História Someone Like You - VKOOK - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, Got7, VIXX
Personagens G-Dragon, Hongbin, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Rap Monster, Suga, V
Tags Big Bang, Bigbang, G. Dragon, Gdragon, Gdragon Big Bang, Got7, Hongbin, Hongbin Vixx, Jeon Jungkook, J-hope, Jimin, Jin, Jung Hoseok, Jungkook, Kim Namjoon, Kim Taehyung, Kook, Mark, Mark Got7, Min Yoongi, Park Jimin, Rap Monster, Seok Jin, Suga, Taekook, Vixx, Vkook
Exibições 772
Palavras 2.688
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii <3
estou aqui com mais um cap... mais um complemento do cap 19 na vdd do q um cap mesmo...

e graças aos coments de vcs Jinyoung entrou na história pra desconfundir vcs
~carol viajando geral on

Eu do mal: (ou confundir muahahaha)
Eu: Tá meu, chega. ja deu neh
Eu do mal: ahahahahah
Eu: Tisc tisc...
Eu do mal: ahaha?
Eu: Nao.
Eu do mal: Aff, carol como vc é chata hein puta q pariu
Eu: Sou memo! (vulgo Neide discutindo com o irmao mais velho em Audácia)

~carol viajando geral off

enfim gente depois dessa minha pirada aqui...
vamos deixar vcs lerem... antes de tudo sobre os comentarios vou responder amanha... mas nao vou poder dar spoiler se as teorias de vcs estao certas ou erradas... kkkkk seria malvadesa...

~eu viajando dnv on

Eu do mal: Ooopaa... Falou dimin ai?
eu: NAO! FICA NA SUA!!!

~eu viajando off.


enfim
depois de tudo isso (toda essa locura)
vamos ao que interessa que é o cap novo...

boa leitura!! *3*
bjin bjin

Capítulo 20 - Onde você estava?!


Fanfic / Fanfiction Someone Like You - VKOOK - Capítulo 20 - Onde você estava?!

POV. Jungkook

 

 

         Acordei me sentindo bem, eu realmente estava me sentindo bem mais livre por ter feito o que fiz. Espremi os olhos e me espreguicei olhando em volta, estava mais tarde, no relógio indicava oito e meia da noite, a luz da peça estava acesa e eu tinha meu cobertor branco por cima de mim, junto à um cinza, que era de Taehyung. Ergui a cabeça de leve procurando por ele. Não o vi em lugar algum. Bufei. Ele deve estar na cozinha.

         - Taetae! – chamei. Nada. – Taetae, está aí??!! – chamei mais alto e esperei um pouco. Nada de novo.

         Revirei os olhos. Me ergui um pouco na cama e me apoiei na mao esquerda, revirando meus próprios cabelos com os dedos, ajeitando como podia e tirei a coberta de cima de mim. (N/a: como na capa hehe). Ele deve estar de fones ou algo parecido. Nesse momento, me senti um pouco incomodado. Um certo pressentimento ruim estava querendo se apossar de mim, e parei de me mexer olhando pro chão. E se... Não. Não. Não devia pensar assim. Ele está na cozinha e não ouviu eu chamar. Deve estar estudando.

         Levantei indo até a cozinha. Suspirei rindo do meu pensamento anterior, mas é claro que ele devia estar bem. Mas quando cheguei no batente da cozinha e a luz estava apagada, meu sorriso morreu na mesma hora.

         - Taehyung? – chamei e ele não respondeu. Abri a cortina de plástico e liguei a luz ao lado da porta, me deparei com uma cozinha escura e vazia, sem ninguém.

         Arregalei os olhos. Não. Ele deve estar no andar de cima. Passei pela salinha com materiais de limpeza, olhando-a também e não o vendo ali, subi as escadas correndo pelo corredor e abri cada porta que passei, ligando a luz das peças uma por uma. Ele não estava dentro de nenhuma. Abri o banheiro no final do corredor já sentindo o desespero tomar conta de mim. Ele também não estava lá. E por ultimo, abri a porta do quarto rapidamente ofegante.

         - Tae! – a abri querendo acreditar que ele estava ali. Mas ele não estava ali. Ele não estava em lugar nenhum. Coloquei as mãos sobre os lábios. – Não... – passei elas pelos cabelos lisos, os desarrumando, e cerrei os dentes. – Não... não, não, não...

         Corri pra sala de novo e peguei meu celular. Liguei para ele quase deixando o celular cair das minhas mãos, mas o celular dele estava desligado.

         - Não. Não. Não... – liguei de novo. – Taetae, atende por favor...

         - Grave seu recado, você só será tarifado após o sinal. – disse a voz eletrônica do outro lado da linha.

         - Taehyung. Aqui é o Jungkook. Onde você está?! Eu preciso saber. por favor, me liga assim que puder. Vou te dar meia hora e ligar de novo. Por favor atende o celular quando eu ligar!

         Mordi os lábios nervoso.

 

 

Flashback on.

 

 

         Havia acabado de tomar banho. Havia realmente relaxado com aquele banho, a água quente me deixara relaxar. Mas esta calmaria acabou assim que cheguei ao quarto e peguei meu celular. Havia uma mensagem, que confesso que me fez tremer dos pés à cabeça.

 

         Baek: Você vai se arrepender de ter falado comigo desse jeito, Kook.

            Baek: Cuide muito bem do seu Taetae. Sabe por quê?

            Baek: De hoje ele não escapa.

            Baek: Se cuida, pirralho órfão de mãe.

 

            Engoli em seco e senti meus olhos marejarem. Fazia tempo que eu não ouvia (ou lia) eles me chamarem daquela forma... e aquilo realmente me machucava. Eu estava assustado. Ia cuidar de Taehyung, sim. Como se custasse minha vida.

 

 

Flashback off.

 

         - Baek, seu desgraçado. – rosnei baixo fechando os punhos, minhas unhas .

         Cerrei os dentes.

         Se você fizer alguma coisa com Taehyung... eu não vou responder por mim...

 

 

POV. Taehyung

 

 

         Minha respiração estava ofegante e meus olhos não paravam de liberar lágrimas pelo susta e não desgrudavam de Jr, que me puxava para fora daquele lugar, que parecia ser um edifício abandonado. Já estávamos há um bom tempo correndo por dentro daquele lugar, ele parecia um labirinto escuro que não dava nunca em uma saída. Minhas pernas já estavam fraquejando quando ele parou bruscamente de correr e me olhou.

         - Tae, como você está? – perguntou ofegante como se soubesse o que eu estava sentindo.

         - Estou bem. – disse com um pouco de dificuldade, ainda estava em choque. Me negava a acreditar no que havia acontecido comigo.

         - Tem certeza?

         - Sim. – murmurei baixo.

         Ele me olhou de cima a baixo e pegou no meu pulso apertando de leve, me fazendo dar um curto grito de dor.

         - Vou perguntar de novo: Tem certeza? – perguntou de novo me olhando nos olhos.

         Baixei a cabeça meio nervoso.

         - Eu tô bem. Só to meio dolorido... – murmuro de novo. Não conseguia falar normalmente de forma alguma.

         - Tae, você não precisa mentir. Está doendo onde ele te tocou, não é? – ele tocou meu cabelo de leve senti a ardência no couro cabeludo, espremi os olhos com a dor.

         Apesar dele ter tocado apenas meu cabelo, eu sabia bem que ele não falava só daquele local, e isso me fazia lembrar do que Baek fez, me dava nojo. Vontade de chorar. E foi o que fiz. Baixei a cabeça e cedi ao choro. Ao perceber, Jr me puxou e me abraçou.

         - Shhh... tá tudo bem... – ele sussurrou. – Ta tudo bem, você está bem, ok? Shhh...

         Eu não conseguia nem raciocinar direito para estar me deixando ser abraçado por uma pessoa que nem ao menos eu conhecia, mas não estava em condições de nem me mexer para abraçá-lo de novo, que dirá pensar nisso.

         Ele permaneceu abraçado em mim e chorei. Chorei alto, sem me importar. Chorei não só pelo fato de Baek ter me tocado, mas também pelas coisas que me disse. Como fui tão burro de não perceber o que Jungkook estava fazendo? Ele não havia dado a câmera com a filmagem para eles? Ele esteve me protegendo esse tempo todo se envolvendo com eles pra me proteger de ser maltratado por eles como aconteceu agora? Ele esse tempo todo esteve secretamente pensando em mim e cuidando de mim... como não pude perceber isso? E eu ainda disse aquelas coisas para ele...

         Tudo bem que ele mereceu por ter dito aquelas ofensas, mas eu podia ter me controlado. Podia ter levado em conta isso se soubesse e tê-lo tratado diferentemente. Mas se ele não me odiava... Por que ele se mantinha afastado de mim então? Será que ele tem... vergonha? do que fez comigo aquele dia?

         Muitas coisas se passavam pela minha cabeça dolorida. Imagens de cena daquela tentativa de estupro feita por Baek passavam na minha mente constantemente fazendo-me chorar mais ao lembrar do desespero. Os toques. O medo. A impotência de não poder fazer nada.

         - Vem cá. – Jr me colocou em cima dele, pendurado em suas costas e me ergueu do chão. – Vai passar logo, mas temos que sair daqui logo. – ele disse sério andando comigo nas costas enquanto caminhava.

         Eu ia negar e tentar sair dali, se eu conseguisse me mexer direito para tentar sair do lugar. Preferi apenas assentir de leve o vendo sorrir com a minha “resposta” afirmativa e continuar andando rapidamente pelos corredores.

         Depois de um bom tempo, ele finalmente achou a saída. E ao sair percebi que estávamos em um edifício abandonado no meio do nada. Envolta da estrada de chão batido só havia mato. O edifício tinha poucos andares, o que o deixava escondido dentre as árvores e o resto todo do escuro matagal. No caminho, Jr apanhou o celular do bolso e discou um número pondo-o na orelha.

         - Oi. Venha nos buscar, estou perto da porta de saída do prédio que eles entraram com o menino. Venha logo, podem vir atrás de nós caso demoremos mais... ok. – ele disse ao telefone. – ele desligou.

         Saímos e ao sentir o ar gelado da noite bater contra mim, senti um arrepio. Um carro escuro estava parado à poucos metros de onde saímos. Ele andou até lá, as portas do carro foram destravadas e ele abriu a de trás me pondo deitado no banco.

         - Descanse por enquanto, Tae. Está seguro agora... – ele sorriu e fechou a porta. Sentou-se na parte do carona. – E aí, cara. – ele cumprimentou. E a pessoa que estava de motorista acelerou o carro.

         - E aí, ...

         - Não fale meu nome! – repreendeu o cortando.

         Passei a prestar atenção na conversa e consegui me sentar me apoiando-me nos bancos que eles estavam, mesmo que com dificuldade.

         O outro riu.

         - Deixa eu ver. Qual é o codinome que você inventou agora?

         - Jr. – ele sorriu largo o olhando.

         - Ei! Isso não vale! – o moreno reclamou.

         Jr olhou para mim e viu que eu estava prestando atenção. Me encolhi achando que não devia ter feito isso e ele logo percebeu.

         - Calma, Tae. Você não deve estar entendendo nada, não é?

         - É... – murmuro.

         - Vou explicar. Você não acha o nome Jr meio familiar? – ergueu uma sobrancelha e eu franzi o cenho. Até que caí em mim e lembrei de onde havia ouvido isso.

         - Vo-você é o famoso Jr?! – arregalo os olhos e pergunto incrédulo, sentindo o medo voltar.

         Há alguns anos já havia ouvido falar pela minha mãe e pela TV sobre um serial killer que se apelidava de Jr. Ele nunca mostrava seu rosto e as pessoas que ele matava eram pessoas que realmente faziam o mal aos outros, como traficantes e pessoas como Baek. E realmente agora que me lembro, o moletom que Jr usava era o mesmo do tal serial killer.

         - Calma, calma... eu posso explicar. – Jr tentou me acalmar.

         - Por favor. Eu quero sair daqui. Para o carro. – pedi implorando. – Eu não quero morrer... eu não quero...

         - Eu não sou o Jr. – Jr disse sério, o que me fez parar de falar na mesma hora.

         - Como assim?

         - Uso um codinome. – sorri ele de novo. Ele nunca para de sorrir! – Não se assuste, mas... – ele apontou pro menino que dirigia ao seu lado. - ... ele sim é o Jr.

         - Você vai confundir a cabeça do garoto mais do que a sua já está com o que perdeu nesses anos todos...

         - Ei! – ele riu. – Enfim, chame-o pelo nome para não se confundir mais. Seu nome é Jinyoung. Enquanto a mim, em homenagem a este grande amigo, atendo por Jr com você.

         Balancei a cabeça incrédulo com tudo o que ouvi.

         - Jr? Quem devo chamar de quê então?

         - Enfim, chame esse idiota de Jr e me chame pelo meu nome, já perdi meu codinome para ele, já sei. – ele riu.

         Pisquei confuso.

         - Vocês... vocês não vão me matar... não é?... – perguntei com medo da resposta.

         - É claro que não, tae! – Jr reclamou. (o falso Jr). – Não se preocupe... Jingyoung não mata qualquer um, quem ele mata merece morrer para não machucar pessoas como você, inocentes. – ele baixou a cabeça e murmurou o resto da frase. – Pena que há pessoas que não conseguimos matar... como Baek... – rosnou achando que eu não ouviria acho.

         - Por que não conseguem matar Baek? – não que eu quisesse que matassem, apenas queria saber o por que.

         Jr engoliu em seco.

         - Motivos... – refletiu. - Eu realmente não sei mais se há motivo para isso. – pensei ter visto seus olhos marejarem, mas ele piscou e as lágrimas sumiram.

         Resolvi permanecer calado e esperar que as coisas acontecessem por si só, eu não confiava totalmente neles, mas tinha que confiar. Não tinha outra opção. Eu ainda me sentia meio dopado por conta do que Baek havia me forçado a cheirar e não conseguiria fugir daquele lugar nem se quisesse por conta de estarmos no meio do nada. Apenas pedi mudamente que eu chegasse logo em casa e visse Jungkook dormindo tão lindo no sofá da sala de estar. Eu sentaria ao seu lado e remexeria em seu cabelo com meus dedos finos, como se nada houvesse acontecido.

        

* * *

 

         Não sei exatamente como, mas acabei dormindo aquela hora. E no momento em que acordei, percebi que estávamos em Seul, perto da minha casa. Me surpreendi quando os meninos perguntaram onde eu morava. Mostrei e eles pararam o carro na frente da casa. Jinyoung colocou um casaco escuro e colocou touca, percebi este ser bem parecido com o de Jr. Por falar nele, após eu tomar coragem para agradecer, ele ficou dentro do carro me dizendo que era arriscado que ele saísse na rua, sendo que estava em Seul. Estranhei mas não liguei muito para isso.

         - Fique bem. – Jr sorriu para mim. – Qualquer coisa é só me ligar, já anotei meu número no seu celular mais cedo. - Entregou meu celular desligado e meus documentos. – Ah! E eu  já ia me esquecendo disso. – ele pegou sua mochila pequena e tirou dali uma sacola plástica. Sacola plástica que eu reconhecia muito bem. Eram as minhas compras de antes de ser pego por Baek. Confesso que me surpreendi.

         - Obrigado. – lhe dei um breve abraço e fui com Jinyoung para a porta.

         Abri o portão e quando ia abrir a porta ela se abriu, revelando um Jungkook que ia sair as pressas de casa, mas ao me ver ali seus olhos se arregalaram e ele parou na mesma hora de fazer o que estava fazendo.

         - Taehyung... – murmurou. – Taehyung! – repetiu mais alto, alto de mais até, e me abraçou fortemente. – Onde você estava?! Eu estava desesperado e já ia te procurar na rua! Seu idiota! Não suma assim! Não faça mais isso! – me apertou nos seus braços e qu1ase me sufoquei com tamanho aperto. – Você está bem? Está machucado?! O que aconteceu?! – ele se afastou e trocou o olhar entre meus olhos e meu rosto, logo seguindo pro resto do corpo preocupado, procurando alguma marca em mim.

         - Calma, Jungkook... eu estou bem... – gemi baixo sentindo certo desconforto com a apertada que ele deu fazendo com que “as partes que doíam” , por conta do que Baek havia feito nelas, roçassem nele.

         Jungkook ergueu o olhar para o moreno ao meu lado.

         - Quem é você? – ele pergunta com a voz firme, e o sinto me puxar para trás dele, longe do outro. – Você trabalha para Baek? O que fez com ele?

         Resolvo intervir.

         - Não, Jungkook. Esse cara não é nada de Baek. Ele e um amigo só me sal... – eu ia dizer salvaram, mas ai lembrei que não podia contar isso para ele. Eu me negava a falar nisso com ele. - ...ajudaram – corrigi. – a trazer as coisas da loja de conveniência, por que no caminho eu caí e eles viram...

         Olhei para Jinyoung e ele assentiu com a cabeça sorrindo.

         - Sim, foi só isso. Desculpe o incomodo. – ele sorriu simpático. – Mas é que eu e meu amigo tivemos que ajudar Taehyung.

         Jungkook ficou meio sem graça.

         - Ah, me desculpe... é que eu fiquei meio receoso de que alguém houvesse feito mal ao meu irmão. – ele coçou a cabeça sem graça. Automaticamente sorri com o “meu irmão”. – Muito obrigado, uma boa noite a vocês.

         - Tenham uma boa noite também. – Jinyoung sorriu educadamente e nos deu a costa, pegando o carro e dando a partida nele, indo embora.

         Jungkook ficou olhando para o carro meio confuso, ele franziu o cenho olhando para lá e ao ver que eu percebi sorriu para mim e fechou a porta.

         - Não me dê mais esse susto, Taetae. – ele riu me abraçando.

         Sorri ao lembrar de tudo o que ele havia feito por mim sem que eu soubesse.

         - Não vou mais dar. - o abracei de volta.

         Logo fomos deitar. Mas dessa vez Jungkook fez questão de ficar na mesma cama que eu, na minha. Ele me abraçou fortemente, pondo minha cabeça em seu peito de uma forma meio protetora. E antes de dormir ele disse uma ultima frase que quase me fez chorar.

         - Taetae, de agora em diante eu não vou deixar que nada mais te faça mal... – sussurrou. - Eu nunca mais vou te abandonar...

 


Notas Finais


Comentem comentem amo vcs

fuui deitar ta tarde!! (bem tarde alias neh carol!!!!)
#dashi run run run
bjin bjin


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...