História Sleepyhead. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Chorando Com A Fofura, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin
Exibições 217
Palavras 1.591
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, essa foi provavelmente a coisa mais clichê e doce que eu já escrevi em toda minha vida. Não me perguntem o porquê, eu só queria muito um pouco de jikook fluffy, porque eu amo tanto esses garotos, e eles merecem o mundo!

Espero que gostem. <3

Capítulo 1 - I am always awake.


A primeira vez foi num domingo a noite. A semana havia sido tão exaustiva, não é, amor? E lá estávamos nós, embolados em lençóis, com minha perna puxada até sua cintura, e seus dedos se perdendo entre meus fios.

Tínhamos que acordar cedo no outro dia, mas aquele momento era só nosso. Foi você quem disse. Eu me agarrava a você como o pedido de desculpa mais seguro que eu tinha, porque eu sei que já te magoei tantas vezes

Você me diz pra fechar os olhos, diz que precisamos descansar, e eu concordo. Meu corpo estava tão fraco por todo esforço feito durante os dias. As danças, a correria, vivemos quase como fugitivos, não é? Sempre nos movimentando, sem tempo pra parar em um lugar só.

E, então, quando eu fechei meus olhos, mesmo que minhas respiração tivesse se acalmado, o que você tomou como um sinal de que eu havia adormecido, eu pude lhe ouvir sussurrando aquelas palavras contra meus cabelos:

—Eu sei que te disse pra dormir, mas eu queria que estivesse acordado pra eu te beijar. Desde que eu senti seus lábios pela primeira vez, se tornou a única coisa que eu consigo pensar.

Mas, amor, saiba que minha respiração, assim como o resto do meu corpo, se acalma apenas por estar com você, e não exatamente porque eu adormeci.

Depois, foi após uma de nossas brigas. Eu acabei indo dormir no quarto do Yoongi hyung, se lembra? Eu estava tão chateado, e aquela foi a primeira vez que eu não consegui gritar de volta com você. E também foi a primeira que você se irritou tanto. Talvez com minha insegurança? Talvez por entender o quão absurdo era a ideia de que eu achava que você ia me trocar tão fácil?

Mas, eu não parava de pensar nas mãos dela em seu braço, e o jeito que ela ria com a cabeça tombada para trás, as unhas cravando levemente em sua camisa, e o jeito que você só ficou parado ali, deixando aquilo tudo acontecer. Eu sei que você estava na frente das câmeras, e eu sei que ninguém podia saber sobre nós, mas.. Isso não quer dizer que doeu menos.

Ela era bonita, não era? Eu sei que você achava, porque antes de ficarmos juntos você me disse. Quando éramos apenas amigos. Disse que ela já havia tentado algo com você, e disse que se não fosse tão novo provavelmente aceitaria. Você entende porque pra mim foi tão difícil?

Mas, apesar de sua cara de bravo, e os absurdos que falamos um para o outro, ainda assim você se agachou perto da cama, e eu pude sentir seus dedos em minha bochecha, provavelmente limpando o resto das lágrimas que estavam ali, e me disse coisas que me fizeram querer te agarrar ali mesmo:

—Eu escolhi você. E eu vou te escolher de novo e de novo e de novo. Sem hesitação, sem dúvida, num piscar de olhos, e com cada batida do meu coração. Eu vou continuar escolhendo você.

Talvez, se você tivesse ficado mais alguns segundos, teria visto minhas lágrimas serem substituídas facilmente por um sorriso.

A terceira vez foi depois que nos amamos pela primeira vez. Você prometeu que não doeria nem um pouco, e você manteu essa promessa. Eu não acho que alguém tenha me tocado com tanta gentileza como você fez. Mesmo que eu não merecesse.

Eu sempre quis ser tão forte, não é? Você sempre reclamou de nunca conseguir ver meu lado frágil, ou que eu não deixava você me confortar nos meus momentos ruins, até porque eu dizia nunca tê-los, mas você sempre sabia das minhas mentiras.

Fiz de seu peito minha moradia aquela noite, e de seu cheiro meu cobertor exclusivo. E eu sempre fui friorento demais, mas o calor de seu corpo esquentava até o fundo da minha alma.

E é claro que eu não poderia me esquecer da sua voz suave sendo a melodia para meus ouvidos quando meus olhos ficaram pesados demais e eu apenas os fechei.

—Antes de te beijar, eu esperei. Você tomou aquilo como hesitação, não foi? Mas eu só queria um segundo para te olhar, Gukkie. Aquilo era tão novo, desconhecido.. Eu não sabia qual era seu gosto, ou como seria sentir seu toque, ou sua respiração em meu rosto. Eu não te veria daquela forma novamente. Te vendo esperar, ansioso. Você também não sabia, éramos território desconhecido um para o outro. E foi tão especial. Então eu te beijei, e foi quando eu soube que você nunca me perderia. 

Você nunca vai me perder também, amor.

Sempre foi comum pra mim te ouvir dizendo que me ama, Ji, então não vou incluir esses momentos, pois acabaria sendo extenso demais. Você é do tipo que demonstra muito, né? E eu do tipo que dou risada de momentos românticos, mesmo que você finja não se importar muito com esse meu jeito.

Mas eu finjo muito bem, você sabe. Como no dia em que li aqueles comentários ruins sobre minha aparência, e passei o resto da tarde com o cabelo bagunçado de propósito, e o rosto limpo de maquiagem, usando roupas largas, e andando descalço no piso frio, porque sabia que Jin hyung ia reclamar sobre eu adoecer. Você sabia que eu só queria implicar, sabia que aquele era meu mecanismo de defesa. Me achavam feio? Então eu seria mesmo horrível. Ainda que aquilo me machucasse por dentro.

Naquela noite eu adormeci no sofá enquanto via alguma série, e acordei bem na hora de te ouvir descendo as escadas, mas continuei de olhos fechados, esperando que você me carregasse até o quarto. E você o fez, enquanto murmurava no meio do caminho:

—Você é como um céu nublado. Lindo, mesmo quando não quer ser.

Se eu sou como um céu nublado, amor, você é como um final de tarde, aquele laranja gritante que as pessoas costumam tirar fotos para guardar pra sempre com elas, e poder ver toda vez que sentir vontade.

A quinta vez foi na noite passada. Assistimos um filme sobre um casal apaixonado, e o homem acabou morrendo para salvar a mulher, lembra? Eu sei que lembra, você me puxou para seu colo, e chorou no meu ombro, achando que eu não estava vendo, mas as marcas molhadas ficaram na minha camisa. Acho que você ficou tocado com aquilo. Eu também fiquei, mas, você..

Eu me senti mal por fingir estar dormindo aquela vez, pois eu queria tanto responder o que você havia me dito:

—Eu achei que só existissem dois tipos de amores no mundo: O tipo que você mataria por ele. E o tipo que você morreria por ele. Mas, você, Gukkie.. Você é do tipo que me faz querer viver por você.

Eu te amo, eu pensei.

Mas não disse.

E agora eu estou aqui. Esperando que você venha para a cama. Esses quartos de hotel são incríveis, não é? A maioria tem vistas lindas, e nós gostamos de ficar na varanda por horas, observando o céu estrelado, e brincando de ligar os pontinhos brilhantes.

Eu pensei em te esperar acordado. E é exatamente o que vou fazer, mesmo que você não saiba. Você nunca sabe. Pelo menos eu acho que não.

Ouço o barulho da porta se abrindo, e puxo o edredom até meu nariz, fechando os olhos rapidamente. Eu sei que dia é hoje, e você também sabe, mesmo que tenha passado toda manhã e tarde fingindo que não. Hoje fazemos um ano de namoro, e seu presente está embaixo do seu travesseiro. Eu não sei qual será o meu, então vou esperar quietinho aqui.

Sinto o colchão afundar um pouco, e seu olhar queimando sobre meu rosto. Me pergunto se em algum momento eu fiz algo que entregasse que estava acordado, pois ouvi sua risada baixa. Porém, ao ouvir o barulho de uma caixinha se abrindo, sei que você encontrou meu presente, e sei, mesmo sem te ver, que você adorou o relógio novo.

E aí acontece o que eu estava esperando, você começa a falar.

—Eu sempre achei que um relacionamento funcionasse de dois jeitos. Ou acaba em um término, ou acaba com duas pessoas se casando. E, honestamente, eu não sabia qual me deixava mais assustado.

Só eu sei o quanto meu coração estava apertado aqui dentro. Eu não podia, e nem posso imaginar minha vida sem você. Eu não consigo ficar bravo com você por muito tempo, e nem ao menos respiro direito quando estamos separados. Mas então você continuou:

—Às vezes você conhece alguém, e embora nunca tenha gostado de olhos escuros antes, como os seus próprios, você não gostaria que eles fossem de nenhuma outra cor. Às vezes as manias mais estranhas dessa pessoa se tornam as coisas mais lindas. E às vezes você conhece alguém cujo vício acaba se tornando seu também, como alguma série de tv, ou a paixão por desenhos. Às vezes você conhece alguém que perderia seu filme preferido só pra passar algum tempo com você, e meu pai me disse que eu fosse sortudo o bastante de achar essa pessoa, eu deveria me casar com ela. Você quer casar comigo, Jungkookie?

Não tenho certeza se estava respirando aquele momento, pois o suspiro que saiu de mim foi tão aliviado que parecia estar preso por muito tempo. Então eu abri meus olhos, sentindo os seus ainda em mim.

—Você sabia que eu estava acordado?

—Eu sempre sei. 

—É claro que eu aceito me casar com você. Meu pôr do sol favorito.
 


Notas Finais


QUEM AÍ FICOU COM DOR DE DENTE POR LER TANTA COISINHA DOCE? EU MESMA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...