História Sob Indecisões - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Originais
Exibições 9
Palavras 853
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - On My Own


03/12 [7:00]

Pov.João Vinicius

O Despertador Toca.

Acordo meio sonolento, com a luz do sol atrapalhando minha visão , me levanto da cama todo atrapalhado, estava muito atrazado, corro para o banheiro tomo um banho correndo, troco de roupa pego a mochila da escola, desso as escadas,passo pela sala chegando a cozinha.

- Bom Dia Meu Filho!! - disse minha mãe limpando a cozinha.

- Bom dia mãe...ah...tem algo pra comer? - perguntei antes de chegar a porta.

- Tem Bolacha! - disse ela pensando um pouco - Espera Aonde você pensa que esta indo?

- Para escola mãe! !

- Mas você estuda?

- Claro mãe, você não lembra?

- Não menino, você que não ta lembrando, vc ainda tá no primário não é?

- Não mãe, to no segundo ano do ensino médio mãe!

- GAROTO CLARO QUE NÃO, você tem oito anos seu maluco - Pego na mão dela.

- Mãe, eu tenho dezessete anos mãe, a senhora tomou seu remédio hoje?

- Acho que não, mas se você diz, então vá pois já está atrasado.

- Obrigado Mãe!! - sai de casa e andei alguns quarteirões ate chegar na escola, estava tão apressado que mal olhei para frente e acabei esbarrando em alguém que eu realmente não queria.

- Olha Pra Frente Pivete - disse um garoto de cabelos pretos e olhos vibrantes - Que foi? Ta com medinho menininha? - seus capangas começaram a rir de mim, como se fosse super engraçado, passo por ele e entro na minha sala ignorando, mas nunca adianta, estudamos na mesma sala então ele sempre continua me atormentando, nunca imaginei que duas horas de tormenta, com indireras, bolinhas de papel, empurrões, tapas, fossem demorar tanto, finalmente quando o recreio comessou pude me libertar, fugi sem que nenhum dos amigos dele me visse, e fui para um lugar atrás da biblioteca escondido por causa das plantas meio caminho, só que nesse dia eu estava com o demônio nas minha costas, o garoto e seus amigos estavam próximos dali o que provavelmente eu não poderia sair, me abaixei e fiquei ouvindo eles conversarem.

" no que está pensando cara?" Perguntou um dos amigos

" Naquele garoto idiota de hoje, aquele que esbarrou em mim"

" Ah para de chilique, é assim todos os dias, não me diga que você esta pensando em fazer "coisas" com o garoto"

"Tipo oquê? Se estiver falando em acabar com a vida dele sim, mas chega de falar daquela garotinha, eu tenho outras coisas pra fazer"

Esperei um tempo até que eles saíssem realmente dali, o que me deixou nervoso, o que ele quis dizer com "acabar com a minha vida" sai dali e fui a diretoria, comecei a ter alucinações depois de ter ouvido aquilo, falei que estava passando mal e que precisava ir embora, bom quem não estaria depois se ser ameaçado, com a autorização dela, saí da escola e fui andando lentamente para dar tempo de o sino bater e eu chegar em casa na hora certa, mas algo me fez achar estranho, tinha uma pessoa a minha frente, que se parecia muito com emanuel, o que me fez suar frio, passei por ele sem que ele percebesse, pela glória de Deus, ele estava sozinho, mas conseguiu me ver.

- Ora,Ora quem temos aqui - continuei andando sem prestar atenção nele - Ei Garoto - paro - Quero dizer - ele chega mais perto - Garota...

Eu o empurro e ele cai, corro o mais rá pido que posso para chegar mais rápido, podia ouvir os gritos e xingamentos que ele dava atrás de mim, cheguei em casa e fechei a porta da frente tropeçando e caindo no sofá fadigado.

- MEU FILHO? CHEGOU? BOM SE FOR VOCÊ SE TROQUE LOGO POIS VAMOS ALMOÇAR NA CASA DE UMA AMIGA MINHA - dizia ela, não, gritava ela do seu quarto.

Fui ate meu quarto e me troquei ainda estava tremendo pois tinha acabado de comprar briga com um garoto da minha sala, que por sinal, me odiava ,agora,me amaldiçoa.

Entro no carro com minha mãe e fomos até a casa de sua amiga.

Tocamos a campainha e logo recebemos um "Ja Vai"

- OLÁ, eu achei que você não ia vir - Disse a mulher de cabelos cacheados - vamos entrem, imagino que demorou pois estava esperando teu filho certo?

- Sim, como sabe? - perguntou minha mãe.

- Porque também estava esperando o meu, ele chegou a pouco tempo, vamos entre - disse a mulher adentrando a casa com eu minha mãe logo após a mulher - Vamos senten - se, mas que garoto bonito você tem? - disse ela passando a mão em meus cabelos logo gritando - EMANUEL ANDE LOGO, O ALMOÇO ESTÁ ESFRIANDO!!

Calafrio, era o que senti, o suor gelado, será que era o mesmo emanuel que eu estava pensando, não, deve ser outro só pode, me sento na mesa e espero as duas trazerem as coisas para mesa, e se sentam também.

Choque, foi o que senti, ao ver que era o emanuel de quem pensava, meu rosto formigava, minhas pernas ficavam inquietas, ele me olhou e sorriu sarcasticamente dizendo a sua mãe:

- Mãe eu juro, estou com uma fome extrema!

- O que quer comer meu filho?

- Carne Humana!

- Você o que?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...