História Solangelo - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Provações de Apolo (The Trials of Apollo), Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Apollo, Bianca di Angelo, Hades, Nico di Angelo, Will Solace
Tags Eitha, Nico Di Angelo, Solangelo, Wilco, Will Solace
Exibições 295
Palavras 2.311
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, parceiros. Como vão?
Demorei, né?! Poxa, até eu me bateria depois dessa, principalmente por odiar quando autores demoram para postar caps das fic, se bem que eu não sou uma boa leitora de fanfics, a ultima que li foi uma original sobre fadas, super recomendo, é ótima!
E não vou dá explicações, por que demorei e ponto! Mas vou mostra-lhes minhas "incríveis" habilidades com rimas:

Primeiro fiquei sem ideia
Depois com preguiça
Não tive mais criatividade
E precisei viajar para a casa de Larissa.

De Viagem eu voltei
E style resolvi fazer
Consegui fazer alguns
Para caso queira vê.

Chegaram as provas
E tive que estudar
Ralei muito
E consegui passar.

Foi mal pela demora
E pelas as rimas chatas
É que entrei na onda
E ela não passa.

Ficou "incrível" né?!
Só isso mesmo.

Boa Leitura...

Capítulo 8 - Ele gosta de mim?


Fanfic / Fanfiction Solangelo - Capítulo 8 - Ele gosta de mim?

Os dias estavam passando devagar, ainda faltavam meses para o fim do ano letivo e tudo que Will Solace, apesar de si sentir, mais queria era que as aulas finalmente acabasse e ele e Nico pudessem ir à casa de praia da família do loiro como faziam em todas a férias de verão.

Will e Nico caminhavam indo em direção a escola, e o que mais assustava ao jovem loiro era o qual seu melhor amigo estava distante. Solace já tinha pensando nas diversas possibilidades do por que Nico está assim. “Seria um novo amor?” — Deus! Ele rezava tanto para que não seja isso. Sim! Will Solace já tinha plena consciência de seus sentimentos para com o amigo.

Olhou de relance para o moreno, o menor estava com os olhos fundos, a pele pálida, o corpo fino e ossudo. E como sempre aquela preocupação de “serei um futuro médico” bateu em Will e sua vontade era de levar o outro direto para o hospital. Mas ele já tinha feito isso e seu pai falou que, apesar do aspecto, Nico di Angelo é um garoto saudável e forte, mas devia apenas ter hábitos alimentares melhores. Então melhorar os hábitos alimentares do amigo tem sido o maior objeto de Will Solace.

Viraram a esquina, andaram mais alguns metros e chegaram à frente da escola. Não estava tão movimentado assim, pois ainda estava cedo...

— Não sei por que você insiste em vir tão cedo. — Nico resmunga seguindo para o pátio da escola, ponto de reunião dos alunos, — Parece que você quer abrir a escola.

— Deixa de ser reclamão, Nico! — Will bate de leve o ombro do amigo — Devia estar feliz por termos chegado. — O moreno revira os olhos e anda a passos largos para o banco mais próximo e senta, Solace faz o mesmo.

— Não sou reclamão, só tenho o direito de dormir um pouco mais. — Cruza os braços — Se podemos dormir mais e vir depois de carro, por que acordar cedo e vir a pé?

Will não responde, ele pouco se importa com as reclamações do amigo, principalmente se for por isso, até por que, isso tudo faz parte dos planos de “melhorar os hábitos de Nico”, e a caminhada de manhã cedo é uma ótima forma de exercício. Ele até tentou fazer algo mais direto, mas só recebeu um curto e rápido “NÃO!”

Esperaram ali sentados até as alunos chegarem.

Eles estavam ainda no primeiro semestre, e Will não conseguia se sentir mais feliz, esse ano letivo, era o primeiro que os dois passavam, naquela escola, sem (infeliz) Percy Jackson. Tá! Nico sempre dizia que já tinha superado aquela paixonite (ele revelou o que sentia meses depois do aniversário de 12 de Will) que sentia por Percy (Will assim que se viu sozinho, gritou, pulou de tanta felicidade!), mas mesmo assim, Solace sentia a presença dele e o quanto Nico se esforçava para não encontra-lo, mas assim é melhor do que vê seu amigo “correndo” atrais de outro cara.

— Me chama quando a aula começar. — Retira a mochila das costas e a coloca no chão, a abre, e de dentro retira um casaco escuro, volta a fechar a janela, coloca o casaco no rosto, apoia a cabeça no encosto do banco e relaxa.

— Não prefere deitar? — Will pergunta.

— Você vai sair do banco? — Nico pergunta sem sequer se mexer.

— Não. É só deitar com a cabeça em minha coxa.

— Eu até questionaria a sua ideia, mas ela significa que você vai me deixar dormir mais, então afasta.

Will faz o que o amigo pede, e Nico deita com a cabeça na coxa de loiro, e não demora para esta dormindo. Solace apenas rir e faz um carinho leve nos fios negros.

Faltando apenas cinco minutos para o início do horário de aulas, Will puxa Nico para irem, pois se dependesse do moreno, ele continuaria ali dormindo no banco.

A aula não se passa rápido, mas a isso Will Solace sequer nota, pois ele tinha ganhado um hábito de observar o amigo moreno durante as aulas, os dois sentavam um ao lado do outro (para a infelicidade de Nico, pois sempre prefere sentar o mais longe possível do professor). Ele só nota quando o professor de matemática passa um trabalho em dupla, e Nico sorrir para ele em uma claro pedido: “vamos fazer juntos?”. Solace confirma.

E quando terminam as aulas, os dois decidem que é melhor começarem logo (Will, já que Nico preferia ir para casa e assistir algo na TV.)

— Odeio matemática. — Nico fala do nada enquanto caminham para a casa do loiro. — Por que temos que estudar isso?

— Nico estudar essas matérias são importantes, independente de qual área você irá escolher como carreira.

— Sei. — Revira os olhos — Eu bem que notei o seu interesse na aula, principalmente hoje, mas só acho que o professor estava a nossa frente e não do meu lado para você só ficar me olhando. — Will olha para todos os lugares menos para aquele que falou — E você vem fazendo isso diversas vezes.

— Mentira. — “Onde foi que consegui coragem para falar isso?” Era o que Wil se perguntava.

— Verdade. — Para, pois já tinham chegada em frente à casa — Só não vou dizer o que eu acho por que não vali apenas...— Ficou de costas e olhou por sobre o ombro —...ainda! — Rir e entra na casa.

Solace olha para os lados sem entender direito. Segue o amigo.

— Will! Fica para o jantar? — Maria pergunta ao ver os dois entrarem.

— Não, senhora, — Sorrir gentil — Essa noite meus pais foram convidados para um jantar de negócios e eu e o Capitão combinamos de fazer uma sessão de filmes.

— E sua mãe sabe disso?

— Haaa... Não! E a senhora não vai contar, vai? — Morde o lábio inferior com força e com seus olhos pidões.

— Só se vim amanhã para o jantar.

— Claro!

Will e Nico seguem para o quarto deixando a mulher cuidando de seus assuntos, e como sempre, o moreno sobe as escadas rapidamente e com pressa, e o loiro segue com passadas calmas e meticulosas com cuidado para não cair.

— Só acho que você tem medo de escadas! — Jogou a mochila em cima da cama.

— Só acho que não é da sua conta.

— Grosso.

— Chato!

E depois da pequena discussão, os dois começaram a fazer o trabalho de matemática, Nico em frente ao computador lendo um pouco sobre a matéria e Will em cima da cama já resolvendo alguns exercícios. Mas não estava 100% concentrado no que fazia, em sua mente tentava decifrar o que Nico tinha dito, mais ou menos já que o moreno não falou tudo.

— Eu desisto. — Nico rangeu e jogou o corpo na cadeira — Isso é muito complicado.

— Você não devia dizer isso. — Will fala largando o lápis e olhando para o amigo — Vem aqui, eu te explico.

Nico colocou sua maior expressão de descontentamento e foi até o amigo levando seu caderno de exercício.

E assim seguiu o resto da tarde, com Will tentando ensinar a Nico matemática e também tentando não mostrar o quanto estava admirando o rosto do amigo, os lábios que pareciam chamar os seus para tocá-los, nem mesmo que seja apenas um toque leve e delicado. E aquele olhos, Deus, aqueles olhos... Tão negros como uma noite sem lua ou estrelas. Como é possível que aquela imensidão de ônix brilhe tanto? Será que isso é apenas algo da imaginação? Bem possível, já que aquilo não pode ser natural.

— Você esta me olhando daquele jeito de novo.

— Hã...? — Solace desvia o olhar claramente corado.

“Droga, Will! Controle-se!”

— Agora você não pode negar que estava me olhando.

— Cala a boca, Nico, eu só estava vendo se você esta mesmo entendendo a matéria. — “Sério, Will, nem mesmo você acreditaria nisso.”

— Sei...— Revira os olhos como sempre faz, mas a expressão divertida lhe escapa dos lábios. Respira fundo e solta o ar com força, endireita as costas e deixa o caderno de lado. — Meus pais querem adotar uma criança.

— Que?

— Não vou repetir. Você já ouviu.

— Ouvi, mas... Quê? Como assim? Adotar uma criança do nada?

— Não é do nada, eles já vinham pensando no assunto antes mesmo do que aconteceu com a minha irmã, só...só precisavam se estabilizar antes.

— E você não gostou da ideia? — Se arrasta para um pouco mais perto do amigo.

— Não é isso. Mas não quero substituir a Bianca.

— E não vai! Ter um novo irmão ou irmã não significa que irá ocupar o lugar de Bianca, irá apenas ocupar um novo lugar em seu coração.

— Você acha?

— Tenho certeza. Se eu pudesse teria vários irmãos e irmã mesmo eu e o Capitão sendo muito felizes juntos.

— Ele é legal.

— E seu novo irmão também será!

Nico sorriu pequeno como sempre faz quando quer dizer “obrigado”. E ele estava tão perto que Will conseguia ver os detalhes do seu rosto, o mesmos detalhes que já tinha visto dezenas de outras vezes, tantas vezes que mesmo já tendo decorado, não se cansava.

— Acho que é melhor eu ir. — Levanta da cama apressado e juntando suas coisas.

— Mas a gente nem terminou.

— Fazemos depois. Já esta tarde e Thiago deve está esperando.

— Nossa, você nunca deixa um trabalho incompleto, ou será que tem outra coisa? — Ergue uma das sobrancelhas.

— E-Eu? I-Imagina. — Joga todas as coisas na mochila. — Tenho que ir.

— Aff! — Nico fica de pé — Dá para esperar? Vou te levar até a porta.

— O-Ok. Mas anda logo.

Os dois saem do quarto e seguem em direção a porta da casa, encontram o Sr. Di Angelo no corredor, mas como ele esta apressado apenas dá um “oi” aos dois e sai correndo para seja-qual-for seu compromisso.

— Então...te vejo amanhã na escola. — Will sorrir para o amigo, em parte triste por já ter que deixa-lo. Os dois estão do lado de fora da casa do moreno.

— Você parece nervoso. — Nico fala de braços cruzados como se desse pouco caso.

— Não estou não! Só estou apressado. — Também cruza os braços — A minha casa não é tão perto e preciso chegar antes que meus pais saiam.

— Chama um taxi.

— Passo.

— Quer que eu chame?

— Também passo.

— Ok, então vai logo antes que minha chega aqui e te puxe para jantar com a gente.

— Até amanhã. — Se vira de costas para começar a andar e novamente aquela dorzinha bate em seu coração, mas um dia sem mal sucedido. Mas um dia que se passou sem ter contado ao amigo sobre seu sentimentos. Respira cansado.

“Mas, Will, ainda tem tempo!”

“Não tem.”

“Tem sim! Agora se vira, e conta ao Nico o que sente, o máximo que ele vai dizer é um ‘não’”.

“E se ele não quiser falar mais comigo?”

“Problems! Problems! Isso você resolve depois.”

Convencido por sua consciência, comprime bastante os olhos até escutar um pequeno estalo, volta a abri-los e virasse para o amigo.

— Esqueceu de algo? — “Por que ele parece que está rindo de mim?”

— Bem...é que...— Cossa a parte de trais do cabelo. — Eu...eu...

— Você??? — Incentiva.

Um leve barulhinho se ouve.

Will retira a mochila da bolsa e a abre procurando seu celular resmungando algo assim como Nico que parecia bastante irritado.

Solace alcança o aparelho, atende, é seu irmão que já tinha ligado dezenas de vezes antes.

Depois de levar um “pequeno” sermão do Capitão, desliga o celular e volta a sua atenção para Nico que realmente parecia irritado.

— Nossa! O que foi? — O loiro pergunta.

— Nada! — Dá de ombros — Só achei...achei que...esquece.

— Tá, tenho mesmo que ir. — joga o aparelho de qualquer na mochila e a devolvendo as costas. — Tchau.

A mente e o corpo de Will estavam devidamente preparados para andar e seguir o caminho para casa onde um irmão mais que irritado o espera, mas seu corpo é puxado e sua mente não acompanha o que esta acontecendo, apenas sente um leve toque em seus lábios, tão leve que sequer entende de onde vem. Seus olhos piscam várias vezes e param duros ao finalmente entender o que esta acontecendo. Seu coração dispara, seu cérebro congela e o estômago arrepia-se por completo.

Como assim Nico o esta beijando?

E tão rápido quanto foi o toque ele acaba.

Nico se distancia.

Will permanece no mesmo lugar.

— Vai logo. — O moreno sorrir com o rosto levemente vermelho — Ou o Capitão vai te matar.

“Como é que se fala mesmo?”

— Tchau! — Nico fala e entra na casa deixando o “amigo” estático.

“Hã?”

Will Solace, ou melhor, as pernas de Will Soalce, começam a se movimentar indo em direção automática a sua casa, e seu cérebro, se recuperando aos poucos, tenta decifrar o que droga tinha acontecido.

“Ele te beijou, Will.”

“Foi apenas um selinho rápido. Tão rápido que nem senti seus lábios direito.”

“Você é um idiota. Um burro idiota!”

“Mas ele me beijou. Então isso significa que ele gosta de mim?”

“Quem vai saber? Você é um idiota que ficou paradão lá, devia ter perguntado ou puxado para um beijo de verdade.”

“Ele gosta de mim?”

— Finalmente você chegou!

“Espera, essa é a voz do Capitão? Eu já cheguei em casa?”

Will olhou para os lados e si viu na sala da sua casa, Thiago, sentado no sofá assistindo a uma série, o olhava com raiva.

— Eu me teletransportei?

— Se foi, era melhor ter vindo a pé, por que o senhor demorou muito. Nossos pais já saíram e ordenaram-me a brigar com você. — Thiago continuou seu discurso sobre alguma coisa que Will sequer estava escutando, seus pensamentos voavam longe igual a Docy nas aulas de física, tão longe quanto a casa de um certo moreno.

— Então ele gosta de mim! — Chegou a conclusão. Em seu rosto estava o maior sorriso que seu rosto conseguia dar.

— Quê?

— Ele gosta de mim. — Deu as costas ao irmão e subiu as escadas indo para seu quarto tomar banho.

— Quê? — E Thiago continuou ali com seu controle remoto sem entender nada.


Notas Finais


Então???

Ei, fiz duas fics novas (na real, fiz varias, mas quem liga?)
E se vc já leu o "Meu campeão" e gostou, quem sabe gosta dessa: https://spiritfanfics.com/historia/da-janela-6727549
E quem sabe dessa: https://spiritfanfics.com/historia/eu-sou-voce-6475586

Irei postar o próximo ainda essa semana!
Amo vcs!

Até...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...