História Sofrer Por Você - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Jikook, Taekook, Vkook, Yoonkook
Exibições 39
Palavras 532
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


PVFR LEIA ISSO.
SÉRIO.
Gente, me perdoem por demorar de postar...
É q eu tenho provas e tal.

ATENÇÃO
esse capítulo vai ter um conteúdo mais adulto.
Não esse tipo de conteúdo, de violência mesmo.
ESSE CAPÍTULO EH O PASSADO DO SUGA
(Eu realmente me empenhei fazendo isso spokssoaks)

Capítulo 9 - Sangue E Correntes


— Mãe, cheguei! — Eu gritei — Abra a porta!

Eu bati nela.

— Mãe?

Ouvi barulhos no quarto, eram gritos.

— Seu maluco! Você tem que parar!

Estão brigando novamente. Minha mãe e meu pai.

— Ei, Abram a porta!

Ela se abriu.

— Vovó?

— Oi meu querido, está ficando grande, hein?!

— Vó...

— Yoon está crescendo!

Nós ficamos em silêncio por conta dos gritos.

— Yoongi, eu sei que está difícil, mas... Feliz aniversário!

— Obrigado...

— Entre.

Os gritos ficaram mais profundos.

— ...

— ...

— Vou preparar seu almoço.

E subi as escadas, ficando cada vez mais próximos dos gritos.

— Ai, que agonia. Não vou interferir.

Fiz minha higiene e voltei para almoçar.

— Vovó?

— Venha sentar, Yoongi.

Sentamos e comemos em silêncio, só ouvindo a briga. Eu não estava confortável.

— Alguém está descendo as escadas...

Era meu pai.

— Pai? Aonde está indo?

— Para nenhum lugar importante...

Ele saiu com uma blusa polo e sua carteira.

— Vai dar ruim... — Eu falei, enquanto meu pai batia a porta.

— É melhor você não se preocupar.

— Eu sei...

— Vá terminar o almoço.

Depois de alguns minutos, consegui terminar.

— Eu vou ver mamãe.

— Pode ir.

xXx

— Mamãe? — Abri um pouco a porta.

Ela só me olhou com olhos vermelhos e arregalados.

— Yoon...

Na mesma hora, fui em direção dela e dei um abraço.

— M-Mãe...

— Filho...

Ela retribuiu.

— Não se preocupe. Eu sei cuidar de mim, além do mais, eu não quero te envolver nisso.

— Mas...

— É serio, eu não quero te fazer sofrer. Vá descansar.

 

xXx

Chegou a noite, fui dormir.

Estava com medo... Algo muito ruim iria acontecer. ALGO MUITO, MUITO RUIM. Pai... Onde você se meteu? Eu não quero mais isso desse jeito... Não quero mais brigas!

Peguei no sono.

xXx

Depois de algum tempo, acordei, assustado.

Com barulhos.

Não, não esse tipo de barulho.

Gritos.

Não, não esses gritos.

Gritos de dor

Não, não esse tipo de dor.

Aquela dor.

Tortura.

Estava vindo do quarto de minha mãe novamente. Eram gritos femininos.

AHHHHHHHHHHHHH!

Os gritos pioraram, sem demora, corri o mais rápido que pude.

A porta estava encostada. Eu a empurrei um pouquinho. Não notaram minha presença.

Foi a pior cena em toda minha vida.

Sangue e Correntes. Foi o que eu vi.

Isso mesmo, meu próprio pai, estava machucando minha mãe com correntes.

Só vi carne viva, arranhões, pele, sangue, sangue e mais sangue.

Aquilo é tortura.

TORTURA!

Eu odeio gritos. Eu odeio gritos.

Perceberam que estava aqui, então voltei para meu quarto e fiquei quieto na minha cama.

Meu pai estava bêbado, tenho certeza.

Ele saiu do quarto e foi pro quarto dos hóspedes.

Mais gritos

Da minha avó.

Não tive mais coragem de levantar.

Só ouvi.

xXx

Estava traumatizado. Totalmente.

Os gritos pararam, e parece que meu pai foi embora.

Levantei na mesma hora e fui até minha mãe.

— MÃE, ME RESPONDA, MÃE!!!

— F-Filho.

— MÃE, MÃE, MÃE!

— N-Nunca mais confie em ninguém. A-Antes, certifique se essa pessoa é boa.

Ela estava perdendo a conciência.

Ela está toda machucada... Muito machucada, muito, muito mesmo.

— ISSO NÃO IMPORTA MAIS, VOU CHAMAR A AMBULÂNCIA.

Eu chamei o mais rápido possível.

Foi terrível. Emergência, médicos..

Ah, mas... E a minha avó?

Sim, sim, sim... Ela está em lugar melhor.

Nó céu.

Ele a matou. 


Notas Finais


Eu realmente me empenhei ashaush
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...