História Sobre JongDae e Chanyeol. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, Chen, Sehun
Tags Chanchen, Chanyeol, Chenyeol, Fluffy, Jongdae, Jongdaefest, Romance, Yaoi
Visualizações 88
Palavras 2.431
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aqui o outro, como eu disse que traria. Bom, boa leitura, e até o próximo que é o último.

Capítulo 2 - 2


O restante da semana se seguiu com JongDae fugindo descaradamente de Chanyeol.

Ele nem disfarçava. Andava pelos corredores prestando a total atenção, se via Chanyeol voltava pra trás mais rápido que o flash.

Pior era quando ele achava que tinha despistado o maior e de repente ele aparecia na frente de JongDae como uma assombração, o menor se virava e realmente corria exatamente como o diabo faria se visse a cruz.

Chanyeol nunca se sentiu tão frustrado na vida, só na vez em que ele quebrou o próprio video game e ficou uma semana sem jogar nada. É, essa era a sua segundo maior decepção na vida.

Ele sentia falta de JongDae. Nunca ficaram mais que 2 dias sem se verem ou conversarem, e ele não queria ficar mais que isso.

Sentia falta das brincadeiras juntos. Sentia falta de jogar com o menor, sentia falta das piadas, das caras confusas do loiro com alguma coisa, das risadas que Chanyeol conseguia tirar dele, dos sorrisos bonitos direcionados a ele, da voz do mais baixo.

Chanyeol queria a presença de JongDae de volta.

O único consolo que ele tinha eram as fanfics. Claro, ele já havia lido todas as fanfics do amigo, estava acompanhando arduamente as 4 outras de JongDae em andamento. 3 estavam paradas a bastante tempo, e ele estava quase ligando e pedindo para o garoto atualizar logo. Absurdo. Logo quando a história está mais tensa ele pega e para.

A outra que ele acompanhava, o menor está fazendo uma participação com umas pessoas e essas eram, ~ChenDae78, ~Hunnie33, ~D.OURO, ~MinMin e ~Z.Y♡♡.

Todos escreviam bem, mas ele gostava mais dos capítulos de JongDae, do tal MinMin e do Z.Y♡♡. Não que não gostasse dos outros, mas D.OURO escrevia umas coisas um pouco sombrias e envolviam muita morte, já Hunnie33 não podia ver uma situação que enfiava lemon/smut/sexo no meio. Chanyeol achava esse Hunnie um pouco tarado, JongDae conhecia umas pessoas estranhas.

E o pior em todas elas JongDae se mostrava um pouco triste nas notas, até no jeito de escrever.

Ele conhecia seu amigo como a palma da mão. Claro, JongDae escondia essas coisas, mas ele conhecia o jeito do seu amigo. Ele saberia dizer quando JongDae está triste, quando está feliz, quando está mentindo.

E no momento ele estava triste, bastante triste.

Chanyeol também estava triste. Ter seu melhor e único amigo fugindo de si era terrível. Ainda mais por esses motivos.

Ele se perguntava, como depois de tanto tempo de amizade, JongDae podia achar ele tão cabeça fechada?

Ele não queria dizer o que escrevia e agora fugia, com medo do maior criticar e julgar ele?

Chanyeol nunca teve nada contra gays, lésbicas e etc…, ele só simplesmente achava que era hétero.

Espera… achava que era hétero?

Chanyeol franzia o cenho na frente do computador, tentando entender o que acabou de pensar.

Ele era hétero não era? Quanto tempo fazia que ele não pensava em uma menina? Em uma garota, como costumava fazer umas 2 semanas atrás.

Percebendo agora Chanyeol sequer lembrava de garotas, okay que seu amigo estava acima de qualquer garota, mas isso não era normal para um garoto de 17 anos em plena puberdade que se excitava até com o vento.

Ele precisava entender isso. Se lembrou das imagens que costumava ter na cabeça quando se tocava no banheiro. Mulheres, mulheres e mais mulheres.

Claro, mulheres tem um corpo escultural, curvas maravilhosas, sempre serão as coisas mais lindas nuas. Mas, ele não conseguia querer isso na própria cama. Não conseguia se imaginar com uma. Isso era problemático, não era?

Agora ele pensou em um homem. Okay, a imagem foi um pouco assustadora. Um homem na própria cama.

De repente ele lembrou que JongDae era gay e que um dia teria um outro homem na cama dele.

Isso era terrível.

Não podia e não queria imaginar JongDae nas mãos de algum cara qualquer por ai. E acima disso Chanyeol não permitiria, absurdo. Todos iam apenas se aproveitar do corpo do seu amigo e dos sentimentos dele. Ele tinha que proteger o loiro, ele era bonito, chamativo, com certeza um alvo fácil para esses caras se aproveitarem. Ele não permitiria que alguém magoasse seu melhor amigo.

Mas, o que ele poderia fazer quando o garoto fugia dele como um ladrão correndo da polícia? Ele precisava ficar por perto pra saber quem se aproximava do menino.

Eles precisavam se entender!

Mas, Chanyeol estava muito magoado. Seu amigo achava que ele um homofóbico de merda.

O de cabelos rosa resolveu esquecer um pouco desses problemas e confusões entrando no perfil de Z.Y♡♡, gostava de como ele escrevia. Era de uma maneira lenta e detalhada, tinha humor, drama, era fofo. Era ótimo de ler. Bom, ele tinha uma grande distração pela frente já que essa pessoa possuía 100 fanfics.

Mas, antes ele resolveu fazer outra tentativa de contato com Kim JongDae, depois de ver o garoto fugindo dele o horário de aulas inteirinho, e ainda vê-lo saindo com um cara desconhecido por Chanyeol, o maior ainda tentava. Era bem trouxa mesmo, mas ele não se importava.

Pegou o celular e procurou pelo contato "DaeDae ✩".

JongDae olhava para seu amigo com expressão triste e aflita.

Sehun esperava pacientemente se seu amigo resolveria se abrir pra ele. Estavam nisso desde que ele buscou o menor na escola.

JongDae queria falar. Até porque ele precisava desabafar, tirar um peso de si. Mas… ele queria Park Chanyeol ali. Não Oh Sehun.

Ele gostava de Sehun obviamente. Eram amigos, se conheceram pelo Spirit, e depois de saberem que moram na mesma cidade se conheceram pessoalmente a uns 2 anos. Ele apenas sentia falta de Chanyeol. Sentia daqueles cabelos, dos sorrisos, dos olhos bonitos, daquela boca, daquela voz, das mãos grandes, da fofura, das brincadeiras.

Queria seu melhor amigo de volta.

Ele amava Chanyeol. Mas, não precisava realmente ser correspondido, só queria vê-lo sorrir novamente e estar perto dele. Mas, depois de tudo, a única coisa que teria seria o ódio e nojo do maior.

Ele sabia que Chanyeol não era alguém de fazer cara de nojo se visse dois homens na rua, mas também não levava aquilo tão de boa.

Na verdade JongDae tinha certeza que Chanyeol o achava promíscuo e sujo. Ele fugia do maior porque não queria ouvir, nem ter certeza dos seus pensamentos. Não queria ter certeza que ele não o correspondia, nem que achava ele nojento. Então, ele continuaria fugindo, não importando o quão covarde era.

Ele já havia se aceitado como era, então ele não cairia numa baixa auto-estima de fundo de poço. E ele tinha Sehun que gostava muito dele, e também tinha certeza que era apenas como amigo. Sehun tinha namorado, Byun BaekHyun, que por sinal é uma gracinha de pessoa.

— Como está o Baek? — Mudou de assunto deliberadamente.

Sehun arqueou a sobrancelha e negou com a cabeça.

— Está ótimo, você que não está. Fala, JongDae. — Sehun pediu pegando as mãos do amigo. — Não sou o Chanyeol, que você sempre compartilhava tudo, mas talvez eu possa esticar minhas orelhas até ficar como as daquele idiota. E se não der vai de Sehun mesmo. — JongDae riu, mas sentiu as lágrimas acumuladas escorrendo pelo rosto.

Sehun trouxe o loiro para si de encontro ao próprio peito e abraçou o garoto que deixou o choro correr livre.

— Se-hun… — Ele chamou, a voz cortada pelo choro.

— Oi?

— O Chanyeol me odeia porque… descobriu que sou gay, escrevo sobre isso e que eu gosto dele… — Contou ainda chorando se apoiando no ombro de Sehun.

O mesmo achou isso estranho. Ele não conhecia Chanyeol pessoalmente, mas pelo que sabia, ele não era esse tipo de pessoa.

— O que ele disse pra você?

Bom, JongDae não havia dado chance do maior falar.

— Hum… — O menor saiu dos braços do outro, as lágrimas pararam de correr, e ele disfarçou.

Sabia que Sehun brigaria quando contasse que correu e corre até hoje.

— Bem, ele não disse nada… porque eu, meio que, saí correndo… e não falei com ele até hoje. Estou fugindo, Sehun. — Admitiu.

A cara de nada que Sehun normalmente carregava ficou bem piorada hoje.

— Como pode saber que ele te odeia, se nem conversou com ele? Você está fugindo do seu amigo de infância, JongDae! Vocês cresceram juntos! — Sehun falava com o cenho franzido.

— Eu sei! Mas, Sehun… — A voz do loiro abaixou e ficou bem triste. — Eu gosto dele… aliás eu amo o Chanyeol, Sehun você não sabe o quanto eu quero ter ele pra mim e eu deixei isso totalmente claro nas notas finais e iniciais das minhas fanfics. Ele sabe. Me procurou pra conversar, mas… eu corria dele, porque eu sei o que ele vai dizer… — O tom continuou cabisbaixo, assim como o garoto que acabou se jogando de costas na cama.

Já o outro garoto, não achava provável que Chanyeol rejeitasse JongDae. Neste exato momento ele tinha certeza que o de cabelo rosa queria ver o loiro.

— E o que ele vai dizer? — Perguntou Sehun.

— Que não gosta de mim, que me vê como amigo, que dois garotos juntos é nojento. — Contou JongDae, olhando pro teto do quarto, com seus olhos avermelhados pelo choro, ele parecia ainda mais triste.

Sehun não conseguia achar que Chanyeol faria aquilo. Por que JongDae subitamente achava que tinha um babaca como melhor amigo?

Era mais provável Chanyeol corresponder o menor que qualquer outra coisa, porque os dois tinham uma ligação única e era muito aparente pra quem estava de fora.

— JongDae, você tem que conversar com o Chanyeol e deixar ele falar. Eu entendo que você está magoado. Eu também ficaria, mas dê uma chance pra ele. Existe outro lado nas histórias. Não é o que você sempre me diz, e escreve? — Sehun sorriu para o outro que realmente foi pego de surpresa por não ter pensado nisso.

— Eu sei… tudo bem… eu vou tentar… — Ele suspirou.

— Olha, queria ficar, JongDae, mas o Baek tá me esperando. Não precisa se preocupar em escrever esses dias. Peço pro KyungSoo, o Yixing, ou o Minseok enrolar os leitores um pouco. Quando você achar que está bem, pode voltar. — Avisou ele indo para a porta do quarto.

— Tá bom, obrigado. E Sehun, pare de fazer o SiWon e o HeeChul ficarem se pegando o tempo todo, o mesmo para o Eunhyuk e o DongHae. Uma fanfic não vive apenas de PWP. — Ele riu negando com a cabeça, enquanto o maior também ria.

— Olha quem fala, você enche o Spirit com one shot do Kangin acabando com o coitado do Leeteuk. Se eu vivo de PWP você vive de BDSM, e admito tu escreve bem demais essas cenas. As vezes desconfio. — Sehun cerrou os olhos, e JongDae riu mandando língua pra ele, como uma criança.

Depois de seu amigo sair, o menor suspirou e foi tomar banho enquanto pensava no que fazer de sua vida.

No fim, ele resolveu ler fanfic. Não existe melhor remédio que ler uma boa fanfic quando se está triste.

Abriu seu aplicativo no celular, e foi em sua biblioteca depois do banho, mas antes de procurar uma história boa, apareceu na tela o contato mais usado do telefone.

"Meu Park ♡"

O coração de JongDae saltou em seu peito. Seu modo automático foi logo deslizando o ponto verde, porque eles costumavam passar quase 5 horas por dia conversando por chamada. Ou as vezes ligando um pro outro de 5 em 5 minutos apenas para gritarem algo um pro outro, na falta do que fazer.

Mas, logo ele voltou e deslizou o vermelho.

Na noite daquele mesmo dia, Chanyeol se sentia um lixo.

Estava entrando em abstinência. Era possível sofrer de abstinência por pessoas?

Aparentemente, no caso de Chanyeol sim. Ele se sentia triste. Era a primeira vez que JongDae rejeitava uma ligação dele.

O maior sentia vontade de chorar até seu corpo desidratar. E o pior era que parecia que JongDae não estava nem aí pra ele, enquanto ele estava ali sofrendo por aquele idiota, ele provavelmente tava lá curtindo a noite com aquele cara alto que ele viu ir buscar o amigo na escola. Falando naquele cara, quem poderia ser? Ele nunca tinha ouvido o menor falar de ninguém, e na primeira semana que passam longe ele já tinha arrumado alguém pra substituir o Park. Grande amizade a que eles tinham.

Chanyeol se sentia um trouxa.

No fim das contas, ele leu metade das fanfics daquele moço Z.Y♡♡. Ele tinha que confessar que chorou quando JungKook traiu o Jimin com uma mulher, na fanfic Love You do grupo BTS, do garoto que descobriu se chamar Zhang Yixing, graças aos comentários. E o melhor da escrita daquele garoto, era as cenas de lemon/smut/sexo que eram bem bonitas e românticas, raras vezes tinha algo mais selvagem, ou agressivo.

Foi uma boa distração, mas agora a tristeza voltava a dominar o garoto. Ele queria muito ver JongDae, conversar com ele, abraça-lo, guardar num potinho pra nunca mais sair de perto de si e nem deixar as pessoas fazerem mal.

Park Chanyeol estava deitado na própria cama pensando no que Kim JongDae poderia estar fazendo e por que estava assim com ele. Ele só queria conversar, entendia perfeitamente que seu amigo preferia meninos, não era problema nenhum pra ele, então por que fugir tanto?

Ele pegou o celular e foi nas últimas chamadas. Ele era trouxa, isso já era uma verdade comprovada, mas tentar de novo não mata ninguém. Só a sua dignidade.

A chamada se iniciou, e ele se sentia cheio de ansiedade pelo voz do outro lado, mas não ouviu nada além do tom de chamada e o famoso recado da caixa postal.

Ele nunca se sentiu tão frustrado na vida, queria matar JongDae enforcado por ser tão filho da puta. Isso não poderia ficar assim para sempre, era ridículo o que o menor fazia.

Chanyeol se levantou, pegou seu moletom, vestiu e saiu do quarto determinado.

Na própria casa, JongDae lia uma fanfic muito boa sobre céu e inferno, Deus e Lucífer, do grupo de K-Pop VIXX, casal Leo e Ken. Ele estava muito absorvido pela história, e gostando bastante, quando a porta do próprio quarto se abriu com força.

Ele se sentou na cama e viu seu melhor e único amigo de todos os seus 17 anos — porque os dois praticamente nasceram um do lado do outro—, parado a porta. E Park Chanyeol não carregava uma aura muito boa.


Notas Finais


Obrigado a quem chegou até aqui, até o próximo. 😘💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...