História Skylines - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~Gold-Sama

Postado
Categorias Originais
Visualizações 14
Palavras 884
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Antes de tudo peço que não me matem, minha demora teve motivos!
O primeiro deles foi que eu fiquei revisando o capítulo por milhões de vezes e trocando partes que achava desnecessárias. O segundo foi que a escola me atrapalhou um pouquinho, pra quem não sabe eu faço curso técnico de tarde e em semana de trabalhos a vida fica complexa.

Bem, no prólogo eu me esqueci de mencionar umas pessoinhas super importantes que me inspiram a cada dia!
• Nossa querida ~Danette, que fez essas capas maravilhosas.
• Minha trevosa ~Magizoologist, que está sempre me incentivando.
• E por último mas não menos importante ~Gold-Sama, que é quem me ajuda à escrever a fic me dando idéias maravilhosas.

Amo todos vocês! <3

BOA LEITURA!! Ps: Desculpe algum erro.

Capítulo 2 - Unstoppable


Fanfic / Fanfiction Skylines - Capítulo 2 - Unstoppable

"I'm unstoppable
I'm a Porsche with no brakes
I'm invincible
Yeah, I win every single game
I'm so powerful" - Unstoppable, Sia.

 

 

Anne Cox e Desmond Styles eram perdidamente apaixonados um pelo outro, até o momento em que a jovem ficara grávida e escondera isso do rapaz. Ele tinha uma carreira promissora na Skylines e ela não poderia ser mesquinha ao ponto de desandar tudo.

 

Decidira então, fugir para um dos condados da Inglaterra chamado Cheshire, para ter o bebê. Porém com as dificuldades financeiras que enfrentava, ela não teve outra escolha se não voltar para Londres e tentar reatar seu contrato com a corporação.

 

Na época, o nome da empresa estava em crescimento, e quem mais ajudava com o marketing, era Anne. Por outro lado, Desmond era quem cuidava da parte financeira da Skylines. Ambos tinham grande importância para os negócios, e eram igualmente queridos por Antony.

 

 Porém com sua volta para a capital, ela percebera que nem tudo era como o esperado. A empresa estava falindo e tudo ia de mal a pior. O bebê recém-nascido estava ficando doente e ela não sabia a quem recorrer se não fosse a Antony.

 

E foi aí que tudo começou...

 

Antony Radcliffe acolhera Anne em sua casa, lhe dando todo tipo de ajuda que pode. E como alguém de tanta importância, ele vivia nas mídias. Então, a jovem fora apresentada pelas emissoras como "A namorada de Antony".

 

Todo e qualquer disfarce que ela queria ter, fora em vão. Uma mentira descarada acabara com a vida de Anne Cox, ao despertar a atenção de Desmond para ela novamente. O rapaz arrasado com a situação, culpava Antony por sua derrota amorosa.

 

Então ele começara a comprar ações da empresa, com a esperança que isso fosse atingir Antony. Até que por fim, seu psicológico estava devastado por esse sentimento angustiante. A mulher decidiu se afastar para criar seu filho em paz e isso só piorou a situação...

 

Em uma tarde qualquer, Desmond decidira se redimir com a amada. Compara as melhores flores e os melhores chocolates. Andara até a casa de Anne e batera na porta. Porém tudo o que percebia era o silêncio.

 

Retornou a bater e escutou sussurros vindos do lado de dentro. Seu coração entrara em desespero e então fora surpreendido por um soco. Ficara desacordado por alguns minutos e quando voltou a abrir os olhos seu coração fora partido em milhares de pedaços.

 

O corpo de Anne se encontrava ao chão, coberto por sangue. A pequena criança estava a chorar desesperada, esticando os braços na direção da mãe. E fora aí que ele vira, dois homens mascarados utilizando o computador da mulher.

 

Aquela tarde fora marcada por dois homicídios, ambos feitos na frente de uma criança. A qual funcionários da empresa brigaram fortemente na justiça por sua guarda. E quando conseguiram, o pequeno Harry Edward Styles era deles.

 

A criança passava a maior parte de seu tempo no pátio da empresa, ou então, na sala de Antony. O mesmo, cuidava do menino como seu filho. Mas quando Ellie a primogênita nascera, o pequeno Harry se sentira abandonado.

 

O rapaz não guardou rancor da recém-nascida, não mesmo, ele só não podia se aproximar dela. O magnata Antony, jamais deixaria um menino como ele tocar na sua protegida.

 

Então Harry crescera ouvindo sobre as responsabilidades de Antony. Ele sabia mais do que todos ali. Somente ele fora habituado a real circunstância da empresa. E somente ele, teria o poder de ser o futuro dono, se não fosse por Ellie, é claro.

 

A morte do fundador da empresa, só fez a mente do menino dar mais reviravoltas. Seu espírito de vingança pela morte de seus pais, crescera violentamente. E então, a chave para todo seu ódio era a dor e somente ela.

 

Ele havia se tornado um mercenário que trocava mortes por uma bela quantidade de grana. Para ele, nada poderia ter dado mais certo. Era pago para se livrar dos que eram dignos de morrer.

 

Porém seu disfarce era dado como um mero trabalhador da empresa. Nada demais aos olhos de quem realmente não o conhecia. Só que ele era muito mais do que isso, ele era um demônio em pessoa.

 

[...]

 

Ellie Radcliffe Point of View

 

A morte de meu pai trouxe-me uma surpreendente quantidade de responsabilidades, dentre elas, essa maldita ação judicial. Ela fora feita pelos acionistas da empresa de meu pai, os quais claramente já tem um ódio nutrido por mim.

 

Mas eu não ligo para esses merdas. Se é uma péssima chefe que eles querem, será uma péssima chefe que eles terão. A partir de agora, só uma pessoa me interessa nesse mundo. Eu mesma.

 

Este caralho de trabalho que estou tendo, antes mesmo de pisar naquela merda de corporação está me mostrando isso. Eles querem que eu seja uma megera.

 

– Bem-vinda a Skylines, posso ajudá-la? – Ouvi assim que adentrei no saguão da empresa.

 

– Pode, ahm...reúna todos na maior sala que tiver. – Sorri e apertei o botão do elevador.

 

– Não pode entrar aí garota! E não pode me dar ordens! – Ela riu segurando sua prancheta.

 

– Tecnicamente eu posso... E eu vou! – Sorri e entrei no elevador. – Caso não me conheça eu sou a herdeira de tudo isso aqui. – Apertei o botão do último andar – E manda um café para mim por favor!


Notas Finais


E aí o que acharam? Comentem!
No próximo capítulo o grande encontro entre Ellie e o Harry acontecerá.
Beijos até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...