História Só eu que sou zoado nesse mundo?! - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtanboys, Bts, Jikook, Namjin, Suga, Vhope
Exibições 52
Palavras 2.962
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Aqui estou eu atualizando a fanfic novamente!
Espero que esteja legal.
Beijinhos de Luz! '3'

Capítulo 11 - Não posso perder de novo!


Fanfic / Fanfiction Só eu que sou zoado nesse mundo?! - Capítulo 11 - Não posso perder de novo!

 

Namjoon

Realmente... Ele... O Yoongi está me tirando do sério! Eu tenho a absoluta certeza de que ele está fazendo isso pra me irritar! E o pior é que parece que o Jin-hyung não percebe o que Yoongi está fazendo, ou está apenas se fingindo de bobo! Eu não sei o que é pior! Não. Eu não sei quem é pior!

Eu poderia falar para o Jin, mas... É certeza que ele vai me dar um pé na bunda. E eu nem estou certo se ele gosta ou não do Yoongi-hyung. Eu não sei o que fazer...

Eu não consigo nem dizer que am... Que eu o am... Que eu gosto dele! É um sacrifício. Se não consigo nem admitir pra mim mesmo, como que vou falar pra ele? Na cara dele? Estou perdido... Se eu pelo menos tivesse um terço da autoconfiança que o Yoongi tem eu conseguiria.

O mais importante é que o Jin não goste dele! Se isso acontecer eu tenho mais chances! Mas, se o Yoongi gostar dele eu também estou lascado. O Yoongi sempre consegue o que quer, não importa o que seja. E se ele gostar do Jin e o sentimento for recíproco, eu não vou ter o que fazer... Eu não quero perder de novo pro Yoongi. Não posso perder de novo! Apesar de que a ideia de jogar tudo para o ar me é bem atraente. Eu não vou precisar me sacrificar e desgastar. Ai! Eu não sei! Minha santa torta! Estou descobrindo uma bipolaridade oculta?

De qualquer forma, eu já perdi muito tempo permitindo essa proximidade deles. Eu tenho que manter os dois o mais afastados que conseguir, sem ser agressivo ou estranho. Se eu usar a violência, só vai ser mais um meio de afastar o Jin e aproximar o Yoongi dele.

- Eu me lembrei de algo! Eu e Jimin temos um compromisso! – Jungkook gritou do nada e olhamos para ele. – Precisamos arrumar a minha casa!

- Por quê? – Tae perguntou. – São casados agora e tem dia de arrumação?

- N-Não. É que... O Jimin ficou essa semana lá e nós meio que destruímos a casa. Precisamos arrumar antes que meus pais vejam quando voltarem.

- Que tipo de bagunça? Se for só no seu quarto, mais especificamente na sua cama não se preocupe. É só lavar Kookie. – Taehyung e suas malícias, ele ainda vai matar o Jungkook de vergonha. O moleque estava vermelho, só faltava explodir.

- H-Hyung!

- Relaxa Kookie, a gente arruma a casa antes dos seus pais aparecerem amanhã. – Jimin falou com as bochechas meio coradas, mas com um sorriso confiante. – Então nós vamos andando. Já arrumei a mochila, só falta o cobertor...

- Não! – Jin gritou se agarrando ao cobertor que estava nos colchões. – Ele fica!

- T-Tudo bem então. Você pode me devolver depois Namjoon?

- Não sei. Ele combina tanto com a minha cama... – falei negando levemente.

- Namjoon!

- Calma Jimin. Eu devolvo quando você vier aqui.

Eles se levantaram pegando as coisas se despedindo de nós com um abraço. Jin já estava enrolado no cobertor, então apenas recebeu o abraço e se manteve nos passinhos de pinguim quase caindo ao tropeçar nos colchões, até o... Yoongi... Salvar ele da queda. Eu abri a porta e me despedi uma última vez.

- Bom... Agora somos só nós cinco. – Yoongi falou se jogando nos colchões. Jin deitou ao seu lado com certa dificuldade, mas recebendo seu auxílio, Tae e Hoseok se deitaram no outro sentido e eu sentei ao lado de Jin com as costas no sofá.

- Namjoon...

- Sim Jin-hyung.

- Você pode tirar esse fio de cabelo do meu olho? Tá me incomodando.

- Claro. – eu coloquei sua franja para o lado e toquei sua testa. Ele riu e fechou os olhos. – Vai dormir de novo hyung?

- Não. Eu só vou... – bocejou. – Descansar os olhos.

- Você pode dormir se quiser hyung.

- Não. Eu não quero que vocês me assem em uma fogueira.

- Um porquinho tem que ser assado. Uma hora ou outra acontece hyung. – Taehyung falou e Jin arregalou os olhos.

- O que você disse Kim Taehyung? – falou se levantando com dificuldade. – Você quer morrer?

- Relaxa hyung. É brincadeira. – ele se virou e sussurrou um pouco alto demais. – Mas continua sendo um porquinho.

- Ah não! – Jin se arremessou em Taehyung que caiu feito um saco de batata com o peso do outro. Jin começou a morder as bochechas de Tae, que ria ao mesmo tempo em que reclamava de dor.

- H-Hyung. P-Para. Tá doendo! – seus olhos tinham lágrimas, não sei se de dor ou de tanto rir, estava uma mistura de emoções. Jin só parou quando as marcas passaram a ficar meio inchadas. – Ai! Para! Desculpa!

- Não me chame mais de porco.

- T-Tudo bem. Foi mal. Era só uma brincadeirinha.

- Você sabe que eu não gosto dela. Não faça de novo.

- Ok... – Tae levantou após Hoseok sugerir que lavasse o rosto. Eles foram até o banheiro para cuidar dos ferimentos de “batalha” de Taehyung.

- Acho que você exagerou hyung. – comentei me deitando de bruços ao seu lado após ter obrigado Yoongi a ir para o canto. – As bochechas dele estavam a ponto de sangrar.

- Eu acho que ele mereceu. Se ele sabe que você não gosta da brincadeira não devia ter feito. Depois ele que arque com as consequências. – Yoongi disse e eu o olhei repreendedor. – Tá olhando o que Namjoon? Você tem a sua opinião, eu tenho a minha.

- Eu tenho que concordar com o Yoongi, Nam. O Taehyung me conhece desde que somos pequenos. Ele sabe como eu odeio que me chamem de porquinho ou porco. Já avisei muitas vezes. Desde que nos conhecemos inclusive. Ele sempre apanha, mas continua porque é idiota. É aquele ditado “Não faça aos outros aquilo que não gostaria que fizessem com você”. Nós só temos interpretações diferentes.

- Mas ele não te agrediu.

- Não fisicamente. Mas não é como se eu o agredisse de graça.

- É Namjoon. Não são apenas as agressões físicas que contam. Palavras podem ser muito mais doloridas do que socos ou mordidas. – Yoongi falou e se virou de uma forma que apoiasse a cabeça nas pernas de Jin.

- Por que você é super gentil com a gente não é hyung? – falei irônico. Ele olhou pra mim com um sorriso debochado e voltou a deitar confortavelmente.

- Vocês já são outra história Namjoon.

***

- Então nós vamos. – Taehyung falou com a mochila nas costas esperando Hoseok. – Hobi-hyung! Vai logo! Eu tô congelando aqui fora!

- Já estou chegando. É que eu não achava a minha meia.

- E onde estava? – perguntou Jin abraçando Hoseok.

- Entre os colchões. Deve ter saído durante a noite, mas eu só senti falta agora.

- Ótimo. Então agora nós vamos! – Tae afirmou e nos abraçou. De costas para nós começou a falar novamente. – Não se matem.

- Por que nos mataríamos Tae? – Jin perguntou.

- Pergunte para o Namjoon-hyung e o Yoongi-hyung, talvez eles saibam.

Nós voltamos para dentro. Jin foi fazer mais chocolate quente enquanto eu e Yoongi arrumávamos a sala, que estava uma bagunça por sinal.

- Eu não entendi. – Jin disse trazendo a bandeja.

- O que hyung? – falei dobrando o último cobertor e colocando-o na pilha com os outros, me sentando logo depois ter pegado uma caneca.

- Porque o Tae disse para não nos matarmos.

- Ah. – engoli em seco. – Também não sei...

- Não faço a mínima ideia. Ele é meio doidinho... – Yoongi complementou.

- Isso é verdade. – ele afirmou rindo.

Nós pegamos um filme de ação para assistir. Yoongi dormiu na metade do filme usando o ombro de Jin como apoio, óbvio. Jin interagia com o filme gritando em momentos de tensão para o personagem não fazer besteira ou bufava quando as cenas de luta ficavam estupidamente falsas. Yoongi nem se mexeu. E eu apenas observava Jin pelo canto do olho e ria de suas reações.

Às oito horas eles foram embora. O tempo passa rápido depois que se assistem quatro filmes seguidos. Eu estava cansado, mas o dever chamava por mim. Literalmente. Eu tinha lição de casa por fazer. Era fácil? Sim. Mas cansativo por ser grande.

***

Despertador, despertador. Qual foi o mal tão grande que eu te fiz para você vir e me acordar todo dia de manhã.

Fui ao banheiro e ao me olhar no espelho quase tive um ataque cardíaco. Meu cabelo parecia uma vassoura cor de rosa e meus olhos se assemelhavam aos de um panda. Além do bafo. Ah, o bafo. Aquela mistura de hálito de cachorro com hálito de onça (não que eu já tenha sentido de uma, o que seria impossível já que provavelmente não estaria aqui).

Depois de me arrumar por completo passei a caminhar em direção à escola. Só me lembrei que deveria esperar os outros quando estava a uma quadra do colégio. Eu passei pelo portão e suspirei de cansaço seguindo para a minha sala. Avistei Jin, Tae e Hoseok e me sentei ao lado deles, apoiando a cabeça na mesa.

- Você... Está bem Namjoon? – Hoseok perguntou.

- Uhum.

- E o que “Uhum” significa?

- Sim. Eu só... – bocejei – Não dormi direito.

- Ficou pensando no Jin-hyung?

- O quê?! – levantei a cabeça tão rápido que até fiquei com dor.

- Não precisa negar Namjoon. Aposto que você pensa no Jin-hyung todas as noites. – ele disse rindo. Olhei para Jin que estava vermelho e depois para Taehyung que só faltava cair da cadeira.

- N-Não é verdade. Eu demorei a dormir por conta das lições que tinha pendentes e fui deitar com dor de cabeça, por isso que não consegui dormir bem.

- E por que não chamou o Jin? Vocês estavam dormindo tranquilamente ontem quando vi vocês. Se vocês dormissem juntos esse problema não existiria.

- Jung Hoseok se você não parar agora com essa bobagem eu juro que te mato. – Jin finalmente falou.

- Vai falar que não é verdade? Você me mandou mensagem na madrugada dizendo que não conseguia dormir. Que a noite anterior tinha sido a melhor do mundo e que nunca dormiria tão bem quanto. – Hoseok falou sorrindo de um jeito maléfico.

- O motivo é outro. Eu não conseguia dormir por conta do cobertor. Era a falta do cobertor que o Jimin levou que dificultou tudo.

- E que horas você quer que eu acredite nisso?

- Esquece. Não estou com paciência pra discutir essa bobagem com você.

- Não precisa continuar. Eu sei que estou certo...

***

No intervalo eu decidi ficar na biblioteca. Fazia tempo que eu não ficava lá e não lia alguma coisa. Só que dessa vez meu objetivo era outro. Dormir. Pra mim, dormir em lugares cheios de livros é uma das melhores coisas do mundo. O cheiro que eles têm e a calma que o ambiente emana me relaxa. Ou seja, é o lugar perfeito para um cochilo.

Eu estava sentado em uma das mesas mais afastadas de todos, para caso eu roncasse não atrapalhasse muito. Coloquei os braços em cima da mesa e usei-os como apoio para a cabeça. Já estava começando a pegar no sono quando percebi a presença de alguém se sentando ao meu lado. Não me mexi tentando mostrar para a pessoa que me mantinha adormecido. Senti uma cutucada no topo da cabeça, mas me mantive inerte.

- Você está bem? – a voz doce de Jin se instalou no lugar e eu me permiti virar o rosto em sua direção sem desapoiá-lo dos braços. Concordei levemente e fechei os olhos.

- Como me achou? – minha voz saiu abafada.

- Jimin me disse que sempre que você fica cansado demais vem para cá tirar um cochilo. Eu queria ver se você estava bem. Parece tão cansado. Nunca te vi assim.

- Passei a noite pensando.

- Sobre mim? – falou rindo. Eu abri os olhos e o encarei.

- É.

- Resolveu entrar na brincadeira do Hoseok? – perguntou voltando ao normal.

- Não. Não é brincadeira.

- Tudo bem... Então... O que você pensou?

- Que nunca conheci alguém tão bonito e gentil. – continuava encarando-o. Ele virou o rosto com as bochechas avermelhadas. – Acho que o Hoseok estava certo.

- S-Sobre o quê?

- Eu acho que não vou consegui mais dormir tão bem sem você ao meu lado. – falei rindo levemente para quebrar um pouco o clima que a frase poderia trazer. – Tenho que concordar com o Yoongi, seu ombro é confortável.

- Namjoon!

- Shh. – ouvimos umas pessoas na biblioteca. Jin se desculpou de prontidão e voltou sua atenção para mim.

- Pare de brincar.

- Mas é verdade. Eu fiquei pensando em você. E na sua torta. E o quão agressivo você pode ser se te irritarem. E na sua torta. – nesse momento eu já estava recostado na cadeira olhando o teto. Jin começou a rir.

- Ou seja, você pensou na minha torta mais que tudo?

- É por aí mesmo.

- Você não existe. – toquei sua bochecha e ele deu um pulo na cadeira por não estar prestando atenção. – O que foi isso?

- Você sentiu isso?

- Claro que senti.

- Então isso prova que eu existo.  – falei com um sorriso enquanto ele massageava as têmporas.

- Ai, ai. O que eu faço com você Kim Namjoon?

- Um abraço é uma boa ideia.

Jin passou as mãos pelo rosto puxando sua pele de forma engraçada, então se virou para mim sorrindo e me abraçou. Eu apertei mais o abraço sorrindo cada vez mais.

- N-Namjoon... Eu não consigo... Respirar...

- Foi mal hyung!

- Shh... – ouvimos novamente as pessoas. Alguns alunos até saíram da biblioteca.

- Não era a minha intenção te machucar.

- Tudo bem. Eu supero.

O sinal tocou e nós nos levantamos indo para o ateliê. Não sei por que, mas nós temos aulas de artes. Não são minhas preferidas, e adivinhem por que. Eu não sei desenhar, nem pintar, nem recortar e colar eu sei direito! De qualquer jeito, eu poderia expressar meu sentimento de sono nessa aula. Me dê um papel, tinta e pincel. Eu passo a tinta na cara e quando cair no sono com o rosto no papel, ta-dá! Uma pintura!

A atividade de hoje era simplesmente impossível. Formar duplas e desenhar um ao outro. Sabe aquele tipo de atividade que o professor passa quando não sabe o que fazer com os alunos? É exatamente essa. Aquele tipo de aula que a gente tem aos cinco anos. Eu fiz dupla com o Jin (e dessa vez o Yoongi não poderia me impedir).

Eu me esforcei para fazer o desenho o mais parecido com ele. Mas é difícil colocar tanta beleza no papel. Ela o rasgaria com todo esse peso. Aposto que crianças de nove anos fariam um desenho melhor que eu. Tentei fazer tudo igualzinho ao real, mas não ficou tão bom quanto eu esperava... Os olhos eram apenas riscos, os lábios pareciam um coração defeituoso, o nariz... Nem consigo descrever o que era. Mas o cabelo... Deus... O cabelo! Parecia um ninho! Eu sou uma vergonha para os artistas! Além disso, o corpo parecia uma minhoca.

- Acabou? – Jin perguntou tentando ver o desenho que eu escondia a todo custo. – Posso ver?

- Não! – gritei me agarrando mais ao desenho e assustando todos ao redor. – Não pode...

- Por quê? Não pode estar tão ruim. – ele tentou pegar o papel. – Namjoon...

- Você não pode ver hyung. Vai achar que eu estou zoando você de tão feio que o desenho está.

- Não vou. Juro.

- Então por que você não me mostra o seu?

- Bom... É que...

- Viu! Não é tão fácil quando é o seu desenho, não é mesmo?

- Aqui. Pode olhar. Eu queria ter feito melhor, mas o cabelo me atrapalhou um pouco. Sabe como é difícil fazer um topete igual ao seu?

- Está bonito hyung. – apesar de não ser um desenho profissional era bonito. Tinha até as covinhas.

- Obrigado... Agora que eu te mostrei o meu, me mostre o seu.

- Não! – Jin se levantou e chegou perto, me impedindo de me proteger e pegando o desenho de minhas mãos. A essa altura todos já nos achavam loucos.

- Para Namjoon, não pode estar tão ruim... – ele encarou o desenho sem expressar nenhuma reação.

 - Eu te disse que estava horrível...

- Eu gostei. Nunca fizeram um desenho tão bonito pra mim.

- Para! Você não precisa ter pena de mim. Tá horroroso. Admita.

- Não está não. Eu vou levar para casa e pendurar na parede. Você pode ir me visitar e conferir. Vai ficar lá.

- Jin-hyung!

- O que foi? Eu não posso gostar de um desenho? Só por que você não gostou eu também tenho que desgostar?

- Não...

- Exato!

- Mas então eu também vou querer o seu desenho!

- Claro. Se você vai aguentar ter um desenho feio como esses em casa, por mim tudo bem.

- Vou deixar na parede da escrivaninha.

- E eu vou deixar na parede oposta da cama para dormir vendo seu desenho.

- Compra um apanhador de sonhos e deixa junto senão você só vai ter pesadelos.

Não entendo porque ele quis tanto o desenho, mas discutir com o Jin é uma das últimas coisas que eu quero fazer. Vai que dá a louca nele e ele resolve me morder que nem fez com o Taehyung. Acho que o Jin irritado é a última coisa que eu quero ao meu lado. Eu posso destruir muitas coisas, mas não tenho coragem nem de matar uma mosca, quem dirá usar força para impedir ser agredido.


Notas Finais


Aqui finalizo mais um capítulo. Eu sinceramente gostei. E vocês? O que acharam?
Até o próximo!
Beijinhos de Luz! '3'
P.S.: Obrigada pelos 50 favoritos! '3'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...