História So dangerous – Imagine Namjoon - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster
Tags Bangtan, Bts, Jimin, Jungkook, Kim Namjoon, Namjoon, Sexo, Submissa, Submissão
Exibições 93
Palavras 1.286
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olaaaá!!!
Mais um capitulo para vocês, me desculpem a pequena demora, mas está aí!❤
Boa leitura. ✨

Capítulo 2 - Noite.


   Já estava quase na hora de Namjoon chegar. Ele não podia conversar comigo na sala? Ah... Era tão frustrante! Ele me deixava preocupada, por causa de apenas uma conversa?

   Seu quarto era todo cinza, diferente do meu, seu quarto era imenso. Tinha uma parede só de janela. Que dava para ver a vizinhança, seu closet também era enorme. Suas roupas eram separadas por cor, seus sapatos eram saparados por modelos.

   Eu andava pelo quarto, a procura de ocupação, não sabia a hora que Namjoon chegaria, nem queria saber, só iria me anseiar mais.

   Com o celular na mão eu olhava o horário. Já estava cansada de esperar ele, joguei o celular na cama e fique olhando a grande janela.

– Parece que esperou muito. – Namjoon entrou na minha frente e fechou a cortina.

– Já estava preocupada com você. – Passei meu cabelo para trás.

– Preocupada comigo? – Sorriu. – Você é engraçada.

– Eu estou falando sério. – Empurrei ele. – Não é engraçado.

   Parou onde eu o empurrei, ele me encarou com aqueles olhos que me davam me medo.

– Nunca mais faça isso de novo. – Pegou no meu ombro e me jogou na parede.

   Minhas costas bateram na parede, e suas mãos, me segurava com bastante força.

– Nunca mais, ouviu? – Passou uma mecha de cabelo por trás da minha orelha. – Não gosto de te machucar, mas você me força a fazer isso.

– Eu te forço a fazer isso? – Ri. – Você está fazendo isso por conta própria.

– Não estou mesmo. – Falou entre os dentes. – Eu estou pagando para você me servir, não está aqui de graça.

– Você que devia me servir. – Tentei empurrar ele novamente. – Eu estou te ajudando.

– Eu já disse, eu te comprei. – Segurou meus braços na parede. – Sabe o que falou na hora do almoço?

   Eu não quero fazer nada com você.

– Sim, eu sei. – O encarei.

– Pelo o que eu saiba, você deve fazer tudo o que eu mandar. – Pegou minha perna e subiu até a altura de sua bunda.

   Ele era alto, não iria conseguir levar minha perna até sua cintura.

– Não, eu não quero fazer isso. – Tentei tirar sua mão da minha coxa.

– Tem certeza? – Passou seu nariz em meu pescoço.

   Soltei um gemido de supresa. Mordi meu lábio inferior tentando conter meus arrepios.

– Pensei que não quisesse. – Dava pequenos beijos em meu pescoço. – Mas parece está se divertindo.

– Não estou me divertindo. – Gemi novamente.

– Eu acho que você está errada. – Pegou-me e me colocou amarrada em sua cintura. – A partir de agora, fará tudo o que eu quiser. – Me jogou na cama.

   Tirou toda a minha roupa, e logo abocanhou um dos meus seios. Me fazendo gemer alto.

– Por favor Kim. – Gemia. – Não faça isso.

– Tarde de mais.

   Desceu beijando todo meu corpo até chegar na minha intimidade, que já estava toda molhada. Ele enfiou sua lingua e me fez gemer.

   Ele me chupava e me fazia gemer, queria gozar em sua língua, mas não saberia sua reação a isso.

– Não aguento ouvir você gemer. – Se despiu por completo. – É tão excitante.

– Não fale nada. – Pedi. – Apenas realize seu desejo.

   Em menos de um segundo seu membro ereto já estava dentro de mim, me fazendo gemer e rebolar nele. Eu conseguia ouvir seus barulhos de satisfação.

   Seus movimentos eram precisos, sabia o lugar certo, parecia um especialista no assunto. Seus movimentos iam ficando devagar, até ele tirar de dentro de mim.

   Minha vagina pulsava por Namjoon, queria ele dentro de mim. Se deitou na cama, e me colocou por cima dele, minhas pernas já estavam bambas, mas eu queria mais.

   Estava rebolando em cima dele. Seus gemidos de satisfação começaram a ficar altos, me fazendo gemer mais com aquilo.

   Senti meu gozo escorrer em seu membro. Minha intimidade já estava encharcada com seu gozo.

   Me deitou na cama e logo foi ao banheiro. Ouvi o barulho do chuveiro ligar, vesti minhas roupas, peguei meu celular e saí do seu quarto.

   Fui ao meu quarto e me joguei na cama. As empregadas com certeza conseguiram ouvir o barulho dos nossos gemido. Só de lembrar Namjoon dentro de mim já conseguia ficar excitada de novo.

   Peguei minha toalha e entrei de baixo do chuveiro. Apertava meus ombros para saber onde estava dolorido, eu realmente precisava de uma massagem.

   Me sequei e me vesti um pijama confortável, peguei meu celular e vi que tinha uma mensagem do Jimin.

" Posso ir aí amanhã para fazer biscoitos? "

   Eu e o Jimin fazíamos os melhores biscoitos do mundo, eu falei que ele poderia vir, mas de uma coisa eu sabia, se Namjoon chegasse aqui e visse meu irmão aqui, ele iria me matar.

   Lembrei que ainda tinha que jantar, então desci as escadas e fui a mesa, onde tinha sopa, e eu como amo sopa, não deixei de comer.

   Me sentei na mesa e comecei a tomar a sopa.

   Alguns minutos depois o Namjoon desceu e me fez engasgar, ele desceu apenas com uma calça de moletom, mas o que era um abs, para quem tinha acabado de fazer sexo com ele?

– Você está bem? – Bateu de leve nas minhas costas.

– Eu estou. – Me levantei.

– Tem certeza? – Segurou nos meus pulsos. – Tudo isso por causa que eu não estou com a minha blusa?

   Como ele adivinhava as coisas tão rápido?

– Não. – Olhei para os lados. – Eu me assustei quando vi você. – Seu rosto ficou um pouco mais perto do meu. – Agora que fui perceber que estava sem blusa. – Mentira.

– Espero que seja só por isso. – Me soltou e se sentou.

– Posso voltar a comer? – Perguntei.

– Por mim... – Deu de ombros.

   Me sentei e voltei a comer.

– Amanhã iremos jantar na casa dos meus pais, por isso, saia de tarde e compre um vestido. – Colocou seus cotovelos na mesa.

– Não é elegante colocar cotovelos na mesa. – Resmuguei.

– O que disse? – Perguntou me encarando.

– Foi por impulso. Desculpa.

– Quando vezes vou ter que falar para você parar de pedir desculpas?

– Não faço por que eu quero, só sai por impulso.

– Não é impulso. – Se levantou e veio até a mim com sua cadeira. – Você tem medo de mim. – Se sentou ao meu lado.

– Eu sei o que você pode fazer, por isso, peço desculpas.

– Ah... não é isso! Você... - Fez uma pausa. – me ama!

– Não acha que é muito convencido? – Me levantei. – Te conheço não faz nem uma semana.

– Nem ciúmes? – Se levantou e ficou na minha frente, me dando uma bela visão do seu abs.

– Nem ciúmes.

– Então eu posso sair e ficar com quem eu quiser essa noite?

   Sair...?

– Se você quiser, não me importo. – Dei de ombros. – É um casamento falso!

– É bom saber que não se importa. – Passou a mão em meu rosto. – Vou pensar só em mim essa noite. – Deu meia volta e foi ao seu quarto.

   Como assim ele sairia essa noite? Amanhã ele não trabalha? Todo dia vou me lamentar de ter "casado" com ele.

   Voltei ao meu quarto, peguei meu livro, para ver se ficava com um pouco de sono, mas era impossivel.

   Me deitei e senti um pequeno incomodo nas minhas costas. Mas depois de um tempo, consegui dormir.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...