História Sol da Meia Noite - Armadilhas do Destino - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Kisame Hoshigaki, Konan, Konohamaru, Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Moegi, Nagato, Naruto Uzumaki, Obito Uchiha (Tobi), Pain, Rin Nohara, Sasori, Sasuke Uchiha, Shisui Uchiha
Exibições 95
Palavras 2.138
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá pessoas do meu agrado!

Feliz dia das Crianças! Hoje a inspiração bateu em minha porta e resolvi escrever e postar um capitulo novo para vocês, esse capitulo começa a contar um pouco do passado de nosso casal, principalmente o motivo das escolhas do Deidara. Espero que fiquem atentos as pistas, pois, eu deixei e muitas para desvendarem os mistérios de Sol da Meia Noite - Armadilhas do Destino, ok?

Kissus.

Capítulo 6 - As escolhas que fazemos!


Deidara ...........

Depois que recebi a ligação do Shisui no final da tarde passei o resto do dia com a mente a mil. Não sei o que é pior, a incerteza de que tudo dê certo ou a certeza que ele finalmente vai saber de tudo muito em breve.

- Kami - Sama me ajude, por favor – pedi mais uma vez – olhando meu reflexo em frente ao espelho do banheiro.

Se tudo sair como Shisui me falou Itachi irá vir me procurar em breve e eu preciso está pronto – pensei ao relembrar a ligação dele.

FLASHBACK ON

- Alô – respondi atendendo meu celular – Oi Shisui, o que houve?

- Kisame acabou de me ligar avisando que já fez a proposta ao Itachi – respondeu suspirando – E ele como eu previ está desconfiado de nós. É bom que esteja preparado Deidara, porque conhecendo o Itachi como eu conheço ele muito em breve vai te procurar – alertou calmamente.

-  Me desculpe por envolve-lo nisso Shisui – pedi mais uma vez – Eu não tenho como agradecer o que está fazendo para me ajudar.

- Só não estrague tudo – pediu – E lembre-se você tem que fazer o Itachi ficar com o ego ferido, só assim ele vai aceitar participar do programa culinário, ok?

- Certo, não me esquecerei disso – garanti.

- Espero que não e boa sorte Deidara – desejou desligando o telefone.

- Obrigado – respondi olhando para o celular – Com certeza eu vou precisar.

FLASHBACK OFF

- E assim minha noite foi angustiante, pois, mesmo que eu deseje mais que nunca me aproximar do Itachi o quanto antes, eu tenho medo de sua reação ao descobrir a verdade. Será que ele vai me perdoar por ter o abandonado? Será que ele entenderá que fiz isso por amor a Konan? – fiquei me perguntando mais de uma vez.

Após colocar Sophia para dormir umas nove horas da noite, fui para meu quarto tomei um banho demorado, vesti um shortinho para dormir e deitei na cama, tentando pegar no sono, mas, falhando totalmente.

Não sei quanto tempo demorou, mas, quando finalmente estava conseguindo fechar os olhos a maldita campainha começou a tocar.

Depois de me levantar irritado, caminhei em direção a porta e qual não foi minha surpresa ao abrir a porta.

- Itachi?! – perguntei surpreso, ao velo parado em frente à minha porta. Me olhando com uma raiva palpável.

- O que você pretende? – indagou segurando meu braço já entrando no meu apartamento de forma abrupta – Se você está pensando que pode se meter na minha vida está muito enganado, está entendendo? – perguntou zangado.

- Ahn? Não sei do que você está falando – dissimulei – Me larga você está me machucando.

- Não se faça de sonso Deidara – Grunhiu - Que eu sei muito bem que está envolvido na proposta que meu sócio recebeu – disse se aproximando cada vez mais do meu rosto.

- Eu já disse que não sei do que está falando – afirmei também irritado com sua grosseria – Eu não me envolvo no processo de seleção dos chefes.

- Não se envolve? – perguntou com deboche – Não acha muita coincidência eu receber essa proposta duas vezes? Logo quando você é o responsável pela produção do programa, em?

- Fala baixo que minha sobrinha está dormindo – alertei – Não se preocupe que você é a última pessoa que eu vou querer no meu programa, entendeu? Quando eu fiz a proposta ao Shisui eu não sabia que você era o primo chefe de cozinha que ele tanto falava, porque sinceramente se eu soubesse que era você nunca que teria feito à proposta.

- Ahn? Não me provoque Deidara, você não vai querer me ver irritado – afirmou olhando em meus olhos.

- Vá embora Itachi – respondi assim que ele largou meu braço – E me faça o favor de recusar essa proposta, porque sinceramente você é a última pessoa com quem eu quero trabalhar no momento – afirmei tentando controlar a vontade de chorar ao ver seu olhar de decepção ao ouvir minhas palavras.

- Sabe Deidara, agora quem mais vai querer participar desse programa sou eu – afirmou-me com mágoa na voz – E se prepare porque você acabou de arrumar um grande inimigo.

- Ah faça-me o favor, nós sabemos que você jamais passaria pela seleção do meu programa – provoquei.

- Então espere e verá – alertou saindo batendo a porta com força.

Assim que ele saiu não consegui mais me segurar, e as lágrimas não paravam de descer por meu rosto.

- Me perdoe meu amor – sussurrei soluçando – Me perdoe.

Tentando controlar as lágrimas as lembranças daquele dia voltaram a minha mente.

 

SETE ANOS ATRÁS .............

                Eu tinha acabado de chegar no país da água, depois de viver quase três anos na casa de uma tia após meu avô ter me expulsado de casa por me assumir homossexual. Eu não tinha basicamente nada a não ser uma poupança que minha mãe tinha deixado em meu nome antes de falecer, acho que era a única coisa que meu avô não conseguiu tirar de mim.

                Graças a Kami-Sama minha tia não era uma pessoa preconceituosa e me ajudou nesse momento difícil, tanto ela quanto sua filha Konan. Elas me acolheram e me ajudaram nesse momento difícil. Eu finalmente estava conseguindo continuar minha vida, agora sou oficialmente um universitário e vou começar meu curso de Produção Audiovisual, minha vida finalmente vai entrar nos trilhos – pensei alegre ao receber meu comprovante de matricula.

                - Você vai adorar aqui Dei – afirmou Konan com um sorriso no rosto se juntando a mim na lanchonete da faculdade – Hoje mesmo já vamos para uma festa da fraternidade de direito, que eu te garanto vai ser demais – disse empolgada.

                - Não sei Konan, as minhas aulas já começam amanhã – informei não muito empolgado para a festa.

                - Deixa disso bobo, você vai adorar – continuou tagarelando – Vou te apresentar altos gatinhos, e você vai sair dessa seca eterna que se encontra.

                - Konan, fala baixo – grunhi zangado.

                - Foi mal – respondeu sorrindo – Mas, você tem que ir para me ajudar com o gato maravilha, lindo e muito do gostoso, Akatsuki Pain – disse suspirando.

                - Você não estava saindo com um carinha até ontem? – perguntei chocado.

                - Ah, o Itachi era puro sexo apenas, nada de sentimentos. Mas a gente é só amigo agora, se quiser posso te apresentar ele é um gato, se eu não fosse tão apaixonada pelo Pain com certeza eu investiria no Itachi.

                - Até parece que eu vou sair com seu ex-peguete – afirmei com desdém.

                - Quando você conhecer aquele moreno delicia, sua opinião vai mudar rapidinho – afirmou toda convencida – Mas, mudando de assunto já conseguiu um lugar para ficar?

                - Eu achei um local bem legal, é um bom apartamento pertinho da faculdade já mandei um e-mail para a pessoa do anúncio e marcamos de nós encontrar amanhã – informei bebendo meu suco de melancia – Mas, é quase de certeza que vou ficar com essa oferta.

                - Já procurou saber com quem vai dividir o apartamento?

                - Não muito, só sei que ele faz Gastronomia aqui e nada mais.

                - Que legal, Itachi também faz gastronomia qualquer coisa eu pergunto a ele – disse de forma convicta – Agora anda, temos que nós arrumar para a festa.

                - Ah não Konan, sério que você vai me arrastar para essa festa?

                - Mais é claro que sim! Deixa de drama você vai gostar te garanto.

Ah minha amiga que saudades eu tenho de você – pensei me sentando no sofá – Aquela festa mudou completamente as nossas vidas não é mesmo? Foi nessa festa que eu conheci o Itachi, descobrindo no dia seguinte que ele era meu colega de apartamento – sorri com a lembrança.

Foi nessa festa também que você começou a sair com Pain, e dois meses depois descobriu que estava grávida da Sophia. Depois disso sua vida se transformou naquele inferno, como a gente saberia que o garoto reservado e que fazia muitas garotas e garotos suspirarem era um mostro sem escrúpulos?

- Me perdoe Konan – pedi mais uma vez - Eu me apaixonei, me envolvi tanto no meu mundo de felicidade que não percebi as frequentes manchas em sua pele que você sempre tentava disfarçar com maquiagens, a falta dos seus sorrisos sinceros, o seu olhar de medo quando ele se aproximava.

Eu estava tão apaixonado, que esqueci de você minha amiga. Pelo menos até aquela noite que bateu em minha porta. Itachi tinha acabado de sair para a faculdade, naquele dia eu não teria aula e fiquei em casa, na maior felicidade pois tinha acabado de achar uma caixinha com alianças, eu estava tão feliz.

Mas essa felicidade foi embora, assim que vi teu estado parada em frente a porta do meu apartamento.

- Konan?! – perguntei surpreso ao abrir a porta – O que você está fazendo na rua uma hora dessa? Falei dando passagem para você entrar.

- Me ajuda Dei – pediu com lágrimas nos olhos – Me ajuda, você é o único com quem eu posso contar.

- O que aconteceu? – perguntei nervoso, ao te ver tremula e ofegante com uma barriga saliente de cinco meses de gravidez.

- Ele matou minha mãe Dei – sussurrou – Tudo porque eu disse que ia deixa-lo – disse soluçando.

- Do que você está falando Konan? O que aconteceu com a titia?

- Eu disse que não ia ficar mais com ele, disse que não queria mais nada com ele. Então ele saiu de casa e quando voltou disse que já tinha feito algo que me faria mudar de ideia – sussurrou entre os soluços – Pouco depois eu recebi uma ligação Dei, dizendo que .....que minha mãe tinha morrido em um acidente de carro. Ele disse sorrindo que tinha tirado os freios do carro dela e que se eu insistisse em deixa-lo ele ia me matar junto com meu bebê Dei.

- Mas como? A gente precisa ir para a delegacia agora Konan – disse em desespero.

- Eu já tentei, mas, ele não quiseram saber – informou soluçando – A família dele é da máfia ninguém tem coragem de enfrentá-los. E quando ele soube que eu o denuncie ele me bateu, eu estou com medo Dei. Ele vai matar minha bebê.

- Não, Konan porque não me contou? – perguntei chorando ao saber toda verdade.

- Ele me ameaçou, ele disse que vai matar a todos que tentarem me separar dele. E agora eu sei que é verdade Dei. Por favor me ajuda?

- Ok, eu vou te ajudar. Vamos esperar o Itachi chegar e ele vai nos ajudar – disse confiante.

- NÃO, você não pode envolver o Itachi nisso, ele vai mata-lo – alertou – Eu não queria nem te envolver Dei, mas, você é a única família que eu tenho. Me ajuda a fugir Dei, por favor.

E naquela noite eu tomei a decisão mais difícil da minha vida. Eu tive que escolher ficar com o amor da minha vida ou ajudar a única pessoa que me acolheu quando mais precisei. Com certeza foi a decisão mais sofrida, mas, também a mais certa.

Eu consegui te ajudar a se livrar daquele monstro, mas, nos meses seguintes tivemos que viver escondidos, com medo da própria sombra. Foram momentos difíceis, principalmente quando te perdi no parto de Sophia.

Acho que nunca senti uma dor tão grande, mas, também uma grande felicidade ao ter nossa pequena menininha em meus braços.

- Eu estou morrendo Dei – sussurrou na sala de cirurgia – Cuida da minha menina para mim? Diz a ela que eu a amo mais que tudo, ok? Diz a ela que eu peço perdão por não ser capaz de vê-la crescer – disse ofegante olhando em meus olhos.

- Pa..ra com isso, é claro que você vai vê-la crescer – afirmei segurando sua mão, vendo os médicos preocupados tentando conter sua hemorragia sem sucesso.

- Obri....ga...d aa meu a...mi...go – sussurrou ofegante pela última vez – Eu te am..oo, me per...do...e.

Então, tudo pareceu desaparecer e a única coisa que eu conseguia ouvir era aquele maldito bip, que me dizia que você não iria ficar mais ao meu lado. Que eu estava sozinho no mundo com uma criança recém-nascida para cuidar, sem ter a mínima noção de como fazer isso.

- Tio Dei? Você está chorando? – perguntou Sophia me despertando de minhas lembranças.

- Ahn? Não, foi um filme que eu estava assistindo – menti – O final foi muito triste – afirmei tentando distrai-la.

- Já era para você está dormindo mocinho – me reprendeu com seriedade.

- Oh é verdade, me desculpe por isso senhorita – afirmei sorrindo, ao pega-la no colo – Você também era para estar na cama, não acha?

- Eu sei, mas, eu queria um copo de leite.

- Então vamos tomar um copo de leite e depois cama, certo?

- Ok! Eu te amo titio – disse sorrindo fazendo a certeza que eu tinha de ter feito a escolha certa aumentar a cada dia.

- Eu te amo mais – disse começando fazer cocegas nela.

 

Continua..........                 

 

 


Notas Finais


Desculpem qualquer erro, não tive muito tempo para revisão, e estou com preguiça também. Mas qualquer coisa me falem que eu ajusto depois.

Kissus e não deixem de comentar, ok?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...