História Sobre Saber Que é Você - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Drama, Família, Fatos Reais, Garotos, Gay, Relacionamento, Revelaçoes, Romance, Sentimento, Vida Real
Visualizações 9
Palavras 1.050
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá, essa é a segunda Fanfic que eu público aqui no site, saibam que é uma nova experiência escrever algo original, principalmente quando é a própria narrativa de fatos da minha vida, eu espero de verdade que gostem!
Desejo uma Boa Leitura!

Capítulo 1 - Sobre Saber Quem eu Sou


Me chamo Tiago, talvez poderia ter sido Guilherme, talvez poderia ter sido Mateus, foram opiniões divergentes da minha família, entre minha mãe, meu pai e minha avó materna. Mas essa divergência se resolveu através de um sorteio ao qual meu pai saiu como vencedor, a pessoa com quem tenho a menor consideração dentre os membros que citei. Isso talvez por ter crescido em um ambiente regado a discórdia e violência verbal, e o grande responsável por tudo isso seja o álcool, e de fagulha em fagulha isso acabou com o relacionamento dos dois, já faz mais ou menos um ano desde que a separação ocorreu, ele foi embora, mas no fundo não fiquei chateado ou algo do tipo, me senti aliviado, um sentimento de que finalmente eu e minha mãe teríamos uma espécie de paz, e eu estava certo.

Toda essa movimentação da separação dos meus pais aconteceu próximo ao meu aniversário de 18 anos, no dia vinte e um de janeiro, atingir a maioridade e me ver livre do agente mais opressor que havia na minha casa, somado com o apoio de uma grande amiga virtual que mesmo estando tão longe nunca mediu esforços pra me ajudar e se fazer próxima quando sempre precisei, criei a coragem necessária para revelar um fato sobre mim para a minha mãe que não influenciava de uma forma direta na vida dela, mas sim na minha, estava exausto por dentro por guardar aquilo apenas pra mim, eu apenas queria me desvencilhar disso, poder ser eu mesmo, estar totalmente confortável comigo mesmo, mas precisava ouvir a única opinião no mundo que realmente me importava, a opinião da pessoa que me colocou neste mundo e que daria a vida por mim, revelei a minha homossexualidade, e obtive total aceitação e a melhor reação possível..

Foi a partir da aprovação da pessoa com quem mais me importava nesse mundo que passei a finalmente buscar conhecer e me relacionar com outras pessoas como eu, a buscar alguém para compartilhar algo, e eu iniciei esse processo através das redes sociais, mais especificamente pelo Facebook, passei a buscar outros garotos homossexuais e que compartilhavam alguns gostos em comum comigo, mas um dos primeiros garotos que adicionei durante o processo realmente me chamou mais a atenção, talvez por já ter visto seu perfil antes de passar pelo processo de aceitação e relembrar do seu rosto mesmo depois de alguns meses, havia uma certa incerteza sobre a sua sexualidade, não parecia um fato muito claro, mas existia uma certa desconfiança da minha parte, seu nome é Gustavo, e ele possuía um canal no Youtube, seu jeito de agir, falar, se expressar era um tanto peculiar e influenciavam diretamente nas minhas dúvidas sobre ele.

Eu era tão tímido, fechado no meu próprio mundo, tinha tanto medo, receio, era tão inseguro. Chamar algum destes garotos no privado decididamente era algo que estava fora dos meus planos, então eu basicamente pedia ao universo para conspirar ao meu favor, era o que eu fazia, pedia a ele que fizesse com que algum destes humanos me chamasse, mais precisamente o ser certo pra mim, a melhor alternativa, pedia por que não tinha a coragem suficiente para demonstrar meu próprio interesse, e o universo era a minha própria superstição, algo que criei e me apeguei pra maximizar as probabilidades, mera crença fruto e ilusão da minha própria imaginação.

Existiram algumas pessoas que demonstraram seus interesses, mas foram tão ilusivas quanto a minha superstição sobre o universo. Foram decepções, me machuquei de tal forma que passei a acreditar que eu não servia para o amor, e que ficaria sozinho pra sempre, pensamentos de solidão, me sentia dentro de um poço vazio enquanto ouvia as músicas que mais gostava, me afundando em pensamentos solitários.

Em meio a tantos momentos ruins e ilusórios, periodicamente visitava o perfil daquele garoto que já mencionei e que havia um interesse um tanto superior aos demais, o perfil do Gustavo, assistia seus vídeos, tentava buscar alguma certeza sobre o gênero ao qual se interessava, em um momento eu perdi um pouco as expectativas quando o mesmo alterou seu status de relacionamento com uma garota, mas ainda havia aquela cruel dúvida devido ao seu jeito icônico de ser.

Próximo de completar dezenove anos, um ciclo muito importante se encerrou pra mim, algo que depositei meus esforços e me dediquei da melhor forma que consegui durante dois anos se concluiu, minha formatura como Técnico em Enfermagem finalmente havia chegado, a colação de grau ocorreu no dia quatorze de janeiro. Se no amor não estava obtendo resultados significativos, ao menos academicamente as coisas estavam de certa forma diferentes. Foi um momento muito importante, onde os esforços que citei anteriormente tiveram um grande valor pessoal pra mim. Mas ainda havia uma grande jornada pela frente, precisava me inscrever no órgão fiscalizador pra poder exercer a profissão oficialmente e isso ainda demoraria algum tempo, mas naquele momento o que mais importava era o fato de estar finalizando mais uma etapa e com grande mérito.

Esqueci de mencionar também que minha mãe havia encontrado alguém pra consertar os anos terríveis ao lado do meu pai e suprir tudo aquilo que faltou durante todo o tempo em que ela esteve em um relacionamento ruim, Fernando o meu padrasto fez e faz muito mais por mim do que meu pai jamais fez e decididamente é o melhor padrasto e a melhor pessoa com quem minha mãe poderia estar hoje, alguém que veio apenas para acrescentar e agregar valor a palavra família.

Dois dias após a minha formatura, no dia dezesseis, enquanto vasculhava a timeline da minha conta no Facebook, me deparei com uma postagem do garoto ao qual sempre procurei saber. Gustavo havia realizado uma postagem na rede sobre estar assistindo a serie televisiva Glee, a qual eu posso considerar como uma das minhas favoritas, se não “a favorita”. Por ser algo a qual eu tenho um grande carinho, não hesitei a reagir aquela postagem com o indicativo de “Amei”, como um grande fã da série era o mínimo que deveria fazer, não haviam segundas intenções naquele ato, apenas mais uma “curtida” dentre tantas que ele recebia em seus posts, decididamente eu passaria despercebido por ele, como passei durante todo esse tempo.

Foi o que pensei, mas não exatamente o que aconteceu.


Notas Finais


Então, o que me dizem sobre isso?
Espero a opinião de vocês, que demonstraram interesse em ler!
Agradeço desde já!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...