História Slave? King! - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Chanbaek, Reinado, Romance, Yaoi
Exibições 342
Palavras 5.609
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


E aí, amores e amoras? Tudo bem com vocês.

Olha só quem voltou! Haha. Eu sei que o meu mini hiatus ainda não passou, mas logo logo eu volto a postar com frequência (número de oscilaç... Maria, isso não é prova de física).

Enfim, essa fic deu MUITO trabalho e um pessoal deve conhecer ela, porque era uma long que foi apagada por motivos de: estava horrível. Aí eu estava entediada e comecei a fazer uma capa, acabou que deu nisso.

Essa é a fanfic que teve mais palavras em um único capítulo. Eu demorei TRÊS dias para escrever, sendo que eu escrevia direto.

Meus agradecimentos à linda que betou pra mim e pras mesmas pragas de sempre por me incentivarem à escrever.

Podem ler em paz agora.

Capítulo 1 - Welcome to Royalty


Coreia do Sul, ano 1890

 

Chanyeol encarava mais uma frota de cavaleiros partir em direção à guerra por uma das janelas dos corredores do palácio imperial. Havia acabado de argumentar com seu pai sobre o enorme número de mortes do seu lado na guerra, entretanto fora ignorado. Não via a hora de assumir a coroa e acabar com aquilo de uma vez por todas, mas, com a coroação, vinha um grande evento: o casamento.

 

Havia sido preparado durante anos para aquele momento e, mesmo faltando apenas 1 dia, não estava satisfeito. Nunca havia se apaixonado antes, mas lera alguns poucos livros para saber como era descrita a sensação de amar alguém e queria sentir aquilo com a garota que se tornaria sua esposa e rainha de seu reino. Não que ele fosse puro, já tinha beijado muitas bocas e feito coisas à mais, mas nunca sentira aquilo que queria.

 

Estava tão centrado em seus pensamentos, que não ouviu o barulho de pequenos passos vindo em sua direção. Era Baekhyun, seu criado e a pessoa em que mais confiava. Haviam se conhecido numa situação um tanto desagradável. O reino de Baekhyun havia sido invadido pelo exército do pai de Chanyeol e ele, como era um dos príncipes, fora sequestrado e levado para o castelo, sendo obrigado a servir o mais novo dos Park.  Apesar de todas as ordens do rei, preconceitos com o menor e castigos por apenas ter comido uma castanha que Chanyeol lhe dera, os dois acabaram se aproximando mais e mais, logo se tornando amigos. Baekhyun não era mais apenas o criado. Era o melhor amigo, conselheiro, estilista e animador pessoal de Chanyeol - este último apenas em situações extremas, já que Baekhyun não gostava de bancar o palhaço.

 

"Chanyeol?" o criado chamou com a voz baixa, tocando o ombro do príncipe levemente e recebendo sua atenção. "Está tudo bem?" Estava preocupado. Ouvia os desabafos do amigo sobre o peso que estaria em seus ombros quando se casasse com uma mulher que não conhecia, muito menos amava, e se tornasse rei. Isso lhe custava muitas horas de sono, já que Chanyeol o chamava de madrugada, mas era melhor não dormir do que ver seu amigo mal. 

 

"Sim..." o príncipe respondeu reticente. Não sabia como estava se sentindo. Estava confuso e nervoso, mas teria que engolir o sentimento se quisesse ser rei. Desviou o olhar de Baekhyun e voltou a encarar o horizonte alaranjado pelo pôr-do-Sol, suspirando pesadamente. "Só estou confuso."

 

"Não pode ficar confuso. Vai se casar amanhã." Baekhyun tinha um leve sorriso brincando nos lábios, mas estava sério. A verdade era que, alguns meses antes, Baekhyun tinha descoberto que gostava do amigo. Aquilo o apavorou tanto que ele chegou a fingir que estava doente só para não ter que olhar na cara do outro. Logo depois veio a notícia do casamento, o que o deixou ainda mais para baixo. Fora naquela época que Chanyeol mais precisara de si, então apenas engoliu os sentimentos e o ajudou com um bom melhor amigo.

 

"Com uma praticamente completa desconhecida." Chanyeol balançou os cabelos alaranjados, frustado. "Eu não quero toda aquela melosidade de amor a primeira vista, mas também não quero olhar nos olhos dela com indiferença." Desabafou, preocupando o loiro ao seu lado. "Você queria me falar algo?" Perguntou, se lembrando que Baekhyun estava no escritório de seu pai antes de ir até si.

 

"Oh... Bem... Seu pai mandou você ir para o escritório." Falou, inesperadamente nervoso. "Quer que você ajeite os últimos detalhes do casamento, sabe? Tecidos, comidas, talheres e o resto." 

 

"Ah... Sim. Avise-o que logo estarei lá, por favor." Fora um pouco formal demais, mas apenas porque a família real chinesa estava passando. Não havia percebido a mágoa no olhar de Baekhyun. O menor entendia, mas odiava ser tratado daquele modo.

 

"Sim... Alteza." Baekhyun respondeu fazendo uma reverência e se afastou andando com a cabeça baixa, como um bom criado.

 

Chanyeol se permitiu pensar em todos os anos ao lado do Byun. As brincadeiras, os sorrisos, os olhares discretos. Sentiu um calorzinho tomar conta de seu peito, mas não entendeu o que era. Balançou a cabeça para afastar os pensamentos e se encaminhou para o escritório de seu pai. 

 

Enquanto andava pelos corredores voltou a pensar no amigo. Seus abraços eram melhores que o de qualquer menina, sua voz era a mais bonita do castelo, ele parecia ser o garoto mais bonito do reino, chegando a ultrapassar algumas pretendentes. E ainda tinha aquele maldito calor no peito. O que estava acontecendo? Seus pensamentos foram interrompidos pelo coro de vozes pertencentes aos líderes mundiais no escritório de seu pai. Respirou fundo e bateu na porta, fazendo o silêncio presente.

 

"Entre, meu filho." A voz estrondosa do rei se fez presente. Chanyeol abriu a porta lentamente, sentindo o peso dos olhares sobre si. "Se aproxime, pequeno." É, mesmo sendo rei de um dos maiores reinos do mundo, ele ainda tinha tempo para ser carinhoso com os filhos. Chanyeol fez o que lhe foi mandando, evitando encarar o restante da sala. "Meus caros aliados, apresento-lhes o homem que será o novo líder da Coreia do Sul a partir de amanhã, quando se casará com uma das enviadas e será coroado"

 

"A partir de amanhã..." Chanyeol não pôde deixar de rir soprado com seu destino. Parecia que ele nem se casaria, que apenas aceitaria a coroa sem ter que beijar ninguém. Novamente Baekhyun veio à sua cabeça. Como seria beijá-lo? 

 

"Chanyeol, está me ouvindo?" A voz de seu pai o trouxe a realidade. Céus, o que estava pensando?

 

"Sim?" Perguntou, fazendo toda a sala rir. Corou envergonhado e abaixou a cabeça, mas logo sentiu um cutucão em suas costas. Era seu pai, corrigindo-o para que levantasse a cabeça e agisse como homem. 

 

"Perdão, senhores. Ele está muito ansioso com o casamento, não é mesmo?" O soberano encarou o filho, mandando, com os olhos, que ele concordasse.

 

"Oh... Sim, senhores." Finalmente sua voz voltou e ele pôde responder como um futuro rei. "Estou realmente animado com a ideia de assumir o trono, encontrar uma esposa e dar descanso aos meus amados pais." Sorriu galanteador, embora não tivesse nenhuma mulher ali. Concordâncias e palavras de encorajamento foram ouvidas e logo o príncipe foi liberado para sair dali.

 

Voltou lentamente para eu quarto e se deparou com uma cena engraçada. Baekhyun, por ser um pouco baixo, encontrava-se em cima de uma cadeira enquanto tentava limpar as cortinas. Chanyeol até teria rido e feito alguma piada, mas percebeu que o amigo estava pendurado demais e seus pés quase escapavam do apoio. 

 

Não demorou mais de cinco segundos para que acontecesse o previsível. Baekhyun chegou um pouco mais para o lado e seus pés escaparam, fazendo-o ir em direção ao chão. Chanyeol, entretanto, foi mais rápido e correu até ele, pegando-o em seus braços. Com o peso do criado - um pouquinho à cima do ideal, mas que o deixava com belas coxas e uma bunda maravilhosa - fez com que o príncipe caísse no chão com o corpo menor sobre si e algo macio tocasse seus lábios.

 

Abriu os olhos devagar, mas os arregalou quando viu o que tocava seus lábios. Baekhyun ainda estava sobre si e seus corpos estavam se tocando em diversas partes: peito, pernas, quadris e... bocas. Suas bocas estavam coladas levemente, o que fez os dois arregalarem ainda mais os olhos e Baekhyun se levantar apressado.

 

Os dois se encararam assustados, sem conseguir pronunciar uma única palavra. Ambos estavam com os corações e as mentes atordoadas, mas apenas Baekhyun sabia o que sentia. 

 

"D-Desculpe." Chanyeol falou após alguns segundos daquele silêncio excruciante. Sentia as bochechas esquentarem e a voz falhar ao ver o menor do mesmo jeito que si, mas muito mais vermelho.

 

"T-Tudo bem." Baekhyun respondeu de cabeça baixa, recolhendo o tecido da cortina em seus braços. "Vou arrumar isso aqui." Fez uma reverência e saiu dali rapidamente, deixando um Chanyeol atordoado e confuso para trás. 

 

~~~~

 

Chanyeol caminhava pelos jardins enquanto pensava na cena de alguns minutos antes. Havia gostado do beijo e, droga, Baekhyun era um garoto. Devia estar enojado, mas não conseguia. Aquele maldito calor tinha aumentado e se alastrado por todas as partes de seu corpo. Tudo o que ele mais queria era abraçar o menor e beijá-lo até que o mundo acabasse. O que estava sentindo? Será que era amor?

 

Parou em frente ao lago e respirou fundo, bagunçando seus cabelos e derrubando a coroa que usava no canteiro de flores. Resmungou algo incompreendível até para si e se abaixou para pegar o objeto, depois acabou sentado de pernas cruzadas enquanto encarava o lago, vendo alguns peixes pularem e algumas tartarugas colocarem sua cabeça para fora.

 

"Alteza?" Uma voz feminina se fez presente, fazendo o príncipe olhar para todos os lados procurando sua dona. Quando encontrou, viu que era Min Hee, uma das criadas de sua mãe e melhor amiga de Baekhyun. Min Hee era realmente bonita. Tinha os cabelos negros e lisos cortados rente ao ombro, olhos da mesma escuridão, pele pálida e os lábios rosados. Puxara a mãe, que era igualmente bela. "Está tudo bem?" Perguntou, preocupada com o mais novo. 

 

"Ah... Está sim." Chanyeol sorriu nervoso. "Só estou apreciando a vista." Tentou parecer calmo, mas, pelo visto, falhou. Min Hee sentou-se ao seu lado e encarou o sol se pondo, Chanyeol só via ela assim quando estava pensando em como ajeitar os vestidos de sua mãe. 

 

"Aconteceu algo entre você e Baekhyun, não foi?" Ela perguntou após alguns minutos, quebrando o silêncio e surpreendendo um Chanyeol que ficou inesperadamente encabulado. Quando o príncipe ia tentar negar, ela continuou: "Não tente negar. Vocês dois estão diferentes e ele chegou todo silencioso, sabe que não é de seu feitio chegar sem chamar a atenção de pelo menos uma pessoa. E você nunca foi de apreciar a vista." Apontou, fazendo Chanyeol morder o lábio inferior. Baekhyun devia ter odiado o beijo acidental e nunca mais olharia na cara dele. Se olhasse, seria com nojo. "Entretanto, ele estava um pouco mais manhoso que o habitual. Então, seja lá o que aconteceu, ele pareceu gostar. Não sei o que foi e você não precisa me falar, apenas volte para dentro. O jantar logo será servido, Yang me contou que terá carneiro cozido, o seu favorito." Dito aquilo, Min Hee se levantou e caminhou de volta para o castelo. E Chanyeol, bem... Mais uma vez, fora deixado para trás, pensativo e nervoso.

 

~~~~

 

O único barulho produzido na sala de jantar era o dos talheres se chocando enquanto a família real comia. Todos no palácio estavam ansiosos. Depois dali, aconteceria o primeiro encontro entre Chanyeol e suas pretendentes, onde ele usaria sua primeira impressão para escolher sua esposa. Todas eram ricas, de nomes influentes, inteligentes e ideais para serem rainhas. Chanyeol apenas escolheria a que achasse mais bonita. Apenas a aparência, o resto - gostos, idiomas, entre outros - ficaria para depois. 

 

O futuro rei remexia a comida em seu prato, nervoso demais para comer pelo menos uma garfada de arroz e carneiro. O rei lia alguns documentos e a rainha comia em silêncio. Nada cooperava para que ele se acalmasse. Por fim, decidiu se levantar e ir até uma das enormes sacadas. Se apoiou no guarda-corpos de concreto e passou a observar as luzes do reino. 

 

Em todo lugar, as pessoas estavam festejando antecipadamente a coroação. Chanyeol queria estar feliz como eles, mas não conseguia. Iria se casar com uma desconhecida, que apenas escolheria pela aparência. Respirou fundo e retirou a coroa de seus cabelos, encarando a mesma enquanto segurava-a em suas mãos. Nunca em toda a sua vida havia desejado tanto poder escolher o que quisesse, sem se importar com milhões de pessoas. 

 

"Chanyeol?" A voz doce de Baekhyun o tirou de seus devaneios. O príncipe virou para trás e viu o melhor amigo em seu uniforme de gala. Era apenas um terno mais caro que o habitual, visto que um criado não deveria ser visto por muitos, mas conseguia deixar o loirinho ainda mais bonito. "Está tudo bem?" A cena se repetia. O ruivo apenas balançou a cabeça afirmativamente e voltou a encarar o horizonte, sem coragem de encarar Baekhyun. "Que loucura, não?" O criado perguntou, ficando do lado do mais alto. "Daqui a alguns minutos você vai escolher sua noiva e amanhã se casará e assumirá o trono. Já eu, bom... Acho que vou voltar para casa. Pelo menos lá conseguirei uma casa e uma família perfeita." Falou enquanto batucava os dedos na superfície áspera do cimento.

 

"Por que não fica aqui?" O príncipe perguntou, magoado. Sabia que era egoísta de sua parte pensar daquele jeito, mas imaginava que Baekhyun nunca lhe abandonaria. E pensar nele com outra pessoa machucava seu peito. 

 

"Eu preciso encontrar alguém que me ame, Chan." O menor respondeu com a voz baixa. "Preciso de alguém que possa me amar e me dar uma família." Suspirou baixo.

 

Logo sinos foram ouvidos. Estava na hora. Baekhyun logo começou a se afastar, mas teve a mão segurada por um Chanyeol aflito. Sorriu terno e acariciou a mão do outro, tentando acalmá-lo, mas não era aquilo que o mais alto queria. Num puxão, trouxe o loiro para si e colou os lábios, desesperado por respostas. Em choque, Baekhyun não conseguiu corresponder ao beijo, mas o príncipe já tinha o que queria. Seu peito tinha se aquecido novamente, como só acontecia com Baekhyun. Apenas com ele. Lentamente, o maior se afastou, encarando a face corada do melhor amigo. Ambos estavam tão atônitos, que acabaram ficando alguns segundos apenas se encarando. 

 

"Desculpe... Eu precisava fazer isso." O príncipe sorriu de lado, vendo Baekhyun morder o lábio e desviar o olhar.

 

"Tudo bem... Alteza" Baekhyun falou baixo, tentando não chorar. Aquilo era tudo o que ele sempre quisera, mas não conseguia se sentir feliz. Chanyeol fizera aquilo apenas por estar confuso, na sua visão, e nunca retribuiria seus sentimentos."Estarei aqui sempre que precisar..." Baixou a cabeça e entrou no salão.

 

"Baek!" Chanyeol chamou o criado, mas o mesmo já tinha ido. Bufou e olhou para a lua, se perguntando o que estava acontecendo consigo mesmo.

 

 

~~~~

 

"Sorria, meu querido." A voz da rainha se fez presente no salão principal enquanto ela ajeitava a gola do paletó de Chanyeol.

 

Era a hora. As câmeras - algumas das poucas já projetadas e fabricadas - já estavam posicionadas, prontas para capturar a primeira impressão do príncipe sobre suas pretendentes. Entretanto, Chanyeol só conseguia correr os olhos pelo salão, procurando uma pessoa que, infelizmente, não estava ali. Conteve um suspiro e se ajeitou uma última vez antes de ir para sua posição. Todos fizeram o mesmo e logo o rei fez a contagem.

 

"3, 2, 1, ação"

 

Todas as luzes foram direcionadas para Chanyeol, que caminhava lentamente pelo corredor formado pelo longo tapete vermelho que estava no chão. No final deles, meia dúzia de moças o aguardava. Cada uma desejando ser a escolhida. Sem mover a cabeça, o príncipe olhou em volta uma última vez, tendo esperanças, mas não o achou. Era definitivo, Baekhyun não iria estar lá.

 

Não percebeu o quanto havia andado até estar a alguns passos das pretendentes. Sorriu para todas, tentando parecer estar com tudo sobre controle, e se direcionou para a primeira. Era alta, o rosto tinha traços fortes, morena e com cabelos lisos e negros. Provavelmente a princesa egípcia que seu pai comentara dias antes. Sorriu para ela e lhe beijou a mão, partindo para a próxima.

 

Aquela era loira e tinha os olhos de um azul fortíssimo. Era realmente bonita, poderia ser a escolhida. O corpo estrutural, as mãos delicadas e bem feitas. Era ela. Não precisava nem olhar para as outras para ter certeza, só faria aquilo por educação e porque era necessário. Podia amá-la e...

 

O barulho de uma armadura caindo atrapalhou os pensamentos de Chanyeol. Todos os olhos se direcionaram para o mesmo lugar, encontrando um certo criado loiro com as bochechas vermelhas, claramente envergonhado e amedrontado, ao lado de uma armadura em pedaços no chão. Uma luz imaginária pairou sobre Chanyeol e de repente aquela menina loira parecia insignificante. Tudo o que mais queria era acabar com aquilo, mas seu pai foi mais rápido.

 

"Corta!" O rei gritou, indo na direção de Baekhyun. O pequeno apenas se encolhia mais e mais, mas o soberano parecia não se importar. "Quem você pensa que é para atrapalhar esse grande momento, seu chinesinho?" Perguntou, arrancando uma expressão de surpresa de todos. A verdade era que ninguém, apenas o próprio Baekhyun, seu pai e os cavaleiros que haviam raptado-o, sabiam de onde o loiro era. Nem mesmo Chanyeol sabia sobre aquilo. "Essa paixãozinha pelo meu filho é tão nojenta a ponto de você ter a coragem de atrapalhar esse momento tão especial?" Esbravejava, fazendo lágrimas brotarem nos olhos de Baekhyun - que olhou desesperado para Chanyeol, com medo de sua reação. Entretanto, o ruivo apenas conseguia encará-lo de volta, completamente chocado, e fazer mais lágrimas brotarem nos olhos do loiro.

 

Todos começaram a murmurar, fazendo o rei se tocar do que havia feito. Com apenas um menear de mão, ele fez com que alguns guardas segurassem Baekhyun pelos braços. Quando estavam quase na porta, Chanyeol encontrou sua voz.

 

"PAREM!" Gritou, indo na direção do melhor amigo.

 

"Park Chanyeol, acho melhor você voltar para seu lugar agora à menos que queira um destino pior para este garoto." A voz de seu pai estava dura e fria, como uma faca de gelo.

 

"Eu só preciso de alguns minutos com ele." Falou sem expressar nada pela voz nem pelo rosto, apenas pelo olhar. Torcia para que Baekhyun entendesse e não ficasse com medo, mas ele já estava assustado demais para perceber algo. "Quero ver ele esclarecer isso na minha frente. Logo volto... Já tenho a minha escolhida." Desviou o olhar para a loira e sorriu, sendo retribuído com intensidade.

 

"Você tem cinco minutos. O rei disse, dispensando todos por aquele momento.

 

"Não tem problema." Chanyeol pensou, sorrindo internamente. "Cinco minutos é o tempo que eu preciso." Completou com a voz baixa, fazendo Baekhyun franzir a testa em sua direção. 

 

~~~~

 

Assim que Chanyeol conseguiu convencer os guardas que estaria bem sozinho com Baekhyun e que não iria ser atacado por ele, segurou a mão do menor e o levou para longe dali. Andou por alguns minutos, ainda puxando o menor, e só parou quando encontrou um armário vazio. Entrou ali e puxou Baekhyun junto, deixando que ele se encostasse na parede. 

 

"Então..." Falou após alguns segundos de silêncio "Você realmente gosta de mim?"

 

"Você ouviu o seu pai..." O loiro encarava o chão, se preparando para as coisas ruins que poderiam vir a acontecer. Uma surra, talvez... Ou apenas um tapa na cara... Mas... Chanyeol tinha beijado ele... "Pare de se iludir! Ele nunca gostou de você." 

 

"Meu pai já mentiu diversas vezes pra mim. Você não." O príncipe falou. "E eu quero ouvir isso de você."

 

Alguns segundos se passaram em silêncio, com a tensão espalhada pelo ar. O baixinho estava em conflito dentro de si, querendo mentir e falar que não, mas também querendo falar que sim e se livrar daquele peso.

 

"Por favor..." Chanyeol se aproximou falando com a voz baixa "Não minta para mim."

 

"S-sim." Baekhyun falou por fim, fechando os olhos. Esperou que Chanyeol xingasse-o e o humilhasse, mas nada aconteceu. Segundos depois, tomou coragem e abriu os olhos, olhando para o outro. 

 

Chanyeol sorria descaradamente, quase rindo ao ver a feição assustada, confusa e esperançosa de Baekhyun. Se aproximou do menor lentamente, fazendo-o recuar até que estivesse encostado na parede. Levou uma de suas mãos até o queixo do criado, levantando-o e olhando naqueles olhos maravilhosos. Sorriu com a visão do menor corado e com a respiração descompassada pela sua proximidade. Poderia ter se afastado, fingido que nada tinha acontecido, mas não conseguia. Se aproximou ainda mais, fazendo Baekhyun fechar os olhos e entreabrir os lábios como reflexo. O príncipe mordeu o lábio inferior e contou até três mentalmente antes de colar as bocas.

 

Baekhyun ficou surpreso com o ato do amigo, mas não se afastou. O beijo de Chanyeol era tão bom que ele retribuía sem perceber. Suas bocas moviam-se uma sobre a outra, deixando suspiros escaparem. Arrepios passavam pela coluna dos dois e cada vez queriam mais. Chanyeol se aproximou ainda mais de Baekhyun, prensando-o com força na parede enquanto deixava sua língua escapar para a outra boca. Baekhyun guiou sua destra para os fios avermelhados, puxando-os com pouca força. As mãos de Chanyeol apertavam sua cintura e os dentes dele maltratavam seus lábios. Os dois estavam enlouquecendo. Aquele maldito calor tomava conta do corpo de Chanyeol outra vez, mas fazia o mesmo com Baekhyun. A resposta estava ali e ambos a encontraram, mas um certo príncipe precisava ter certeza.

 

"Vá para o meu quarto à meia-noite." Chanyeol falou depois que se afastaram para respirar. Apesar do espaço, ainda continuavam abraçados e colados. Baekhyun estava ofegante, corado e com os lábios inchados, assim como Chanyeol. Nenhum dos dois se arrependia do que haviam feito e seu futuro era quase palpável, embora cada um tivesse uma visão diferente.

 

"T-Tudo bem." O menor assentiu, ainda ofegante. Se era bom beijar Chanyeol levemente, daquele jeito era ainda melhor. Ouviu alguém chamando Chanyeol e logo se entristeceu, mas sorriu ao receber um selar nos lábios vermelhinhos e inchados. 

 

"Não vou deixar fazerem nada com você."  Foi com essas palavras e um sorriso que Chanyeol saiu daquele armário, deixando um Baekhyun extramente vermelho, feliz e abobado sozinho naquele lugar - agora - tão especial.

 

~~~~

 

"Finalmente você voltou." Foi a primeira coisa que Chanyeol ouviu quando entrou. Ele havia encontrado alguns guardas no corredor e sido acompanhado de volta para o grande salão. Durante todo o caminho, tentou esconder o sorriso em seu rosto, mas não era fácil. "Bom... voltemos a escolha."

 

"Não podemos deixar de lado essa parte da celebração?" O príncipe perguntou, fazendo um misto de expressões de horror e surpresa ser ouvido. "Digo... Eu realmente já sei com quem quero casar." Não era mentira. Realmente sabia com quem casaria. Seus olhos se dirigiram até a menina loira, que conversava com outras pretendentes, rapidamente. Poderia estar louco, mas estava louco de paixão. 

 

O Rei, percebendo o olhar do filho, sorriu e assentiu com a cabeça. "Tudo bem, meu filho. Vejo que já encontrou a favorita." Chanyeol assentiu debilmente, com os pensamentos centrados na pessoa com quem se casaria. A loira, que mais tarde disse ser da Austrália, percebeu o olhar em si e se virou para procurar, sorrindo ao ver quem era. Acenou brevemente para Chanyeol e voltou a conversar.

 

"É...' Chanyeol concordou "Eu encontrei."

 

~~~~

 

Já passava da meia noite quando Baekhyun entrou silenciosamente no quarto de Chanyeol, sendo recebido com um abraço. O loiro já tinha trocado de roupa e estava com uma calça e blusa de seda, enquanto o príncipe ainda estava com a roupa de antes. Ainda estava confuso. Por que Chanyeol estava brincando com seus sentimentos se ia se casar? Seu cérebro mandava ele sair dali, mas seu coração mandava que tivesse esperanças. Lágrimas brotaram em seus olhos, mas logo foram secas pelo polegar de Chanyeol.

 

"Shh... Não chore." O príncipe o apertou ainda mais em seus braços. Ao contrário do outro, chegava a estar radiante. Sua mente e seu coração lhe diziam que aquilo iria dar certo. "Sei que amanhã vou me casar, mas fique comigo esta noite. Eu lhe imploro..."

 

Sem conseguir pronunciar uma única palavra, Baekhyun apenas assentiu e se aconchegou mais no abraço. Era reconfortante estar ali. Chanyeol sorriu e andou com o menor até a cama, fazendo com que sentassem lado a lado. Ficaram se olhando por alguns minutos, cada um querendo gravar o rosto do outro para que pelo menos tivessem uma lembrança no futuro.

 

Os olhos de Chanyeol desceram para a boca rosada de seu melhor amigo. Ele quis sentir o sabor daqueles lábios como nunca antes e foi o que fez. Colou os lábios num beijo repleto de paixão e saudade antecipada. As mãos de Baekhyun seguraram o pescoço do príncipe, aprofundando o beijo. As línguas exploravam as bocas alheias com vontade, sabendo que aquele poderia ser seu último contato.

 

Estavam tão embebidos na paixão e no beijo que nem perceberam quando acabaram deitados na cama de Chanyeol, com o mesmo entre as pernas de Baekhyun e marcando seu pescoço clarinho. Baekhyun gemia baixo e manhoso, sem conseguir cair na realidade daquele momento.

 

"Chan..." Gemeu o nome do ruivo quando teve sua blusa retirada e os mamilos durinhos atacados pela boca quente do outro. 

 

"Sabe..." O príncipe chamou a atenção do outro quando tocou o colar com uma águia. Aquilo havia sido um presente do maior, no décimo sétimo aniversário do loiro, como prova da amizade dos dois. Desde aquele momento, Baekhyun não o tirara por nada e aquilo deixava o maior feliz, pois achava bonito ver o amigo com o colar - mesmo sem nunca ter admitido.

 

Nenhum dos dois conseguia conter o desejo dentro de si. Chanyeol trilhou um caminho de beijos até o cós da calça do menor, ameaçando baixá-la, mas teve suas mãos seguradas e o corpo jogado no colchão, enquanto Baekhyun sentava-se em seu colo. Em cima de seu membro, mais especificamente. Deixou um gemido escapar e agarrou a cintura do outro, ajudando-o com os movimentos que havia começado a fazer.

 

"Roupas demais..." Baekhyun resmungou, rasgando a blusa do maior. Havia muita paixão acumulada para ele se preocupar com as roupas que teria de costurar no dia seguinte. Assim que se livrou da camiseta incômoda, se abaixou para selar os lábios do amado e desceu os beijos pelo seu pescoço. Queria muito marcá-lo, mas não podia. Ele estaria casado na noite seguinte.

 

O loiro respirou fundo e continuou a descer a boca pelo corpo de Chanyeol, deixando beijos e lambidas. Desceu a calça e a cueca do outro, libertando seu membro. Mordeu o lábio com a visão e abaixou a cabeça, deixando beijinhos por toda a extensão. Os suspiros de Chanyeol o incentivavam e logo ele passou a deixar lambidas ali também, sentido Chanyeol estremecer. Queria continuar com a provocação, mas decidiu pará-la ao ouvir um choramingo de Chanyeol. Sorriu e abocanhou todo o membro do mais alto.

 

Movia a cabeça para cima e para baixo, deixando a glande encostar em sua garganta de vez em quando. Os gemidos roucos de Chanyeol e os puxões que ele dava em seus cabelos, comandando os movimentos, estavam enlouquecendo-o. Ouviu o outro resmungar algo como "Você é muito melhor que as outras" e sentiu uma pontada de ciúmes, mas também, seu ego inflando. 

 

Logo foi afastado do membro do outro e deitado com delicadeza na cama, tendo seus lábios tomados num beijo calmo e amoroso que logo foi apartado. Abriu os olhos e se deparou com um Chanyeol de cabelos bagunçados, lábios vermelhos e inchados e com algumas gotículas de suor sobre a pele. Imaginou se estava do mesmo jeito e não duvidava de que a resposta fosse "sim". 

 

Chanyeol sorriu e levou dois dedos até a boca do menor, tocando seus lábios e passando a beijar o pescoço clarinho enquanto Baekhyun chupava seus dígitos. O menor não aguentava se segurar mais e passou a se remexer contra o membro duro de Chanyeol, olhando para o ruivo com a expressão mais sensual que conseguiu. Estava enlouquecendo e queria deixar o outro do mesmo jeito. Pelo visto, estava conseguindo.

 

Logo os dedos foram retirados de sua boca, que foi tomada pela semelhante, e direcionados para a sua entrada. Com cuidado e lentidão, Chanyeol colocou um dos dedos no interior de Baekhyun. Esperou alguns segundos para que Baekhyun se acostumasse e logo começou a estocá-lo levemente, ouvindo seus gemidos baixos e abafados pelo beijo. Inseriu o segundo e fez o mesmo que o primeiro, logo voltando a mexê-los. 

 

Baekhyun já não sentia mais dor como no começo, apenas prazer. Os dedos de Chanyeol se moviam com força e rapidez em seu interior, retirando o seu ar com ajuda da boca maravilhosa. Um pequeno vislumbre de realidade fez ele pensar que estava tendo atos íntimos com seu melhor amigo - que estaria casado no dia seguinte -, mas logo sumiu de sua mente quando algum ponto em seu interior foi tocado e fez com que tremesse de prazer e gemesse um pouco mais alto.

 

Chanyeol riu safado ao ver que tinha encontrado um ponto especial em seu amigo. Retirou os dedos da entrada apertadinha e posicionou seu membro na mesma, olhando para Baekhyun em busca de permissão. Viu o menor assentir e se abaixou para beijá-lo enquanto o penetrava. 

 

Baekhyun soluçou e apertou os olhos, sentindo uma lágrima escorrer pela sua bochecha. Aquilo doía demais. Sentiu Chanyeol acariciar seu rosto e sorriu com o carinho, antes de gemer ao sentir a outra mão do amigo envolver seu membro e iniciar movimentos de subida e decida para tentar distraí-lo da dor.

 

Depois de alguns minutos parado, apenas cuidando para que o criado esquecesse a dor, Chanyeol sentiu o mesmo rebolar contra seu quadril num aviso mudo de que já podia se mexer. Sorriu e deixou um último selar no ombro de Baekhyun, antes de agarrar-lhe a cintura e sair de si por completo.

 

O menor franziu a testa com a ação de Chanyeol, mas logo sentiu o seu interior voltar a ser preenchido de uma só vez. Teve que morder o próprio braço para não gritar pelas estocadas fortes e bruscas que recebia. Viu o olhar de Chanyeol nublar, repleto de prazer e luxúria, e não conteve o sorriso.

 

Não conseguindo se controlar, o príncipe soltou a cintura do melhor amigo e se segurou na cabeceira, usando toda a sua força para penetrar Baekhyun. Toda a atmosfera romântica e sensual ainda estava ali, mas os movimentos bruscos enlouqueciam os dois amantes. 

 

O criado teria gritado se não conseguisse se conter quando Chanyeol encontrou aquele ponto especial novamente e passou a focar ali. Já tinha desistido de conter os gemidos e arranhava as costas do amado para descontar o seu prazer, sem nem lembrar do casamento. 

 

Depois de mais algumas estocadas naquele ponto, Baekhyun chegou ao seu limite sem nem se tocar, sujando ambos os abdômens. Logo foi a vez de Chanyeol, que, ao ter seu membro apertado pelas paredes quentes do menor, não se aguentou mais e gozou.

 

Os dois caíram lado a lado, respirando ruidosamente e se tocando do quê haviam feito. Baekhyun foi o primeiro a se agitar, sendo abraçado por um Chanyeol repleto de sono

 

"Shh... Amanhã nós resolvemos isso." O loiro até tentou negar, mas aquela voz rouca ainda era a sua perdição. Apenas assentiu e se aconchegou no abraço do maior. Depois de alguns minutos, apenas ouvindo as respirações um do outro, acabaram dormindo juntos e cobertos apenas pela coberta grossa de Chanyeol.

 

~~~~

 

Chanyeol acordou sozinho na manhã seguinte e se entristeceu, mas lembrou do que aconteceria dali algumas horas. Se levantou com um sorriso no rosto e ouviu algo caindo no chão. Olhou confuso para baixo e viu o colar de Baekhyun ali. Seu coração se apertou com a visão. "Tão tolo..." Resmungou consigo mesmo ao abaixar e pegar o colar, guardando-o com cuidado em uma de suas gavetas.

 

Se dirigiu para o banheiro e se banhou em sua grande banheira, pensando em como faria na hora da apresentação. Teria que ser firme e polido, como um verdadeiro rei. Respirou fundo e submergiu a cabeça por alguns segundos, aproveitando para organizar seus pensamentos. Quando voltou à superfície, sorriu. Já sabia qual era a coisa certa a se fazer. 

 

~~~~

 

Todos já estavam posicionados e ansiosos. Chanyeol quase saltava no lugar por estar um tanto nervoso, mas se controlava para não passar vergonha. Em poucos minutos estaria casado com a pessoa ideal, mesmo que ainda não a amasse. Respirou fundo pela última vez e ouviu seu pai ordenando que todos ficassem quietos.

 

As pretendentes estavam num altar do lado oposto ao príncipe e pareciam nervosas, exceto pela loira. Ela estava confiante, pois tinha certeza de que teria Chanyeol para si. E talvez tivesse...

 

A marcha começou e Chanyeol caminhou lentamente até o pedestal, sorrindo ao encarar todos os seus súditos. A missa começou e a cada dez minutos, as pessoas pediam para que Deus ajudasse o futuro rei. Pareceu durar horas, mas foram apenas trinta minutos. Chanyeol abriu os olhos ao ouvir o último "amém" e encarou a coroa, que estava protegida por uma redoma de vidro. Ela seria sua.

 

"Agora, chegou o momento mais esperado..." O padre começou e Chanyeol fechou os olhos, reunindo todas as suas forças para pensar que tudo daria certo. Quando voltou a abrí-los, varreu a multidão com os mesmos, procurando um certo alguém. Sorriu ao vê-lo escondido em um canto. Ele nunca perderia algo tão importante para o príncipe. "...Vossa alteza irá nos mostrar sua companheira e reclamar o trono que lhe pertence por linhagem sanguínea. AVE PARK CHANYEOL!"

 

"AVE PARK CHANYEOL" todos repetiram. Era a hora. Chanyeol se encaminhou para o altar, sorrindo para toda aquelas donzelas. Depois, lentamente, se virou e encarou o público, sorrindo. Olhou novamente para a loira e viu que ela sorria mais que as outras, realmente estava confiante.

 

"Meus caros súditos, a pessoa que se casará comigo e assumirá o trono da Coreia do Sul ao meu lado será..." Numa pausa dramática, Chanyeol levou uma de suas mãos até o bolso do paletó, tirando de lá um colar. Quase todos franziram a testa, confusos, mas apenas um loirinho, que acabou engasgando com a surpresa, entendeu o significado daquele gesto. "....Byun Baekhyun."


Notas Finais


Desculpem a formatação, fiz o melhor que pude.

Gente, vocês não têm noção de quanto perrengue eu passei com essa fic. Primeiro, porque eu não sabia como começar. Segundo: EU NÃO ACHAVA NINGUÉM PRA BETAR ESSA DESGRAÇA (mais uma vez, obrigado Mary). Terceiro, quando eu peguei o embalo, não conseguia parar de escrever, mas adivinhem, eu tinha prova. Foi sofrido estudar.

Mais uma vez, quero agradecer aos meus amigos, @TonyElf, @Kaizinho, @Kiari, @love4doramas13 e @AlienKookie, por terem me ajudado, apoiado e até divulgado essa fanfic antes de eu postar. Gente, agradeçam à eles. Se não fosse por esses serzinhos, eu provavelmente nunca teria postado.

AH, AH, AH. Ponto importante aqui! Eu estou pensando seriamente em fazer um extra, contando o que aconteceu depois do Chanyeol falar aquilo. O que vocês acham, hein?

Espero que tenham gostado. Por favor, comentem para me incentivar a postar ais e mais histórias!

Quem quiser interagir comigo, é só me mandar uma solicitação de amizade, mandar MP ou me seguir no twitter, que é @AnnieJackson00.

Obrigada por ler! Kissus de paixão.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...