História Socorro (Castiel - amor doce) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Personagens Originais
Tags Alicia, Amor Doce, Castiel, Help, Psicopata, Sadomasoquista, Suícidio, Violencia
Visualizações 62
Palavras 1.516
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Lyssandre (Part 1)


Fanfic / Fanfiction Socorro (Castiel - amor doce) - Capítulo 5 - Lyssandre (Part 1)

P. O. V. Alicia on/

Alicia: (eu estava sentada em minha cama lendo livro, era um dos clássicos de Sherlock Holmes, sempre gostei de Sherlock Holmes, eram os livros que minha mãe mais gostava, desde então comecei a ler, e devo admitir, é maravilhoso vc se intriga com a história... O dia hoje estava frio e nublado, um dia cinzento mais concerteza agradável, como eu moro na Europa percebo que o clima é muito peculiar, hora está frio e nublado e hora está quente e claro, mais com toda certeza eu prefiro os dias frios e nublados, principalmente porque eu tenho que usar casacos para esconder as cicatrizes, e se eu usar casaco no calor me sinto sufocada…)

[•••]

Alicia: (eu estava no pátio da faculdade que se encontrava deserto, apenas observado ao redor, até a presença de alguém prevalecer naquele ambiente, um rapaz havia se sentado no banco ao meu lado, se eu me recordo bem, eu acho que esse é o Lyssandre, nós cursamos psicologia, ele tem cabelos platinados que escurecem nas pontas, olhos bicolores de cor âmbar e verde esmeralda, ele usa roupas vitorianas e tem uma ótima postura, sempre que eu o vejo ele está com um bloquinho em mãos, mais dessa vez ele se encontrava de mãos vazias, ele olhava na mesma direção que eu, ele parecia não estar encomodando com a minha presença diferente de outras pessoas, eu me sentia insegura, contato com outras pessoas não era muito comum no meu dia-a-dia, ele parecia pensar em algo até sua boca se abrir insunuando que ele iria falar algo)

Lyssandre: gosta de apreciar a paisagem?

Alicia: (apesar daquele ambiente não ser exatamente um paisagem, era apenas uma pátio, mais no meio dele havia uma fonte com algumas ervas em torno da estátua de anjo que se encontrava no topo da fonte, de certo modo era bem agradável) sim

Lyssandre: não está com frio? estás apenas com este fino casaco que parece não lhe aquecer

Alicia: não, e vc? não está?

Lyssandre: essas roupas são bem quentes então não sinto frio… mais o que vc faz aqui fora nesse lugar totalmente vazio?

Alicia: estava entediada em meu quarto e escolhi esse lugar exatamente por não ter pessoas

Lyssandre: não gosta de contato com pessoas?

Alicia: na verdade sempre estive sozinha então aprendi a conviver com isso, e acabou virando necessidade estar sozinha, a ausência de pessoas deixou de ser solidão e acabou se tornando companhia, e também as pessoas querem o máximo de distância de mim, quer dizer, quem vai querer ficar perto da esquisita e antissocial da faculdade?

Lyssandre: eu não acho que vc seja esquisita ou até mesmo antissocial

Alicia: então o que vc acha que eu sou? (Digo direcionando meu olhar até sua face que agora se encontrava em um misto de confuso e curioso) olhando para mim, o vc acha que eu sou?

Lyssandre: uma menina que está fugindo de si mesma e acha que isso é o melhor a se fazer, mais sabe que é alguém com coração bom e que está tentando poupar as pessoas de perder o tempo se importando com vc

Alicia: isso é bom ou ruim?

Lyssandre: é decepcionante, vc sabe que esse não é o melhor a se fazer, vc deve ter seus problemas mais não deixe isso te dominar, vc é boa e se importa com os outros

Alicia: como sabe? Como sabe que eu me importo com outros?

Lyssandre: pelo fato de esconder seus problemas apenas para si, se não se importasse com outros, concerteza iria acusar as pessoas de seus problemas, e veja, vc não faz isso, isso esclarece que vc apenas não quer que alguém tenha que levar os seus problemas nas costas

Alicia: e como sabe que eu tenho problemas?

Lyssandre: eu sei que vc usa esse casaco apenas para esconder sua cicatrizes, se não tivesse problemas não iria se cortar

Alicia: c-como…

Lyssandre: veja

Alicia: (ele levantou a manga da sua camisa revelando duas cicatrizes na horizontal, nunca passou na minha cabeça que iria encontrar alguém que se corta, mais a uma grande diferença entre eu e ele, é que ele parece mais amigável e cauteloso, já eu, não tento me aproximar das pessoas e não penso antes de fazer, concerteza ele deve ter sofrido bastante, afinal Lyssandre não parece ser o tipo de cara que se corta por qualquer besteira, isso concerteza despertou minha curiosidade)

Lyssandre: eu me cortava por causa das coisas que aconteceram no meu passado, tentei parar com isso mais vc deve saber que é mais difícil do que parece

Alicia: (apenas concordei com a cabeça, realmente é difícil parar com os cortes, já tentei inúmeras vezes e até hoje faço isso) eu nunca pensei que uma pessoa como vc se cortava

Lyssandre: ham?

Alicia: vc não parece o tipo de pessoa que abala com qualquer coisa, vc tem uma postura e comportamento ótimo, nunca iria passa na minha cabeça que vc seria uma dessas pessoas que tentam descontar sofrimento por cicatrizes

Lyssandre: é aquela famosa frase, "não julgue o livro pela capa", se as outras pessoas pensam como vc concerteza não sabem como eu sou, eu te peço apenas uma coisa, não conte isso para ninguém

Alicia: faça o mesmo por mim, e pode ter certeza que não contarei (minha vontade de perguntar quais são os problemas dele está me consumindo, mais eu percebi que ele não está muito a vontade para conversar sobre isso)

Lyssandre: sou muito grato, nunca contei a ninguém sobre as cicatrizes vc foi a primeira a saber

Alicia: e vc confiaria em uma estranha como eu?

Lyssandre: eu sei que vc não irá contar, pelo menos eu espero

Alicia: (me senti estranhamente feliz por saber que ele confia em mim, eu sei que é difícil contar isso para um desconhecido feito eu mais realmente ele confia em mim ao contrário de muitas pessoas. De repente sinto pingos de água caírem sobre nós, estava começando a chover, isso já era previsível, o tempo fechado desse jeito, concerteza iria chover, só não imaginei que seria agora)

Lyssandre: vamos sair daqui antes que comece a chover de verdade

Alicia: (nós levantamos e fomos para dentro da faculdade, subimos os andares até chegarmos aos dormitórios, Lyssandre parou em frente a terceira porta do dormitório masculino, mais antes de entrar ele olhou para mim e abriu um sorriso gentil e dócil)

Lyssandre: até mais, é….?

Alicia: Alicia, meu nome é Alicia

Lyssandre: até mais Alicia

Alicia: até mais Lyssandre (ele entrou no dormitório e eu me dirigi até a porta do meu, a porta de frente ao meu dormitório se abre revelando o mesmo ruivo que me viu se cortar aquele dia, quando ele notou minha presença esboçou um sorriso irônico e caminhou até o quarto em que Lyssandre acabou de entrar se adentrando no mesmo, esse ruivo me parece maldoso, sempre com um sorriso irônico nos lábios e os olhos repletos de maldade, estranhamente maldoso, adentrei em meu quarto retirando o fino casaco que eu usava, o dia começou de uma maneira diferente, mais eu não consigo tirar a imagem do ruivo da minha cabeça, ele me parece muito estranho, e eu ainda estou consumida pelo fato de Lyssandre acabar de revelar que se corta pra mim, eu queria muito saber o porque dele fazer isso, minha curiosidade ainda vai me matar juntos com as outras coisas que estão me matando)

P. O. V. Castiel on/

Castiel: (eu fui até o dormitório de Lyssandre após encontrar minha "vizinha" de quarto, sinceramente essa menina é muito esquisita, porém ela é muito bonita apenas não valoriza isso, eu entrei no quarto de Lyssandre sem ao menos bater, eu sei que isso é perigoso ele poderia está trocando de roupa, mais eu não tenho paciência de bater na porta para alguém vim atender, para minha sorte ele estava sentado em sua cama escrevendo no seu bloquinho, ele só escreve quando está com inspiração que eu acho que é o caso de agora, ele notou minha presença e direcionou seu olhar a mim, rapidamente ele guardou o bloquinho e se levantou da cama me encarando)

Lyssandre: o que faz aqui?

Castiel: eu vim ver seu eu tinha esquecido minha palheta aqui, mas… o que estava escrevendo?

Lyssandre: não era nada de mais

Castiel: não minta pra mim Lyssandre

Lyssandre: não é nada, são coisas pessoais

Castiel: hum… mais e minha palheta?

Lyssandre: a sim, eu tinha guardado ela pra vc, espera só um minuto

Castiel: (ele se virou e foi até a escrevaninha procurando a palheta, olhei para cama e percebi que seu bloquinho de notas estava em cima dela, sem ele perceber eu o peguei e coloquei no bolso da minha calça)

Lyssandre: achei!

Castiel: (ele veio até mim com a palheta em mãos) obrigado agora eu preciso ir

(Sai do quarto dele sem ao menos deixar ele falar, fui para o meu quarto e guardei a palheta, remexo o bloquinho dele até achar o o que ele estava escrevendo, pelo menos eu acho que era o que ele estava escrevendo, está escrito assim)

"Ela tem cortes nos braços

Dor urbana,

Fobia social,

Grito abafado,

Incompreensão geral,

Em fuga

Pede ajuda,

A multidão é surda,

Pedra nas mão,

Em fúria,

Realidade absurda,

Se automutila

A espera de uma chama de vida."

- Alicia

Castiel: (Alicia? Ele conversou com ela? Ele sabe que ela se corta? eu só quero saber como eu vou devolver isso para ele, me ferrei)



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...