História Somente Sua - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Robert Lewandowski
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Assistente, Chefe, Estilista, Gotzeus, Hot, Jogador De Futebol, Marco Reus, Mario Gotze, Rio De Janeiro
Exibições 289
Palavras 1.683
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu estava inspirada kk aproveitem ;) mas não deixem de comentar pfvr! não quero parar a fic por achar que não estão gostando :\

Boa leitura!!

Capítulo 9 - Aquelas Três Palavrinhas


Fanfic / Fanfiction Somente Sua - Capítulo 9 - Aquelas Três Palavrinhas

 

Robert terminou a taça de champanhe e lavou o rosto enchendo as duas mãos com a água da banheira, senti necessidade de fazer o mesmo, mas esperei até ele terminar para poder apreciar sua imagem sexy até mesmo em um movimento tão normal.

Ele sorriu ao me ver olhando-o e se aproximou ficando atrás de mim me abraçando com seu corpo que jamais iria me cansar dele. Suas mãos tocaram meu rosto e ele carinhosamente passou água morna em minha pele ainda tão quente. Fechei meus olhos me permitindo sentir seu toque tão sutil e meigo.

''Como foi sua ultima relação?''

Sua pergunta me deixou confusa.

Ele continua a pegar a água na banheira na concha de sua mão e agora jogava-a em minha nuca afastando meus cabelos longos com a outra mão. Senti um delicioso relaxamento me dominar, mal pude abrir os olhos, mas sua pergunta ainda pairava em minha mente.

 ''Como assim?''  

''Curiosidade, como ele era com vc?''

Respirei tranquilamente sentindo o cheiro bom de rosas e água fresca.

''Do que quer saber exatamente?''

Não sabia onde ele tava querendo chegar com esse tipo de pergunta.

''O sexo era bom?''

Sorri inconformada com sua preocupação.

''Não tanto quanto é com vc.''

Falo assim logo para deixa-lo tranquilo se é que algo desse tipo fosse capaz de preocupa-lo.

Robert levou suas mãos com água acumulada para meu pescoço, joguei a cabeça em seu ombro sentindo cocegas. Era bom, isso era maravilhosamente bom.

''Hm. E... vcs terminaram por que?''

Mais uma pergunta para me deixar intrigada, por que ele tava querendo saber sobre meu ex namorado? Queria me virar e fita-lo nos olhos, mas a posição em que eu estava era deliciosa. Suas mãos desceram até minha barriga e ele ficou acariciando-as me causando um tremor gostoso no ventre.

''Eu mudei e ele seguiu com a vida dele.''

''Simples assim?''

''Sim.''

''Vcs não se amavam?''

Virei-me ficando de frente, olhei em seus olhos azuis.

''Robert, o que te preocupa?''

''Nada.''

''Vc esta estranho desde a academia, eu gostaria que confiasse em mim.''

''Eu confio.''

''Então me diz, por que esse papo sobre ex namorado agora?''

Cruzo meus braços por debaixo dos meus seios, ele me olha serio.

''Esquece isso, esta bem?''  suas mãos tocam meu rosto e seus lábios se aproximam dos meus me beijando suavemente.

Suspirei um pouco chateada com o rumo da conversa não terminada.

''Preciso ir.'' me levanto e pego a toalha com o nome do motel na barra me fazendo lembrar de onde eu estava. A que ponto me rebaixei por me deixar levar por meus desejos.

Robert se levantou e me segurou pelos braços me fazendo olhar em seus olhos. Seu semblante estava me deixando preocupada.

''Laura, nunca me senti assim com mulher nenhuma.''

Mordi o lábio tentando conter um tremor.

''Vc é especial para mim.''

Assenti e me afastei, ele não me impediu dessa vez. Robert foi até o carro e pegou nossas mochilas, me vesti no vestido soltinho que havia separado para no caso de precisar. O silencio como no carro depois daquele sexo tão bom, voltou e me bateu no peito como um soco. Por que do fogo íamos para o gelo tão facilmente?

 

''Laura, passe essa noite comigo?''

''Prefiro ir para casa.''

Ele liga o carro e não fala mais nada.

 

Robert me deixa em casa e sem nem ao menos lhe dar um beijo desço do carro me sentindo estranhamente usada, o que claro não fazia sentido já que eu também o usei para o meu prazer.

Mario estava comendo pipoca e desenhando algo concentrado, pensei em passar por ele e ir direto para o quarto, mas quando ele me viu, seus olhos brilharam e eu sabia que ele não me deixaria em paz até contar o que tinha acontecido.

Sentei-me ao seu lado no sofá pegando o pote com a pipoca, ele fechou seu caderno colocando-o na mesinha de centro. Cruzou as pernas e me olhou de novo com um olhar brilhante, cheio de curiosidade. Mordi duas pipocas e seu olhar foi mudando conforme eu o encarava meio sem animo.

''Meu Deus, não me diz que o deus broxou''

Marco me fez soltar uma gargalhada e quase engasgar com o resto de pipoca em minha boca. Pensar em Robert broxando me fez rir por um bom tempo, algo que poderia acontecer, mas me deixaria ainda mais preocupada do que eu estou.

''Mario, me diz uma coisa como homem.'' 

''iiiii, melhor vc perguntar para o Marco.''

Afastei um pouco meus cabelos ainda molhados do ombro sentindo um leve frio em minha pele descoberta pela alça fina do vestido.

''Não se incomoda dele ser bi?''

''Eu não. Ele é meu mesmo.''

Marco dá de ombros e morde uma pipoca.

''Vc não vai me contar?''

''Vou, mas antes eu preciso de um vinho.''

Me levantei e me servi eu mesma, Mario pediu uma taça. Não sabia como começar, acho que pela academia. (...) Contei os detalhes que ele queria saber, com medo dele ficar duro e eu não poder fazer nada.

''Nossa, esse homem deve ser tão gostoso que se eu tivesse a sorte e transasse com ele, me sentiria em um sonho.''

Era mais ou menos essa a sensação, mas eu me sentia em um sonho de filme erótico.

Tentei sorrir, mas estava estranhamente sem animo, confusa, algo me incomodava. Tudo aconteceu muito rápido e agora estou assustada com a possibilidade de perde-lo.

''Ain, que carinha é essa, não devia estar sorrindo por ter um homem desses babando por vc? eu vi como ele te olha, e meu deus, fiquei todo arrepiado.''

''Acho que é só sexo.'' desabafo infantilmente

''Vc ou ele?''

''Não sei...''

''Ah Laura, da um tempo, é tudo recente, tenta aproveitar ao máximo o momento, para de se preocupar com o futuro e pensa no agora.''

Mario sempre sabia as palavras certas para me fazer sentir melhor.

Sorri sendo sincera e grata por seu conselho. Tomei um longo gole do vinho relaxando meus ombros no encosto do sofá.

***

Trabalhei normalmente na sala de Edgar, ele após o almoço sentou-se frente a mim me deixando intrigada.

''Deseja alguma coisa?''

''Sim.''

''Pode falar''

Ele encostou-se sobre a mesa colocando as duas mãos unindo-as e me olhou nos olhos.

''O que decidiu?''

Suspirei me lembrando do assunto pendente.

''Quero continuar aqui, como estou.''

Edgar sorriu.

''Já falou com ele?''

''Ainda não, vou esperar ele me perguntar.''

''Ok, ele vai respeitar a sua escolha.''

Edgar voltou para a sua mesa. Meia hora antes de eu sair o telefone tocou em minha mesa e eu sabia que era ele, meu deus hot.

- Oi...

- Olá senhorita Laura, quando pretende me dar o prazer em te rever?

Sorri sentindo meu coração disparar.

- Quando quiser...

- Ótimo, porque quero te levar para jantar em minha casa essa noite. Posso te pegar as sete?

- Sete e meia, pode ser?

- Claro que sim, sete e meia então.

Fiquei em silencio por um momento, ele está me chamando para um jantar na casa dele... casa que eu conhecia bem por ter escolhido pessoalmente.

- Laura,  esta tudo bem?

Sua voz levemente rouca me dispersa dos meus pensamentos.

- Esta sim, estarei te esperando.

- Passe aqui antes, quero te dar uma coisa.

Senti meu corpo gelar um pouco. Desliguei. 

Peguei minha bolsa, me despedi de Edgar e subi até o andar da presidência.

Ajeitei minha saia antes de entrar, Robert estava sentado em sua mesa como sempre me mostrando um outro homem, era muito diferente daquele que me tocava tão safadamente para o executivo sério que passava respeito quando ali, em seu ambiente de trabalho.

''Isso é para vc, eu ia te dar ontem, mas'' ele se levantou e pegou a caixa em formato de um cd trazendo-a até mim. ''Como não fomos em casa...'' 

Sorri curiosa com o que poderia ser. ''Abra'' peguei de sua mão sentindo o veludo preto em meus dedos. Abri de vagar não conseguindo conter um sorriso. ''Nossa, é lindo.'' Robert pegou o colar com um pingente em sua mão me mostrando com detalhes o que estava escrito. ''Gostou?'' Nossas iniciais em um pequeno coração dourado combinando com a cor da correntinha. ''Sim, gostei, é lindo. Obrigada.'' ele passou para trás do meu corpo, ajeitei meus cabelos deixando-o colocar em mim. ''É para vc se lembrar de mim quando não estivermos juntos.'' como se esquecer dele por um segundo fosse possível...

Toquei o pingente com os dedos e abri um sorriso com o gesto tão meigo da parte dele.

''Vc que escolheu?''

''Mandei fazer especialmente para a minha namorada.'' 

''E eu adorei.''

Robert ficou novamente frente a mim e me tocou o rosto com suas duas mãos me dando um beijo gostoso nos lábios. Quis por um momento ter algo meu para dar a ele, para que assim como eu ele pense em mim a todo momento. Mas eu não tinha nada alem do beijo que eu fazia questão de intensificar em sua boca. Robert agarrou meus cabelos mordendo minha língua me arrancando um gemido de dor. Me afastei antes que aquilo seguisse para o rumo que eu não queria, não agora.

''Preciso tomar um banho. Nos vemos mais tarde.'' Me afastei lentamente, mas com o coração apertadinho por deixa-lo com aquela carinha de cachorro sem dono.

''Laura. Eu te amo.''

Meu corpo paralisou antes de eu tocar a maçaneta da porta. Meu coração disparou e eu olhei para trás abrindo um sorriso.

''Eu também.'' pensei que não ia conseguir responder, mas apesar da voz falha consegui.

 

Agora tudo estava mais claro em minha mente, somos namorados que gostam de transar, gostam muito de transar melhor dizendo. Aquele colar e aquelas palavras, era o que eu precisava para me render por completo, sem receios. O que tinha acontecido naquele motel, o fato dele ter me levado até aquele local não me incomodava mais.

Ansiosa passei em uma loja para comprar um sapato que combinasse com o vestido que Mario me deu no dia desfile. Eu esperava tudo desse jantar, e agora, é tarde para pensar nos riscos que é estar perdidamente apaixonada.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...