História Somebody to die for - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Tags Destiel
Exibições 84
Palavras 2.901
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Ficção, Magia, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oii meus queridos ❤️

Bom, passei muitos dias planejando essa fanfic pois cancelei as outras por falta de comentários, então por favor, se vocês gostarem da fanfic comente e favorite pra mim saber, podem comentar a vontade o que vier na cabeça, aceito também sugestões e críticas. E ah, fanfic mega triste kkkk então não me responsabilizo por choros em :3

Capítulo 1 - O pra sempre sempre acaba.


Fanfic / Fanfiction Somebody to die for - Capítulo 1 - O pra sempre sempre acaba.

 

 

A amizade era forte!

 

Amigos inseparáveis..

 

Mas talvez esse sentimento fosse bem mais que amizade.

 

As lembranças rodeavam a cabeça de Castiel naquela noite fria e sem vida, lembranças boas, mas que o assustava muito. Com apenas 15 anos de idade Castiel perdeu a única pessoa que o fazia se sentir confortável, aquele amigo inseparável que você conhece na 1 série, aquele amigo que soltava pipa com você, compartilhava carrinhos e tudo mais. Esse amigo era Dean Winchester, aquele típico adolescente que sai pegando todo mundo, que só come besteiras e passa o dia escutando rock no carro de seu pai. Tudo nele encantava o pequeno Castiel, seu jeito de ser, seu toque, seu sorriso e principalmente seus olhos, que eram como lindas esmeraldas brilhantes. Aos 6 anos de idade os pequeninos se conheceram na escolinha, enquanto Castiel falhava inúmeras vezes em fazer amizades naquela escola de doido. Foi nesse dia que ele estava na caixinha de areia brincando com Charlie e sua outra amiguinha Meg, e de repente chegaram uns meninos malvados e roubaram seu ursinho de pelúcia favorito, que também foi a única coisa que restou de sua falecida mãe. Naquela mesma hora, Dean chegou como um menininho valentão, bateu naquelas crianças todas e devolveu o pequeno ursinho para Castiel, e foi disso que uma linda amizade se formou. Já aos 10 anos de idade, os garotinhos se divertiam passando o dia jogando vídeo game e soltando pipa, seus pais eram muito amigos, coisa que possibilitava ambos de ficaram tão próximos assim. Com 14 anos as coisas eram bem mais intensas, Castiel sentia fortes sentimentos por Dean, mas Dean não se entregava ao mesmo. Quando entraram juntos para o ensino médio conheceram o bonde de amigos, os inseparáveis e desastrosos bando de adolescentes entrando para o ensino médio.

 

Dean era o mais velho de todos, tinha 15 anos mas já era o todo descolado da turma. Todos os dias andava com uma garota diferente, coisa que chateava muito seu melhor amigo Cas.

 

Castiel era apenas um ano mais novo que Dean, mas com apenas 14 anos conseguia ser o mais adorável de todo grupo, que todos os dias acordava com um sorriso radiante no rosto que animava a todos até mesmo no pior dos dias e das situações.

 

Crowley era o famoso gótico trevoso, sempre com a cara fechada e com os fones de ouvido. Seu visual era muito engraçado e ao mesmo tempo curioso, porque que um menino iria para o colégio com roupas pretas e um blusão que quase chegava ao seus pés? Coisa que não era difícil, pois qualquer roupa que ele vestia ficava daquela forma, de tão baixinho que ele era.

 

Gabe era o comilão, que apenas pensava em doces o dia todo. Ele era o brincalhão que todo grupo de amigos tem, aquele carinha que não pode faltar em ocasião nenhuma.

 

Por fim vinha a maravilhosa Charlie, com sua inteligência e seus lindos cabelos ruivos, mas o que mais chamava atenção na garota era sua bravura e lealdade, não é à toa que era a melhor amiga dos Winchester não é mesmo?

 

Tudo corria bem no grupo, todos estavam felizes. Era dia 24 de janeiro, o dia mais feliz na vida de Castiel, era a tão inesperada véspera do aniversário de 15 anos de Cas. Naquele dia o moreno acordou exatamente as 08:00 da manhã, tomou um banho super animado e desceu para tomar café com sua família. Lá estavam Chuck (seu pai) e seus irmãos, Lúcifer, Rafael, Miguel e Gabriel. Castiel se sentou à mesa e pegou algumas torradas, despejou suco no copo e acabou derrubando tudo por conta de seu irmão mais velho, Lúcifer, que esbarrou em seu braço propositalmente.

 

-Olha aí seu burro, não sabe fazer nada direito?

 

- Olha o respeito com seu irmão Lúcifer, foi você que esbarrou nele! -Rafael ralha

 

- E você não se intrometa em.

 

-  Baixa a bola aí Luci, senão eu chuto você para fora daqui. -Miguel se intromete- 

 

- Tudo bem irmãos, eu não me importo... acho que até perdi a fome. Papai,vou dormir na casa do Dean hoje, e vou passar meu aniversario lá com meus amigos. -Castiel fez o comentário que intrigou todos à mesa- Que foi gente? Eu só vou passar meu aniversário com meus amigos -Disse Castiel sem saber o que estava acontecendo-

 

-   Eu não queria comentar nada sabe, mas ... você quer passar com um em especial né danadinho? -Lúcifer diz e da aquela típica risadinha irônica- Ah gente, não vou mentir, ADORO.

 

-  Faça o favor Luci, cale essa boca! -Miguel revira os olhos-

 

-  Calei -Diz brincando-

 

O moreno olha no relógio e se assusta com a hora, sobe correndo as escadas e entra com tudo no quarto do Gabe, mas logo cai de cara no chão por tropeçar nas bagunças do irmão.

 

- Ah filho da mãe! -Se levanta do chão com uma enorme dor de cabeça- Gabe, acorda! Estamos atrasados.

 

- Ah? Que? Eu? - Gabe diz sonolento-

 

-  Sim Gabe, você. vamos logo por favor -Diz Castiel com ânimo, pois estava louco para ver Dean- Estou esperando você lá fora.

 

Gabe caiu da cama ao tentar se levantar, estava com tanto sono que nem sentiu a pancada ao cair de cara no chão. O menino se levantou e rapidamente colocou uma roupa qualquer e desceu, Castiel já estava prontinho para ir. No caminho Castiel foi quieto, mas dava para perceber de longe a animação do garoto para ver seu melhor amigo. Gabe sabia de longe que Castiel sentia uma forte atração pelo loiro, mas nunca teve coragem de jogar isso na rodinha, mas algo mudou naquele dia.

 

- Cas, falando sério agora... você se pega com o Dean né? -Gabe diz sem vergonha nenhuma-

 

-  P-por que pensa isso de mim gabe? -Diz completamente corado-

 

- Da para ver de longe que vocês se pegam!

 

Um enorme silêncio surgiu, mas para a sorte do moreno é que eles chegaram no local de encontro dos amigos. Quando Dean ouviu a voz do Cas e do Gabe, o loiro saiu correndo da cabana e pulou no colo do moreno, dando grandes abraços de feliz aniversário.

 

- Esse esquilo está com fogo no rabo hoje -Diz Crowley zombando dos dois-

 

- Estou no chão! -Diz Charlie de boca aberta-

 

O dia passou rápido, Sam passou o dia com Castiel no shopping comprando roupas e coisas que eles gostavam, enquanto o resto do grupo foi para a casa dos Winchester preparar a festa surpresa para Castiel. Dean e Charlie ficaram com a decoração, Crowley ficou com a parte das comidas junto ao Gabe. Eram quase 19:00 hrs, dois de muito trabalho ficou tudo pronto, mas o mais difícil era manter Gabe longe da mesa de doces. 

 

- Se eu pegar apenas um ele não vai notar -Diz Gabe com olho gordo no bolo- 

 

- Alguém tira o Gabe de perto da mesa fazendo o favor -Diz Charlie já aos nervos-

 

- Saaaaia daí caramba - Crowley pega Gabe pelos colarinhos e joga ele longe- 

 

Dean desceu as escadas observando tudo o que havia preparado com Charlie e colocou um sorriso no rosto, ele deixou tudo perfeito para agradar seu melhor amigo.

 

- Está tudo perfeito por aqui, só falta vocês irem para casa se arrumar, Sam já deixou Cas na casa dele e já está vindo.

 

- Só acho que hoje vai rolar Destiel em -Ri Charlie, e como sempre dando apelidos para todos- Nos vemos mais tarde maninho Dean. -Pisca-

 

- Haha -Dá aquela típica risadinha irônica- 

 

Dean subiu para seu quarto e tomou um banho, tentando ficar o mais cheiroso o possível. Depois de colocar sua melhor roupa ele desceu e ficou aguardando Sam chegar lá em baixo, novamente conferiu se todas as coisas estavam em ordem e se Gabe não havia comido nenhum doce. Seu irmão chegou junto com os amigos já arrumados, agora só faltava o Cas.

 

- Vou passar o plano só mais uma vez em, vamos faz.... -Crowley o interrompeu antes que o loiro pudesse terminar a frase-

 

- Ta bom esquilo, nós vamos no esconder e blá blá lá -Diz mal-humorado-

 

- Eii, lá vem ele. –Olha discretamente dela janela e coloca um sorriso lindo no rosto-

 

 Foram para seus devidos lugares, e quando Cas entrou o grupinho todo gritou surpresa com animação.

 

- SUSPRESAAA 

 

O moreno então ficou bem mais que emocionado, nunca ficou tão feliz de ganhar uma festinha de aniversário. 

 

- Cas, não chora -Dean o abraça- Vem cá pessoal, abraço em grupoooo.

 

- Pelo amor de Deus não.. -Diz Crowley tentando fugir, mas todos o abraçaram também-

 

- Me prometam que nunca vamos nos separar, por favor -Diz Castiel com lágrimas nos olhos-

 

- Nós prometemos Cas.

 

Assim que aquele abraço maravilhoso acabou, Gabriel saiu do meio do pessoal e correu para a mesa de doces, atacando tudo que via pela frente. Era hilário a forma em que eles faziam todos sorrir com sua ''gordice''.  

 

- Falta os parabéns seu idiota -Diz Crowley tentando arrancar o pequeno de lá-

 

- Tudo bem gente, meu aniversário já está perfeito.

 

Charlie se recusou, tirou Gabe de lá aos tapas, e cantou os parabéns, logo em seguida o com quem será, que deixou Castiel e Dean completamente corados. Castiel deu o primeiro pedaço para Gabe, na verdade foi obrigado a dar, antes que o menino tivesse um ataque cardíaco por causa do bolo. Todos comeram e logo em seguida passaram malpela quantidade que consumiram, quando eram 22:00 estavam todos jogados no sofá caindo de sono.

 

- Acho que vou nessa pessoal, estou caindo de sono. -Diz Char se espreguiçando- Eu dou uma carona para vocês, vamos Gabe e Crowley.

 

- Na verdade vou ficar, Sam e eu vamos jogar vídeo game.

 

Dean olhou com os olhos super arregalados, Charlie riu para Dean e Castiel decidiu ficar quieto em seu canto.

 

- Vídeo game? Tá bom Gabe -Zomba Dean da cara dos dois- Vocês não tem idade para isso não.

 

-Cala a bora Dean! -Diz bem bravo com a atitude do irmão- Vamos Gabe, vou ligar meu Xbox.

 

- Você não tem Xbox Sam! Cuidado para não ligar outra coisa -Debocha Dean novamente-

 

- Não entendi a referência -Diz com inocência-

 

- Deixa pra lá Cas.

 

Após a saída de Charlie com Crowley, Dean e Cas subiram para o quarto ligando um filme de terror bem foda e arrumando a cama. Dean tomou um banho rápido e em seguida Castiel foi, eles eram tão próximos a ponto de ter peças de roupas íntimas um na casa do outro. O loiro se deitou e logo o moreno se deitou também, acomodando sua cabeça nos braços de Dean, como sempre dormiam. Se passaram 30 minutos do filme e Castiel já estava tremendo de medo, e Dean como conhecia bem o amigo desligou o filme e tirou sarro da cara dele. 

 

- Por favor, não zombe de mim. –Se cobre com o cobertor para esconder seu rosto corado-

 

- Desculpa, mas é fofo você com medo -Empurra o moreno para fazer graça- Espera, eu ainda não dei seu presente. -Se levanta e pega de uma caixinha duas pulseiras iguais, com a gravura escrita Always with you- Espero que goste, e que use para sempre. -Diz colocando no pulso de Cas- 

 

- Caramba Dean, eu amei, muito obrigado! Sério, obrigado mesmo, eu nem sei como agradecer. Mas... isso não vai ficar assim, não pense que eu esqueci -Empurra mais forte ainda-

 

Então a brincadeira começou, Dean empurrou Castiel até o menor cair da cama, mas Cas o puxou junto e Dean caiu em cima dele, deixando seus corpos super colados. O loiro olhou os lindos olhos azuis do moreno bem próximos dos seus, Dean mordeu a bochecha de Cas e Cas retrucava mordendo mais forte ainda. A forma em que Cas mordia Dean excitava o loiro, até que uma hora ele não aguentou mais e mordeu o lábio de Castiel de vez. Sua boca era macia com um gosto doce incrível, o cheiro de seu corpo era como de um campo de lavandas do Sul da Flórida e tudo isso levou Dean a beija-lo de vez. O moreno envolveu suas mãos pela nuca de Dean puxando sua cabeça cada vez mais para cima dele enquanto Dean passava as mãos pelo corpo de Castiel, quando sentiu seu membro totalmente ereto Cas se assustou e saiu rapidamente de baixo do loiro. 

 

- O que está acontecendo aqui Dean? –Fala ofegante-

 

- Me desculpe eu não queria fazer isso. 

 

- Não? Então isso não significou nada para você? 

 

- Muito pelo contrário -Disse Dean tentando se expressar melhor- É que aconteceu tudo muito rápido Cas, eu não consegui me controlar e nem sei nem o que dizer agora. 

 

- Tudo bem, vamos dormir, amanhã conversamos sobre isso. 

 

O menor se deitou sob o peito de Dean, dormiu sentindo o cheirinho natural de lavanda que confia naturalmente na pele dele. Aquilo era o pedacinho do céu, os dois ali, juntos! Dormindo bem agarradinhos depois de um beijo caloroso, não tinha do que reclamar. Naquele colo Dean de esquecia dos problemas, das caças que o pai o obrigava a fazer... Dean odiava, sempre odiou, mas sempre temeu que isso pudesse atrapalhar seu relacionamento com o menor.

 

- Boa noite little -Disse Dean inventando um apelido fofo para seu pequeno.- 

 

- Boa noite Daddy, durma com os anjos. 

 

Aquilo soou meio estranho, afinal o anjo sempre esteve ali ao lado dele. 

 

~~~

 

No dia seguinte Cas acordou com o insuportável som de seu alarme, ele estava realmente muito atrasado para seu curso de veterinária. O moreno vestiu sua roupa e pegou sua mochila, deu um beijo na testa de Dean e saiu. No curso ele esperava super aflito o tempo passar, mas ele só andava para trás. Depois daquele beijo, cada segundo longe de Dean parecia horas, cada hora parecia anos... e aquele desejo de o beijar novamente não saia de sua cabeça. Finalmente deu 17:00 hrs da tarde, Castiel saiu correndo e usou o pouco dinheiro que havia guardado para comprar tortas e várias guloseimas para Dean, mas mal sabia ele o que o esperava na casa dos Winchester. 

 

Castiel então foi correndo para lá, chegou na frente da casa de Dean super suado e cansado, mas valia o esforço para ver seu amor. O moreno já era de casa, entrou sem bater, mas algo de muito estranho havia acontecido na casa. 

 

- Dean? Você está aí? -Diz observando a casa super vazia, sem móveis e sem ninguém- Onde será que meu menino se meteu? 

 

Ele subiu as escadas curioso, quando chegou no quarto de Dean se assustou, deixando toda a torta que havia comprado cair no chão. No armário não havia roupas, nas estantes não havia seus enfeites, e nas paredes não haviam deus posters. A única coisa que restou foi um bilhete, um bilhete que Castiel estava com tanto medo de abrir, mas de algum modo ele criou coragem e começou a ler. O bilhete dizia: 

 

A gente nunca sabe quando é hora de dizer adeus. Nunca foi nos permitido entender quando e onde vai acontecer, ou então quanto tempo temos. Ou o quanto aquela pessoa da qual tanto amamos ainda viverá. Só sabemos que os olhos um dia se fecham, a voz doce e suave se cala. Ouvi dizer que só se sabe que é entre a chegada e a partida, o meio e o fim; dá um arrepio! E a gente pensa que poderia ter sido diferente... Diferente como? Talvez se eu tivesse me despedido, ou se então, eu tivesse dito o último "se cuida", o último abraço, enfim, o último gesto de carinho. Nunca sabemos a hora do fim, nunquinha, mas novamente digo, ele chega. Calmo, quietinho, e faz um estrago. Paralisa. Hoje o céu é cinza, os pássaros nem cantam, tampouco voam, e a dor é demasiadamente igual à todas as outras perdas. Os acordes do violão nem fazem sequer uma melodia. Fica apenas a saudade e o pensamento de "e se..." Encaramos a morte como um pesar, mas nunca nos perguntamos se a morte nos testa: amou o quanto pode? Foi feliz? Fez o outro feliz? O que sabemos é que ela chega, e que leva uma parte da gente com ela. Dói, dói bastante. O ponteiro parou no tempo e o tic-tac do relógio, infelizmente, é silencioso. Hoje eu perdi alguém muito especial para mim, queria tanto um abraço seu para me consolar mas eu estou sem chão, estou bravo com as merdas dos planos de meu pai. Eu poderia ir sem dizer adeus, eu perdi a chance de ficar calado com esse bilhete.. eu disse tantas coisas mas ao mesmo tempo eu não disse nada, mas tudo o que você precisa saber é que eu te amo, sempre amei e sempre vou amar. Eu sinto muito Cas, mas não tive escolha.

 

Aquele bilhete foi amassado com raiva, quando Castiel percebeu, estava quebrando tudo que restou no quarto. Suas mãos estavam todas ensanguentadas se socar a parede inúmeras vezes, mas a sensação de perder Dean não se comparava a qualquer osso quebrado de sua mão. 

 

- Você prometeu Dean, prometeu que ficaria comigo! Mas agora eu sei, agora eu tenho certeza de que.. o pra sempre sempre acaba. -Disse o menino Castiel, chorando a soluçar, sem chão, sem ninguém. -


Notas Finais


Se a fic tiver vários comentários de pessoas gostando eu ficarei feliz em continuá-la. Beijsss da tia Kett :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...