História Sob o Mesmo Teto - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Gaston, Luna Valente, Matteo, Nina, Personagens Originais, Simón
Tags Gastina, Lutteo, Simbar
Visualizações 166
Palavras 1.174
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi Gentee!
Volteii!
Vamos para mais um capítulo...

Capítulo 2 - Sob o Mesmo Teto


Fanfic / Fanfiction Sob o Mesmo Teto - Capítulo 2 - Sob o Mesmo Teto

Estou eu, Luna Valente, à uma hora da manhã, numa madrugada fria de inverno na cadeira dura e super desconfortável da diretoria.

Tic Tac Tic Tc

O som das batidas do relógio da sala da diretora me irritam e me deixam cada vez mais nervosa. Fico batucando minhas unhas na mesa que está na minha frente, nunca estive em um lugar tão silencioso como este.

Isso só me deixa mais angustiada. Fecho os olhos e respiro fundo.

Tudo vai ficar bem. Tudo vai ficar bem. Tudo vai ficar bem. – Repito essas palavra mentalmente.

EU ESTOU FERRADA.

Fecho os olhos novamente e encosto minhas costas na cadeira nada confortável da diretoria. Abro os olhos e vejo todos em um completo silêncio. Olho para o meu lado direito e vejo Nina Simonetti, a garota que me perguntou aonde ficava a biblioteca.

Nina Simonetti é a santa e nerd do nosso colégio interno. Nunca vejo muito ela nos corredores, dizem que ela está sempre na biblioteca ou está em seu dormitório estudando. Nina está apertando seus livros contra o peito num ato nervoso.

Dá pra ver seu nervosismo de longe. Ela roe as unhas e batuca a perna tantas vezes que até eu me perco. Ela deve estar assustada, talvez nunca tenha vindo na diretoria.

Só estive na diretoria uma vez na minha vida, foi na quinta série, quando eu joguei suco de uva na cabeça do meu colega. Não posso fazer nada. Quem mandou ele pegar minha balinha?

Olho pro meu lado esquerdo e vejo Ámbar Smith, a viciada em compras do nosso colégio. Uma típica patricinha. Ela tem o seu grupinho de amigas e nunca está sozinha.

Ela não parece nervosa, está retocando seu batom e lixando as unhas; ela usa uma bolsa rosa e um vestido rosa também, parece até uma Barbie.

Volto a encarar o relógio que faz uns barulhos estranhos e que me deixa totalmente angustiada. Os minutos parecem horas e isso está acabando com o meu psicológico.

Olho pra frente e vejo Simón Álvarez, o solitário. Sim, Simón Álvarez é do estilo “lobo solitário”, não conversa com muitas pessoas e está sempre sozinho escutando suas músicas com o seu fone de ouvido no corredor.

Ele é bem corajoso, deve ser difícil enfrentar o ensino médio sozinho. Ele também não parece nervoso, está, como sempre, escutando música.

Olho para o lado esquerdo de Simón e vejo Gastón Perida, o melhor amigo do garoto mais popular do nosso colégio. Gastón está com uma expressão despreocupada.

Olho para o lado de Gastón e vejo o próprio Matteo Balsano, o garoto mais popular do colégio.

Respiro fundo e me concentro na vista do lado de fora da pequena sala da diretoria. Está tudo apagado.

DROGA.

Por que eu tinha que invadir o colégio logo hoje? Por que eu simplesmente não fiquei na droga do meu dormitório? – Brigo comigo mentalmente.

Não consigo ficar parada por muito tempo, ainda mais com esse silêncio que eu odeio e que me deixa nervosa.

Nunca conversei com ninguém que está aqui, todos aqui são completamente diferentes de mim. Temos personalidades diferentes.

Encaro o relógio com uma certa aflição.

Tic Tac Tic Tac

CADÊ ESSA DIRETORA?

Encaro o chão e escuto a porta da sala se abrir. Lá está a “maravilhosa” diretora que está com uma cara pior que a minha quando pegam a minha comida. Vejo a fúria em seus olhos.

Sempre tive um pouco de medo dessa diretora. Ela sempre usa seu vestido preto até o joelho, seus óculos quadrados e seu coque no cabelo, ela aparenta ter 65 anos, no mínimo.

Me arrepio toda quando a vejo nos encarar. Ela dá um sorriso irônico e vai até sua mesa sentando atrás da mesa. Ela novamente encara cada um de nós e dá um suspiro cansado.

Nina está roendo as unhas e seus olhos estão marejado. Chego mais perto dela dizendo algumas palavras para acalma – lá.

- Vai ficar tudo bem. – Digo baixo para a diretora não escutar.

Ela faz um sinal positivo com a cabeça.

A diretora se levanta, ajeita seu vestido e seus óculos quadrados.

- SÉRIO ISSO? VOCÊS NÃO CONSEGUEM SE COMPORTAR? SÓ PODE SER BRINCADEIRA. A REGRA MAIS IMPORTANTE VOCÊS NÃO CONSEGUEM CUMPIR. – Ela grita.

Me encolho na cadeira e abaixo minha cabeça com medo.

- SUSPENSÃO OU EXPULSÃO SERÁ POUCO PARA VOCÊS.

Vejo Gastón revirar e dar um longo suspiro cansado.

- Ah diretora! Pelo o amo de Deus né? Foi só uma vez e você já está reclamando. -  Ámbar revira os olhos e volta a lixar as unhas.

A diretora se revolta e bate na mesa com força, assustando todos nós.

- VOCÊ E SEUS AMIGUINHOS VÃO PAGAR MUITO CARO POR ISSO. – Ela grita com uma certa raiva em suas palavras.

Todos começam a rir.

- DO QUE VOCÊS ESTÃO RINDO?

- Não somos amigos. – Matteo responde com uma expressão séria

- Ai que nojo diretora. – Ámbar mostra a língua fazendo uma careta, como se fossemos doença.

- Não conseguiria ficar 20 minutos no mesmo local que eles. – Diz Simón revoltado.

- CALA A PORRA DESSA SUA BOCA GAROTO. – Gastón grita tentando atingir Simón.

- CALA BOCA VOCÊ MASCOTE DE TIME DE LACROSSE. – Simón rebate.

- Ah parem de me perturbar, vocês são irritantes. – Ámbar revira os olhos.

Volto a me concentrar na paisagem do lado de fora, não sou obrigada a ficar escutando discussão desnecessária, a única coisa que eu quero é sair daqui e ir para o meu dormitório.

Temos uma regra básica onde não podemos sair do dormitório depois das dez da noite e foi justamente essa regra que quebramos. Eu nunca deveria ter saído do dormitório.

Um grito da diretora me tira dos meus pensamentos.

- JÁ CHEGA. – Ela grita e dá um sorriso malicioso.

Todos ficamos com um grande ponto de interrogação na cara.

- Vocês terão que ficar na casa do lago até a formatura. – Ela diz de uma forma rápida, clara e direta.

Levo um grande susto.

Que? Oi? Como assim?

- Você só pode estar brincando diretora! – Matteo se revolta batendo na mesa.

A casa do lago é a mais afastada dos prédios de aula e dos dormitórios. Ela fica perto do lago e ninguém usa aquilo a ano. Deve esta imunda.

- EU NÃO VOU FICAR LÁ. – Gastón grita.

- NÃO. LÁ É SUJO, VAI ESTRAGAR MEU CABELO. – Ámbar grita levantando da cadeira.

- Se vocês não ficarem na casa do lago, vocês vão ser simplesmente expulsos do colégio. – A diretora dá de ombros.

Todos ficam em um silêncio constrangedor e pensativo. Nenhum de nós quer ser expulso.

Apenas 4 meses. Apenas 4 meses. Apenas 4 meses.

SÃO 4 MESES COM AQUELAS CRIATURAS QUE EU NEM CONHEÇO.

- Quero amanhã, ás oito da manhã, todos vocês na porta da casa do lago sem faltas. - Ela se levanta e se retirar da sua própria sala.

Antes de sair ela nos encara. Em seu rosto tem um sorriso divertido e brincalhão.

- Boa Sorte! Só quero ver vocês viverem juntos Sob o mesmo teto.


Notas Finais


É isso, espero que tenham gostado!
Me desculpe por qualquer erro ortográfico.
Bjs da Ana!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...