História Sobre uma Garota e um Bad Boy - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Armin, Castiel, Iris, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Peggy, Personagens Originais, Rosalya, Violette
Tags Amizade, Amor, Garota, Namorados, Revelaçoes, Romance
Exibições 75
Palavras 1.405
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Você vai se arrepender!


Fanfic / Fanfiction Sobre uma Garota e um Bad Boy - Capítulo 8 - Você vai se arrepender!

Castiel

08.03.16

Vi Luke se ajoelhar a frente de Amrin e não acreditei no que ele iria fazer. Ele, literalmente, berrou um “namora comigo?” para a novata. A cara de Armin era uma mistura de surpresa, felicidade e um pouco de malícia.

Olhei para o lado e Lauren já não estava mais lá, América e Eliza também não. Provavelmente foram acompanhar a menina. Virei para Lysandre que estava pasmo com a cena que acabou de acontecer. Puxei para fora dali. Era isso que Luke queria, desestabilizar a ex-namorada, mas conseguiu muito mais, deixou todos nós em um estado que nem tem como descrever.

Aqueles que estavam ao lado dele, vieram conversar conosco. Rosa dizia que ele estava cada vez mais agressivo e babaca, isso nós notamos. Porém, ela disse que ele estava assim até com as pessoas que estavam o apoiando.

Nossa amizade não foi afetada com as escolhas que fizemos, do lado que ficamos, porém, tínhamos nos afastado, já que muita coisa não conversávamos um com os outros.

Kentin, Armin, Rosa, Melissa, Cassie e Dajan queriam saber o que nós tínhamos contra Amrin. Dizemos apenas que desconfiávamos de algumas atitudes que ela estava tendo. Lysandre disse sobre o que tinha visto, no caso, ela usando o antigo computador de Peggy. Já eu, contei sobre a pergunta esquisita que ela fez depois do que aconteceu em minha casa. Percebi que a platinada abaixou a cabeça nessa hora.

- O que foi, Rosa? – perguntou Lysandre, é ele também notou.

- Fico chateada porque eu quase briguei com Íris e Violette um dia defendendo Amrin. – ela fez uma pausa e se virou para as meninas. – Devo desculpas a vocês por aquele dia.

- Tudo bem, não sabíamos ao certo qual seria o lado correto dessa história, seguimos nosso coração.

- E eu errei! – Rosa admite.

- Mas não deve desculpas a nós, e sim a Lauren, ela ficou triste ao ver você se sentando ao lado de Amrin, mesmo a conhecendo mais tempo.

- Vou atrás dela.

Rosalya saiu igual a um furacão para achar as meninas. Íris e Violette a seguiram, queriam saber como Lauren estaria nesse momento. E pra falar a verdade, nós também. Iriamos ao porão espera-las, provavelmente estariam em algum banheiro.

América

08.03.16

Saímos do refeitório com Lauren e ela entrou na primeira sala que viu. Eliza a abraçou e eu sentei em uma carteira esperando a ruiva se acalmar. Ela soluçava de tanto chorar. Estava completamente sem chão e isso era visível. Imagino a dor que ela está sentindo, tenho quase a mesma cicatriz. Dói ver a pessoa que você ama com outra.

- Eu juro, eu nunca mais olho na cara dele! – ela se afastou de Eliza.

- Não fala isso, Lauren. Ele também está perdido. Está sendo enganado por Amy.

- Não importa, América. Ele passou dos limites.

- Isso tenho que concordar com ela. – disse a loira. – Foi longe demais.

- Também acho. Se ele tivesse apenas tentando te fazer ciúmes, mas isso é provocação demais. – me rendi.

O pior que depois disso tudo, eu sei muito bem como ele se sentirá. E meu maior defeito é não conseguir guardar rancor. Na verdade, na minha opinião, é minha maior virtude, é tão bom viver sem magoa no coração, porém, ao mesmo tempo, é feita de boba. Espera, eu nunca fui feita de boba por ser assim.

- Você só precisa perdoá-lo. Já te disse isso uma vez.

- Como?

- Não faça isso por ele, Lauren. Faça por você!

- Eu não vou ser feita de boba!

- E quem disse que saber perdoar é ser feita de boba? – perguntei.

- E não é?

- O fato de você perdoá-lo não quer dizer que vai voltar com ele, perdoe e viva em paz com sua consciência. Deixa a dele pesar pra lá. – ela ri.

- Bom, vamos lavar esse rosto. – Eliza a puxou. – Você parece uma panda. – nós três rimos.

Fomos em direção ao banheiro mais próximo e a ruiva lavou seu rosto. Vi Rosa entrar com Violette e Íris. A platinada estava de cabeça baixa, nada normal para ela. Aos poucos, levantou-a e olhou nos olhos de Lauren.

- Eu devo desculpas a você! – ela ia responder, mas Rosalya continuou. – Por favor, não fala que não. Eu simplesmente te dei as costas quanto mais precisou de nós. Isso até justifica a sua opção de falar para Lysandre o que desconfiava. Ele é o único que não julga antes de qualquer coisa, prova ou sei lá. Me desculpa, pequena. O que precisar, daqui pra frente, pode contar comigo!

Nesse instante, recebi uma mensagem de Castiel, pedia para que fossemos ao porão, respondi “O.K.” e falei para as meninas. Seguimos nosso caminho e acho que estava vendo coisa, Ambre estava aqui? O que fazia? Tinha sido expulsa ano passado! Por favor, Pai, não deixa ela voltar. Já basta Amy!

- CHEGAMOS!

Rosa já tinha se recomposto, também né, veio grudada com Lauren o corredor inteiro. Os meninos deram abraços em Lauren, Lysandre fora o último e Luke acabou entrando na hora. Puta que pariu!

Castiel

08.03.16

Vi Luke ficar vermelho de raiva e cerrar os punhos. Lysandre a soltou e ficou em sua frente, me posicionei ao seu lado e os meninos chegaram mais pra frente esperando a reação dele.

- Agora estão todos aqui para ver a cena e aplaudindo?!

- Cale a boca, Luke! – disse, cerrando os dentes.

Ele parecia o Castiel após a ida de Debrah. Eu não acredito que virei esse babaca! Descontando em tudo que via pela frente, ou em todos que apareciam em seu caminho.

- Qual é, Castiel! Você é um boco, já foi traído e tá ai, sendo trouxa outra vez.

Meu sangue ferveu e já fazia tempo que eu queria dar um tom novo para aquela cara bronzeada dele. Fui em sua direção, subindo os degraus onde se encontrava e dei o soco mais prazeroso que já fiz, tirando as brigas com Nathaniel, claro. Vi ele cair ao lado da escada, mas não teve nada demais, conseguiu até levantar sozinho. Desci até ele e ri, ninguém me impediu dessa vez, nem mesmo América. Acho que ela queria ter o prazer de fazer isso ela mesma.

- Não gosta de ouvir as verdades?

- Não ligo, Debrah realmente me traiu com meu melhor amigo e quando descobri não fiquei sendo trouxa igual você disse. – fiz de desentendido, ele não estava falando de Debrah.

- Engraçado, ele fez novamente com sua atual e está sendo trouxa agora.

Vi América me empurrar pro lado e acertar um soco do outro lado do rosto dele. Caraca, não pensei que ela fosse tão forte, deixou rapidamente um roxo no local.

- Sabe qual é o pior disso tudo? – América provoca.

- O que? – ele perguntou com a mão no hematoma.

- É que você vai se arrepender quando descobri a verdade da situação e quando isso acontecer, Lauren não estará disposta a te perdoar e muito menos te dar outra chance. – cuspiu as palavras em sua cara.

- E quem disse que quero outra chance?

- Agora não, mas vai querer quando descobrir a vadia que tua atual namorada é. Coitado! Você é que está sendo feito de trouxa e eu juro que vou rir da sua cara quando descobrir! – ela fez uma pausa. – E olha que eu nunca achei certo fazer isso, mas depois de tudo que você está fazendo, será um prazer.

Eu nunca vi América com tanta raiva no olhar e nas palavras. Me lembre de nunca provocá-la a esse ponto. Não estou afim de levar esse soco. Só está ficando mais roxo.

- Acho melhor você ir para a enfermaria. – disse América por fim, vendo que ele não falou nada.

- Tem certeza? Isso pode chegar ao ouvido da diretora.

- Não irá, sei que dará um jeito de não chegar, você não vai querer levar outro desses, ou pior. Não é, Luke?!

Caralho! Realmente não conhecemos as pessoas em nossa volta. O loiro a encarava com ódio, mas um ódio que parecia que seria capaz de devolver o soco que ela deu. Entrei em sua frente para evitar isso. Ele se ajeitou e subiu as escadas saindo dali.

- América, o que que aconteceu aqui? – perguntou Alexy entrando no porão e vendo a situação de Luke.

- Nunca me acuse do que eu não sou.

- Obrigado pelo aviso. – brincou Armin. 


Notas Finais


Comentem, sugestionem, critiquem, sei lá :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...