História Só um acordo - Capítulo 10


Escrita por: ~ e ~BellaNaty

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Tags 5 Seconds Of Summer, 5sos, Clifford, Michael, Romance, Só Um Acordo
Exibições 102
Palavras 2.487
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


VOLTEI GENTE!

Esse cap ta tão "OWNT 😍"

Enfim, vamos lá kkkkkk


Vejo vcs lá embaixo!

Capítulo 10 - Confissões


Fanfic / Fanfiction Só um acordo - Capítulo 10 - Confissões

Jen's POV.

- Me conta o porque da sua indiferença com sua mãe. - ele pediu. Repirei fundo e olhei de relance pra ele.

- Eu tinha por volta dos meus onze anos quando comecei a escrever, certo? - perguntei.

- Sim, você começou a escrever com essa idade. - ele confirmou.

- Comecei escrevendo o livro Our Secret aquela época, eu estava feliz de ter uma mente boa e aberta pra desse livro. - falei. - Porém, a minha mãe, ela me privava dessas coisas, sempre dizia que Eliza era melhor que eu em tudo e que escrever era o cúmulo do fracasso.

- Porque ela dizia isso?

- Porque ela sempre disse que eu deveria ser ambiciosa com a riqueza e não dividir com ninguém. - disse. - Comecei a ajudar pessoas com dezesseis anos, e ela sempre dizia que eu era uma idiota.

- É muito egoísta da parte dela.

- Sim, eu sei. - respondi. - E com dezoito anos, ela simplesmente me chutou de casa e disse que não queria uma perdedora. Eu dei sorte, já tinha uma renda da minha editora, então comprei aquele apartamento.

- Tem contato com ela? - perguntou.

- Apenas por mensagem, ela me pede pra voltar, mas foi ela que me chutou. - ele disse.

- E seu pai?

- Meu pais se separou da minha mãe há muito tempo, ele preferiu nos deixar. - disse. - Agora em vem atrás de mim porque eu to famosa. - falei rindo vitoriosa.

- Entendi. - ele sorriu. - Deveria reconsiderar ter contato com sua mãe.

- É, vou pensar bastante nisso. - falei sorrindo pra ele. Coloquei a mão no câmbio e ele segurou minha mão entrelaçando os dedos nos meus.

- Você gosta quando pego na sua mão? - perguntou.

- Gosto quando faço qualquer coisa comigo. - disse sorrindo e ele respondeu sorrindo também.

- Isso é bom. - ele disse. - Faz tempo que eu não fico calmo, sabia? Geralmente eu sou muito temperamental.

- Porque você é temperamental? - perguntei.

- É um monte de coisa que acontece diariamente. - ele falou.

- Que tipo de coisas? - perguntei.

- O colégio, detesto ele, lá só tem pessoa saque me julgam pelo o que eu escuto ou pela a cor do meu cabelo. - ele respondeu. - Ou é só a briga dos meus pais.

- Que? - perguntei tentando confirmar aquilo.

- Meus pais brigam constantemente, eu sempre detestei isso, foi por isso que comprei outro apartamento. - ele falou pensativo.

- Há quanto tempo seus pais são casados? - perguntei.

- Vinte anos. - Mike disse e eu senti o peso.

- Nossa, é muito tempo. - disse e ele assentiu. - E onde eles estão nesse momento?

- Estão viajando, eles querem ver se conseguem resolver isso, nem sei como eles vão ficar. - ele suspirou.

- Acho que eles vão ficar bem. - falei.

- Eu não sei, eles estão muito instáveis, meu pai quer mesmo assinar aqueles malditos papéis. - ele disse com fúria na voz.

- E sua mãe?

- Minha mãe, pra ela tanto faz. - ele disse.

- E o que eles falam em relação à você? - perguntei. Ele me olhou confuso.

- Em relação a mim? Eles não se importam comigo. - ele disse um pouco alto.

- Como assim?

- Jen, eles não me perguntam se isso me magoa, eles simplesmente fazem. Eu já sou maior de idade, eu não devo me interferir nisso. - ele disse. Apertei sua mão.

- Pelo contrário, se você é infeliz com eles nessa situação, você tem que dizer.

- Não acho que daria certo. - ele disse. - As vezes eu quero só perguntar " Ei mãe, ei pai quando foi que acabou? Quando vocês perderam sua felicidade?" Eu estou aqui sozinho dentro deste lar destruído. - ele disse e eu acabei pensando em uma coisa.

- Mike, isso dá uma música. - disse e ele sorriu.

- Dá mesmo. - ele falou.

- Vamos esquecer isso por enquanto. - falei e ele assentiu.

- Me conta o que vai acontecer no seu livro. - ele pediu.

- Eu sabia que você queria spoiler. - disse e ele riu. - O que você quer mesmo saber?

- O que vai acontecer quando Alex e Zack voltarem pra casa? - ele perguntou curioso.

- Alex se pergunta porque foi a Las Vegas e fez o que fez. - falei.

- Só? - perguntou.

- Não. - disse e ele se contorceu de curiosidade. - Zack vai atrás dela, e eles ficam nessas de se gostam ou não gostam.

- Você não ta me contando tudo. - ele reclamou.

- Claro que não, não vou te dar spoiler completo. - falei e ele fechou a cara pra mim.

- E porque não? - perguntou.

- Porque não, eu vou te dar spoiler em troca de alguma coisa. - disse e ele riu.

- Podemos trocar spoilers por beijos? - ele perguntou me deixando ruborizada.

- Talvez. - eu respondi mordendo o lábio.

- Então está em negociação? - perguntou.

- Não sei, diga-me suas propostas.

- Beijos por seu rosto, seu pescoço, são minha proposta inicial.

- Não sei se seria adequando, Sr.Clifford. - falei e ele sorriu. Essas negociação estava sendo uma diversão lega.

- Podemos falar das restrições.

- Restrições? - perguntei em dúvida.

- Sim, por exemplo os lugares que iremos fazer as trocas. - ele estava me convencendo.

- Sou toda ouvidos. - disse.

- Seu quarto, por exemplo, e em todo o seu apartamento. Longe de câmeras e da Eliza. - ele sorriu.

- Aceito. - disse e ele riu.

- Ok, agora a gente pode parar de falar como Christian Grey e falar sobre outra coisa? - perguntou. Como ele sabe que Grey fala assim?

- Como você sabe o nome de Christian Grey? - perguntei e ele me olhou assustado.

- Opa. - ele disse.

- Leu Cinquenta Tons de Cinza? - perguntei baixo.

- Quando a professora pede um trabalho a gente é obrigado a ler, né? - ele disse.

- Sim, é. - disse rindo. - É um livro num tanto alarmante.

- E eu não sei. - ele disse rindo.

- Eu sei que não é da minha conta, mas... - parei mordendo os lábios. Isso é pergunta que se faça?

- Mas o que? - perguntou curioso e com um toque de segunda intenção.

- C-como você ficou? - perguntei tímida.

- Eu fiquei como se tivesse lido um livro. - ele disse rindo.

- Não se faça de trouxa, você sabe o que estou falando. - disse e ele sorriu apertando minha mão.

- Ta me perguntando se deu vontade de...? - ele gesticulou com a mão. A gente ta mesmo falando disso?

- Sim. - disse e ele sorriu.

- Eu sou feito de músculos, ossos e órgãos como qualquer outra pessoa, eu me animei sim. - disse ele e eu mordi os lábios outra vez. - Agora estou curioso, e você?

- Próxima pergunta. - falei.

- Diga! - Mike disse autoritário no carro.

- Sim, eu fiquei num tanto "vulnerável", digamos assim. - disse e ele apertou minha mão. Senti a pulsação dele aumentar. Nem quero saber dos pensamentos dele.

- Fico imaginando seu rosto. - ele começou. Oh não. - Os lábios entreabertos, seus olhos mergulhando num profundo sentimento...

- Calado. - disse e ele se calou sorrindo.

- Mexo com você, né? - perguntou.

- Muito.- respondi o olhando por alguns segundos.

- Me conta qual os seus livros preferidos. - pediu.

- Eu não sei, li muitos livros por esses vinte e um anos. - falei sorrindo.

- As vezes esqueço que é mais velha que eu. - ele confessou. - Você parece tão adolescente.

- Talvez ainda tenha uma parte dela lá no fundo, e ela gosta de me dominar quando está perto de você. - confessei. Ele tinha que saber disso, ele me deixava mais viva e menos preocupada com meu trabalho.

- Não sei o que faz comigo, sério. - ele disse também. - Costumava ser mais agressivo, e um tanto sarcástico, mas perto de você eu parei.

- A gente tem uma interação boa. - disse.

- Concordo. - respondeu. - Me conta mais das suas leituras.

- Eu gosto muito de livros famosos, Crepúsculo foi uma saga que eu gostei. - ele sorriu.

- Não li ainda, mas quem sabe é melhor que o filme. - ele falou. - Você escreve melhor do que a autora desse livro.

- Obrigada. - agradeci virando a esquina de casa e entrando no estacionamento do prédio. Ouvi um trovão. - Hoje vai chover. - comentei.

- Gosto de chuva. - ele disse. Desci do carro e ele saiu junto à mim.

- Eu também, amo chuva. - comentei. Eu andava ao lado dele, mas ele estava meio inquieto.

- Jen.

- Diz. - pedi.

- Posso segurar sua mão ou passar o braço por seu ombro? - perguntou. Me aproximei dele e deixei que passasse o braço por meu ombro, me aconcheguei naquele peito quente que ele tinha enandei ao lado dele.

Mike me detona as vezes.

Subimos direto para meu apartamento e quando chegamos, Mike disse que iria dormir, afinal estava um pouco tarde. Eu resolvi não trabalhar essa noite, fui direto pra cama me deitar, eu estava com bastante sono, então caí de sono na mesma hora no som da chuva.

...

Acordei com o barulho de um trovão e acabei gritando, eu amava chuva, mas odiava trovão. Eu me levantei meio assustada e corri para as minhas cortinas da janela. Eu as fechei sem olhar pelo lado de fora.

Olhei para a minha grande estante de livros e resolvi ir até ela afim de pegar um livro pra eu ler. Peguei o clássico dos livros, pelo menos pra mim, Crepúsculo e voltei para minha cama. Ler me acalmava. Peguei uma luminária que tinha a vela azul, e risquei um fósforo e liguei a vela, venceu a portinha da luminária. Aproximei do livro e passei a ler.

Escutei a porta se abrindo e Mike estava ali coçando os olhos.

- Mike?

- Tudo bem, Jen? - perguntou.

- Sim, porque não estaria? - me fingi de corajosa.

- Ouvi você gritar. - ele fechou a porta atrás dele.

- Não gosto de trovão. - confessei.

- Também não sou muito fã. - respondeu se sentando em minha cama. - O que está lendo?

- Não ria. - avisei. - Crepúsculo.

- Posso ler com você? - ele perguntou. Bati com a mão no lugar vago ao meu lado, e ele tratou logo de se sentar ao meu lado e se cobrir com as cobertas.

Ele movimentou um pouco a página do meu livro observando o meu acidente com parafina em cima dele.

- O que é isso? - perguntou passando a mãos pela gota derretida de parafina que tinha na página do meu livro.

- Meu acidente com velas. - disse e ele riu.

- Derrubou parafina quente no livro? - perguntou num tom brincalhão.

- Sim. - falei sorrindo.

- Sempre lê com velas? - perguntou curioso.

- É um hábito de sempre. - falei sorrindo.

- Entendo. - ele voltou a atenção para o livro na fala de Bella.

" - Ao que parece, eu pareço meio animada demais.

Ele ergueu meu queixo, examinando meu rosto.

- Na verdade, você parece quente.

Ele aproximou o rosto lemlntamente pra mim, pousando a bochecha fria em minha pele. Fiquei completamente imóvel.

- Hmmm - murmurou ele.

Era muito difícil, enquanto ele me tocava, elaborar uma pergunta coerente. Precisei de um minuto de concentração para começar.

- Parece ser... muito mais fácil para você, agora, ficar perto de mim.

- É assim que parece para você? - murmurou ele, o nariz deslizando pelo canto do meu queixo. Senti sua mão mais leve do que uma asa de mariposa, afastando meu cabelo molhado da nuca, de modo que seus lábios pudessem tocar o espaço abaixo de minha orelha.
- Muito, muito mais fácil - eu disse, tentando respirar.

- Hmmm.

- Então eu estava me perguntando... - comecei de novo, mas seus dedos delineavam lentamente minha clavícula e eu perdi o fio da meada.

- Sim? - sussurrou ele.

- Porque - minha voz tremeu, constrangendo-me - você pensa assim?

Senti o tremor de sua respiração em meu pescoço enquanto ele ria.

- A mente domina a matéria.

Eu recuei; enquanto me mexia, ele congelou. E não pude mais ouvir o som de sua respiração.

Nós nos olhamos cuidadosamente por um minuto e depois, enquanto seu queixo trincado aos poucos relaxava, sua expressão tornou-se confusa.

- Fi alguma coisa errada?

- Não... Ao contrário. Está me deixando louca - expliquei.

Ele pensou no assunto por um tempo e, quando falou, parecia satisfeito.

- É mesmo? - Um sorriso de triunfo iluminou lentamente seu rosto. [...]"

Mike riu da cena e me olhou bem nos olhos.

- Que foi? - perguntei.

- Eu poderia fazer o mesmo com você. - ele jogou direto na minha cara.

- Que? - perguntei. Ele pegou o livro de minha mão, a luminária e afastou colocando em cima de meu criado mudo. Ele se deitou em cima de mim se apoiando nos cotovelos e encostou nossas testas.

- Prefere um Edward carinhosos ou um Christian Grey sádico e frio? - perguntou e eu ri da brincadeira dele.

- Não sei, me mostre qual você seria. - respondi fazendo ele rir pra mim.

- Ok. - ele me beijou lento e carinhoso, Mike era sempre tão diferente e ele mexia tanto com o meu coração.

Eu tenho medo do que isso possa ser, porque eu sei que ele não sente o mesmo por mim. Eu nunca amei, nem namorei de verdade, não posso ainda ter um sentimento definido por esse garoto de cabelo colorido, olhos verdes e lábios macios. Ele era perfeito comparado a mim, eu era simples, tinha os olhos e os cabelos escuros, nada que chame atenção assim.

- Para de me hipnotizar com esses olhos. - disse sorrindo a passando os braços pelo pescoço dele. Ele sorriu acariciando meu rosto com as costas da mão.

- Chega de ler por hoje. - ele disse me beijando no rosto.

- Ta bem. - ele se tirou de cima de mim e se deitou do meu lado. Eu fiquei parada.

- Que foi?

- Vai dormir aqui? - perguntei.

- Vou. - falou ele me puxando pra abraçar ele. Eu nunca dormi com ninguém. - Dorme comigo?

- Ta. - concordei deslizando por baixo das cobertas. Ele me abraçou e me beijou na testa. Fechei os olhos e respirei o perfume do pescoço dele e me embreaguei enquanto caía no sono.














Continua...


Notas Finais


Mike seu... ❤

Eu demorei um pouco pq eu tava pensando em algumas coisas pra fic

Pra quem não entendeu, em negrito é um pedaço do livro que eles estavam lendo.

Comentem sobre o capítulo, ele foi feito com carinho e Nutella kkkkk ❤


Bye bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...