História SOCORRO! Vivo com loucos - Capítulo 4


Escrita por: ~

Exibições 6
Palavras 2.082
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Chorei com esse episódio muito tenso.... Ai...

Capítulo 4 - Revelação


Fanfic / Fanfiction SOCORRO! Vivo com loucos - Capítulo 4 - Revelação

Aquilo tudo era muito vergonhoso ver os outros rirem de mim, fui até o banheiro tirei toda aquela tinta agora sim estou com pavor de biquíni, sério eu estava chorando... Me lavei e coloquei uma roupa limpa, não ia voltar para a piscina não depois disso... Peguei meu celular liguei para minha mãe estava com muitas saudades dela, conversamos ela me perguntou tantas coisas que acho que fiquei tonta, hello mãe não sou uma máquina vamos devagar. Ela me conhecia e perguntou se eu estava triste, a princípio neguei mas com ela não adianta. Foi bom ouvir tua voz! Aquele verão foi incrível... Principalmente por estar ali com meus amigos. Na cozinha da casa de praia conversando com Brenda

 

Brenda: o que tinha naquele seu biquíni?

 

Carol: Realmente encontrei nada nele

 

Brenda: muito estranho...

 

Derek aparece atrás de nós pegando um bolinho na mesa:  E aí? Que mágica foi aquela hein? - mágica sério? Agora todos vão ficar me zuando...

 

Bryan e Shawn aparecem rindo de alguma coisa

 

Bryan coloca suas pernas levantadas na mesa

 

Brenda: Meu Deus... Tu não tem modos - empurra as pernas dele que caem ao chão

 

Bryan: tá prendada

 

Shawn: Ele nunca tem e você Carol? 

 

Carol: o que vai me zuar também?

 

Shawn: eu disse nada oxi! -rimos

 

Apesar daquele mico e de outros que tive... Sim tive outros, tropecei na escada quase cai nada sério, Brenda acha que colocaram algo na escada estava lisa demais mas acho que é coisa da cabeça dela,  encontrei uma foto de quando era pequena rasgada, sei que alguém fez aquilo mas deixei pra lá essa viagem estava sendo muito boa apesar dessas coisas... Podia ficar mais perto dos meus amigos, Brenda me dava umas broncas quando esquecia de fechar a pia direito, Débora sempre me ajudava e estava comigo, eu e Shawn nos aproximamos não conhecia tão bem ele já estávamos em um relacionamento... Ele é muito diferente de mim. O que posso dizer dessa viagem foi a única e melhor que tive. 

 

Quando voltamos para a Califórnia na casa da Brenda tudo voltou ao normal o serviço, Lisana me atormentando, a escola, quer dizer quase tudo agora tinha a Débora ela sempre queria ajudar os outros isso me alegrava, eu via Shawn com frequência passavamos horas conversando cada dia que passava nos amavamos ... Estava mais presente na vida dos meus amigos também. Mas claro que nem tudo é tão lindo assim... Tinha percebido depois de um dia longo de trabalho que minha mãe não estava por ali procuro ela pela casa

 

Lisana: Carol?! - ela fala desesperada parecia que havia chorado...

 

Carol: O que houve? - achei estranho ver ela assim

 

Lisana: A sua mãe... - ela me mostra um pedaço de um jornal nele estava escrito "mulher foi assassinada com 5 tiros" embaixo tinha o nome da minha mãe e uma foto antiga dela, aquilo foi o fim minha mãe era tudo para mim, soltei aquele papel

 

Carol: não, não pode ser! - digo desesperada - quero ver ela

 

Lisana: calma querida - tá era estranho, mas na hora nem pensava na atitude de Lisana e sim na minha mãe, ela me abraçou eu chorei muito fui para o meu quarto e fiquei lá

 

Ouço o celular tocando era um homem com uma voz grossa e firme ele me disse: "sou um amigo de seu pai, fique longe do Shawn ou eu o mato, depois ligo para saber tua resposta" fiquei com muito medo, estava indo tudo tão bem comigo e o Shawn, contei isso para Brenda. Não podia contar para a Débora ela nem imaginava que estavamos juntos. Falei desesperada com a Brenda ela tentou me acalmar mas a situação era bem séria... Brenda desconfiou pediu para eu perguntar mais para ter certeza que era um amigo do meu pai. Fiz perguntei mas esse moço sabia de tudo, disse ainda que estava fazendo isso porque meu pai queria que eu casasse com aquela outra pessoa que vocês sabem bem e ainda sabia do Shawn a vida dele, o que fazia a cada horário... Tudo... Estava apavorada...

 

Pensei muito fui até Shawn bati em sua porta do quarto...

 

Carol: preciso falar contigo

 

Shawn vem em minha direção eu recuo...

 

Shawn: entra.. - ele fica sem entender

 

Carol: preciso, terminar contigo - falei com muita dor não queria fazer isso... Eu amava ele muito tive que fazer, sai de lá pensando na reação dele, ele ficou me pedindo explicação só conseguia dizer que era pro bem dele falava isso chorando e ele ficava mais perdido ainda... Ele também sabia da morte da minha mãe e aquilo complicou mais para nos afastarmos

 

Me afastei dele, até que ele não me procurou mais... Aquela época longe dele foi a pior além de ter perdido minha mãe meu pai agora estava querendo acabar com a minha vida. Fui no enterro de minha mãe, odeio cemitérios mas era minha mãe, foi lindo o enterro pude relembrar de quando era pequena e ela cuidava de mim... Débora me consolou muito pela morte de minha mãe e sempre dizia que sentia muito. Brenda tentava falar comigo mas eu a rejeitava me lembrava muito o Shawn... Mesmo vivendo na mesma casa que eles eu quase não saia do meu quarto. Até que um dia fui no quarto de Débora e vi ela caída ferida 

 

Carol: Débora vou chamar ajuda - ela tava muito mal

 

Débora: Não... Tá tudo bem eu mereço

 

Carol: o que você tá dizendo, ninguém merece uma coisa dessas

 

Débora: eu preciso te falar algo tenho pouco tempo, tem alguém que te odeia muito

 

Carol: não, você tem toda a vida pela frente força você consegue... Odeia?

 

Débora: vá no meu armário pegue um caderno escrito "minha vida" tá tudo lá... E eu nunca amei o Shawn mas me promete você vai ficar ao lado dele? Sim... Eu sei que vocês tavam juntos... Só me promete isso

 

Carol: eu prometo mas eu não posso... -não estava entendendo o que ela queria dizer, aquelas foram suas últimas palavras eu vi ela indo... Gritei seu nome fiquei com ela no chão. Quem poderia me odiar tanto ao ponte de fazer algo contra mim? Fui ao armário ali estava o caderno que ela disse, nele contava que que todos aqueles micos que passei foi ela quem havia feito, Lisana só estava com o pai do Shawn por dinheiro e havia matado minha mãe porque na verdade Lisana era mãe de Débora, Lisana mesmo aparentando ter 20 e poucos anos já tinha 45, água da juventude não sei... e Débora era filha do meu pai, ela era minha irmã... Lisana odiava minha mãe porque meu pai não amava ela... Lisana e Débora contraram um homem para fingir que era amigo do meu pai querendo matar Shawn. Por isso ele sabia da vida de Shawn e do meu pai... Débora estava cansada das maldades de sua mãe ela não queria mais aquilo não amava Shawn e queria que sua mãe parasse deve ser Lisana quem matou Débora e mesmo assim ela teve o esforço de me contar antes de partir Débora não era má! Depois de conviver comigo ela escreveu que percebeu as coisas ruins que fazia e queria mudar....

 

Mostrei o caderno pro Shawn. Lisana foi presa, passaria a vida toda na cadeia... Vocês devem estar se perguntando se voltamos... Sim voltamos. Apesar de agora não ter minha mãe e ter perdido uma amiga tinha ainda Shawn, Brenda, Derek e Bryan. Hoje vejo que devia ter escutado a Brenda... Shawn me falou que bem no dia que terminei... Ele ia me pedir em casamento. Gente me senti péssima, mas ele me pediu oficialmente. Eu fiquei imaginando como que ele se sentiu com toda aquela situação. Iamos nos casar assim que acabassemos a escola já que estamos no 3° do ensino médio e está muita correria... Tinhamos muitos seminários para fazer além de pensar na formatura e minha sala lógico que queria uma viagem e certeza que eu não ia estava sem condições para aquilo

 

Diretora: Pessoal! Tenho um recado importante – ele diz pelo interfone de sua sala onde a escola inteira poderia escutar – Os alunos do 1º ano por favor tirem seus cartazes dos murais precisamos deles para outras coisas e parem de correr pelo corredor sem nenhum compromisso. Agradeço! – Digamos nossa diretora não era tão agradável ela já gritou comigo por estar bebendo água no bebedouro, ahn? É! Só por isso...

 

Na cantina a comida não era tão ruim toda sexta tínhamos cachorro quente, Shawn do jeito que é comilão pegava 5 de uma vez. Nós cinco estamos sentados em uma mesa perto da parede, poderíamos ver um grupo de garotas vindo a do meio é uma ruiva com sardas ela é Raquel entrou recentemente na escola mas ela gosta de falar com todos. Ela vem em nossa direção

 

Raquel: Oi Bryan, Shawn, Derek, Brenda e quem é você mesmo? – Normal esquecerem meu nome, eu ia responder mas ela me interrompe – Ai coitada esqueceu o próprio nome

 

Shawn: Carol! – Ele me olha, aquele olhar significava: responde... Também olho para ele, aquele olhar significava: Eu ia responder, ele faz cara de que não entendeu, bufo, lerdo...

 

Raquel: Ah. Carolina...

 

Carol: É só Carol...

 

Raquel: Tá só Carol – Ela se senta na mesa ao lado

 

Bryan: fala nossa língua? – Bryan fala boiando com as caretas que estavamos fazendo

 

Shawn: Nossa língua

 

Carol: Retardado! Nem vem com retardou... – Geralmente quando você chama ele disso já sabe o que ele respondi

 

Bryan: Retardou – todos riem Shawn bate na mão do Bryan

 

Do nosso lado ouvimos uma voz feminina não me parecia conhecida

 

Garota: Oi Shawn – viro e vejo uma criança uma menina com aparelho e cabelo com transas, sua voz sai estranha por causa do aparelho não que achava estranha até achei fofa

 

Shawn: Ah não... – Ele abaixa a cabeça colocando uma das mãos na cara, olho para ele que reação estranha foi aquela, a garota pega a maça que estava na bandeja do Shawn ela sai contente correndo e fico sem entender quem era aquela menininha. Shawn conhece muita gente que não sei de onde vem todo esse povo

 

Carol: Quem é essa garotinha?

 

Shawn: Minha irmã...- Sério ele tinha uma irmã?

 

Continuamos ali comendo e rindo quando vemos Daniela vindo ela é alta, morena, toda de rosa, mora perto da casa de Brenda é de lá que a conheço não é o tipo de pessoa que eu gostava de ter perto não que ela era chata mas ela era uma patricinha, cheia de frescuras mesmo... Ela é de uma família rica, não conheço muito dela. Sim ela é uma Sharpay da vida   

 

Daniela: Mas o que isso? – ela pega meu pote onde tinha ervilhas – Ervilhas eca deve ser em lata – ela joga no chão, é um desperdício jogar comida assim... – Desculpa! Tu ia comer... Desculpas mesmo....

 

Carol: Nada... – Agora que jogou mesmo, já deu para conhecer a Daniela né, pois é passamos esse último ano com ela, foi um ano que voou, sentiria saudades da escola Brenda é a que mais ia sentir ela sempre foi bem estudiosa e estudava naquele colégio desde o pré, nasceu lá praticamente. Todos seguimos nossos caminhos, agradeço até hoje de Brenda e seus pais terem deixado eu morar na casa deles.

 

Se passaram 3 anos. Mesmo saindo da escola ainda trabalhava na empresa dele mas agora como gerente... Muitas coisas mudaram Brenda fazia medicina, Derek fazia nada da vida como sempre, Bryan arranjou um emprego, ele trabalhando? Pois é... Eu e Shawn casamos, aquele dia nunca vou esquecer foi muito especial, não morava mais com a Brenda, tínhamos nossa casa. Shawn trabalhava com remédios. Eu estava tentando passar na faculdade de Artes que queria mas minha vida estava corrida, tudo parecia bem até aquela noite, estava voltando para casa como sempre fazia, andando pelas ruas e naquele horário era muito movimentado não vejo um carro vindo, fui atropelada. Quando acordo, vejo um quarto branco, as luzes eram fortes que não conseguia abrir os olhos direito e na minha frente vejo Shawn dormindo, acabo acordando ele ao me mexer, ele levanta a cabeça e fico feliz em ver seu rosto

 

Carol: Te acordei?

 

Shawn: Tudo bem! Você sofreu um acidente, um carro veio não te arremessou foi batida leve e não é nada grave

 

Carol: É... Eu lembro daquele carro vindo em minha direção... – de repente vejo alguém de branco entrando vejo seu rosto era Daniela me surpreendo, ela virou enfermeira...

 


Notas Finais


Lisana foi desmascarada ... Débora não merecia esse fim. Cof cof Daniela vai aprontar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...