História Knee Socks - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan, Bangtan Boys, Bts, Jikook, Jimin, Jungkook
Exibições 830
Palavras 1.744
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Acho que não é segredo para ninguém que o Jimin é meu ultimate bias. Não foi desde que entrei no BTS, mas é aquele tipo de amor que a gente adquire com o tempo. Meu anjo está completando 22 anos hoje e só o que posso dizer é orgulho. Ás vezes me acho uma péssima fã, mas tento ao máximo dar apoio ao meninos e ao Chim, muitas vezes, principalmente para ele, por ter uma ideia meio estranha de que não há tantas pessoas que tem o meu anjinho como utt.
Enfim, essa fanfic é para ele, presente de aniversário. Deveria ser fofa, mas não. Espero que gostem.
Quem tá achando que é Jimin!bottom ... não sei, não.

Capítulo 1 - One


 

Jimin não sabia onde pôr suas mãos. Em volta de si, milhares de caixas embaladas de forma extravagante atrapalhavam a sua visão do lado de fora do quarto. Foi uma ideia meio idiota pedir aos seus hyung que o cobrissem com todos os presentes que ganhara no aniversário, infantil para falar a verdade, mas seus olhos enchiam de orgulho ao ver aquele amontoado de caixas.

Jimin se sentia amado como nunca.

Não estava acostumado a lidar com presentes. Preferia mil vezes se dedicar a presentear alguém do que receber em troca. Era preciosa a sensação de ser útil.

Jimin sempre teve muito cuidado com os sentimentos dos outros.

Ainda meio perdido com a quantidade absurda, decidiu pegar pequenas caixas bem no topo daquela montanha e se sentou no pequeno espaço que havia no chão, ao seu redor. Sorriu grande ao balançar a caixa e perceber algo pesado e na hora milhares de ideias surgiram em sua mente. Sua surpresa foi imediata ao encontrar um perfume Chanel, com um aroma agradável e fez uma nota mental de que quando acabasse de abrir todos, agradeceria todas as suas armys. Elas eram parte da sua vida, afinal.

Então, timidamente começou a recolher mais caixas e as desembrulhar com um cuidado que poderia considerar desnecessário. E a cada abertura, uma nova surpresa boa, a sensação de ser querido por alguém lhe invadindo como uma carícia gostosa durante o seu sono.

Só percebeu que havia desempacotado mais da metade dos presentes quando sua vista escureceu e seus olhos se fecharam em puro cansaço. Jimin levantou a cabeça, agitando o pescoço de um lado ao outro para melhorar a incômoda dor alojada na região. Deu uma boa olhada no quarto e na quantidade de caixas, agora vazias, do lado esquerdo do cômodo branco e cinza que dividia com Taehyung. Cansado, decidiu abrir mais uma, que estava um pouco escondida no cantinho direito, com uma embalagem chamativa de rosa e azul.  Sentou-se melhor dessa vez, com as pernas atravessadas e tirou as pequenas faixas que a cobriam. Sem ânimo, nem mesmo balançou a caixa antes de abri-la com rapidez, a fome comandando seus atos.

Mas se assustou assim que encontrou, logo de início uma carta pequena e rosa ao lado de duas meias. Franziu o cenho, confuso e estendeu ao que se parecia duas meias femininas.

Por que diabos meias ¾?

Tentou ler o pequeno bilhete, mas apenas algumas palavras e beijos foram captados por ele.

Fãs internacionais.

Tentou colocar o item estranho de volta a caixa, mas percebeu que não era apenas aquilo. Embaixo de um fundo falso, feito de papel roxo, possuía algo que dera certo trabalho para descobrir. Mas assim que viu, Jimin arregalou os olhos e chutou a caixa para longe.

Não que nunca tivesse visto um vibrador antes na sua vida. Mas aquilo era realmente demais.

Uma brincadeira sem graça.

Jimin respirou fundo, olhando de um lado para o outro do quarto, rezando para que nenhum dos seus hyungs tivessem visto aquilo e não pensou duas vezes antes de correr para trancar a porta. Taehyung, uma hora dessas, estava nas aulas de japonês junto com Jin e Jungkook.

Pegou a caixa e sem pensar, jogou todas as coisas que estavam dentro em cima de sua cama. Se deparou com um vibrador listrado de rosa e azul, um tubo de lubrificante, camisinhas, uma algema pequena e rosa e outro cartão.

Jimin não fez questão de ler, apenas continuou absorto a todas aquelas peças eróticas em cima da sua cama. Não é como se não lhe tivessem enviados artigos, digamos, peculiares. Algumas correntes, algemas, camisinhas e calcinhas chegavam com uma frequência admirável. E apesar das primeiras vezes o rosto de Jimin ter adquirido uma coloração rosada por algumas horas, era normal ter fã loucas que não mediam distância para chamar atenção.

Mas vibradores eram itens pouco acessíveis a adolescentes.

E caramba, o que faria com um vibrador?

Segundo as suas mínimas experiências, era usado apenas para dar prazer a mulheres. A não ser que...

Jimin sacudiu a cabeça milhares de vezes, atordoado demais.

Jogou-se em cima da cama, analisando o item a sua frente, curioso, anestesiado, confuso.

Lembrava—se perfeitamente da última vez que havia transado com uma mulher, há pouco mais de seis meses e por um momento vacilou ao recordar que não sentia saudades de dormir com qualquer uma, muito menos pensado em sexo durante todo esse tempo. Sentia atração por diversas, mas sempre desviava a sua atenção para qualquer outra coisa. Não era algo que fazia questão de ter. E mesmo quando necessitava de ter um carinho mais íntimo, se sentia insatisfeito ao se deitar com qualquer uma sem gostar, amar. Parecia que sempre faltava algo.

Isso não quer dizer que por vezes não se escondeu no banheiro durante a madrugada, tentando se satisfazer com as próprias mãos. Amaldiçoava seu corpo e hormônios por isso, mas era apenas a falta de alguém que pudesse lhe amar direito.

Como idol, suas chances eram reduzidas a quase 0%.

Mas a mente de Jimin viajou para o seu quarto novamente ao avistar as malditas meias ¾ jogadas perto do final da cama macia. E se amaldiçoou ao imaginar aquelas meias, femininas, em suas próprias pernas.

Bateu em sua cabeça, na tentativa de afastar os pensamentos estranhos. Afinal, isso era pecado.

Mas assim que sentiu a textura delas e como seriam macias em suas próprias pernas, decidiu, hipnotizado, que talvez não fosse tão pecado assim usá-las, uma vez.

Uma única vez, sem compromisso, apenas para matar a curiosidade. Para não deixar o presente inutilizado.

Saindo da sua zona de conforto, Jimin correu para frente do espelho, tirou sua calça jeans e camiseta, ajeitou a cueca preta no seu corpo e as colocou. Enrolou o processo pelo fato de não saber exatamente como puxá-las, mas em apenas cinco minutos, Jimin já se encarava no espelho grande do seu quarto com uma expressão indecifrável.

Não podia negar que a primeira vista, aquelas meias pareciam inadequadas para o seu corpo musculoso. Mas ao admirar suas pernas, umas, duas, três vezes, percebeu aquele enfeite feminino interessante.

Jimin puxou ainda mais, para ficarem bem esticadas em seu corpo e virou para olhá-las por trás. Sua cueca e meias pareciam combinar perfeitamente, ainda mais que seu corpo parecia bonito daquela forma. Desejoso.

Jimin sentiu sua cabeça e rosto pegando fogo, mas não estava disposto a tirar aquelas meias. Não sem mais uma olhadela no espelho.

Enquanto isso, Jungkook caminhava lentamente pelo corredor, olhando diretamente para o celular, despreocupado. Sabia que a bateria morreria a qualquer minuto e deixaria seu jogo e a conversa com o seu hyung para trás, mas era viciado demais para ter um controle a respeito. Entrou no seu quarto, algumas roupas jogadas pela cama, e em dois minutos correu por ele para achar um cabo branco, mas foi inútil. Revirou algumas roupas de Namjoon e até mesmo deu uma olhada rápida embaixo da sua cama. Tudo quase uma vez só.

Impaciente, Jungkook saiu do quarto e vasculhou com os olhos o corredor da casa atrás de qualquer coisa que se parecesse um carregador, o que era muito provável devido a capacidade de todos os outros garotos deixarem qualquer coisa em qualquer lugar.

Quando se deu por vencido, Jungkook encarou a porta a sua esquerda, com o nome de Taehyung e Jimin bem a sua frente e sorriu ao lembrar que seu hyung estava em casa. E nada melhor do que oportuna Jimin uma hora daquelas e ainda roubar o carregador dele.

Caminhou até lá e abriu a porta com um sorrisinho sacana no rosto, disposto a subordinar Jimin pelo seu carregador, mas a cena que viu fez seus olhos arregalarem. As caixas de presente do aniversário estavam dispersas pelo quarto, assim como as roupas de Jimin. Ele encontrava-se em frente ao espelho, apenas com uma cueca e meias 3/4 , sorrindo de forma tímida, encarando suas próprias coxas.

Coxas essas fartas para meias femininas e delicadas.

Jungkook ficou admirado com a cena, se não chocado, e ficou ainda mais perplexo quando viu as mãos de Jimin deslizarem pelo seu corpo, de forma sexy e desejosa, como se estivesse sendo tocado por outras.

Jungkook colocou o peso do seu corpo para apenas um lado e passou a observar avidamente o quase loiro. Parecia hipnotizado. Afinal, Jimin não era um hyung ruim. Fazia questão de tirar proveito em algumas horas do dia, das suas coxas e braços, mas com a plena desculpa de um fanservice barato. Jimin era bonito. Com seu sorriso torto, lábios bonitos e desejosos. Mas dava todos os indícios de ser hétero, o que para Jungkook sempre foi uma grande mentira. Não que fosse abertamente livre, sabia das suas restrições, mas todos os seus amigos mais próximos, incluindo o próprio hyung, sabiam que ele mesmo não curtia apenas mulheres.

Mas Jimin sempre levava na brincadeira mansa de que eram apenas irmãos.

Bobagem.

Rindo internamente e imaginando como aquela cena renderia boas chantagens, Jungkook retirou o som do seu celular e com a pouca bateria que ainda possuía, clicou no ícone da câmera. Mesmo que por apenas cinco minutos, teria que gravar aquela cena, deixar registrado. Não era o seu hyung que era hetéro, no final das contas?

E assim fez. Os primeiros três minutos foram apenas Jimin se virando para todos os lados, olhando para o seu corpo naquele par de meias. Jungkook queria ter coragem de ir até lá, elogiar seu hyung, mas isso faria com que acontecesse um clima estranho e Jimin se afastasse. Não queria isso. Quando seu celular denunciou que finalmente desligaria, os olhos de Jungkook desviaram apenas por alguns segundos para salvar e finalmente colocar o seu celular no bolso. Quando voltou a encarar o mais velho, se assustou a encontrar o loiro deitado na cama, com a cueca no meio das coxas fartas e a mão acariciando seu próprio pênis , deliciosamente. Jimin gemia vagarosamente, seu peito subindo e descendo de forma bem visível. Umas de suas mãos passeavam pelo seu próprio cabelo e para Jungkook, aquilo parecia o próprio pecado. Sem querer, Jeon arfou baixinho, não acreditando nos seus olhos e na sua própria reação. Estava tão desconexo que nem mesmo percebeu quando os olhos de Jimin lhe encaravam com espanto enquanto subia sua cueca de volta para o lugar.

– Jungkook-ah?

Jimin tentou falar algo mais, mas Jungkook saiu correndo para o seu quarto e se trancou com a respiração desregular.

 


Notas Finais


Essa fanfic vai depender unicamente de vocês. Pensei em ser só uma OS, mas quem sabe não vire uma Twoshot?
Estou esperando o apoio. BEIJÃO
FELIZ ANIVERSÁRIO, MEU PÃO DELICIOSO!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...