História Sombras do sucesso - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), HyunA
Personagens HyunA, Jungkook, Personagens Originais
Tags Agências, Horror, Terror, Trainees
Visualizações 36
Palavras 1.716
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


A música usada no show é uma versao adaptada da letra de "Got well soon, do Breton". Como as músicas têm grande importância no enredo elas são colocadas em português principalmente pela importância da mensagem das letras.

Capítulo 7 - Festa da enganadora


Yuna finalmente estava dentro da festa, a música estava altíssima, as pessoas já estavam muito além do limiar da sobriedade. Todo mundo se concentrava nas áreas em torno da piscina, a garota pensava no que aconteceria se alguém naquele estado caísse na piscina, e por que pensaram em uma festa logo ali.

As luzes coloridas piscavam por todo o lado, com certeza já deixaria alguém alterado apenas de olhá-las. Yuna ia caminhando pela bagunça para procurar suas duas vítimas, o que era muito complicado, exatamente pelo motivo de ter muito mais do que os cinquenta alunos.

O que havia começado como uma festa entre alunos, terminou com convidados de família, amigos próximos, e até mesmo os professores estavam lá. Antes de conseguir encontrar suas companheiras de quarto, o mestre de cerimônia parou a música e disse a todos:

— Gente, gente. Vamos melhorar isso, como estamos entre artistas, a próxima música será cantada ao vivo, aqui no palco, para todos. E o som escolhido é... — Nesse momento, o DJ ouviu um sussurro em sua mente. — Get Well Soon, do Breton.

Todos ficaram muito surpresos, até porque essa não é uma música muito conhecida. Porém, Yuna sabia o que estava acontecendo, pois, era seu som de festa preferido. Era a Sorte agindo de novo, e aceitando seu presente, a garota pródiga levantou a mão o máximo que pôde, mesmo que fosse um pouco baixinha e gritou:

— Eu! Eu posso cantar!

— Vem logo garotinha, vamos ver então! Mas é bom fazer direito.

Yuna nem respondeu aquele moço e andou lentamente dentre a multidão, todos os olhares estavam voltados a ela, e este era o momento perfeito para procurar pelas duas garotas, no meio do caminho, ela viu a Park Mi-hi que estava mais magra do que nunca, como não conseguiu ver bem seu rosto apenas a conheceu por causa dessa característica. Todavia, a sua amiga que lhe ajudara nos planos, não estava lá, ou pelo menos, não no seu alcance de visão.

Por acaso, um pensamento em particular passou pela mente da garota: A visão de Kim morta, e de que todos estavam festejando enquanto o corpo dela em breve começaria a apodrecer igual uma maçã estragada. Tentando negar seu sentimento de culpa, ela deu passos mais apressados ao palco, subiu as escadinhas e ela ficou uns três metros acima do nível do chão.

Pegou o microfone da mão do mestre de cerimônia, deu um sorriso falso para ele, voltou à atenção ao público e disse:

— Todos! Agora a festa vai começar de verdade.

Então a música começou com a batida eletrônica grave e forte, que ecoava literalmente nos corações de todos. Yuna dançava na frente do palco enquanto a letra não começava. A desenvoltura dela era fantástica e depois de alguns segundos seguindo a batida já tinha esquecido completamente do que acontecera momentos antes.

Quando chegou a hora, ela começou a cantar:

— Existe alguma coisa que lhe autodestrua?

Existe alguma coisa que você gosta que te deixes de bolsos cheios?

Tanto faz o que você deseja quando chega à festa, ou o que use, ou o que escolha, ou qual seja seu acrônimo!

Os sorrisos de Yuna enquanto cantavam eram extremamente malignos, porque mesmo na emoção de estar se apresentando, ela conseguia pensar bem em todas as transições da música, que era o que acontecia naquela hora. Seus pensamentos estavam voltados para os remédios que ela daria para Park e como eles iram destruí-la de dentro para fora.

Claro que ninguém ia notar essas particularidades na letra, e todos estavam curtindo o som, completamente envolvidos pela batida e a voz angelical de Yuna, que continuou ao voltar da primeira passagem:

— Eles ambos dizem que você está fora ou está dentro.

Mas eu te vi lá!

Eles ambos dizem que você está fora ou flutuando no nosso mundo.

Por conta própria!

Você começou tímida, ouvindo alguns sons.

Agora os ensina para os outros,

Você ia tão bem que eu tentava decorar...

Você derrama algumas lágrimas em seus pés,

Elas nunca deveriam ter se encontrado!

A última passagem acontecia, nesse momento, ela ficou completamente entorpecida pela música, deixando suas preocupações de lado, enquanto dançava todos a acompanhavam, alguns que já conheciam a letra até tentavam cantar junto com ela. Mesmo naquele estado, a garota sabia que estava falando dela mesma, que começou tudo de forma tão inocente e agora é quase uma assassina fria e profissional. Vendo que a animação das pessoas estava no máximo, ela foi para a penúltima passagem, com o refrão:

— Eles ambos dizem que você está fora ou está dentro.

Mas eu te vi lá!

Eles ambos dizem que você está fora ou flutuando no nosso mundo.

Por conta própria!

E se começamos o que aconteceu?

Ninguém sabe, ninguém sabe, outra vez.

E se começamos o que restou de nós?

Você salvou nossas vidas de novo!

Então, vendo que a plateia já estava com a música na cabeça, ela gritou a todos:

— Agora é com vocês! Eles ambos dizem...

O DJ parou a batida e deixou a plateia cantar em coro:

‘... Que você está fora ou está dentro.

Mas eu te vi lá!

Eles ambos dizem que você está fora ou flutuando no nosso mundo.

Por conta própria!

E se começamos o que restou de nós?

Você salvou nossas vidas de novo!’.

Então finalmente a música passou pelo arco de encerramento, e no final, todos aplaudiram Yuna por mais de dois minutos. A garota agora estava focada em seu objetivo e de mente limpa, quando desceu do palco, ainda sobre aplausos, passou por Park, que a chamou:

— Nossa garota, você é boa mesmo. Não me lembro de ter dançado assim antes!

— Essa música foi especial para minhas amigas. E você é uma delas. — Disse Yuna, com um sorriso malicioso no rosto.

Enquanto o DJ começou a tocar alguma outra música da qual Yuna não conhecia, e logo já estava estourando o ouvido de ambas, a garota pródiga começou a colocar seu plano em prática, dizendo para Park:

— Vou pegar umas coisinhas para animar, já volto.

— Desde que essas coisas sejam mais bebida, estou dentro. — Afirmou a garota magra.

Yuna deu as costas e foi procurar o bar de onde vendiam as bebidas, no caminho, ela pensava no quanto àquela moça já deveria ter bebido e o quanto seria fácil a partir daquele momento acabar com sua inimiga.

Embora ninguém ali fosse, realmente, inimiga de Yuna.

Então, ela chegou à mesa do bar, chamou o garçom, depois de alguns instantes, ele apareceu da parte de trás do bar e já a cumprimentou:

— Ora, ora se não é a moça mais talentosa da festa! Pode pedir o que quiser, é por conta da casa.

— Já que é assim. Preciso daquela que é tiro e queda sabe? — Disse a garota sorrindo.

— Ah... Tá querendo levar um moço para cama é? Você é do tipo dominadora é? — O garçom pegou um comprimido daqueles que dão muita sonolência, junto de um copo de uísque, deu na mão de Yuna e disse. — Aproveite a maioridade senhorita.

— Meus planos são melhores que isso. — Finalizou Yuna.

A garota pródiga sorriu, foi até o canto do salão da piscina, fez a mistura, andou até Park, que estava dançando ao lado de alguns caras. Aquele tal código de não relacionamento entre homens e mulheres já deveria ter sido quebrado de todas as formas e maneiras possíveis. Quando chegou ao lado da garota, a ofereceu a bebida:

— Voltei amiga. Isso aqui vai te deixar mais alegre.

— Mais do que já estou? Acho impossível. — Comentou Park, ainda dançando.

Yuna virou as costas e deu uma sumida na multidão, enquanto a garota magra tomava toda aquela mistura de remédio com bebida, em breve poderia acabar com sua vítima.

Então ela ficou caçando sua outra vítima, passando entre toda a multidão do lado direito da piscina, quase colado nas caixas de som. Ali de longe, estava Choi dançando com outras garotas. Todavia, ali perto, tinha um garoto que não parava de olhar para aquele grupo de garotas, especialmente com a amiga de Yuna. Percebendo isso, a garota pródiga chegou perto dele e disse para ele, de canto de ouvido:

— Estou vendo que tá afim da menina ali, né?

— Como você sabe, Yuna? — O garoto a perguntou.

— Não interessa, se quer saber, ela também te quer, te garanto. Então deixa de ser um tímido e vai pegar ela, antes que venha outro.

Yuna deu as costas e ficou olhando discretamente para aquele garoto que depois de alguns instantes já estava de conversa com Choi. Então, dali era apenas esperar as coisas acontecerem naturalmente e ficar de olho neles para filmá-los no ato e acabar com os sonhos da garota.

Ao passo que Yuna via seus planos começarem a se concretizar, tudo estava muito simples, já que ninguém tinha suspeitas sobre ela. Apenas a Sorte sabia sobre as verdadeiras intenções de Yuna. E como em um passo de mágica, todos da festa sumiram, o ambiente mudou completamente.

Todavia, ela não sentiu medo, e sim já começou a dizer, sabendo que a Sorte estava em suas costas: — O que você quer? Eu estou ocupada caso não tenha percebido…

A criatura, em forma humana, se aproximou das costas de Yuna e disse, ironizando:

— Ora… Menina pródiga, apenas queria saber como estava se saindo… Já conseguiu matar as outras duas? Seu prazo é até sexta, lembre-se disso.

De fato, a Sorte já sabia de tudo sobre o andamento dos planos de Yuna, mas ele queria sentir o arrependimento da garota, pois, na visão do homem, achava que a garota já estaria quase em um colapso nervoso por causa da culpa de estar levando pessoas inocentes para o caixão. Porém, a garota pródiga deu uma risada, sorriu e disse:

— Você já sabe de tudo, está com olhos em todas as partes. Sei que espera que eu esteja arrependida por tudo isso, entretanto, essa é a minha verdadeira natureza.Não sou mais uma garota pródiga, porque sou muito mais do que isso.Então, daqui para frente me chame de Yuna, a enganadora.

Aquelas palavras surpreenderam até mesmo aquele demônio em pele de humano, mesmo que fosse conhecido como a criatura mais sádica entre todas. Yuna era um caso especial, e com alegria, a Sorte respondeu, sorrindo e a levando de volta ao mundo normal:

— Você é realmente incrível, então fique a vontade, vamos ver se aguenta minhas próximas provas… Até logo… Enganadora.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...