrás dela? - perguntou Connie. 

 - Sim, nós vamos. 

 - Eu vou acabar me arrependendo disso. - resmungou Rebecca.

 Fazec

 Moltar dormia no frio chão de sua cela, Waylon disse que não era pra ele se preocupar com seu resgate porque Fazec estava morrendo, mesmo que o encontrassem iriam todos morrer de qualquer jeito.

 Moltar perguntou porquê Waylon ainda estava em Fazec já que o planeta iria se desfazer e Waylon respondeu que queria morrer junto com o planeta. Perguntou os motivos daquilo tudo mas Waylon se recusava a responder. 

 Waylon apareceu com o café da manhã de Moltar, bateu forte nas barras de ferro acordando Moltar.

 Moltar se sentou no chão e Waylon jogou a comida no chão. Era a carne de algum animal morto recentemente, não estava muito limpa e nem mesmo cozida. 

 - Por que se preocupar com minha alimentação? - perguntou Moltar.  

- Me falaram para te manter vivo. Se você morrer irão desistir de sua busca e que graça teria? 

 - Como vão saber que estou morto se estou isolado de toda a galáxia?

 - Esse é o segredo. Tem rastros seus em vários planetas se você morrer esses rastros somem. Seus homens estão procurando desesperadamente por você e quando encontrarem você será pó junto com essa porra de planeta. - disse Waylon. 

 - Por que quer morrer Sr. Waylon? - Moltar voltou a perguntar isso.

 - Coma a porra da carne. - Waylon disse ignorando a pergunta.

 Waylon se retirou e Moltar comeu a carne jogada no chão. Ele poderia deixar de comer, adoecer e morrer mas ele não queria isso. Moltar queria que seus homens o resgatassem para ele espalhar ao mundo a verdade.

 A verdade é que a memória dele não foi apagada quando deixou a presidência da SkyHazard, Clay deveria ter feito isso mas não o fez.

 Moltar se lembrava e sabia o que era a SkyHazard, agora que havia sido sequestrado o plano de contar a verdade para todo o universo após a eleição foi por água abaixo. 

 Por outro lado caso conseguissem resgatá-lo isso iria fortalecer seu discurso. 

 Se revelasse a verdade para todos, a SkyHazard deixaria de existir já que seria duramente perseguida por todas as outras organizações governamentais dos mais variados planetas do universo já que a invasão de planetas e a dominação do mesmo era um dos crimes mais impagáveis e hediondos do universo. 

 Técnicamente isso era uma hipocrisia já que os humanos só estavam tentando recuperar o que foi lhes retirado, se alguém cometeu um crime de invasão esses alguém eram os próprios zoraks ou era o que os terráqueos achavam, para os outros, os zoraks conquistaram a Terra honestamente.

 Nebula Y

Lynn, Connie e Rebecca estavam passando pelas tubulações da nave procurando por Amest.

 Seria mais fácil se ela pedisse ajuda mas tinha medo de que as pessoas que diziam estar ao seu lado mudar de idéia sobre ela.

 Enquanto engatinhavam por algumas tubulações, chegaram a uma parte que só era possível subir. Tiveram que colocar o máximo de força nos pés e mãos para conseguirem se apoiar nas paredes de metal e subirem como uma aranha. Ao chegarem no topo saíram direto em uma sala de treinamento dos soldados jovens, os treinamentos haviam sido suspensos momentaneamente até encontrarem a zorak.

 Vasculharam a área e encontraram Amest na parte do treinamento com armas. Ao chegarem perto Amest apontou uma arma para elas. Elas pararam de se aproximar para Amest não atirar. Amest parecia preocupada e assustada, seus olhos estavam molhados com lágrimas de desespero.

 - Não tentem me impedir, eu vou sair daqui! - disse Amest.

 - Não viemos te impedir. - disse Connie.

 - Vamos te ajudar a escapar. - completou Lynn.

 Ouviram alguém correndo atrás delas e olharam para trás. Uns dez soldados junto com Walt visivelmente os liderando apareceram entrando na porta.

 - Todas paradas! - Ordenou Walt apontando uma arma para elas assim como os outros soldados.

 - Walt, o que você está fazendo? - perguntou Rebecca. 

 Walt deu um sorriso irônico e deu a ordem.

 - Vocês todas estão presas!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...