História So Complicated - Camren - - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Caminah, Camren, Normila, Norminah
Exibições 304
Palavras 1.704
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


EU VOLTEIII Muhahahahahahahah enfim peoples voltei, dei um jeito de ligar o pc sem ainda ter comprado um estabilizador só pra vir atualizar pra vocês...
MEREÇO SER AMADA???
não fiz mais que minha obrigação não é mesmo hahahahaha Enfim.... Obrigada pela paciencia de vocês e ta ai mais um capitulo...
Boa leitura
e Desculpe-me qualquer erro.

Capítulo 13 - Brigas...


 

Por LAURA:

 

- Woow, vai com calma ai, que a porta não tem culpa do que aconteceu com você não Jauregui! Allyson disse tirando a atenção do caderno.

- Continua falando que você vai poder sentir como é ser socada assim como a porta! Falei com raiva sentando-me no sofá.

- Tá tudo bem? Ela perguntou largando o lápis sobre o caderno e vindo em minha direção, essa garota tá querendo morrer só pode.

- Tudo um mar de rosas! Falei seca caçando o controle da TV e me irritando ainda mais por não encontrá-lo.

- Nossa você está mais Laura do que nunca. Encarei Allyson, fuzilando-a com o olhar. – Ei; ele levantou a mãe em rendição; - Só quero te ajuda.

- Desde quando?

- Desde que você está mais vermelha que tomate? Pediu retoricamente e soltei o ar dos pulmões. – Quer conversar.

- Não eu passo, não preciso de psicóloga! Ironizei.

- Não sou psicóloga mesmo! Ela sorriu abertamente e caramba como era insistente.

- Allyson, você é um pé no saco! Deixei um sorriso escapar e ela sorriu.

- Pelo menos te fiz sorrir, olha Laura, vamos continuar com nossas briguinhas, normal, só não consigo ver uma pessoa roxa de raiva sei lá qual o motivo, isso não é legal; sentou-se no sofá ao meu lado.

- Briguei com minha mãe! Revelei.

- Eu não vejo minha mãe desde segunda e estou louca pra abraçá-la e você acaba de brigar com a sua? Balancei a cabeça em negativo, essa garota até que não é assim tão chata.

- Pois é cada um tem a mãe que merece, no meu caso a minha não está presente nunca! Mudava os canais caçando algo de bom. – Temos brigado tanto depois de dois anos pra cá.

- Isso é um problema; concordei com a cabeça quando ela disse. – Mais quando ela tem tempo ela não fica com vocês?

- É, ela, eles, porque meu pai também nunca tem tempo Allyson!

- Por isso você é assim? Franzi a testa.

- Assim como? A encarei.

- Assim tão grossa! Gargalhou.

- Eu não sou grossa, só não tenho paciência! Voltei minha atenção à TV.

- O que dá no mesmo.

- E você é sempre assim? Foi à vez dela franzi a testa; - Louca!

- Ei, não sou louca, pode aposta que sou mais normal que voc...

- Laura? Olhamos eu e Allyson para a porta.

- Patricia! Sorri falsa para ela que pediu para entrar eu ia dizer que não mais a Allyson disse: Claro. A fuzilei com os olhos e ela voltou para a mesinha onde estudava.

- Podemos conversar filha? Pediu fechando a porta atrás de si.

- Lauren é no quarto da frente! Falei sem a encarar.

- Eu sei disso, eu sei diferenciar minhas filhas, mesmo se fossem gêmeas. Ela tentou brincar mais só conseguiu risadas da Allyson.

- Não tenho tanta certeza! Ela sentou-se ao meu lado.

- Tira a armadura um pouco filha, quem está aqui do seu lado sou eu, sua mãe. Tocou meu ombro.

- O que você quer? Resolvi então escutá-la.

- Dizer três coisas.

- Diga! Falei seca.

- Primeiro: Sinto muito se não sou tão presente na vida de você e da Lauren e eu estou falando isso pelo seu pai também...

- Que seja! Zapeava os canais.

- Segundo: Eu amo vocês, isso você não pode duvidar Laura. Falou tirando o controle da minha mão; - Você não duvida não é mesmo? Fiquei calada por um tempo até que Allyson jogou sua borracha em mim.

- Não, Não duvido! Falei encarando-a.

- Terceiro e mais importante, nunca pude conversar com você depois do que ocorreu...

- Não se atreva, por favor. A interrompi antes mesmo que entrasse no assunto; - Se você vier dizer que senti muito pelo Ian eu te deixou falando sozinha, porque você não sente, você odiava a idéia da sua filha namorar com um... Calei-me, e de relance vi Allyson franzi a testa.

- Nossa convivência mudou desde que você começou a namorá-lo. Ela disse cortando-me e se levantando dando as costas para mim.

- Nossa convivência mudou desde que você descobriu que ele tinha câncer terminal mãe! Aumentei o tom de voz levantando-me do sofá.

- Acho que vou deixar vocês a sós! Ouvi Allyson dizer.

- Não, Allyson você fica, quem sai é a Patricia! Ela virou-se para mim.

- Não se esqueça que a mãe aqui sou eu, Laura Caroline! Ela se aproximou.

- Quando você quer exercer alguma autoridade isso é cabível pra você, Mãe! Ironizei a ultima palavra vendo-a rolar os olhos.

- Não ouse Laura, eu mando você de volta pra Vancouver! Ameaçou-me.

- Mande, meu tio Simon é mais mãe e pai do que meus pais verdadeiros. Ela levantou a mão para me bater; - Bate Patricia, você não vai fazer nada que não tenha feito antes! E assim a mão estendida se abaixou, ela pegou sua bolsa colocando-a no ombro.

- Conversaremos civilizadamente quando voltar pra casa na sexta feira estamos nervosas faremos e diremos coisas que não queremos. Ela disse caminhando até a porta.

- Você disse tudo naquela noite em que fui para Vancouver Patricia, já fez coisas piores do que ameaçar me bater! Falei demonstrando decepção. – Só estou aqui em Miami por causa da Lauren, só por ela!

- Então mude seu jeito por ela, ou nem ela você terá! E lá estava ela me ameaçando novamente, ia respondê-la mais ela saiu porta a fora e deixei meu corpo cair sobre o sofá.

- Desculpa o que vou dizer mais você com uma mãe dessas não precisa de mim como inimiga! Allyson quebrou o silêncio.

- Não te considerava uma inimiga! Brinquei e ela soltou uma risada.

- É bom saber, porque a partir de agora eu não te provoco mais. Levantei-me; - Você está legal?

- Nada que eu não possa superar. Disse em um tom mais alto devido a distancia que estávamos...

 

Por LAUREN:

 

Depois dessa tarde louca que tive, crise de choro, mamãe e Laura brigando como sempre, e ter dormido o resto dela desde mamãe saiu daqui eu estava sentada de frente para o computador mexendo em algumas coisas e ouvindo as musicas que Laura escreveu. Quando for uma cantora famosa, cantarei as músicas feitas pela minha irmã...

- Existe alguma probabilidade dos seus pais me emanciparem? Tirei o fone do ouvido quando ouvi Lil reclamar.

- O que foi que disse? Perguntei novamente, pois, não tinha escutado.

- Eu consigo a emancipação?

- Claro que não! Virei à cadeira de frente para ela. – Porque o que aconteceu? Mamãe foi dizer que te ama e te encheu de beijos.

- A menos que esse encher de beijos for levantar a mão para me bater e ameaçar me mandar de volta pra Vancouver. Neguei com a cabeça, como poderia ser tão estranho mãe e filha viverem em pé de guerra assim.

- Ela levantou a mãe pra você? Lil concordou com a cabeça.

- Só não bateu porque Allyson estava lá presenciando tudo e acho que ela ficou com medo dela contar pra alguém e manchar o grande nome Jauregui. Não consegui controlar a risada, mesmo o assunto sendo sério, Laura conseguia deixá-lo divertido. – Acho que entramos em um acordo de paz. Ela se sentou na cama de DJ que ficava ao lado da mesa do computador.

- Quem? Você e a mamãe?

- Não besta eu e a Allyson, ela até que é legal! Franzi a testa.

- Olha Laura Jauregui fazendo novos amigos. Debochei.

- Eu digo que ela “até que é Legal” e já somos amigas, qual é Lauren! Ela deu-me um tapa na perna. – Mudando de assunto aqui rapidinho, Camila sumiu o dia inteiro, você zoneou esse quarto, olha pra isso! Falou dando uma olhada na bagunça que estava o quarto. – Vocês enfim conversaram?

- É! Falei simples.

- É? Só isso que tem a me dizer...

- Não só a você Lil, a nós. Mani e DJ entraram no quarto; - Estamos sendo expulsas daqui do quarto até limparem tudo.

- E pra onde vamos? Pedi espantada.

 - Segundo o Erico os quartos estão todos ocupados e ainda segundo ele, somos amigas demais da vizinha ai da frente e elas não se importaram de dividir o quarto até que o nosso esteja limpo. Levantei-me num pulo da cadeira espantada.

- Qual é, diz que é mentira; sorria nervosa.

- Quem mandou quebrar minhas coisas! Mani disse com tom divertido mais ainda sim me fuzilando com os olhos. – Vamos dividir quarto com a Allyson e Camila...

- Não se esqueçam de mim aqui! Lil falou erguendo a cabeça.

- Me recuso. Cruzei os braços batendo o pé.

- Então durma aqui nessa zona Jauregay! DJ disse gargalhando da minha cara. – Viemos só pegar algumas roupas e já estamos de mudança.

- Lil! Encarei minha irmã que arregalou os olhos.

- Me tira dessa, Lauren, você quem zoneou isso tudo, mais oh, eu deixo você dormir comigo minha cama é a de cima de frente para a da Camz; provocou-me.

- Vá se fuder! Falei voltando a sentar na cadeira.

Alguns minutos se passaram até que Mani, DJ e Lil me convenceram a ir para o quarto vizinho. Peguei algumas roupas e saímos...

- Bem vindas ao reino das loucas! Lil disse como se eu nunca tivesse entrado aqui antes.

- Ei que isso? Allyson pediu tirando sua atenção do caderno.

- Você está estudando até agora Allyson? Minha irmã pediu fazendo careta. – Erico não te deu o recado?

- Ah; falou desanimada; - Disse sim, só por alto, não o que realmente aconteceu, o que eu acho errado porque se elas querem dividir quarto com a gente temos que saber o real motivo; ela disse olhando para minha mão enfaixada.

- Um dia Brooke! Lil piscou para ela que bufou, começamos a caminhar para a parte de cima do quarto onde ficavam as camas. – Então aquela cama ali tá vaga, você e Mani podem dividir! Falou para DJ que concordou com a cabeça assim como Mani. – Você Loh fica comigo... Joguei minhas coisas na sua cama alegando querer um banho...

 


Notas Finais


E então o que acharam????????????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...