História Shadow of the angels - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Aline Penhallow, Catarina Loss, Céline Herondale, Clary Fairchild (Clary Fray), Elaine Lewis, Emma Carstaris, Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Jem Carstairs, Jocelyn Fairchild, Jordan Kyle, Lady Camille Belcourt, Lilith, Luke Graymark, Madame Dorothea, Magnus Bane, Maia Roberts, Maryse Lightwood, Max Lightwood, Personagens Originais, Rainha Seelie, Raphael Santiago, Rebecca Lewis, Robert Lightwood, Sebastian Verlac, Simon Lewis, Stephen Herondale, Tessa Gray, Valentim Morgenstern
Tags Alec, Bane, Clace, Clary, Clastian, Herodale, Instrumentos Mortais, Isabelle, Jace, Lewis, Lightwood, Magnus, Malec, Morgenstern, Romance, Saga, Sebastian, Shadowhunters, Simon, Sizzy, Tim, Verlac
Visualizações 95
Palavras 1.287
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - The truth


Fanfic / Fanfiction Shadow of the angels - Capítulo 2 - The truth

 

 

I need some sleep time to put the old horse down

I'm in too deep and the wheels keep spinning round

Eels - I need some sleep

Eu preciso dormir, é hora de acalmar

Eu estou no fundo e as rodas continuam girando


     "Clarissa"- Ele me fitava com aqueles olhos dominantes.
     "Sebastian"
   Eu congelei, senti meu coração parar de bater. Ele simplismente ficou me olhando, aqueles olhos me davam medo.
    "Entre por favor"-Dei caminho pra ele passar e ele entrou, estava do mesmo jeito que eu o deixei na ultima vez que o vi, ainda usava o mesmo perfume, seus cabelos platinados caindo nos olhos.
    "Não sabia que estava na cidade, mas era de se esperar, também não avisou quando foi embora."- Aquilo doeu, foi um soco no meu estômago, continuei em silêncio encarando meus sapatos, não sabia o que dizer e nem como olhar pra ele.
    "Não vai falar nada?"- Eu levantei o olhar e foi como colocar sal em uma ferida aberta, ele me encarava e eu senti meus olhos se encherem de lagrímas.-"Tem noção do quão desesperado eu fiquei?"-Eu não sabia o que dizer, eu não havia contado para ele sobre aquela noite, eu não poderia contar.
  "Sebastian"-Ele me olhou, seus olhos marejavam mas ele não iria chorar, não na minha frente.-"Não foi sua culpa, aconteceu algumas coisas, eu tinha que ir."-Eu fui sincera e ele sabia disso.
    "O que aconteceu?"-Eu não podia contar, ele teria nojo de mim.
     Ficamos em silêncio, eu não aguentava, eu precisava sair dalí, então eu subi correndo para o meu quarto, fechei a porta e comecei a chorar, eu não podia pensar ou falar sobre esse assunto que eu chorava.
   Depois de uns 10 minutos eu ouvi uma batida na porta. Era ele, eu sabia que era ele, mas ele não podia me ver como uma menina fraca, eu não quero a piedade de ninguém.
  "Abre a porta Clary"-Eu encarava aquela fechadura, eu abri, voltei e sentei na cama, me mantive de cabeça baixa enquanto ele entrava e fechava novamente a porta.
   "Me desculpa, eu queria ter ligado, mas não sabia o que falar."-Fui sincera, eu estava me derramando em lagrímas, eu olhei no fundo dos olhos dele e chorei, como jamais chorei na frente dele.
     Eu continuei chorando.- "Clary eu te amo, eu fiquei tão preocupado, tão puto comigo mesmo, eu fiquei dias sem olhar na cara de ninguém, e se você tivesse fugindo de mim. Me conta o que aconteceu? por favor Clary."- Ele me encarava mas eu sabia que tinha que fazer isso.
    "Tudo começou naquela noite..."
                                 
                                  Memorias- New York- 1 mês atrás- Festa casa da Izzy
     Sebastian me beijava como se eu fosse uma droga que ele quisesse muito usar, eu amava isso nele, suas mãos na minha cintura foram decendo calmamente para o meu quadril, ele me prendeu na parede e eu senti seu membro contra meu vestido, seus beijos deceram para meu pescoço, acabamos entrando no primeiro quarto que vimos, provavelmente de Izzy, ou, de Alec, estava muito bêbada pra reparar nisso, as mãos dele deceram até minha bunda e eu gemia na boca dele.
    Ele me deitou na cama e começou a apertar minhas coxas, me virei e fiquei em cima dele, ele mordia e sugava a minha boca ferozmente, beijei seu pescoço e disparei uma serie de chupões lá, finalmente as mãos dele chegaram a borda do meu vestido, estava somente de calcinha e sutiã e ele de boxer, sentia seu membro roçar na minha intimidade, ele estava louco, e eu rebolava em cima dele. Depois segurei a base de seu membro, masturbando-o calmamente, ele arfou quando eu toquei meus labios no membro dele, colocou a mão na minha nuca e conduziu os movimentos. Ele me puxou para debaixo dele e sugava meus labios me fazendo gemer contra sua boca, ele deceu seus beijos para meu pescoço e logo após seios, chupando e lambendo, quando sua boca chegou na minha intimidade senti sua respiração, sua lingua começou a trabalhar, agradeci tanto pela musica está alta, gemia alto e me contorcia na cama.  
   Sebastian estava pronto para penetrar em mim, quando eu saí do transe e lembrei que era virgem ainda e não estava pronta para isso.-"Sebastian não, eu sou virgem ainda, eu não to pronta ainda, desculpa."-Ele me olhou e deu um sorisso, me beijou.
   "Tudo bem meu amor, eu te amo ok? tudo no seu tempo."-Eu sabia que ele tava desapontado no fundo mas não poderia fazer isso, não hoje.
    Decemos e decidimos aproveitar a festa, Sebastian foi pegar bebidas enquanto eu procurava Izzy, não a encontrei então decidi ficar perto da piscina.
    "Oi Gatinha, me chamo Tyler e você?"-Ele me fitava e isso me deu um certo medo.
    "Clarissa."-Dei um sorisso sem graça.             
  Ele se aproximou de mim e me beijou-."Vamos para um lugar menos publico gatinha?" -Eu me debatia tentando tirar a boca dele da minha, ele me levou pro carro mesmo com os protestos e tentativas de sair de perto dele.
    "Vamos gatinha, eu sei que você quer tanto quanto eu."-Eu tentava gritar mais sua mão não desgrudava da minha boca.-"Você vai gostar, eu prometo."
     Ele arrancou meu vestido o jogando no chão, abriu a porta do carro e me jogou lá dentro, seu corpo em cima de mim, ele me dava chupões e eu tentava sair do toque dele, suas mãos na minha coxa, ele apertava. "Não por favor, não" Ele desferiu um tapa na minha cara.
    "Cala a boca sua vadiazinha"-Ele mordia meus seios e eu chorava de dor, mas o pior ainda estava por vim.-"Agora você vai gostar eu prometo"-Ele me penetrou e eu senti uma enorme dor, eu chorava desesperadamente e gritava mas ninguém escutava, ele continuou esse processo ate gozar e me puxar para fora do carro e me deixar jogada nua no chão.
     Eu não poderia voltar pra festa e fingir que nada aconteceu, não poderia deixar Sebastian saber disso, ele teria nojo de mim eu seria a pobre garotinha que foi estrupada. Decidi ir para casa.
    Cheguei na porta de casa, estava tudo escuro, deduzi que não havia ninguém em casa, subi para meu quarto e fui para o banheiro, liguei o chuveiro e entrei lá de roupa, eu estava com nojo de mim mesma. Não estava preparada pra tudo isso.
    Olhei para o armario e avistei lâminas, mas não poderia me matar, eles nunca entenderiam o porque e ficariam se culpando por isso. Decidi ir embora, minha tia havia me chamado para passar 1 mês na casa dela, papai ja havia concordado, eu só teria que ir e era o que ia fazer.
    Tomei banho, havia lavado tudo diversas vezes mas continuava me sentindo suja, tomei a pilula que guardava na gaveta, caso um dia precisasse com Sebastian. Preparei minha mala, queria me despedir de Sebastian, mas sabia que não há deixaria sem ir uma explicação, decidi somente deixar um recado com meu pai. 
    E Fui.
                                 

                                      New York- 08- May- 2017- 23:00pm-Dias Atuais
     Sebastian chorava e estava sem reação.-"Eu sinto muito, eu vou matar quem fez isso com você, eu-eu nem sei o que dizer Clary, me desculpa?"
     "Eu não te culpo Sebastian, céus, nunca seria capaz disso" - Ele tenta abraça-lá mas ela desvia. "Desculpa Sebastian, mas eu não consigo abraçar ninguém."
      Ele a encarava, ela sabia que ele estava sofrendo por isso, mas ele nunca iria sentir o que ela sentiu.
       Ele ficou conversando com ela por horas, sobre os lugares que ela conheceu, sobre filmes, series e livros, sobre muitas outras coisas e sobre o colégio que ela iria recomeçar amanhã. Ela sabia o que ele queria, queria ela de novo, mas ela não pode fazer isso, não antes de fazer Tyler pagar por isso.
   


Notas Finais


Se preparem porque vão aparecer muitos personagens novos no próximo episodio. sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...