História Sob lençóis » Imagine Park Jimin{incesto}—Shortfic - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Amor, Bts, Família, Filha, Hot, Imagine, Imagine Curto, Incesto, Jimin, Jungkook, Pai, Sexo, Shortfic, Você
Visualizações 1.496
Palavras 870
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Hentai, Josei, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sugestão de Música para o capítulo : Walk on memories_EXO.
Espero que gostem do primeiro, não vai ser uma imagine longa.
Obrigada pela atenção agora aproveitem o capítulo.

Capítulo 1 - Appa, por quê me odeia?


Fanfic / Fanfiction Sob lençóis » Imagine Park Jimin{incesto}—Shortfic - Capítulo 1 - Appa, por quê me odeia?

Jimin estava outra vez naquela sala, observava alguma foto em sua carteira, naquele sofá onde estático pensava.

Aquela velha foto da mamãe!

Me aproximo sem fazer algum barulho para perto de Jimin, ele me fita de cima a baixo com desprezo se levanta sem me dar um único bom dia.

Como ele poderia tratar sua filha, como uma desconhecida?

Me pondo em sua frente ele é obrigado a dar-me atenção pela primeira vez na vida.

— Eu preciso sair... — diz papai observando meus olhos mirando seu semblante triste.

— Posso ir com você ?

— Eu quero ir sozinho.

— Por que sempre quer fazer tudo sem mim ?

— Porque desde que sua mãe se foi, eu sempre fiz tudo sozinho.

— Me trata como se eu tivesse morrido, não ela !

— Eu vou subir...

— Mas Appa! Eu preciso falar com você.

Ele se vira indo à parte superior da casa, outra vez me retiro em estado lamentável, eu apenas queria conversar, mas como sempre o mesmo fingia ser surdo para não me ouvir.

Já fazem seis meses que Jimin sempre me ignora, não sabia o porquê destes maltratos tão repentinamente, ele queria-me longe à qualquer custo desde que completei a maior idade.


[...]


Vou até o quarto de meu pai, paro em frente sua porta apenas colo meu rosto na superfície de madeira, eu estava com receio de falar com ele por esta vez.

Eu não podia ocultar o que sentia pelo mesmo, em minha festa de meus dezoito anos, eu havia bebido demais e insanamente o beijado, desde que nossos lábios se encontraram nunca mais fomos os mesmo.

Quem sabe não mantinha certa raiva de mim ? Será que Jimin odiava-me por isso ?

Bato com minha cabeça levemente na porta, já se escurecia, resolvo voltar para meu quarto ao lado do seu, mesmo sendo covarde outra vez para confessar meus sentimentos eu só queria fugir daquela situação novamente.

Adentro de modo que me deito, afogando naquele travesseiro, suspiro alto fazendo ecoar pelo quarto, meu pai, era insensível e ao mesmo tempo parecia se preocupar demais comigo, em alguns momentos queira esquece-lo mas Jimin me fazia arder ao fitar seus lábios próximos dos meus, eu não poderia atrever-me a esta ousada ação, pelo simples fato de minha covardia que apenas consegui superar graças a uma garrafa pequena de run que eu carregava em meu aniversário.

Deito-me por certa vez, recordando bons de nossos momentos, as lembranças de uma noite que eu queria ser dele, que o queria com todas minhas forças dentro de mim.

Adormeço em meio daquelas memórias doces que se encaixam em um perfeito sonho, estar ao lado dele.


[...]


Acordo com toda aquela claridade adentrarando o quarto, fazendo arder meus olhos de imediato; me levanto indo até o banheiro onde tomo um belo banho de ducha. Mas ao sair percebo que eu havia esquecido a toalha, ainda era cedo previa que Jimin não acordaria, saindo totalmente desnuda para ir buscar algo, na ponta dos pés e com todo aquele frio. Ao me virar para  fechar a porta do banheiro, ouço um barulho de tecido atigir o chão.

— devia ter levado uma toalha.

Eu não fazia idéia de onde enfiar minha cara, os olhos de meu pai parecia me devorar.

— Eu iria pegar... Agora — minhas bochechas se avermelham na mesma medida que pego a toalha me envolvendo e a embolando em meu corpo.

— Deixe de ser distraída ! Poderia ser um estranho, não eu.

— E não dá no mesmo ?

— Mas ao contrário de um estranho, eu não sinto nada ao ter ver assim.

— Não sente ?

— Por que eu sentiria ? Eu apenas sou seu pai garota.

Se mantendo sério, Jimin se retira de minha presença, mas vou atrás do mesmo rapidamente, eu não podia me conformar com sua atitude.

— Appa ! – dou de encontro com o mesmo na escada o parando.

— O que foi ? Devia se trocar ! – ele continua a descer rapidamente, eu subitamente seguro seu braço.

— Eu preciso falar com o senhor ! — ele para sse virando e deixando seus olhos encontrados com os meus.

— Agora não ! Primeiro se troque — ele se mantém rígidos.

— Por que me odeia Park Jimin ? — digo chegando um tanto mais perto de seu rosto.

— Como um pai pode odiar a própria filha ? Eu não à odeio — diz ele se aproximando também.

— Você sempre está ocupado com tudo, nunca me dá atenção, e parece que quer fingir que eu não existo ! — deixo que uma lágrima tome meu rosto, descendo rapidamente.

Ele fita-me desconcertado, ele parecia suar um pouco na região do pescoço, Jimin ajeita sua gola e engole a seco.

— A noite conversamos OK ? — Ele abaixa a cabeça.

— Podemos conversar lá em cima agora ? — tento agir de modo impensado, quando olhava para os lábios voluptos e deliciosos de Jimin eu perdia toda minha moral e decência.

— Eu simplesmente não posso ! — Jimin se vira, arrancando seu braço de minhas mãos com força; descendo as escadas com pressa até parecia estar sendo perseguido por um ladrão armado.

Ele queria evitar-me, mas eu sei que Jimin queria-me em seus lençóis tanto quanto eu.

Ele deixa-me outra vez sem explicação suas palavras eram sempre vazias e sua expressão sempre em desespero me enchiam de dúvidas sobre seus sentimentos por mim.












Notas Finais


Me desculpem o capítulo pequeno... Eu não estou muito inspirada hoje😪😥 prometo que o próximo faço bem mais ok ?🌚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...