História Solangelo - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Provações de Apolo (The Trials of Apollo), Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Apollo, Bianca di Angelo, Hades, Nico di Angelo, Will Solace
Tags Eitha, Nico Di Angelo, Solangelo, Wilco, Will Solace
Exibições 146
Palavras 1.492
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, como vão?
Você não precisa ler esse cap não, (que tipo de autora eu sou? já começo dizendo que não precisa ler!), é que eu não resisti mesmo, primeiro pq Thiago é o irmão que eu queria ter, e eu acho que ele apareceu tão pouco.... então eu fiz esse cap, tipo um bônus do que aconteceu com ele durante o cap anterior, não que tenha acontecido muita coisa!

Boa Leitura...

Capítulo 13 - II - O melhor irmão do mundo


Fanfic / Fanfiction Solangelo - Capítulo 13 - II - O melhor irmão do mundo

Thiago fez de tudo para ser o mais lento possível em preparar as coisas, sua mãe já havia lhe chamado dezenas de vezes para irem, pois estavam atrasados. Olhou para o relógio quando não dava mais para ficar adiando, sorriu, a essa hora Will e Nico já devem está na casa, e se seu irmão for rápido, já estariam se comendo.

Mas mesmo assim ele precisava continuar com o plano e dá o resto do dia e a noite para os dois ficarem a sós.

Como passariam duas semanas na antiga casa de praia da família, Thiago levava uma mala e sua inseparável mochila cheia de coisas para estudar, a faculdade de medicina não é fácil e precisa termina-la na melhor posição possível, por isso que mesmo nas férias estudava.

Chegou na sala procurando seus pais, pensou em ligar para Will só para checar se está tudo bem, mas desistiu não queria estragar o momento dos dois.

— Ah, você esta ai. — Apollo entra na sala carregando alguns pacotes — Me ajude, tenho que levar para o carro. — Fez o que o pai pediu — Não sei por que o Will teimou em ir primeiro, ele odeia dirigir. — Saíram da casa, lá fora, ao lado do carro, Naomi termina de colocar alguma coisa no porta-malas — Ele devia ao menos ter esperado. E por que você deu a chave do seu carro para ele?

— Hum... Ele pediu e eu dei. — Sorrir de canto, odeia mentir para os pais, mas é por uma boa causa — Além disso... — Chegaram no carro, Apollo começa a colocar os pacotes dentro — Eles já são bem grandinhos, e Will sabe se cuidar muito bem.

— Não é com o Will que estou preocupado... — Apollo deixou o assunto morrer ali e terminou de colocar os pacotes no carro, mas claro que Thiago sabia do que ele estava falando.

Nico, apesar de tudo, tinha se tornado um garoto bem diferente desde morte da irmã e vinha se recusando a ir para aquela casa todas as vezes que a proposta surgia.

E mesmo Thiago sentia um pesar ao lembrar daquele lugar, sentia muita falta de Bianca, mesmo não sabendo como estariam agora, se estariam juntos, separados, amigos ou sem se falar, tudo seria melhor do que o que aconteceu.

— Ei. — Apollo bateu de leve em seu ombro — Não tínhamos como evitar nada.

Thiago sorriu fraco.

— Que tal pararmos com essa melancolia toda e vamos apressar logo com isso. — Sra. Solace, ela abre a porta do carro e termina de colocar as coisas que faltam.

Ao fecharem a casa e entrarem no carro, já eram quase meio dia, Thiago no banco de trais do carro, espera calmamente os pais ficarem a uma boa distância para finalmente continuar com o plano, precisava dá tempo ao irmão. Will até pode ser um garoto inteligente e responsável, mas é muito lento para certas coisas. Palavras de sua tia.

E “falando” nela.

— Pai.

— Sim. — Apollo responde sem tirar os olhos da direção.

— Como está a tia Ártemis? Nunca mais a vimos. — Não á viam desde o final do ano passado no dia do casamento dela com Zoe.

— Minha irmã é um espirito livre, manda recado quando quê, liga quando sente vontade, visita quando acha que deve. — Balança a cabeça como se a irmã não tivesse mais jeito. — Mas ela está bem...acho.

Não falaram muita coisa depois disso, normalmente quem faz essa trabalho é Will, e como ele não está, os outros membros da família saboreiam a paz que é um silencio confortável.

Mas esse silêncio só está do lado de fora do corpo do irmão mais velho, pois em sua mente, pensa na antiga namorada, em como ela adorava ver as paisagem passar pela janela do carro, de ela ficava linda com o vento batendo tão calmo em seus cabelos...

Apoio a cabeça no braço encostado na janela.

“Talvez seja por isso” — Pensou — “Por isso que apoio tanto aqueles dois, para que eles sejam tão felizes quanto eu seria com ela.”

Seu braço cansa e isso faz com que ele seja obrigado a trocar de posição e encara o outro lado da janela...

— Droga! — Ele já tinha esquecido! — Pai!

— O que foi? Esqueceu de alguma coisa?

— Sim! E-eu...é...preciso de um livro urgente!

— Mas agora, Thiago? — Sua mãe retruca olhando para ele — Já estamos bem longe de casa.

— Mas ai que tá! Não tenho esse livro em casa, esqueci de dizer que preciso comprar.

— Mas agora?

— Mãe, é para a universidade. Tem que ser agora. — E como adivinhou, aquela palavra lhe abria porta, seus pais trocaram olhares e logo veio a confirmação.

— Tem uma livraria que fica um pouco perto daqui. — Apollo virou o carro na segunda curva, Thiago nem sabia para onde exatamente estava indo, mas não se importou, a primeira parte do plano estava saindo tudo bem, agora só precisava encontrar uma desculpa para continuarem bem longe daquela casa de praia até amanhã.

Thiago adentrou a livraria sem um pingo de pressa, mal sabia o que estava procurando pelo simples fato de não está procurando nada, seus pais tinham se espalhado a procura de algo para ler e matar o tempo. Apollo, um poeta frustrado, seguiu direto para cessão de poesias procurando uma nova para ler. Naomi, não estava com muita vontade e só sentou em uma das mesas de estudo. Enquanto Thiago ainda seguia pelos corredores da livraria.

Folheou alguns livros apenas para fingir está procurando algo, mas está a todo tempo de olho nos pais e pensando no que vai fazer em seguida.

— Com licença. — Vira-se e dá de cara com um jovem de cabelos longos pretos preso em uma trança simples e de pele clara. E muito bonita, deve concordar.

— Sim?

— Só queria passar. — Indica um ponto à frente de Thiago. Ele olha e nota que está atrapalhando a passagem das pessoas.

— Ah, claro. — Sai do caminho, a mulher passa, mas não anda muito, apenas pega um livro. Volta a olha-lo e sorrir de canto.

— Obrigada.

Thiago dá um a rápida olhada no livro que ela pegou.

— Gosta de anatomia?

— Não mesmo, esse livro... — Levanta um pouco o objeto — É para a minha irmã. Ela me obriga a vim comprar essas coisas para ela. Tanto que o dono já me conhece. — Rir como se fosse um piada interna. — E você? Nunca o vi por aqui.

— Eu moro mais ao sul.

— Minha irmã também, ela me obriga vir aqui, por que é mais barato.

E eles começaram a conversar. Conversar sobre nada e sobre várias coisas, Thiago até contou o que realmente estava fazendo ali. Claro que ele não contou os detalhes.

— Por que você não diz que está com dor de barriga e precisa voltar rápido para casa?! — Ela sugere.

— Acredita que já pensei nisso.

— Thiago, você já enc... oh — Naomi para de falar ao vê-lo com a mulher. — Oi.

— Oi.

— Você não estava procurando o livro?

— Estava, mãe, e o encontrei. — Puxa o objeto da mão da mulher. — Aqui.

— Mas, filho, você já tem esse.

— Não, é que esse é um outro volume. Com mais detalhes.

Naomi estreita os olhos desconfiada, provavelmente decidiu que não era importante e deixou de lado.

— Ok, então vamos.

— Ah, mãe, espera.

— O que foi dessa vez?

— É-É q-q-que, eu... — Droga! E agora? O que ele vai dizer?

— É que eu o convidei para sairmos hoje. — A morena ao seu lado o interrompe.

— Quê? — Os dois, mãe e filho, falam juntos.

— É, por que nós estávamos nós dando tão bem, ai eu pensei em continuar a conversa em um jantar. — A morena bate discretamente nas costas de Thiago.

— É, mãe, e a senhora sabe como é falta de educação rejeitar o convite de uma dama.

— Se a senhora e seu marido quiserem vir será um prazer conhece-los.

— Não, obrigada.

Thiago vai até a mãe e a puxa no canto para tentar convence-la, é claro que a Sra. Solace não aceita.

— Mas, mãe, por favor. Podíamos ir amanhã, Will e Nico vai ficar bem.

— Maldita hora em que você deu a chave do carro para ele.

— E é por isso que não vou poder ir sozinho, não quero pagar um táxi e nem ir com os Di Angelo amanhã. — Juntou as mãos como em uma prece — Por favor, se a senhora pedir o pai aceita.

— E por acaso pensa em passa a noite toda com essa garota.

“Não”.

— Mas seria uma boa ideia.

— Você não tem jeito mesmo.

Ok, aquele era um sinal de que tinha conseguido.

“Will, me agradeça depois!”

— Mas eu e seu pai vamos para esse jantar! Como se eu fosse deixar meu filho sozinho com uma estranha.

Ao ficar sabendo da notícia de que não ia mais para a casa de praia, e sim teria que esperar até a noite para um jantar, Apollo não se importou muito, aceitou e pronto.

— Aproposito, como é mesmo seu nome? — Thiago perguntou quando estava sozinho com a mulher de cabelos negros, seus pais foram pagar os livros.

— Reyna, me chamo Reyna.


Notas Finais


Então???
Eu até faria mais sabe! mas já quase são 02h da madruga, e estou com fome e sono! e como odeio caps grandes, tá bom! Qualquer erro avisem, se quiserem, é que eu não reviso! dá preguiça.

Até...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...