História Slender: Hope Among Darkness - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Slender (Slender Man)
Tags Hope Among Darkness, Originais, Slender, Slenderman
Visualizações 19
Palavras 1.381
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Seinen, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem por demorar a postar, muita coisa tá acontecendo, e tá dificil...mas já to trabalhando no proximo capítulo.
Boa leitura.

Capítulo 4 - Pedido


Senku.Pov      Segunda       18:38

   O céu estava escuro, estava em preparação de chuva, não havia ninguém...em canto nem um. Estava voltando para casa meio...surpreso, eu havia descoberto que Jason tinha perdido os seus pais, e isso é algo bem...chocante pra mim já que eu perdi os meus também, algumas pessoas entram em uma situação horrível quando esse tipo de coisa acontece, o que explicaria ele praticar bullying com as pessoas, mesmo ainda não sendo certo, mas...porque ele se concentra tanto em mim? Ele sempre me atormentou mesmo eu nunca me envolvendo com ele, eu não consigo entender o por que de toda essa irá concentrada em mim...e também o porque de ele ter ficado tão violento hoje . Chego em casa é vejo a Sayna assistindo sua novela de sempre :

Sayna: Eu não sei por que você demora para vir para casa quando fica olhando as crianças no parque, já é bem tarde.-“ela olha para mim sorrindo”.

  Entro em casa em silencio tentando esconder a marca roxa que estava em meu rosto, um pouco acima da bochecha, mas ela viu:

Sayna: Senku...o que é essa marca roxa no seu rosto?-“ela olha para mim com um olhar meio preocupado”.

Sayna: Foi o Jason não foi...ele chegou a esse ponto?-“viro meu rosto para outro lado, e então ela fala”.

Sayna: Amanhã eu resolvo isso...-“eu a interrompo”  

Senku: O que você vai fazer ?-“pergunto preocupado, não quero que nada de mal aconteça com ela...não consigo nem pensar nisso” 

Sayna: Você vera.-“fala ela logo depois dando um sorriso”.

   Eu subo as escadas, tiro o uniforme e coloco o meu pijama (que era azul com mangas compridas e calça longa), desço as escadas e ando pelo corredor que passa pelo banheiro da casa em direção ao quintal onde fica a maquina de lavar as roupas, e lá eu lavo as minhas...e as da Sayna, me sinto estranho quando faço isso...uma sensação estranha surge em mim ao praticar essa ação...o cheiro...é tão bom...acho que entendo o por que de me acharem estranho. Após terminar e entregar para minha irmã suas roupas, subo novamente as escadas e entro no meu quarto para guardar meu uniforme, após fazer isso vou para o banheiro e lá eu lavo as mãos para jantar, após comermos a janta, Sayna coloca seu pijama e então nós assistimos algumas series que ela gosta e após isso vamos dormir em nossos respectivos quartos.Mas...e complicado tentar dormir com a mente conturbada...não paro de pensar na voz misteriosa que escutei...por que eu fui o único que escutou?...se alguém tivesse escutado eu teria percebido...e não só isso...mas por que eu agi daquela forma com o Jason de manhã?...eu me senti estranho...foi uma sensação meio familiar...de algum modo...e, ao mesmo tempo foi boa...

   Eu acordo as 5:45, ainda é bastante cedo, demorará um pouco para chegar a hora de ir a faculdade, então eu tomo um pequeno banho, coloco meu uniforme, preparo minha mochila e vou assistir tv para passar o tempo, mesmo eu não gostando tanto de fazer isso, como sempre não a nada do meu interesse, então eu pego de minha mochila da escola um papel e uma caneta e começo a rabiscá-la, eu me considero bom em desenhar mesmo todos dizendo que sou mas rabiscar uma folha de papel sempre foi um ótimo passa tempo para mim. De 6:29, Sayna acorda e me vê já acordado, ela então fala meio sonolenta:

Sayna: Por que acordou tão cedo ?-“ela fala coçando seu olho igual á quando uma criança acaba de acordar”.

Senku: Não consegui dormir direito ontem, acabei acordando cedo demais.-“falo ainda rabiscando a folha de papel”.

Sayna: Foi outro pesadelo não foi ?-“como esperado, ela me conhece melhor que ninguém, não tem como esconder isso dela.Olho para trás e a vejo com uma expressão de preocupação”.

Senku: Não se preocupe...-“pego a folha que estava rabiscando e a amasso, me levanto e fico de frente para a Sayna”.

Senku: Eu estou bem.-“ela olha para mim por alguns segundos, após esse tempo ela me abraça sorrindo”.

Sayna: Não exite em falar nada para mim tudo bem?-“ela fala sorrindo em quanto me abraça, acho que fiquei um pouco corado agora”.

Senku: T-tá...-“eu falo gaguejando, após isso ela vai se arrumar”.

  Depois que Sayna se arruma e nos comemos o café da manhã nos vamos para a faculdade. Ao chegar na frente da faculdade sinto algo sendo jogado em cima das minhas costas me fazendo quase cair no chão:

???: Chegou cedo hoje.-“olho para atrás e vejo a pessoa que se jogou atrás de mim se mostrando”.

Senku: É você Rainka...-“Rainka é uma garota de cabelos loiros que estuda na minha sala, ela possui 19 anos mesmo não parecendo...ela aparentemente repetiu no colegial”.

Rainka: Você deveria estar feliz em me ver, uma linda garota, tão cedo.-“ela fala fazendo a Sayna falar também”.

Sayna: Não estou vendo essa linda garota que você esta falando.-“a Sayna fala sarcasticamente irritando a Rainka com essa piadinha, elas não se gostam aparentemente”.

Rainka: Aaaa, a sua irmã irritante esta aqui não vi ela...normalmente não dou atenção a pessoas idiotas.-“a Sayna até tenta continuar a discução mais eu tento pará-la o que normalmente não dá certo mas dessa vez funcionou”.    

  As aulas se passam normalmente e chega a hora do recreio, todos os alunos já estavam na cantina, no caminho eu vejo um tumulto, o que não era algo difícil para mim com meus 1 metro e 83 centímetros, essas confusões não são tão anormais aqui, bem não é do meu interesse, me viro para ir até a cantina mas vejo que a Sayna está envolvida na confusão, me assusto com isso, ela sabe se cuidar mas...não sei meu corpo meio que gela ao pensar que algo ruim pode estar acontecendo, então vou ver o que esta havendo. Ao chegar lá vejo-a olhando seriamente para Jason, parece que ela tinha dado uma tapa bem no seu rosto deixando uma marca vermelha no mesmo, me lembro do que Sayna tinha me dito ontem quando descobriu que Jason havia me batido, isso não vai acabar bem.

Jason: O que acha que ta fazendo ?-“Sayna mal deixa ele falar, e o interrompe gritando furiosa com ele”.

Sayna: Você merece coisa muito pior.-“Jason se enfurece e logo recebe outra tapa no rosto”

Jason: Su-sua vadia!!!-“ele avança em direção a Sayna, mas ela o desvia e chuta a perna de Jason o fazendo desequilibrar e então ela chuta a sua barriga o fazendo cair ajoelhado”.

Sayna: Se você fazer aquilo com meu irmão novamente eu não só faço coisa pior do que estou fazendo agora, e não só fazer o diretor te dar mais serviços comunitários, como também te denuncio para a policia, bullying é crime sabia...-“ela então chuta fortemente no meio das pernas de Jason o fazendo cair deitado no chão de dor”.

Sayna: Espero que tenha me entendido !-“ela sai em direção a sala do diretor, eu pensei em ajudar ela quando a vi na confusão mesmo sabendo que minha ajuda seria meio inútil, mas não foi preciso...me preocupei em vão”.

???: Tenho que concordar, ela faz bem o papel de irmã.Mesmo exagerando, fazendo toda essa confusão.-“olho para o lado e vejo a Rainka”.

Senku: E-é.-“falo olhando para a Sayna enquanto ela vai até a sala do diretor”.

  Após tudo isso acontecer vou até a cantina da faculdade e começo a comer lentamente minha comida, percebo que a Rainka estava em pé me olhando enquanto eu comia.Não iria falar nada,  afinal já é meio “normal” para mim ela ficar me incomodando de momento em momento, mas isso começou a me incomodar até demais :

Senku: O que você quer ?-“falo sem olhar para ela ainda comendo”.

Rainka: Porque eu iria querer alguma coisa? Eu não posso simplesmente te olhar comendo? Ou será que é você que está me querendo ?-“ela fala mais uma de suas piadas sem graça “.

  O sinal de fim de recreio toca, então eu me levanto para ir até a minha sala afinal eu já tinha terminado de comer.Mas ao passar perto da Rainka ela pega pelo meu braço e fala com o tom um pouco serio:

Rainka: Senku, posso te pedir uma coisa?-“olho para ela meio sem entender“

Senku: Pode.

Rainka: Se você não tiver nada para fazer, quer ter um encontro comigo ?


Notas Finais


Logo eu lançarei o proximo capítulo que provavelmente não será tão longo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...