História Smile - Capítulo 16


Escrita por: ~

Visualizações 20
Palavras 2.211
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Ecchi, Fantasia, Luta, Magia, Orange, Romance e Novela, Saga, Seinen, Shoujo-Ai, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


gente eu quero que vocês agradeçam a uma amiga minha por ter escrito esse capitulo pra mim
serio
eu pensei que não iria conseguir mas ela me ajudou em muita coisa
na verdade ela vem me ajudando em quase todas as minhas fics agora
hahaha vlw sasha te adoro nega <3

bom gente essa capa ai é a marca que a sofia tem na nuca, ( quem ja viu naruto classico ae ??? é nois, essa marca e a mesma marca do orochimaru, quem já viu sasuke locão la com as marquinhas, pois é. e quase o mesmo com a sofia. só que a marca dela vai mudar alterar e controlar o circulo de mana dela e pronto se não entenderam me perguntem que eu eplico com mais detalhes ok ? ok )

vamos ao capitulo

voa leitura

Capítulo 16 - Descontrole - parte - 2


Fanfic / Fanfiction Smile - Capítulo 16 - Descontrole - parte - 2

~ Pov Narrador On ~

 

 

Quando Sofia literamente se teletransportou para onde o famigerado tonne estava, ela acabou deixando um rastro de mana por todo o local. E foi isso que verônica usou para chegar no tal galpão, usando sua velocidade de demônio juntamente com sua forma demoníaca verônica se forçou a ultrapassar a velocidade do som para conseguir chegar a tempo de salvar a garota.

Verônica soube desde o inicio que Sofia era controlada por algo, no começo ela se sentiu estranhamente atraída pela garota, ela quis Sofia pra si. E então começou a investigar o passado da garota, perguntava a suas crianças e as garotas sobre tudo e ao mesmo tempo nada, da garota.

Descobriu sobre sua coragem, sobre seu trabalho, sobre seu passado, sobre suas dores, ate mesmo sobre alguns sonhos, ela estava literalmente abismada com a tamanha força da garota Sofia. Pois nunca viu nenhuma garota sobreviver a tudo que ela viveu.

Então ela procurou sobre sua raça, pesquisou e estudou sobre as façanhas poderes dons e vantagens de uma kitsune, após suas longas noites em claro lendo, ela descobriu que talvez a Sofia seja controlada pelo tonne. E isso fez todos os pelos da garota se arrepiarem

Alem de ter controle sobre a mente e corpo, ele pode alterar pensamentos e faze La ter pesadelos. Isso a fez embrulhar o estomago, em pensar que ele poderia facilmente mata La ou faze La matar os outros...

“ Isso é loucura “ pensou a garota

Ela não pensou que uma simples atração a faria criar um afeto incontrolavel que tinha sobre a garota, isso gerou altas discussões com suas “ amigas “ e um tal garoto que se dizia apaixonado pela Sofia

Sim. Mateus queria que ela ficasse longe da Sofia, ele sentia o sangue de demônio correndo nas veias da garota, e sentiu receio de verônica machuca La. Mas não foi só isso que o fez criar um ódio profundo por verônica. Esse ódio foi cultivado quando descobriu sobre alguns beijos que a garota deu na Sofia. O ciúmes se misturou com a raiva e a insegurança o fazendo criar um ódio profundo pela garota. Mal ele sabia que isso o faria perde sua preciosa Sofia.

 

Mas voltando ao tempo atual. Verônica finalmente alcançou o galpão, pôde ver a sua garota cair no chão e ouvir sua conversa com o tonne, ela mal chegou no local e foi tomada pela fúria. Tudo sobre o que leu era verdade

Ele tinha uma ligação com a garota. E controlava a pequena.

Ela não conseguiu segurar seus atos impulsivos e partiu voando com suas asas demoníacas numa velocidade abusiva para cima do homem.

Virou seu corpo no ar fazendo o vento ao seu redor virar um redemoinho, ela parou subitamente e fez com que o redemoinho se choca-se contra o corpo do tonne em cheio, antes mesmo que ele percebe-se quem viria na sua direção, o jogando para fora do galpão.

Verônica se aproximou da garota que sangrava pelos olhos nariz boca e ate orelhas, sua forma de kitsune estava se desmaterializando e seu corpo estava completamente cheio de símbolos estranhos, eles começaram a brilhar em um tom vermelho magma e começaram a correr pelo corpo voltando a ser uma simples marca no pescoço em questão de segundos. E sua forma de kitsune desapareceu junto com a marca no pescoço.

Respirando fundo, verônica pegou a garota no colo abraçando a mesma preocupada com seu sangramento

-  você ta bem ?? – perguntou a garota com um semblante preocupado, ouviu um som de destroços do lado de fora e mexeu suas grandes orelhas ainda observando o rosto da garota que balbuciava palavras mas não se ouvia nada. Verônica mordeu o próprio lábio vendo a garota desmaiar em seus braços – eu vou cuidar de você Sofia...- disse abraçando a garota dando passos longos pelo galpão esticando as asas negras pronta para voar de volta pro seu orfanato

- ah mas não vai mesmo !!! devolva o meu anjo !!! – gritou o tonne derrubando uma parede do galpão. Ela sentiu uma áurea estranha percorrer seu corpo e se virou lentamente para o homem que agora tinha símbolos por todo o corpo os mesmos símbolos que a Sofia tinha, enormes caudas surgiram no corpo do homem e suas orelhas pareciam chifres de tão grandes e pontudas – não vou deixar você levar ela de mim !!! – gritou o homem com a voz arrastada e grossa

- e eu não vou deixa ló tocar nela – disse calma a veronica sentindo as manchas engolirem sua pele, a garota deu um sorriso psicótico e sombras do local tiraram a Sofia de seus braços e esconderam-na. As asas da garota ficaram maiores e mais pesadas, quem olha se de longe juraria que seriam grandes asas de ferro ou uma grande armadura pois tinha laminas em vez de penas e era mais escura que a própria noite. Seus olhos ficaram completamente negros e sua pele tomada pela mancha negra, garras enormes surgiram em seus dedos e uma cauda parecida com as de um dragão, surgiu em suas costas

A batalha estava prestes a começar, uma meio demônio contra um kitsune amaldiçoado, mas o que todos não esperavam era que a policia aparecesse no local armados ate os dentes.

E então o tiroteio começou, os policiais que não tinham ideia de que a verônica era a verônica e não um demônio qualquer começaram a bombardear a garota juntamente com o tonne que desviava de todas as balas, já verônica usava um campo de força para se proteger.

Um encarar de olhos fizeram os dois se atacarem, mal ligando para a chuva de balas que tinha dentro do local, os dois começaram a se atacar de forma bruta, tonne jogava pedaços de pedras enormes com suas caudas juntamente com bolas de energia que explodiam ao se chocar com algo material, já verônica desviava todas as pedras com suas asas e ia pra cima do homem tirando sangue do mesmo com seus ataques rápidos. A batalha só se intensificava a cada minuto que se passava, ele também começou a usar sua velocidade para atacar.

Cortes e mais cortes foram feitos em ambos, as caudas do homem seguraram suas asas, ele segurou suas mãos antes que as garras de verônica se enfiassem em seu corpo, os dois se encararam com ódio no olhar e chocaram suas testas com toda a força fazendo sangue jorrar do local, os policiais que ate agora continuavam a atirar pararam ao perceber que de nada adiantaria pois a briga era entre eles

- deixe eles se cansarem. Quando o tonne estiver caindo nos o pegamos. – disse a Andressa de braços cruzados observando a luta sem demonstrar um pingo de surpresa. Mas por dentro ela rezava para que a tal demônio conseguisse cansar o tonne a ponto dela não ter que chamar reforços para o prender.

Os outros guardas estavam ansiosos e desesperados, eles tremiam de medo e de admiração.

As asas de verônica começaram a se contorcer e o inacreditável aconteceu, suas laminas viraram garras e as asas eram como mãos enormes, elas se agarraram as caudas do homem e o jogaram contra a parede o fazendo afundar as paredes e voar contra a rua.

Verônica se jogou para cima e caiu em cima do homem enfiando suas garras no pescoço deles e apertando o mesmo olhando nos olhos dele

- eu vou te fazer implorar pela morte...seu imundo...- disse a garota com a voz completamente demoníaca. Andressa sentiu que a garota já não tinha mais controle sobre si, e que o ódio tinha a dominado, então resolveu agir antes dela matar o tonne e atacar a todos ali.

- tragam a M134 minigun. Vou atordoar ela. – disse Andressa seria encarando o demônio que lutava contra as caudas de tonne e o enforcava

- como sabe que é “ ela ” ?? – perguntou um policial enquanto outros cinco corriam para pegar a arma de alto calibre

- tem cheiro de mulher...ou melhor...de criança ainda – disse a mulher olhando rapidamente para o policial que respirava fundo, ela sorriu e pegou a arma como se fosse um objeto qualquer, o que fez os soldados arregalarem os olhos, pois foi preciso cinco homens para ergue a arma.

Ela mirou nas costas da garota e esperou ate ela esta parada. Viu suas costas livres e atirou na mesma com precisão.

Verônica do outro lado da rua sentiu uma explosão contra suas costas destruindo metade de seu campo de força, isso a jogou contra varios muros a fazendo capotar. A garota urrou de raiva e levantou com fogo nos olhos olhando para policial com pesar. Isso deu tempo do tonne se recuperar e levantar as pressas e correr dali. Mas a garota não iria deixa ló fugir.

Ela voou atras dele na mesma velocidade que usou para chegar ate o galpão e socou suas costas o fazendo afundar contra o chão. A policial atirou novamente contra a garota e ela cambaleou pra trás após defender se do tiro com suas próprias asas.

Ela levantou o rosto com o corpo pulsando de raiva e urrou novamente, só que dessa vez ela começou a sugar as sombras formando uma esfera enorme de energia. E a lançou contra o galpão destruindo o mesmo juntamente com todo o quarteirão.

O corpo de Sofia apareceu entre as sombras e a poeira do local, verônica se pos atras de Sofia e a pegou no colo com cuidado olhando em volta vendo que tonne tinha sumido e que os policiais estavam dentro de uma bolha de energia e que o local estava devastado. Ela fechou os olhos e levantou voou batendo as asas desaparecendo da vista de qualquer um.

Verônica pousou no quintal de sua antiga casa e ajoelhou no gramado do quintal sentindo todas as suas forças esgotadas. As asas voltaram ao normal e começaram a se desintegrar, juntamente com a mancha negra que cobria sua pele. Seus olhos voltaram as cores normais e seu cabelo a ser castanho. Seu corpo caiu pra trás e ela sentiu todos os cortes e ferimentos de seu corpo pulsarem e arderem, seus olhos se fecharam lentamente e ela perdeu a consciência.  

 

 

 

O tempo passou e logo verônica acordou ainda no quintal, gotas de chuva a fizeram levantar rapidamente do local e correr para dentro dos escombros de sua antiga casa. ela andou pelos escombros e empurrou com o pé algumas madeiras que tampavam a porta do porão. Ela abriu a porta e desceu as escadas sentindo seu corpo pesado e dolorido. Colocou a Sofia em cima de uma mesa de mármore que avia no galpão. Por sorte o porão da casa não foi destruído. Toda a casa de dois andares foi consumida pelas chamas no incêndio que matou seus pais. Como tinha laje a casa ainda tinha teto e por tanto era um bom lugar ara passar uma chuva ou uma noite.

Sempre que verônica deseja fugir das encrencas ou ate mesmo de seus próprios pensamentos, ela volta a sua antiga casa e fica sentada no meio da sala olhando para as paredes queimadas lembrando de como sua vida era antes do incêndio.

Bom isso a faz chorar e conversar com si mesma se perguntando do porque das coisas, e como sempre, nunca recebeu uma resposta.

- espero que você acorde logo...- resmungou a garota andando pelo porão, por sorte o porão era um tipo de laboratório para seu pai que era cientista.

Ela pegou alguns remédios de um armário junto a ataduras e pinças, para retirar algumas farpas de sua pele, limpou o rosto da Sofia e lavou mesmo percebendo que tinha parado de sangrar.

Verônica se afastou da garota para se próprio cuidar e quando voltou a atenção para Sofia percebeu que seu nariz tinha voltado a sangrar. A garota respirou fundo e andou ate Sofia limpando seu nariz e levantando seu pescoço para tentar parar o sangramento.

Mas algo na garota chamou sua atenção, algo no pescoço da garota. Ela tirou os cabelos de Sofia de sua nuca e viu ali uma marca de um selo amaldiçoado. Seus olhos se arregalaram de leve quando uma corrente de mana passou daquele selo para as mãos de verônica

- um selo que impede a circulação de mana...inteligente...então é isso que ele usa pra controlar ela com mais eficácia...- sussurrou a garota como se fosse um segredo.

- ahn...- gemeu a Sofia sentindo se incomodada com o fato de alguém tocar em sua marca, os olhos da garota foram se abrindo aos poucos e logo se encontraram com os grandes olhos castanhos de verônica – V...o que...o que aconteceu...? – perguntou com a voz rouca

- nada de mais...esta tudo bem agora. Eu vou te ajudar Sofia. – disse a verônica com um sorriso no rosto passeando seus olhos pelo corpo da garota a procura de algum machucado, mas nada. O corpo dela estava completamente bem. – sente alguma coisa ? – perguntou preocupada com a mão ainda por cima da nuca da garota sentindo a energia de Sofia se passar pela sua mão

- não...eu...não sinto nada...- disse sofia confusa sentindo seu corpo estranhamente mais leve, verônica sorriu e aproximou seu rosto do da garota encostando as testas

- me sinto aliviada agora.

 

~ Pov narrador of ~ 


Notas Finais


obrigado batatinha por ter escrito essa delicia pra mim <3
obrigado por lerem gente <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...