História Só por uma noite - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Karin, Kiba Inuzuka, Kushina Uzumaki, Mebuki Haruno, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Orochimaru, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shizune, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Amizade, Comedia, Drama, Gaasaku, Narusaku, Naruto, Romance, Sasukarin, Shikaino
Exibições 366
Palavras 2.025
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Capítulo 8


~ Sakura ~
— Naruto... Não podemos fazer isso... Você sabe somos amigos. Isso vai acabar...
— Shii. Não fale nada Sakura. Eu estou cansado de esconder isso, eu quero você. — tarde demais, ele me prensou contra a parede do quarto e tomou meus lábios num beijo desesperado, eu sentia seu gosto, seu cheiro, seu toque, e como ele me tocava... Por toda parte enlouquecidamente e eu não estava nem ai, porque eu queria que ele fizesse isso. Ele me pegou no colo e me jogou na cama, depois subiu em cima do meu corpo e prendeu meus braços acima da cabeça.
— Vou te dar a melhor noite da sua vida, B-a-b-y.
— Aaah!
— Que foi Sakura? Pesadelos? — Ino perguntou me encarando de sua cama. Eu sentei esfregando os olhos e passando as mãos nos cabelos. Um sonho, tinha sido apenas um sonho.
— Sim Ino, dos piores. — respondi me jogando de costas na cama outra vez. Peguei meu celular e olhei o relógio: duas da manhã. Ino estava assistindo uma série, eu havia voltado do Bob's tomado um banho e simplesmente apaguei na cama. Quando fui colocar o celular na cômoda outra vez ele tocou. Franzi o cenho, mas atendi. — Alô?
— Sakura?
— Naruto? O que houve? Por que está com o celular do Sasuke? — perguntei preocupada, a voz dele parecia exausta.
— Preciso de você. — ele sussurrou.
— O quê? Que droga é essa Naruto, fale logo o que houve!
— É sério, preciso mesmo de você. Sasuke esqueceu o celular, ele e Karin não estão em casa. Preciso de ajuda. — agora ele havia conseguido me preocupar.
— Naruto, o que aconteceu?
— Você tem carteira de motorista?
— Sim, mas por...
— Vou precisar que dirija. Pode vir aqui agora? — a voz dele parecia cada vez mais fraca.
— Estou indo. Não durma ok? Destranque a porta, eu já chego.
— Ok, capitã. — ele disse e desligou o telefone. Mas que merda, levantei da cama tirei a calça do pijama e vesti uma jeans, calcei minhas botas e coloquei um casaco grosso, cachecol e sai, Ino havia dormido com a cara no teclado do computador.
— Naruto? — sussurrei abrindo a porta do quarto, nada. Entrei e fechei a porta. — Naruto?!
— No banheiro, já saio! — ele falou, parecia estar se esforçando pra falar alto. Mais uns cinco minutos e ele saiu, estava horrível. A cara pálida feito palmito, suando muito, mesmo estando um frio terrível e os cabelos bagunçados.
— O que houve? Como você está? — perguntei me aproximando, ele sentou na cama e esfregou as mãos no rosto.
— Sabe os quatro milkshakes de baunilha? Então... Eles não caíram bem. — eu coloquei a mão na boca pra não rir.
— Você está vomitando e com diarréia?
— Sim, e uma dor horrível, meu estômago está fazendo números de acrobatas de circo aqui dentro. — ele disse fazendo careta. — E eu não tenho remédio nenhum, não sei o que fazer.
— É só uma intoxicação, má digestão, essas coisas. Vou na farmácia 24 horas aqui perto e pego remédio e alguns Gatorades pra você. Tente dormir um pouco. — ele assentiu, peguei as chaves do carro e estava indo em direção a porta quando ele segurou minha mão.
— Você pode ficar aqui comigo essa noite? — eu fiquei olhando para ele sem saber o que responder. — Quero dizer, o casal não vêm e eu tenho medo de acabar morrendo você sabe.
— Claro, não tem problema. Agora deite um pouco, eu já volto. — Ele sabia que não ia morrer. Eu também sabia, mas mesmo assim concordei em ficar. Peguei o carro dele no estacionamento e fui rápido até a farmácia a temperatura estava caindo muito e eu já conseguia ver os primeiros flocos de neve. Uma nevasca hoje não seria nada boa.
— O farmacêutico receitou esse aqui pra dor, e esse para o enjôo e mal estar. Esse pozinho você dissolve em um copo com água, é pra reconstituir a flora intestinal. Passei no mercado também e comprei umas garrafas de Gatorade, ingredientes para sopa e umas coisas leves pra você comer. Pelo menos três dias nessa dieta. — Naruto revirou os olhos. — Foi o farmacêutico quem mandou, e se você não concordar e não tomar os remédios, vou te levar ao hospital.
— Ta bom, ta bom, sua chata. Me dá isso aqui. — eu sorri, e ele pegou a sacola de remédios. O alojamento de Naruto e Sasuke era maior, além do quarto e do banheiro havia uma pequena cozinha, fui para lá afim de cozinhar uma sopa. Naruto me seguiu pegou uma garrafa e um copo da água e tomou os remédios. — Obrigado Sakura, você não precisava fazer isso. São três da manhã, se quiser ir eu me viro.
— Você sabe fazer sopa?
— Não.
— Então pare de me atrapalhar e vá ver TV e descansar. — falei sorrindo, ele sorriu também, mas puxou uma banqueta e sentou próximo a mim. — O que foi Naruto? — perguntei sentindo seus olhos cravados em mim.
— Nada, eu só... Estava pensando qual o seu defeito. — ele respondeu. Eu coloquei os ingredientes na panela e depois liguei o fogão então virei para ele limpando as mãos num pano de prato.
— Como assim?
— Qual é Sakura, você é linda, inteligente, joga videogames, assiste animes e sabe tudo sobre as coisas mais legais do mundo. E ainda cozinha. Qual é o seu defeito garota? — abaixei os olhos fitando meus próprios pés, fiquei constrangida por um momento e até quis agradecer mas então lembrei.
— Eu sou um defeito, Naruto. — sorri ironicamente. — Vamos assistir algo até a sopa ficar pronta.
— Que história é essa? Como você pode falar assim de si mesma? — parei na entrada da cozinha e o encarei.
— Pergunta logo. — falei. Ele me olhou confuso.
— O quê?
— Pergunta o que eu escondo. Você não falou sobre isso desde que saímos da mina, mas você ganhou. Então pergunta logo.
— Não. Eu quero saber tudo sobre você, mas também quero que você queira falar. Não vou força-la a nada, é difícil de entender? — ele questionou se aproximando.
— Por que você me trata assim? Até onde eu sei você nunca saiu com uma garota sem leva-la para cama no dia seguinte, ou no mesmo dia até. Porque está ao meu lado todo esse tempo e não fez nada? — eu não sabia porque estava gritando aquelas coisas para ele, mas eu estava.
— Você quer que eu faça Sakura? — a voz dele se elevou. — Quer que eu transe com você agora? É o que quer? — ele praticamente gritou, senti meus olhos marejarem e abaixei a cabeça para esconder as lágrimas. Ele deu um soco no balcão. Então me abraçou protetoramente. — Desculpe, eu não queria falar isso. Perdi a cabeça.
— Tudo bem, eu provoquei. Sinto muito. Você tem sido tão bom pra mim e eu sempre ferro tudo. — falei retribuindo o abraço e segurando o choro.
— Não, você não ferra nada. — ele disse. Eu podia sentir sua respiração em meu pescoço e aquilo me arrpepiou. — Está com frio? — ele perguntou baixinho.
— Não. — sussurrei meio atordoada.
— Sakura... — seus lábios estavam próximos demais de minha pele, eu podia sentir e eu sabia que não estava mais controlando meu corpo. Cravei minhas unhas em suas costas, ele gemeu e retesou o corpo. — Sakura. Não faça isso. — ele falou pausadamente.
— Por que? — Sussurrei outra vez.
— Não quero ferrar tudo. — eu respirei fundo e me afastei dele.
— Vou dar uma olhada na sopa. — falei e fui para a cozinha sem olhar para ele.
~ Naruto ~
Que ideia estúpida a minha! Deveria ter me virado sozinho, traze-la aqui... Isso não vai dar certo. Lembrei do que Sasuke havia me falado, não ultrapassar os limites. Mas isso estava cada vez mais difícil, eu não quero machuca-la, Sakura é uma garota especial, eu a quero comigo mas tenho que me conter.
— Está pronto. — ela veio da cozinha com um prato fundo cheio de sopa e duas colheres.
— O cheiro está bom. — falei tentando descontrair.
— O gosto também está, idiota. — ela falou sentando na cama, colocou o travesseiro no colo e o prato em cima, eu fiquei olhando para ela feito um idiota. — Venha logo aqui, você tem que comer. — ela disse e eu obedeci. Sentei ao seu lado e comi feito uma criança. E a sopa estava mesmo muito boa. Meu mal estar já estava melhorando e eu comecei a me sentir sonolento.
— Estava muito bom garota, obrigado por cuidar de mim.
— Tudo bem, amigos são para essas coisas. — ela sorriu. Então tirou a jaqueta grossa e as botas. — Pode me emprestar uma calça de moletom pra dormir?
— Ah sim, claro. — falei, fui até o armário e peguei uma calça cinza que já estava ficando apertada e alcancei para ela. — Vou dormir na cama de Sasuke. — ela assentiu. Então começou a abrir a calça jeans mas parou de súbito olhando para mim. Suas bochechas ficaram vermelhas, eu sorri e fui para o banheiro escovar os dentes. Quando sai, Sakura já estava em baixo das cobertas, seus olhos estavam fechados e a respiração uniforme, ela estava dormindo. Eu caminhei até ela, passei a mão em seus cabelos de leve para não acorda-la e sussurrei: Boa noite. Tirei minha calça de agasalho e também a camiseta e deitei na cama de Sasuke me cobrindo pois o frio estava de congelar. Não demorou muito e eu peguei no sono ainda sentindo as unhas de Sakura nas minhas costas.
— Ei Naruto! Acorde. — abri os olhos devagar sentido Sakura me balançar.
— Não mãe! Mais cinco minutos! — resmunguei virando para o outro lado.
— Eu não sou sua mãe! — ela falou mais alto e então se jogou em cima de mim. Seu cotovelo acertou minha costela e isso doeu.
— Você é maluca! — esbravejei virando de barriga para cima, ela estava sentada em mim por cima das cobertas e eu agradeci aos céus pelos cobertores grossos de Sasuke, afinal eu havia sonhado coisas nada puras e acordado num estado constrangedor. Ela cruzou os braços e ficou me encarando.
— Nevou muito de madrugada. Temos um problema sério. — ela saiu da cama e puxou a cortina, eu levantei vestindo minhas calças, desejando que ela não olhasse para mim, mas eu não estava com muita sorte. — Seu pervertido. — ela disse segurando uma risada, eu mostrei o dedo do meio pra ela. Então olhei pela janela e quase gritei. Uma nevasca havia caído, as ruas estavam brancas e metros de neve trancavam as portas do alojamento.
— Estamos presos? — eu perguntei para ela. Ela fez uma carranca e assentiu. — Eu vou ter que te aturar vinte e quatro horas até resolverem isso?
— Não, eu vou te jogar no corredor e aí não precisamos conviver. — ela disse com um olhar assassino.
— Ei eu só estou brincando. — falei colocando as mãos na cabeça. Ela revirou os olhos. — Pense pelo lado positivo, podemos colocar algumas séries em dia, zerar uns jogos e você vai ter tempo pra fazer aquele trabalho de mitologia. — ela pareceu considerar a ideia e então respirou fundo.
— Ok chato, vamos tomar café. — ela disse e foi em direção a cozinha. Fiquei observando-a com uma calça e blusa de moletom meus e imaginei que o problema não seria suporta-la, seria conseguir suportar a vontade imensa que eu tinha de toca-la.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...