História Sob o Mesmo Teto - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga
Tags Bts, Jikook, Kookmin, Namjin, Opskira, Romance, Romance Gay, Taegi, Vhope, Vkook
Exibições 227
Palavras 3.837
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


MY LOVE IS ON FIRE
NOW BURN BABY BURN
BULJANGNAN
MY LOVE IS ON FIRE
SÓ DON’T PLAY WITH ME BOY
BULJANGNAN

Oiiiiiiiiiiieeeeeeeee gente
Adivinha quem voltou??
Adivinha quem passou de ano sem recuperação??

Valeu muito a pena deixar tudo de lado pra estudar, embora eu estivesse morrendo de vontade de escrever mais.

Mas enfim, trouxe mais um capítulo pra vocês e estou tentando fazer capítulos maiores... Então me amém kkkkkk

Eu queria saber se vocês estão mesmo gostando...

Boa leitura 📖 meus unicórnios (vou chamar vocês assim agora porque eu adoro unicórnios)

Amo vcs ❤

Capítulo 9 - Me solta


Fanfic / Fanfiction Sob o Mesmo Teto - Capítulo 9 - Me solta

Já faziam exatos cinquenta minutos que Jimin estava no banheiro fazendo sei lá o que, já que banho não poderia ser. Ninguém demora tanto assim, minha paciência já estava praticamente esgotada. Se eu não precisasse tanto de ajuda em física ela já teria ido embora a séculos, mas acontece que eu precisava e Jimin parecia ser minha única saída, pelo menos por enquanto. Os desenhos aleatórios em meu caderno e os lápis espalhados pelo chão demonstravam com clareza o tédio que a cada minuto que passava me consumia. Cogitei a ideia de juntar minhas coisas e ir dormir, mas como se lesse meus pensamentos Park Jimin apareceu na sala apenas com uma bermuda branca e os cabelos ruivos molhados e desgrenhados. Algumas gotículas de água ainda escorriam pelo seu abdômen, aquela visão seria um tanto erótica se não se tratasse de Jimin ali e o sorriso irritantemente doce que ele exibia. 

 

— Demorei? - levou as mãos ao cabelo tentando inutilmente retirar o excesso de água deles. 

 

— Achei que tinha caído dentro da pia - revirei os olhos mais para não ter que olhar para seu abdômen do que por qualquer outra coisa - Será que podemos começar logo? Antes que eu desista dessa ideia maluca. 

 

— Você não vai desistir - Ele deu de ombros sentando-se ao meu lado - Sabe que precisa de mim. 

 

— Convencido - revirei os olhos mais uma vez. 

 

— Quer parar com isso? Vai acabar machucando os olhos se ficar revirando eles assim - Ele pegou todos os meus lápis os colocando dentro do meu estojo novamente - O que? Tenho toc. 

 

— Mecânica Estatística - peguei meu livro de física abrindo na página marcada e colocando no colo de Jimin. 

 

— O que? - juntou as sobrancelhas enquanto pegava o livro e folheava algumas páginas. 

 

— O conteúdo pra minha prova imbecil - peguei meu caderno e coloquei em uma página em branco qualquer. - Vou tentar não te ver como um hóspede chato e sim como um professor. 

 

— Eu não sou um hóspede, eu moro aqui! - jogou o livro na mesa - Se vai me ver como um professor então me chame de Senhor Park - falou com um sorriso sacana no rosto. Tentei falar algo, mas Jimin me interrompeu - Vamos começar. 

 

Nos primeiros minutos de aula eu realmente cumpri com o que disse em relação a vê-lo como um professor. Mas entendam, Park Jimin brincava mais do que ensinava. Ele era bom, muito bom na verdade. Tinha domínio do conteúdo, isso era perceptível, mas eu não conseguia entender uma palha do que ele falava. Já estava ficando muito tarde e eu pude ver que ele estava irritado por ter que repetir a mesma coisa mais de dez vezes. Mas eu não tenho culpa se ele é um péssimo professor! 

 

— Porra Jungkook você é muito burro! - Ele disse enquanto me explicava mais uma vez aquela maldita fórmula. 

 

— Olha aqui seu idiota, foi você que se ofereceu. Eu disse que não era bom - levantei do chão pronto para sair dali. Eu não tinha que aguentar aquele cabeça de cenoura me chamando de burro na minha própria casa. 

 

— Aish volta aqui - levantou-se também segurando em meu pulso e novamente aquele formigamento percorreu meu corpo. - Eu não quis dizer isso. Senta aqui e vamos terminar isso, eu vou tentar ser mais paciente. Prometo. 

 

Eu não queria voltar a sentar ali e ter que ouvi-lo mais algumas vezes. Eu só queria que ele soltasse minha mão para que aquela sensação estranha em meu corpo fosse embora e algo me dizia que ela só passaria se eu fugisse dele. Mas eu tinha uma prova semana que vem e se eu não passasse eu estava literalmente morto. Naquele momento eu não tinha muitas opções além de sentar meu lindo bumbum no chão e tentar aprender tudo aquilo que Jimin estava disposto a me ensinar. Eu poderia pedir ajuda aos meus amigos, mas eles eram mais burros que eu. Eu realmente não tinha outra alternativa. Bufei e retirei sua mão da minha pele sentindo o calor naquela região ir embora, sentei-me novamente e ele fez o mesmo. Dessa vez eu esperava que desse certo. 

 

 

***

 

— Então é só você passar esse número pra cá e pronto! Você tem seu resultado. - Jimin falou e finalmente eu havia entendido uma parte considerável do conteúdo.

 

Já eram mais de duas horas da manhã e Jimin ainda lutava para me ensinar enquanto eu lutava para não fechar os olhos. Não pude deixar de notar que muitas vezes ele quase fechava os olhos assim como eu, logo me lembrei que ele havia chegado exausto do trabalho e agora estava tentando ensinar um idiota de dezesseis anos. 

 

— Você parece cansado... - pensei alto logo me repreendendo quando vi seu sorriso em minha direção. O sono estava me afetando tanto que por um segundo me preocupei com ele. 

 

— Estou mesmo, o trabalho hoje não foi fácil - bocejou enquanto jogava seus fios ruivos para trás. 

 

Eu queria perguntar onde ele trabalhava e principalmente porque trabalhava. Pelo que eu sabia a família de Jimin não era pobre, longe disso. Eles viviam muito bem na verdade, afinal não era todo mundo que dirigia um carro como o que Jimin tinha. Mas perguntar sobre isso seria invasão de privacidade sem contar que eu acabaria sabendo mais da sua vida o que instantaneamente me faria alguém próximo e tudo que eu menos queria era ser íntimo do ruivo. 

 

— Acho melhor parar por aqui - Jimin levantou-se enquanto interrompia meus devaneios. – Depois eu te ensino o resto. Você precisa dormir e eu também. 

 

— Claro - assenti também me levantando. Não juntei minhas coisas, arrumaria tudo amanhã. Rumamos para nossos respectivos quartos e antes de entrar olhei para o cabeça de cenoura que tinha sua mão direita na tranca da porta enquanto a esquerda coçava seus olhos - Jimin... - falei chamando sua atenção - Obrigada. - ele me olhou surpreso antes de exibir um sorriso largo. 

 

E aquela tinha sido a primeira vez que o agradeci verdadeiramente. 

 

 

***

 

Sexta feira. Como eu amava as sextas. O dia era mais lindo e tudo parecia mais aproveitável já que era apenas um passo para o final de semana. Estava sentado em um banco no pátio do colégio esperando meus amigos que estavam demorando mais que o normal. Naquela manhã quando saí do quarto Jimin não estava mais no apartamento, achei que ele já estivesse do colégio mas até agora não vi a cabeleira ruiva tão conhecida. Jimin tinha essa mania de simplesmente sumir, eu ainda descobriria o porque. 

 

— Pensando no Park Gostoso Jimin? - levei um susto com a voz rouca de Hoseok. 

 

— Claro que não - menti - Por que demorou tanto? 

 

— Estava dando uma olhada no aluno novo - sentou-se ao meu lado com um sorriso estranho nos lábios - Ele é muito bonito. 

 

— Achei que fosse apaixonado pelo Taehyung - dei um soco leve em seu braço. 

 

— E sou, completamente - suspirou - Mas também não sou cego. 

 

— Do que vocês estão falando? - Taehyung apareceu me assustando e logo sentou-se ao meu lado tentando ao máximo não olhar para Hoseok. 

 

— Do novo aluno que Hoseok pareceu gostar muito. Acho que agora vai Hobi Hyung. 

 

Tudo bem, eu sei que tinha falando besteira, mas não imaginei que aquilo ia acontecer. Em um minuto tudo estava relativamente bem e no outro Hoseok quase me derrubou no chão com um grande soco no braço e Taehyung havia ficando incrivelmente triste. Mas o pior com certeza não foi isso, a coisa só ficou feia mesma quando um garoto de cabelos verdes passou por nós na hora em que eu tinha dito a maldita frase e parou nos olhando - olhando o Taehyung para ser mais exato - com a cara mais incrédula que eu já havia visto na vida. Eu nunca tinha visto aquele menino em lugar algum, então provavelmente ele era o aluno novo. 

 

Parabéns Jungkook, você é o idiota do ano! 

 

— An... - Hoseok começou a falar - Gente esse é o... 

 

— Eu sei falar - o esverdeado falou ainda sem tirar os olhos de Taehyung. Aquilo estava ficando realmente muito estranho - Meu nome é Yoongi, Min Yoongi. 

 

— P-Prazer em te conhecer - Tae tentou exibir um sorriso, mas saiu mais como um careta do que como qualquer outra coisa. 

 

— Prazer em me conhecer? - Yoongi sorriu meio sarcástico - Sério Taehyung?

 

— Sim, você deve ser novo no colégio, não é? Eu até me ofereceria pra apresentar a escola, mas eu estou ocupado - Taehyung falou rápido antes de se levantar e sair praticamente correndo. 

 

Okay, aquilo estava bem mais que estranho.

 

O clima não ficou nada leve após a partida de Taehyung. Minha mente estava confusa com tudo que tinha acabado de acontecer, mas eu aposto que a de Hoseok estava bem mais, principalmente com o sorriso que o novato estava exibindo. Chegava a ser assustador a forma como ele exibia aqueles dentes perfeitamente brancos. 

 

—Yoongi? - era só o que faltava. Jimin sempre tem que aparecer. 

 

O esverdeado fechou o sorriso, mas logo o abriu de novo quando virou de costas e viu o cabeça de cenoura que corria em nossa direção como uma criança que acaba de chegar em uma parque de diversões. Mas o que veio a seguir foi bem mais confuso que tudo isso, pelo menos pra mim. Jimin simplesmente abraçou Yoongi. Mas não um daqueles abraços comuns, era o tipo de abraço que tem um milhão se significados. 

 

Eral o tipo de abraço que você da à alguém que realmente gosta. 

 

— Desculpa interromper... - Hoseok novamente se pronunciou fazendo os dois baixinhos a nossa frente pararem com a demonstração nojenta de afeto e olhassem para nós - Eu preciso ir. Jungkook depois conversamos. 

 

— Jimin... - sem querer falei seu nome por impulso. Eu queria perguntar onde ele estava quando acordei, porque demorou para chegar no colégio e principalmente como ele conhecia Yoongi, mas lembrei-me que na escola nós éramos apenas meros desconhecidos. 

 

— Conhece ele Chim Chim? - o esverdeado indagou. Olhei para Jimin esperando sua reação. 

 

— Ele estuda aqui... Mas não é ninguém conhecido - falou dando de ombros - Vamos, você ainda tem que me contar como veio parar aqui... - falou puxando Yoongi para longe. 

 

Eu não deveria ter esperado menos do cabeça de cenoura, eu sabia disso. Mas por que meu peito doía tanto e meus olhos insistiam em derramar lágrimas? 

 

 

***

 

 

— Então você vai dar uma festa? 

 

Já era hora do almoço. Depois do episódio mais cedo Taehyung tinha dito que estava passando mal e que precisava ir pra casa. Pra mim mais parecia mentira, mas eu não falaria nada. O fato é que Hoseok estava ficando cada dia mais louco sem o perdão do Tae e aquilo estava o destruindo. E agora, sentado à minha frente tentando achar uma maneira de voltar a falar com o Taehyung que ele resolveu que faria uma festa. 

 

—Sim - Ele disse simplista. 

 

— Desculpa, mas ainda não entendi como isso vai ajudar você a se reconciliar com o TaeTae. 

 

— É simples - Ele largou o hambúrguer que comia - Taehyung adora uma festa, você sabe. Não importa onde ou quando seja ele sempre vai. Então vou dar uma festa hoje e quando ele aparecer eu peço para conversar com ele. 

 

— Não seria mais fácil só ir na casa dele? - falei como se fosse óbvio. 

 

— Deixa de ser tapado, que graça teria se eu só fosse na casa dele? Além do mais meus pais estão viajando, vai ser perfeito. 

 

— Hoseok essa coisa de festa dá muito trabalho. E também quem em sã consciência aceitaria ir em uma festa de última hora? As pessoas têm que se... - eu até terminaria de falar se o idiota do meu Hyung não tivesse subido na droga da mesa do refeitório - O que você está fazendo? 

 

— Pessoal atenção aqui - Hoseok gritou atraindo a atenção de todos, inclusive a de Jimin e de seu novo - nem tão novo - amigo - Festa hoje na minha casa as oito horas. 

 

E aquilo foi suficiente para que todos começassem a gritar feitos loucos e bater palmas em aprovação. Parece que ninguém nessa merda de colégio tem consciência, nem mesmo Jimin que sorria largamente em minha direção do outro lado do refeitório. 

 

— Eu não vou nessa festa - falei quando Hoseok sentou-se novamente. 

 

— Você vai sim. E vai colocar sua melhor calça colada meu amigo - o olhei confuso - Tenho alguém pra te apresentar. 

 

 

***

 

Eu estava exausto, as aulas de hoje haviam sido bem cansativas e tudo que eu queria fazer era dormir. Mas como a vida sempre tem um jeito de acabar comigo eu teria que ir na maldita festa de última hora do Hoseok. Não que eu não gostasse de festa, mas caramba hoje é sexta e eu só queria me deitar na cama e assistir Grey’s Anatomy até ser um gênio das cirurgias. Cheguei ao meu prédio e vi que tinham colocado um novo elevador, já que o antigo estava quebrado. Dei graças a Deus por não ter que subir aquela escada horrível. Entrei no elevador e apertei o botão onde se encontrava meu apartamento. Não demorou muito para eu já estar na sala da minha casa revirando os olhos com a bagunça que Park Jimin era capaz de fazer. Tinha passado o dia todo na escola, já eram quase oito horas e eu ainda tinha que lidar com as roupas de Jimin jogadas na sala. Eu não merecia isso. 

 

— Jimin! - gritei o mais alto que pude, vendo o ruivo aparecer na sala apenas com uma calça de couro colada e um coturno preto - Que merda de bagunça é essa? 

 

— Ya! Que bom que chegou Jungkook-ah, qual é a melhor? Azul ou preta? - Ele levantou duas camisas que aparentemente eram iguais exceto pela cor. 

 

— As duas ficam uma droga em você - joguei minha mochila no sofá. 

 

— Ah que legal - vi ele revirar os olhos - Será que dá pra deixar de ser um idiota por pelo menos um minuto e me ajudar? - Ele não pensou nisso quando disse ao Yoongi que não me conhecia não é? Aish. 

 

— Preta - falei por fim. 

 

— Ótimo, vou com a azul! - o olhei incrédulo enquanto ele vestia a camisa azul. 

 

— Mas eu disse preta. 

 

— Eu sei, mas eu gosto da azul - pegou um vidro de perfume que estava na estante e começou a borrifar o líquido em si. 

 

— Se já sabia qual ia usar por que pediu minha opinião? 

 

— Tinha esperança que iríamos concordar com alguma coisa - colocou o perfume de volta na estante. O perfume era cheiroso... Jimin era cheiroso. 

 

— Aliás... - falei como quem não quer nada - Aonde vai? 

 

— Pra festa do seu amigo - pegou uma jaqueta preta jogada no chão e a vestiu. 

 

— Não vai não - falei lembrando-me que iria nessa festa também. Já seria ruim estar lá quando eu podia estar dormindo, e com Jimin lá? Tudo ficaria pior. 

 

— Por que não? 

 

— Você não vai estragar minha noite. - me joguei no sofá bufando. 

 

— Claro que não, eu vou melhorá-la - piscou me fazendo revirar os olhos - Você não deveria estar se vestindo também? Já são oito horas. Eu te dou uma carona, vamos se troque logo. 

 

— Eu não vou de carona com você - peguei minha mochila e me levantei. Eu realmente tinha que me trocar - Pode levar seu amiguinho Yoongi. 

 

— Yoongi hyung não vai comigo - Ele deu de ombros - Disse que vai com outra pessoa. Agora vamos logo, não tenho todo tempo do mundo. 

 

 

***

 

Estar no carro com Jimin me trazia recordações não tão boas assim, mas eu não iria recusar carona sendo que eu estava mais do que atrasado e além do mais não tinha ônibus esse horário. O jeito foi ter que aguentar o Park idiota Jimin por mais algumas horas. O caminho estava sendo bem tranquilo até, não tínhamos trocado farpas, pelo menos não até o imbecil abrir a boca. 

 

— An... Jungkook - olhei para ele a medida que parava o carro - Você... Pode descer aqui? 

 

—Você não tá fazendo o que eu acho que tá fazendo - disse com uma risada nervosa. 

 

Analisei sua expressão enquanto o mesmo mexia nos cabelos da nuca nervosamente. Ele parecia estar falando sério. Olhei em volta e ainda faltava um quarteirão para chegarmos. Ele estava com vergonha de mim. Park Jimin estava com vergonha de chegar na porcaria da festa do meu melhor amigo comigo. Eu queria gritar com ele, bater nele e xinga-lo de todos os nomes possíveis, mas eu não consegui. Eu só conseguia olhar para sua cara com toda repulsa que meu corpo possuía, ele nem ao menos olhava pra mim! Senti uma lágrima teimosa sair do meu olho, nem sabia o porque dela ter caído eu nunca fui emotivo assim, mas a limpei antes que ele visse. Ele não merecia nem mesmo meu desprezo. Tirei o cinto de segurança e abri a porta, o encarei mais uma vez, ele permanecia com a mesma expressão neutra olhando para rua a sua frente. 

 

— Vai pro inferno! - foi tudo o que eu disse antes de bater a porta com toda a minha força. 

 

Não esperei ele sair com o carro para me distanciar o máximo possível. Eu queria correr, mas as calças jeans apertadas não me ajudavam muito. Logo vi o carro de Jimin sair em disparada e por algum motivo aquilo foi o suficiente para eu simplesmente parar no meio da rua. Eu não sabia ao certo o que sentir e o que fazer. Ao longe a música eletrônica podia ser escutada. Eu poderia ir embora, eu queria fazer isso. Porém eu não poderia abaixar minha cabeça perante ele. Se ele tinha vergonha de mim tudo bem, eu nunca esperei muito dele mesmo. Eu iria aproveitar essa festa e esquecer Park Jimin de vez, seja lá o motivo dele ainda estar na minha cabeça. 

 

Respirei fundo e voltei a caminhar. Logo já estava batendo na porta do meu amigo. O mesmo me atendeu com um sorriso largo no rosto que logo se desfez ao olhar as duas pessoas que vinham logo atrás de mim. Min Yoongi, o novato idiota, estava de mãos dadas com Taehyung. Os dois passaram por nós sem nem ao menos dar uma palavra. A boca de Hoseok estava tão aberta quanto a minha. 

 

— Hyung... 

 

— Não Jungkook - Ele fechou os olhos por breves segundos - Entre, hoje vamos nos divertir, huh? - assenti sendo puxado por ele para dentro da casa. 

 

Eu não tocaria no assunto de Kim Taehyung e Min Yoongi, pelo menos não agora. Hoseok precisava de tempo para digerir aquela cena eu sabia, e ele com certeza beberia muito para superar isso e eu faria o mesmo. Beberia até não lembrar meu nome. 

 

 

***

 

Já era a nona lata de cerveja que eu bebia. Ou será que era a décima? Talvez fosse a décima primeira, eu não estava mais contando pra falar a verdade. Tudo que eu conseguia prestar atenção no momento era em Jimin se esfregando em uma puta qualquer. Eu não sabia dizer porque aquilo incomodava tanto, talvez fosse pelo fato dele estar me encarando na cara dura enquanto beijava o pescoço dela. 

 

— Eu preciso beber mais - falei olhando para Hobi que estava literalmente jogado no balcão da sua cozinha com garrafas de bebidas a sua volta. 

 

— Ya! - Ele levantou-se rápido - Ele chegou! - falou animado olhando para um garoto bonito em sua porta. 

 

— Quem é ele? 

 

— A pessoa que eu ia te apresentar - puxou meu braço na direção do cara que agora sorria ao nos ver. 

 

— Hyun - Hoseok disse para o garoto desconhecido por mim - Esse é o Jungkook - apontou pra mim - Jungkook esse é o Hyun. Agora se comam aí enquanto eu vou voltar a beber pra esquecer aquela cena - Ele apontou para Taehyung que beijava Yoongi no meio da pista de dança improvisada. 

 

—Hoseok... - tentei falar, mas ele já tinha ido embora. 

 

— Então você é o famoso Jungkook? É um prazer te conhecer, um prazer mesmo. - Hyun falou me olhando de cima a baixo. 

 

Eu nunca questionei de fato minha sexualidade, quer dizer, eu nunca nem tive tempo pra isso. Olhando pra Hyun eu não pude negar que senti uma forte atração por ele. Músculos bem distribuídos, cabelos negros e olhos escuros, ele parecia um deus grego. Ou talvez fosse só o alto teor de álcool que agora corria pelas minhas veias. 

 

— Que dançar? - Ele falou perto demais do meu ouvido. 

 

Apenas assenti e deixei que ele me levasse para a pista de dança. A música e o álcool não me deixavam pensar direito, tudo que eu conseguia fazer era dançar no ritmo daquela música viciante. 

 

— Quantos anos você tem Jungkook? - Hyun sussurrou contra meu pescoço logo depositando um selar na região me fazendo arrepiar. 

 

— D-Dezesseis... 

 

— Você é muito gostoso pra ter apenas dezesseis anos... - falou segurando firme minha coxa. Arregalei os olhos tirando a mão dele de lá - Calma... - ele riu - Vamos pra um lugar mais reservado.

 

Não tive tempo de negar quando ele puxou minha mão subindo as escadas, olhei para trás dando de cara com Jimin que ao me ver apenas virou o rosto. Hyun continuou me puxando até que estivéssemos no quarto de Hoseok. Eu sabia que era seu quarto pelas diversas vezes que dormi ali. Hyun me empurrou na cama com força fechou a porta atrás de si e logo se jogou em cima de mim. 

 

— O que você está fazendo? - o empurrei fazendo cair na cama e logo me levantei indo até a porta. 

 

—Qual é Jungkook, você não é tão inocente assim... - ele levantou da cama com um pulo e me jogou contra a porta - Eu quero muito te ver sem roupa sabe... - começou beijando meu pescoço. 

 

— Me solta! - tentei o empurrar, mas ele era mais forte que eu. Eu sabia onde ele queria chegar, poderia estar bêbado mas não o suficiente para perder minha virgindade com um idiota qualquer. — Me solta por favor - tentei o empurrar mais uma vez, mas ele me forçava cada vez mais contra a droga da porta. 

 

— Eu sei que você quer - ele levou as mãos frias até a barra da minha camisa e eu já sentia as lágrimas quentes descerem pelo meu rosto. 

 

— P-Por favor... Me solta... 

 

— Acho melhor você ficar caladinho e deixar o Daddy aqui terminar o serviço - segurou meu pescoço exibindo um sorriso doentio. 

 

Eu estava ficando assustado, as mãos dele percorriam meu corpo e eu só conseguia sentir nojo. Eu chorava, mas ele não me ouvia. O que estava prestes a vir não era bom, eu sabia. Eu só queria que alguém abrisse a merda da porta e me tirasse dali. Eu só queria que... Queria que Jimin aparecesse e me salvasse. 

 


Notas Finais


EITA JÃO

Esse lance bem estranho aí do Yoongi com o Taehyung... Relaxem que vai ter capítulo só pra pra explicar a história desses dois

E como Jimin conhece Yoongi?
Hyun vai fazer alguma coisa com Jungkook?
Nos próximos capítulos...ahsuahsusu

E aí o que acharam do meu comeback? Kkkkkkk espero que tenham gostado.

Até o próximo capítulo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...