História Slender man: The last Alice - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jeff The Killer, Slender (Slender Man)
Personagens Jeff, Personagens Originais
Tags Eyeless Jack, Jeff The Killer, Slender
Visualizações 17
Palavras 1.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Ficção Científica, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Orange, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E aqui acabamos as lembranças do Offender.
Por enquanto ahahahqhshwh

Agora o destino da fic voltou aos eixos.
PRESTEM ATENÇÃO NAS NOTAS FINAIS!!!!!!!

Boa leitura

Capítulo 11 - Entre o Céu, a Terra e o Inferno (Inferno)


Natálie tinha uma lista extensa de motivos para queimar no fogo do inferno. Ela era assaltante, havia raptado muitas pessoa e matado a sangue frio por muitas vezes. Mas nada disso mudaria o fato de que Offender iria ao interno buscar ela, ou se não conseguisse, iria ficar ao lado dela. 

Primeiramente, para chegar ao inferno ele deveria rasgar o plano na hora certa. Almas tentariam fugir, o calor do inferno abrangeria o pobre infeliz que abrisse o portão e com força descomunal o calor sugaria as almas fugitivas junto da pessoa inferno a dentro. 

 Era isso que Offender tinha lido no livro que pegara 'emprestado' da casa de Trender. E como o livro mandava ele o fez, no meio da sala com todos os móveis afastados ele usou seus tentáculos para cortar o plano. 

 Era horrendo. 

 Queimava, doía e o puxava em direção ao inferno. As almas gritavam e fugiam em busca de livramento, era verdadeiramente desesperador. Não havia visto coisa pior até que a onda de calor saiu, o envolveu fazendo a pele queimar ainda mais, as almas falavam coisas desconexas e então veio o puxão, o vazio e por fim se viu caindo de peito no, que era popularmente chamado, inferno. 

 O inferno era sistemático e uma bangunça visualmente. Era como uma caverna, havia lava ao fundo e os amontoados de terra e formação de pontes. 

 Não tinha duvidas de que o inferno era horrível, mas isso tinha ficado pior do que imaginava. As almas sofriam formando um lago flutuante junto de seus maiores medos e o terror se tornava mais palpável. Estava chegando perto do chão e facilmente caiu em pé pondo as mãos nos bolsos da calça e olhando em volta. Tinha que chegar à Lucifer o mais breve possivel. 

Caminhou pela estrada que beirava do inferno até avistar ao longe o castelo. Usou seus tentáculos para se aproximar mais rápido. 

 Quando pousou na frente do portão gigante cheio de desenhos e escritas, o mesmo se abriu fazendo um barulho enferrujado. 

 - Que boa recepção para um inferno… - offender falou e foi entrando, mal se dando conta dos demônios que esgueiravam atrás dele após sua entrada -

Por dentro o lugar era totalmente diferente do lado de fora, era extremamente luxuoso com uma escada larga no meio e em cima escadas que partiam para esquerda e para direita, pouco diferente da casa do irmão mais velho. 

Havia parado embaixo do candelabro à velas quando olhou para o topo da escadaria e viu o rei do inferno. 

Lucifer. 

Estava apenas com um roupão vermelho e preto desarrumado mostrando seu peito e sua perna esquerda. Cabelos negros e olhos vermelho vívido, malhado e grande sem exageros, mandíbula travada e olhar felino. Seu cabelo estava desarrumado. 

- O que temos aqui? Uma creepypasta. - riu colocando a mão no corrimão e começando a descer a escadaria - Não esperava visitas hoje… 

- É, imaginei, vestido quem nem uma vadia - Offender começou a caminhar na direção do outro - Vim buscar uma pessoa. 

- Simples desse jeito? - sorriu cínico - Não vou deixar. - franziu o cenho - Você sabe que não. 

- não estou pedindo, lu. 

- Você lembra o que aconteceu na ultima vez que você veio ao inferno, não lembra? - falou rouco - O presente que eu te dei. 

 - Lucifer, não vim brincar contigo, vamos. Me deixe buscar o que é meu. 

Os dois estavam a dois degrais de distância, lucifer acima e offender abaixo. Lucifer estendeu a mão a aconchegando no rosto de offender. 

- você costumava gostar de mim… Eu também gostava de você. 

 - Até você me estuprar e quando eu fugi implantar uma maldição em mim. Muito amor.

Flashes do ocorrido assolaram a cabeça do jovem, o trazendo velhos sentimentos. 

 - Lu. - Lucifer soltou seu rosto descendo mais um degrau - Onde está Natálie?

- A alma nova está na minha cama, como sempre. - lucifer atiçou Offender o beijando no canto da boca, a reação dele agradou - Não fiz nada com ela, mas se quiser, posso fazer com você. 

Offender deu a volta no anjo caido indo em direção ao quarto. Mais luxuoso do que o resto da mansão, uma cama king big size a decoração toda em vermelho dourado e preto. Sua dama jazia na cama. Nua. Caminhou até a beira da cama e entou-se ao lado dela. 

Offender leu a menta da garota adormecida e suspirou. O amor dela por ele, aquilo que ele prometeu guardare proteger, era frágil demais e simples. 

Ela não o amava tanto. Ele sabia que o amor dela não era real, no fundo, ele sabia.

Olhou para trás ao sentir alguém vir, era lucifer, agora em uma calça, social preta, descalço.

- Decepcionado? - se encostou no batente da porta - Sabe que o inferno costuma ser assim.

- Remova a maldição. - resmungou passando a mão nos cabelos da mulher que sumia vagarosamente para sofrer pela eternidade -

- Perdão? - Lucifer queria o gosto de ouvir as palavras a seguir, sabendo o que o outro deveria fazer para ter o que queria -

- Eu vou ficar aqui até você enjoar ou eu acabar fugindo de novo, então, me liberte dessa porra de maldição. 

Lucifer fez um gesto com a mão e a mulher sumiu. Outro gesto e Lucifer se aproxima do mais jovem. 

- Feito. 

Offender havia passado 49 anos preso no inferno. Ele pensava, se por ter tido alguns meses de céu ele era condenado a anos e anos de inferno, quanto pecado não havia ele cometido? 

Os anos que passou ali, lhe serviram de aprendizado, serviu para amadurecer finalmente. 

 Havia um novo combinado entre o rei infernal e a creepypasta. Offender iria ter de voltar de tempos em tempos para ver lucifer. Do contrário, uma maldição ainda pior seria emposta a ele. 

***

- Então foi isso que aconteceu? - a voz de Slender era grave, ecoando pela sala muito bem decorada - 

Offender nunca vira seu irmão tão enraivecido.



 End…? 


Notas Finais


O proximo capítulo não será notificado, eu acho. Pois vou restaurar um capitulo. Como vai ser assim, vou fazer um post duplo, ou seja, vcs serão notificados de apenas um, mas por favor leiam o outro.

A historia do passado do offender não acabou! Apenas vou dar atenção pra historia principal.
Com amor, beijinhos ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...