História So, punish me for loving you - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O, Kai, Lay, Sehun, Suho
Tags Algemas, Amor, Bdsm, Dor, Exo, Hunlay, Kai, Lemon, Prazer, Sehun, Sekai, Selay, Sulay, Yaoi
Exibições 362
Palavras 1.852
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Hentai, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Contract


Acabei adormecendo na cama e acordei. Estava sozinho e meus olhos ainda se acostumavam com a claridade do local, o despertador soava e tentei achar meu celular para desligar o barulho que tanto me assombrava. Me levantei vi o quarto e me lembrei de todos os detalhes da noite passada.

Jongin estava mexendo com a minha cabeça.

Fui ao banheiro e comecei a me arrumar para o trabalho, tomei banho fiz minhas higienes e quando saio com a toalha amarrada a minha cintura vejo um terno dobrado em cima da cama, que aliás estava arrumada. Logo eu todo bagunçado, com certeza não teria arrumado, e colocado o terno. Alguém tinha entrado no quarto.

Me arrumei e sai do quarto, e fui direto em direção ao cômodo que exalava um cheiro delicioso de comida. Quando entrei, vi a figura de Kai sentado à mesa comendo algo, sentei a sua diagonal, pois ele estava na ponta

— Bom dia — digo com um sorriso aberto, mas ele só toma uma xícara de café e resolvo comer.

Sua indiferença era estranha, mas resolvi ignorar e me alimentar, estava morto de fome. Assim que termino, percebo que ele estava com os cotovelos em cima da mesa e enlaçando suas mãos. Olhava para mim, e quando levanto o olhar ele diz rápido.

— Eu já estou indo — e suspira — Eu pedi para o motorista pegar seu carro, não seria bom sermos vistos chegando juntos no mesmo carro — paraliso com sua resposta — As chaves estão em cima da mesa de centro na sala, lá também está um documento, leia e me dê a resposta, de preferência o mais breve que conseguir. — Ele diz se levantando e abotoando o termo — se me der licença, estou indo, aguarde um pouco e pode sair, o porteiro já está avisado e abrirá o portão pra você.

E assim ele me deixa sozinho naquela mesa, me fazendo pensar em que merda eu posso ter feito de errado.

Fiquei mais um pouco olhando pro nada e repensando nessa atitude aleatória de Jongin, então olhei pro relógio e já deu tempo suficiente para não chegarmos juntos, fui até a sala e pego a chave e esse tal documento. Era um envelope branco grande, e a minha curiosidade mandava eu abrir, porém eu estava atrasado e precisava trabalhar.

Peguei as chaves e o envelope e fui em direção ao trabalho.

Cheguei na empresa e fui direto a minha sala. Tinha bastante trabalho hoje então tratei logo de começar.  A manhã passou cansativa e quando eu finalmente tinha um horário de descanso no almoço o novo executivo, acho que era  Junmyeon, algo assim, chegou na minha sala.

— Com licença Sehun — ele disse chamando minha atenção — o senhor Kim mandou te chamar, ele está aguardando na sua sala — E dito isso ele saiu, me deixando sozinho novamente  e me perguntando o motivo dele ter me chamado.

Segui para sala do meu chefe ansiando pela curiosidade. Logo que cheguei a sua sala, vi aquela porta enorme fechada na minha frente me pedindo para entrar, bati três vezes na porta e logo ouvi aquela voz dizendo.

— Entre — Pouco tempo depois estava parado em frente à sua mesa

—O que deseja, senhor Kim? —Digo profissionalmente.

— Olá Sehun, quero alguns documentos que lhe passaram essa manhã, você leu , e já resumiu ?

—Estou terminando, mas agora é meu horário de almoço e então pretendo terminar depois — digo falando sobre meu trabalho pela manhã.

— Ótimo, quando terminar pode me trazer. — ele diz cortando p assunto e olhando para o computador.

— Mais alguma coisa senhor ? — digo, mas ele apenas levanta o olhar até mim e arqueia a sobrancelha.

— O que disse ? — ele pergunta ainda com aquela expressão.

—Se deseja mais algo senhor Kim —Digo, mas tenho certeza que ele ouviu da primeira vez

Ele se levanta e vem até mim, parando a centímetros e aproxima cada vez mais seu rosto do meu, porém, antes disse, ele vai em direção ao meu ouvido.

— Você não sabe como me provoca me chamando de senhor — engulo seco.

— Senhor Kim, p-por favor, estamos na empresa — digo tentando não me render a esse homem.

Tentativa falha, ele se afasta do meu ouvido e vai para minha boca. Começamos um beijo aprofundado, selvagem, cheio de desejo, mas ele logo para e me encara e fala.

—Aquele contrato em cima da mesa que te deixei hoje de manhã, você leu ? — ele diz e me lembro do contrato que estava na minha mesa quando cheguei, sobre abrir uma filial em Londres.

—Sim, você tem minha aprovação, acho que vai dar certo, já até assinei — eu li algumas bolsas de valores e é uma ótima ideia.

—Você concordou com tudo ? —ele diz arqueando a sobrancelha.

— Claro, acho que vai ser uma grande oportunidade — digo e ao invés dele me responder ele me beija, mais ferozmente que antes.

Sua mão começa a ir pra minha nuca me causando arrepios, ele rapidamente usou a outra mão para me virar e me prendar na quina de sua mesa. Senti o beijo sendo cortado pelo mesmo e ir pro meu pescoço, chupando, beijando e mordendo, fazendo meu membro se acender por completo. Arfei com seus toques e ele me prensou mais, fazendo-me  sentir sua própria ereção roçar em mim. Senti ele me empurrando cada vez mais para cima da mesa, porém não tinha mais espaço, agora só conseguia sentir seu corpo grudado ao meu.

Seus beijos voltaram pra minha boca e sua mão foi pra mesa, espalhando tudo que estava em cima dela, desde notebook até quadros. Só o pensamento da  imagem do que viria a seguir fazia meu pau latejar em expectativa, porém elas logos foram quebradas, quando sou jogado pra cima da mesa. Jongin me olha com luxuria e diz:

— Tire sua roupa —eu sabia que uma hora ou outra eu me entregaria por completo a ele, e após a noite passada, não podia me segurar mais. Não hesitei em tirar, já sabia o que aconteceria se eu o desobedecesse, mesmo com vergonha e seus olhos em cima de mim. Tirei tudo, ficando totalmente exposto a ele — Delicioso — ele disse passando a língua pelos lábios.

Então ele vem ao meu encontro e puxa meu corpo até o seu, estremeço ao encostar em sua virilha e sentir seu volume, que era marcado pela roupa, mesmo que larga a qual ele usava.

— Implore por mim —ele diz.

- Senhor, me foda, por favor — digo-lhe, implorando por prazer. Meu senso de certo ou errado já não funcionava mais, tudo que eu sabia era que eu precisava dele.

—Ah meu sweetboy, você é tão inocente, e isso me excita tanto — dito isso ouço ele abrindo o zíper da calça e abaixando a mesma.

— Mestre... hmm — gemo em expectativa ao ver ele abaixar também a box que usava, liberando seu membro desperto. Aquilo era uma visão do paraíso, cometido por um homem que devia ser considerado um pecado.

— Calma meu anjo, prometo ir devagar.

Ele diz e me vira e puxa pra fora da mesa, fazendo com que eu ficasse de costas para ele, apoiando minhas mãos na estrutura de madeira. Roça levemente  em minha entrada, e sua mão não tardou a ir até meu pênis, massageando, fazendo um vai e vem leve.

Logo sinto ele pressionando e tentando me invadir. Pelo jeito ele estava com tanta pressa quanto eu, não se deu nem ao trabalho de lubrificar, simplesmente entrou, com cuidado, mas ainda assim me fazendo gemer de dor, arrancando também algumas lágrimas que escorreram silenciosamente por meu rosto.

Ele me de algum tempo para me acostumar, e aos poucos vou me acostumando com o membro intruso dentro do meu corpo. Lentamente, ele começa com movimentos calmos, e logo a dor vai virando uma sensação mínima de prazer.

— Mestre— Acabo gemendo em aprovação.

— Caralho, você é tão apertado, está difícil — ele empurrando mais um pouco para dentro de mim.

E de repente sinto uma estocada forte e ele entra completamente e acabo gritando . Grosso. Muito grosso e prazeroso. Ele beija meu ombro e ainda me estimulando pela frente começa a estocar calmamente em mim. Aquilo era doloroso, por conta da força empregada antes, mas me fazia sentir um deleite enorme. Porém eu queria mais, precisava de mais.

— Senhor.... m-mais rápido.

— Você é um menino safado, meu bebê. — e ele começa com estocadas rápidas me levando à loucura.

Começamos num ritmo frenético, ele investia rapidamente e com força e eu rebolava no seu pau, numa sincronia perfeita. Ele estava cada vez mais forte e gemia em aprovação, até que uma hora senti ele encostar num lugar novo.

— Jongin..Ah! — digo sentindo um prazer me invadir, e ele apenas dá um tapa forte na minha bunda e percebo o que fiz de errado —D-desculpa, mestre — digo concertando minha estupidez.

Sinto ele investindo mais naquele ponto e o orgasmo vindo

— Senhor,  eu vou gozar —Digo e ele investe mais forte ainda, me fazendo arquear sobre a mesa.

Sinto o prazer me invadir e logo o esperma sai de dentro de mim, em jatos rápidos e curtos, voando  em cima da sua mesa, com sua mão e sua ereção ainda em mim. Depois do meu orgasmo ele sai de mim e me vira, fazendo com que eu me ajoelhasse a sua frente, entendendo o recado rapidamente.

Começo a pagar um boquete pra ele, chupo com força e convicção, sinto ele arfar e começo a estimular com a minha mão também. Paro de chupar e passo minha língua por toda sua extensão, depositando um beijo na sua glande, e volto a lhe chupar. Jongin coloca a mão na minha cabeça e começa a empurrar para mim ir mais rápido e então começo um ritmo frenético, sentindo seu pau ir até minha garganta

— Porra, Sehun —  E ele goza em minha boca, e não deixo nenhum gota escapar, engolindo tudo. Kai tem um gosto meio amargo, mas é ótimo, nunca provei nada assim.

Como já estava de joelhos no chão, me permito relaxar e descansar um pouco. Mas Jongin levanta suas calças e começa a se arrumar e logo me ordena.

— Levante-se  e se arrume — eu não ouso discutir e rapidamente estou vestido apenas com uma cara de sexo, e com o cabelo todo bagunçado. — Pode voltar pra sua sala, se quiser tire uma pausa, depois nos falamos — ele me dá um beijo rápido, e eu saio da sala.

Conforme vou voltando me lembro dos meus gemidos e coro violentamente, pois alguém com certeza deve ter ouvido. Entro no elevador e desço até o andar da minha sala, onde me enfio e resolvo tirar aquela pausa.

Me sento na cadeira descansando e fecho os olhos.

Flashback do que aconteceu a poucos momentos atrás voltam a minha mente e meu corpo se anima novamente. Abro os meus olhos na tentativa de desviar esses pensamentos e a primeira coisa que vejo é o envelope que Jongin me deu de manhã. Aproveitando que estava com tempo livre vou ler o que estava escrito.

Abri e logo na primeira página tinha em letras grandes e em negrito.

 

 

 

       CONTRATO DE RELAÇÃO DOMINADOR SUBMISSO

 

 

KIM JONGIN DOMINADOR

 

OH SEHUN SUBMISSO


Notas Finais


Desculpa o atraso sério
Mas tá aí
Bastante palavras kkk
Cap dedicado a Day
Aquela linda ❤️
Finalmente teve lemon né minha gente
Obrigada por lerem
Até semana que vem
Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...