História Sob As Asas de um Falcão - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Capitão América, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, James Buchanan "Bucky" Barnes, Sam Wilson (Falcão), Steve Rogers
Tags Sam É Um Ótimo Amigo, Transtorno Pós Traumático, Winterfalcon
Exibições 67
Palavras 1.598
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Super Power, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ei pessoas lindas eu só vou pedir para ninguém ficar com raiva do Tony, tentem entender o lado dele Ok?

Espero que gostem!

Capítulo 2 - Naquela Noite Em Que a Coragem Prevaleceu


 

Naquela manhã quando Sam chegou a Torre, logo foi falar com Steve e contar o que estava acontecendo e que Bucky estava bem na medida do possível, claro que Steve queria muito ir ver o amigo, mas entendeu o pedido de Sam e o apelo de Bucky, ele não iria atropelar as barreiras impostas por Bucky, por que o grande Capitão América, sabia muito bem o quão difícil era... tudo.

- Obrigado Steve, obrigado mesmo! - Disse o Falcão. 

- Só me mantenha informado Sam. –  Pediu. 

- Eu não faria de outra forma Steve, somos todos amigos e sei  o quanto isso é difícil para você!  -  Diz.

- Olha se eu posso dar minha opinião, acho que isso é palhaçada, o cara...

- Anthony, já chega, acho que todos entendemos sua posição sobre o Bucky, mas acho que já tínhamos conversado sobre isso certo? -  Perguntou Steve.

- Claro eu esqueci que não podia falar do seu querido Barnes, mas você tem razão o passado deve ficar no passado, mas será que agora podemos ir? -  Perguntou irritado.

- Podemos claro! - Steve disse. 

- Ótimo! As reservas não vão durar para sempre! -  Disse Tony.

- Reservas? -  Ele já tinha ouvido falar de reserva para jantar, mas ainda faltavam umas duas horas para o almoço.

- Tony vai fazer uma viajem a negócios, aí ele me chamou para um almoço! -  Steve sorriu.

- É e se não formos agora vamos nos atrasar! -  Disse o Stark.

- Vai se arrumar querido, eu já estou indo. -  Steve disse e Tony foi.

- Nossa cara vocês estão muito melosos! -  Disse Falcão, fazendo uma careta engraçada.

- Sam se o Bucky precisar de alguma coisa, me liga a qualquer hora. -  Steve disse ignorando a implicância do amigo, mas não deixando rir.

Sam antes de ir para casa passou na casa de Bucky, não foi difícil entrar no apartamento, que a propósito é impecável e pegou algumas roupas para o soldado, também passou no mercado para comprar alguma comida e voltou para cada, Barnes já estava acordado.

- Acordou a muito tempo? -  Perguntou Sam.

– São dez da manhã, eu devia te acordado a muito tempo, não sei o que aconteceu hoje. -  Falou o soldado. 

- Cara até super soldados cansam e você nem dormiu tanto assim. -  Falou e foi para a cozinha.

Depois de Bucky tomar um bom banho, ele voltou para sala, mas Sam estava na cozinha e logo o chamou para fazer companhia, eles falaram sobre muitas coisas, mas não falaram sobre o ocorrido na noite passada, mas falaram sobre a parte boa do passado, ou a parte que Bucky se lembrava do seu passado, e quando o Soldado Invernal percebeu que estava ficando difícil falar do passado, seja a parte boa ou ruim ele mudou de assunto.

- Como entrou na minha casa? -  Perguntou tentando soar divertido, mas sua voz estava embargada.

- Pela porta. -  Falou com um ar misterioso.
-

Pensei que o birdman entrasse nos lugares voando! -  Disse para implicar com o outro.

- Olha só múmia, toma isso aqui e enche a boca de comida. -  Bucky estendeu a mão de carne e osso para pegar o prato e Sam não pode deixar de perceber o leve tremor.

- Então isso tá acontecendo desde quando? -  Perguntou e Bucky não respondeu, por um momento Sam achou que tinha ido longe demais, mas depois de alguns minutos Bucky resolveu responder.

- Vem acontecendo a algum tempo e o especialista da S.H.I.E.L.D., não estava ajudando em porra nenhuma. - Falou, ele não olhava para Sam.

– O que esses especialistas sabem? -  Sam disse fazendo Bucky sorrir.

Naquela noite Bucky teve dois pesadelos e um deles foi com Sam, ele sonhou com tudo que ele havia feito para o aviador, dava um nó na garganta só de lembrar, Bucky não merece o carinho que estava recebendo, ele merecia ser morto, ou coisa pior.

- Tudo bem aí em baixo? -  Perguntou Sam, eram três da manhã e mais uma vez Bucky estava incomodando.

- Sim. Eu estava vendo televisão... -  Ele tentou mentir, mas foi impossível segurar o choro e os sucessivos pedidos de desculpas, enquanto Sam o tentava acalmar, era tão bom estar ali nos braços de Samuel, mas ele se sentia muito culpado, por estar ferrando com a rotina de Sam e por estar dessa maneira, ele sentia que havia algo muito errado com ele.

O Aviador esperou todo o tempo necessário para que Bucky parasse de chorar, ele sabia que o que Bucky guardava consigo pouquíssimas pessoas suportariam e ele admirava Bucky por ser tão forte, por ele podia simplesmente desistir, mas ele ainda estava lutando e enquanto Bucky lutasse, Sam e Steve estariam ao lado dele, por que eles eram amigos e quando o Soldado parou de chorar eles se afastaram, mesmo que Bucky não queria sair daquele calor.

- Quando invadiu meu apartamento, achou uma mochila? -  Perguntou seus olhos azuis estavam ainda mais azuis pelas lágrimas, também estavam inchados e tristes.

- Sim.

- Trouxe? -  Perguntou deixando transparecer a esperança, pois o conteúdo da mochila era muito importante, seus cadernos, onde ele escrevia as coisas importantes, para que jamais esquecesse de momentos especiais, para ter a certeza de que os pequenos bons momentos foram reis.

- Eu não deveria te dar, por você acabou de me chamar de invasor, mas eu trouxe, estava esperando você pedir. -  Disse Sam tentando levantar o astral do ex agente da HYDRA.

Não demorou para Sam ir pegar a mochila e Bucky parecia bem mais feliz com aqueles seus bens preciosos. 

Em uma semana as crises de Barnes já estavam bem melhores, mas ainda eram frequentes e é claro que o Soldado Invernal teimava em não ir para o especialista, mas Sam sempre ia ao seu próprio grupo de apoio, Sam também tinha lembranças ruins da guerra, também tinha seus pesadelos e ele sabia o quão difícil era falar para outra pessoa sobre as coisas que aconteceram em campo de batalha e ainda mais para alguém que não era de inteira confiança, então ele resolveu parar de insistir com Bucky, ele sabia que quando Bucky estivesse pronto, falaria se não com ele, com Steve ou até mesmo com o "maldito especilista" como Bucky dizia.

Quando Bucky resolveu compartilhar com Sam suas dores, o que o afligia já havia passado três semanas que o Soldado estava lá,  foi tão difícil é ao mesmo tempo libertador, falar, compartilhar, fez Bucky entender que o problema era sim dele, mas que nem sempre ele precisava carregar sozinho, as noites ainda eram ruins e os flash backs  ainda aconteciam, mas Barnes sabia que tinha o birdman.

- Será que eu posso ver o Steve talvez amanhã?  -  Perguntou um dia depois da conversa que teve com Samuel. 

- Olha só,  eu corro com ele todo dia e acho que seria bom para você correr, se não quer se tornar o primeiro super soldado sedentário do planeta! -  Sam disse brincando e ele queria que Bucky saísse um pouco de casa.

Bucky riu, era isso que fazia ele se sentir tão bem com Sam, o aviador não o vê como um pobre coitado e o trata como sempre, e por isso mesmo ele não podia deixar barato e respondeu Sam a altura.

- Claro amigo eu vou correr com vocês, mas você tá preparado para ficar para trás né birdman? -  Perguntou dando aquele sorriso de garoto levado que só Bucky tem.

- Só por que você quer não é? 

A corrida com Steve foi tranquila e ótima para ambos, já que o Capitão estava extremamente preocupado com o melhor amigo e Bucky queria muito ver Steve e agora que ele estava um pouco melhor era o melhor momento, até por que Bucky não sabia quando aconteceria alguma coisa e colocaria ele para baixo novamente, se despedir só amigo/irmão foi difícil, mas Steve com toda certeza o visitaria em breve.

Antes de irem para casa, eles passaram em uma feira de produtos orgânicos, o que fez Sam revirar os olhos, por que ao invés de ficar no sol e comprar de uma barraquinha de um desconhecido, eles poderiam, muito bem comprar ameixas no mercado, onde tem ar condicionado e não tem sol tão quente assim.

- Feliz? -  Perguntou o Wilson se referindo as ameixas.

- Sim. -  Respondeu o mais velho. -  Eu estou feliz por ter batido na sua porta aquela noite e também estou feliz por você ter atendido.

Sam sentiu um nó na garganta. -  Também estou feliz por ter aberto a porta.

Bucky sorriu para ele, o soldado sabia que dentro dele havia um sentimento crescendo, sentimento que ele não podia ignorar, ele não sabia o que Sam sentia ou pensava sobre ele, mas Bucky Barnes nunca teve medo de arriscar e apostar todas as fichas. Não demoraram para chegar em casa.

- Sabe eu estava pensando, poderíamos ir ao seu apartamento pegar o resto das suas coisas, aí você sai da sala e finalmente aceita o quarto de hóspedes.... -  Sam não termina sua frase por que o soldado colou seus lábios, evidentemente que pelo susto Falcão não correspondeu, na verdade ele estava muito confuso.

- Eu... me desculpa cara... Olha...

- A gente pode conversar sobre isso outra hora? -  Perguntou o aviador extremamente sério. 

- Claro! -  Bucky abaixou a cabeça, enquanto se xingava internamente, ele foi um estúpido, Sam tinha sido tão bom com ele e agora ele estragou tudo. 
 


Notas Finais


E então o que acharam?
Cometem por favor!
Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...