História Snowing Heavily - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~BellaNaty

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Bieber, Justin, Neve, Snowboard, Snowing Heavily
Exibições 9
Palavras 2.908
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Festa, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oe!

Obrigada a quem favoritou a fic ❤

Capítulo 2 - Biologia


Fanfic / Fanfiction Snowing Heavily - Capítulo 2 - Biologia

Emily's POV

Me mexi na cama, abrindo os olhos incomodada com o despertador que praticamente berrava na minha mesinha de cama. Dei um tapa nele e ele parou de fazer barulho, finalmente.

Me acostumei com a claridade invadindo meu quarto, eu tinha me esquecido de fechar a cortina depois que abri a sacada do meu quarto. Eu me sentei coçando os olhos e respirei fundo antes de me levantar e cambalear pra fora do meu quarto em direção do banheiro.

Me despi para tomar banho e liguei o chuveiro quente e entrei embaixo dele. Fiz minha higiene e escovei os dentes antes de pentear meu cabelo com a escova e deixar o mesmo meio arrumado. Olhei em volta procurando a toalha, mas me lembrei que eu esqueci ela no quarto. O jeito era correr até meu quarto.

Abri a porta e me certifiquei de que ninguém estava alí. Cobri minhas partes e praticamente dei um pulo até meu quarto. Voltei ao meu quarto me apressei em pegar uma toalha e enrolar em meu corpo para me cobrir.

Antes de me vesti, guardei meu notebook que tinha ficado ligado a noite toda por causa da minha fome insaciável por séries. Coloquei em cima da minha escrivaninha e fechei ele.

Me enxuguei e vesti minha roupa para ir ao colégio, era um tênis All Star preto que eu tinha, uma calça jeans clara, e um moletom, estava um pouco frio de manhã. Olhei no visor do meu celular pra saber que horas eram, já eram sete e meia, minha aula começava as oito. Eu tinha que correr.

Peguei minha mochila e passei pelos ombros antes de correr escada a baixo. Peguei o ônibus da escola e me sentei no fundo sem ninguém me ver. Coloquei os fones de ouvido e passei a mexer no celular.

Assim que o ônibus cheguou ao colégio, eu desci dele e passei pelo pátio indo em direção do corredor principal. Nem vi a hora que me enfiei na sala de matemática antes do professor chegar.

(...)

Nos cinco minutos, antes da última aula, eu decidi ir atrás das minhas amigas. Bruna estava logo a frente conversando com Louise e Julie.

Corri pra alcançar elas, mas um ser de cabelos ondulados e marrons entrou na minha frente enquanto eu corria. Acabei trombando na pessoa.

- Ai! - ela gritou. Foi aí que eu percebi que era a Allison, minha prima que me odiava.

- Foi mal, Allison. - disse tentando me afastar dalí, mas ela me segurou.

- "Foi mal" o caralho, olha por onde anda, sua idiota! - me xingou.

- Aí, Allison, eu não sou tuas amiguinhas piranhas não, ta! - gritei. - E sai da minha frente, você já ocupou demais o meu tempo!

Eu nunca soube o porquê da Allison ser implicada comigo, ela só me odiava, era esse o problema. Minha prima me odeia, que mundo perfeito.

Corri até Bruna e ela abriu um sorriso quando me viu.

- Oi, Bruna. - abracei ela.

- Emily! - as três gritaram.

- Credo, para. - pedi rindo.

- O Justin comentou que falou ontem com você. - Louise disse fazendo uma cara esperta. Eu mereço, Justin falando pra todo mundo que conversou comigo.

- É? Ele comentou que quase matei ele ontem? - perguntei arrancando risadas.

- Não, ele não disse isso. - Bruna falou. - Aliás, o que ele foi fazer lá na biblioteca?

- Foi pegar um livro pra resenha de inglês. - respondi.

- E que livro você deu pra ele?

- "A culpa é das estrelas". - disse e elas riram.

- E ele ta lendo? - Louise perguntou.

- Eu não sei, pergunta pra ele. - falei e elas riram mínimo.

- Emily dando patada. - Julie falou rindo.

Olhei pra frente e vi Mark, Josh e Justin vindo em nossa direção. Josh estava conversando com meu irmão num tom animado e Justin estava com o livro de capa azul na metade dele.

- Emily. - Mark disse me abraçando.

- Oi, Mark. - Falei abraçando ele de volta.

- Oi, meninas.

- Oi. - elas disseram juntas.

- Emily. - Josh me beijou no rosto. - Oi, meninas, vocês estão lindas, menos a Bruna.

- Filho da... - Julie colocou a mão na boca dela antes que ela falasse. Josh riu, eu sei o quanto ele gostava de pirraçar a Bruna.

- Oi, Josh. - cumprimentei rindo.

Todos olharam pra Justin, ele nem prestou atenção em nós.

- Justin. - Mark chamou.

- Ahn, que? - perguntou levantando o olhar.

- Fala com elas. - Josh incentivou.

- E aí, Julie, Louise, Bruna e... a outra que eu esqueci o nome. - Justin disse ainda com os olhos no livro.

- Emily. - falei com desprezo.

- Isso, isso mesmo. - ele deu tapinhas de leve no topo da minha cabeça e bagunçou meus cabelos.

- Para! - peguei o braço dele e mordi.

- Ai! - ele puxou o braço e me olhou. - Emily! - reclamou.

- Eu não gosto que mexam no meu cabelo, porra! - reclamei

- Precisava morder?

- Precisa, a gente faz isso com pessoa intrometida. - falei. Ele revirou os olhos e fechou o livro com o dedo no meio.

- Falou, to indo pra minha sala. - ele fez um toque de mãos com Josh e meu irmão.

- Falou. - eles disseram.

- Tchau, meninas. - ele se despediu de Louise, Bruna e Julie.

- Tchau. - elas falaram em uníssono. Se direcionou pra mim.

- Até a sala, esquilo estressado. - ele apertou minha bochecha com o polegar e o indicador.

- Ta violentando meu rosto! - explodi tirando a mão dele da minha cara.

- Chata. - ele disse caminhando e se afastando de mim.

- Irritante! - eu berrei. Ele ignorou e entrou na sala.

- Emily, você odeia mesmo ele, né? - perguntou Mark.

- Eu não odeio ele, todo fuck boy tem seu ponto positivo, mas o Justin, pra mim, é um caso perdido. - falei bufando de raiva. - A qualquer minuto eu arranco da cabeça dele aquele cabelo feito na chapinha!

- Emily ta pistola. - Bruna disse para as outras me fazendo rir. Nenhuma delas me levava a sério.

- Odeio vocês. - disse rindo.

- Também amamos você. - elas responderam juntas.

O sinal da escola tocou e eu andei ao lado delas.

- Qual a sua primeira aula?

- Biologia, com o famosinho. - falei olhando pra cima. - Me leva, por favor, me leva.

- Emily, não exagera, ele não é tão mal assim.

- Não é? Ah, ta me zoando, né? - perguntei.

- Emily, ele é bom em biologia, tenta pegar cola dele. - Bruna sugeriu quando paramos na porta da sala. Eu sorri maliciosa.

- Não seria má ideia. - falei pensando em pegar cola dele. - Enfim, a gente se vê na hora da saída.

- Ta bom, tchau, Emily. - Bruna se afastou com Julie e Louise.

Entrei na sala de aula e me sentei no fundo sem uma dupla. Como a turma de biologia era um número ímpar, eu implorei, quase de joelhos, para o professor me deixar sozinha nessa aula. Porque, nessa sala, tinha quase todas as líderes de torcida e os famosinhos da escola, por isso eu prefiria ficar só.

Em cima de todas as mesas, tinha um sapo morto em uma tigela de vidro transparente, uma bandeja, um par de luvas pretas, bisturis, tesouras, canetas marcadoras, pinças e alfinetes. Olhei pra frente, o Sr.Varner tinha desenhado a anatomia interna do sapo. Eu confesso que eu queria morrer agora, eu ia ter que abrir esse sapo.

Na aula passada nós abrimos um peixe, foi nojento, mas já vi minha mãe fazer isso tantas vezes que eu me acostumei. Ela cortava um salmão inteiro pro Natal.

Justin estava no canto da sala, sentado sozinho em sua mesa folheando aquele livro que eu passei ontem pra ele, nem acredito que ele estava mesmo lendo. A dupla dele, Molly, tinha faltado no dia e Justin teria que fazer o dever sozinho.

- Todos vocês terão que abrir esses sapos, como fizemos semana passada com os peixes. - ele disse. Guardei meu celular e meus fones no bolso.

O Sr.Varner foi até a mesa de Justin e conversou com ele alguma coisa. Justin só assentiu com a cabeça e começou a juntar as coisas da mesa dele.

Peguei uma das luvas pra colocar em uma das minhas mãos, foi quando o Sr.Varner se aproximou da minha mesa e se direcionou a mim.

- Emily, também quero que trabalhe com uma pessoa. - ele pediu.

- Com quem?

- Justin. - ele disse meio hesitante.

- É sério? - perguntei.

- Sim.

- Prefiro fazer sozinha. - falei meio impaciente e respirando forte.

- Emily, suas notas não estão boas, eu quero apenas que você faça o trabalho com ele para sua anotar aumentarem. - ele falou.

- E se eu não quiser? - perguntei.

- Você tem duas opções, ou faz com ele ou pode sair da sala e ficar na diretoria. - ele me propôs.

Eu tinha que passar em biologia, senão meus planos para ter uma mansão iriam por água abaixo.

- Tudo bem. - respondi colocando minhas luvas.

- Justin. - o Sr.Varner chamou ele enquanto se afastava de onde eu estava. Justin se levantou e trouxe as coisas dele pra minha mesa.

- Emily. - ele disse, por incrível que pareça, com um sorriso.

- Hm. - respondi. Ele se sentou na cadeira ao lado da minha. Colocou tudo em cima da mesa e guardou o livro que ele estava lendo.

Choraminguei olhando pro sapo que estava imóvel na tigela transparente de vidro.

- Não é tão ruim. - Justin disse gentil sorrindo.

- É sim, é péssimo. - falei cutucando o sapo com o dedo.

- Pensa que é só uma vez e pronto. - ele colocou as luvas dele.

- Muito fácil só falar, olha isso. - disse pegando uma pinça e segurando em uma das patas do sapo. - É... Nojento.

Justin riu.

- Eu sei, mas isso é só uma vez, depois disso não vamos mais precisar abrir nada.

- Amém. - disse rindo com Justin.

Eu acho que era a primeira vez que estávamos conversando normalmente sem dar uma discussão logo depois, talvez seja minha preguiça predominando.

- Desculpa por ter apertado sua bochecha hoje, e ter zoado de você ontem. - ele pediu desculpas cutucando o sapo dele.

- Ta. - disse neutra. Eu estava com sono, aposto.

Olhei para o quadro para saber como devia posicionar aquele sapo. Peguei ele com uma mão e coloquei deitado de patas abertas. Eu estava com tanto nojo que mexia com as pontas dos dedos.

- Tadinho, não precisa ter nojo dele. - Justin já tinha posicionado o dele na bandeja e colocando os alfinetes nos braços e pernas pra ele não sair do lugar.

- Olha só, meu querido, cuida do seu sapo que eu cuido do meu! - falei e ele riu fraco.

- Faz assim. - ele pegou os alfinetes e colocou quatro alfinetes, um em cada pata.

- Eca. - resmunguei.

- Agora, desenha uma linha reta no meio do pescoço até o final do corpo dele. - Justin explicou.

Peguei a caneta marcadora e tracei uma linha reta começando no pescoço, assim como Justin me instruiu.

- E agora? - perguntei.

- Bisturi. - ele pegou o bisturi dele e cortou a pele do sapo dele.

- Acho que eu vou vomitar. - disse sentindo meu estômago se revirar.

- Segura, temos que abrir e falar os órgãos que vimos no sapo. - disse abrindo a pele do sapo dele e colocando um alfinete de cada lado pra pele não escapar, assim fazendo os órgãos do animal ficarem expostos.

- Justin. - puxei ele pelos ombros. Me encarou com awuelas orbes castanhas dele. - Me mata, por favor, nunca te pedi nada. - eu estava implorando.

- Se acalma, Emily. - ele reclamou achando graça do meu desespero.

Ele anotou os órgãos do animal em uma folha que tinha o meu nome e o nome dele. Eu não sei porque estava fazendo sozinho, mas eu preferia que ele escrevesse porque eu não sabia muito sobre aquilo.

Olhei de volta para o animal em minha frente e quis vomitar em tudo.

- Eca, eca, eca. - falei tentando olhar pra outro lado. Justin terminou de escrever.

- Quer que eu corte a pele do seu? - perguntou ainda rindo.

- Por favor. - implorei.

Ele pegou o bisturi e cortou pra mim a pele do animal. Abriu e eu tive a visão dos órgãos dele. Resmunguei outra vez.

- Eu quero vomitar. - reclamei. Foi quando o som do colégio fez um barulho. Era o Sr.Adams.

- Emily e Justin, podem vir na minha sala, por favor? - ele perguntou.

Amém!

- Senhor Varner, podemos ir? - Justin pediu autorização.

- Claro, podem ir. - ele autorizou.

Eu me levantei desesperada e Justin me acompanhou.

- Justin. - o Sr.Varner chamou. - Já terminou o dever de vocês?

- Já. - Justin respondeu.

- Vá. - mandou.

Fui a primeira a levantar e alcançar a porta, ninguém merece ficar numa sala cheia de sapos abertos. Justin veio atrás de mim. Eu quase tropecei quando saí da sala.

- Calma, você ta pálida. - Justin segurou meu braço me impedindo de cair.

- Valeu. - respondi.

Caminhei ao lado dele, sem falar nada, até chegarmos na sala do Sr.Adams.

- Senhor Adams, eu...

- Não ouvi você bater, Emily. - ele disse enquanto mexia em uns papéis.

Voltei fechando a porta e dei dois toques na mesma.

- Oh, quem é? - ele perguntou.

- Madonna. - disse abrindo a porta e me sentando na cadeira. Justin se sentou ao meu lado.

- Ah, que bom. Poderia me dar um autógrafo? Sou fã do seu trabalho. - ele disse irônico.

- O que estamos fazendo aqui, senhor Adams? - Justin perguntou cortando o assunto.

- Preciso dos dois para fazer uma viagem a partir da semana que vem.

- E pra que? - perguntei.

- Sabem que semana que vem é a viagem para o dois segundos anos para o Alaska certo? - perguntou.

- Sim, e? - perguntei.

- Vai ter um torneio de snowboard no Alaska entre escolas de todos os estados americanos. - ele disse.

- E onde nos encaixamos nessa? - Justin perguntou.

- São os únicos que já tiveram experiência com snowboard e skate, sabem como usar uma prancha. - ele disse. Olhei para o Justin e ele assentiu.

- Não. - respondemos juntos.

Tinha um motivo pra gente não querer, fazia muito tempo que nenhum de nós andava de skate. Como eu sei sobre o Justin? Eu andava de skate na mesma pista que ele, e dedo confessar que esse babaca era bom nisso.

- O que? Por que? - Sr. Adams perguntou.

- Não temos dinheiro e nós faz tempo que não andamos em uma prancha, precisaríamos de um tempo pra voltarmos o costume.

- Nós vamos chegar treze dias antes do torneio e eu me encarrego de pagar suas passagens. - els insistiu.

- Sr. Adams, nós não queremos...

- Rapaz, o prêmio é um cheque de cem mil dólares, metade disso vai pra conta da faculdade de vocês. - ele interrompeu Justin.

Eu gostei disso. Eu precisava de dinheiro pra minha faculdade, e acho que ele também precisava.

- A gente aceita. - ele falou. Tirou as palavras da minha boca.

- Ótimo. - Sr. Adams respondeu. Pegou dois papéis em branco e nos passou. - Preciso que comuniquem seus pais que vão viajar, mesmo sendo maiores de idade.

Era verdade, Justin e eu já tínhamos dezoito anos. O Sr. Adams nos entregou um papel com uma lista do que íamos precisar para a viagem.

- Só nós dois vamos participar?

- Só precisam de dois alunos para o torneio. - ele disse.

- Quanto é a viagem mesmo? - Perguntei. Dependendo de quanto fosse minha mãe não poderia pagar.

- Pra vocês não é nada, precisamos de vocês e nós confiamos que vão vencer esse torneio. - ele indagou sorrindo.

- Pense bem, tem alunos do Alaska lá também, eles com certeza tem mais experiência que nós.

- Confio em vocês. - ele disse sorrindo.

- Tem que ser com o Justin? Assim, eu não sou muito chegada a ele.

- Emily, sinto muito, mas essa guerrinha infantil de vocês tem que acabar.

- Ele que me provoca. - falei.

- Mentirosa. - Justin acusou. - Você também briga bastante comigo!

- Ah, nem vem, seu Cabelo-de-Chapinha!

- Ah, se eu sou cabelo-de-chapinha você é a Senhorita-Anã! - ele disse me provocando.

- Basta! - Sr. Adams bateu na mesa.

Se era assim, então ta.

- Tudo bem. - respondi.

- Em que aula estão?

- Biologia. - respondi.

- Anatomia do sapo?

- Sim. - Justin respondeu.

- Não precisam mais ficar lá, vão à biblioteca e entrem em um acordo para ganharem esse torneio. - ele sugeriu. Olhei bem e feição de Justin: debochada.

- Tudo bem. - Respondi.

- Podem ir.

Me levantei ainda olhando pra ele e semicerrando os olhos pra ele. Saímos daquela sala e caminhamos na direção da biblioteca. Justin e eu não nos dávamos bem, e com certeza não ia ser por causa de um torneio de snowboard.

Não sei como faria pra essa guerra acabar. 


Notas Finais


Comentem o que acharam do capítulo!

Bye! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...