História Someone like you - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Marc-André ter Stegen, Marco Reus
Exibições 142
Palavras 1.984
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Nada está tão ruim que não pode ficar pior...ou quando está muito ruim só tende a melhorar?

Capítulo 16 - A viagem


Fanfic / Fanfiction Someone like you - Capítulo 16 - A viagem

Marco ficou o dia no apartamento dele pensando em Sophia, em tudo que tinha acontecido nas últimas horas: ela bêbada, ela assumindo o ciúme que sentia dele, eles se beijando na cozinha da casa dele, ela fugindo, eles fazendo amor, ela sofrendo... Marco sabia que Sophia era muito importante na vida dele e faria o que fosse necessário para ela entender isso.

Na segunda-feira, depois do treino ele ligou para ela, mas o telefone estava desligado, ela não respondeu as mensagens dele e Marco decidiu por ir buscá-la pessoalmente. Ao chegar no prédio de Sophia foi proibido de subir pelo porteiro, com a desculpa que ela não estava lá. Marco foi terça-feira a noite no restaurante de Sophia e também foi informado que ela não estava. Após 2 dias de tentativas ele resolveu ficar na porta do restaurante esperando ela sair, mas novamente sem sucesso.

Marco começou a se preocupar, Sophia não respondia a nenhum tipo de contato dele e nem mesmo as esperas em frente ao prédio dela estavam rendendo algum sucesso. Marco questionava Marc que dava respostas evasivas não dizendo a ele como estava Sophia. Uma semana depois, Marco não resistiu e abordou Daniele:

─ Dani, por favor, me ajuda, eu preciso falar com a Soph.

─ Sinto muito Marco, ela não quer falar com você.

─ Eu te imploro, eu preciso ver a Sophia.

─ Ela foi viajar Marco.

Marco se surpreendeu:

─ Viajar? Para onde?

─ Não sei.

─ Por favor...

─ Tchau Marco.

Marco estava mal e isso refletiu um pouco em seu desempenho em campo, ele estava desatento e perdia algumas jogadas bobas, mas seu grande talento acabava compensando com jogadas mágicas. Ele postava sempre mensagens de que sentia falta de uma pessoa, coisa que as fãs não entendiam muito bem e gerava altas discussões nas redes sociais.

Sem mais aguentar a situação, Marco apelou, foi um dia até a casa do dono do time, o Sr. Tom Allen. O dono da casa ficou surpreso quando o avisaram que Marco estava lá e acabou pedindo para que o trouxessem até o escritório dele na casa. Ele observou Marco de cima a baixo quando este entrou no cômodo.

─ Em que posso ajudá-lo Sr. Reus? Não me diga que quer um aumento de salário.

─ Se o assunto fosse profissional, eu teria o procurado no local de trabalho.

─ Então?

─ Eu preciso saber da Sophia.

Tom olhou para aquele garoto na frente dele tentando captar o que se passava na mente dele.

─ Por favor... – Marco estava desesperado

─ O que você quer com minha filha Sr. Reus, acho que o senhor já a magoou o suficiente não?

─ Eu preciso falar com ela, eu preciso pelo menos vê-la...

─ Ela não quer vê-lo.

Marco se aproximou da mesa e apoiou as mãos nela para olhar de perto para o senhor na frente dele:

─ A Sophia mudou minha vida, eu sempre fui metido em confusões na Alemanha, o caso da licença para dirigir foi apenas uma delas, meu comportamento não era bom e eu valorizava muito minha vida privada, porque se saísse na mídia o fato de eu ter uma mulher diferente por semana, minha reputação seria pior ainda. Meus pais já estavam sem muitas esperanças...

Marco então respirou fundo e a feição em seu rosto mudou:

─ Aí eu vim aqui para a Espanha, era uma nova chance, e eu logo de cara conheci a Sophia e ela me colocou no caminho correto, dedicação ao esporte, vida controlada, diversão com amigos...

─ E foi nessa diversão Reus que você extrapolou. Minha filha se abriu com você e contou do passado difícil dela, do que ela tinha passado com o Matthew, e você fez o quê? Repetiu a estória. E quando ela estava se aproximando de você, você fez o favor de se relacionar com ela e sua namorada ao mesmo tempo.

─ Isso não é verdade. Eu nunca tive nada com a Scarlett, foi tudo um mal-entendido. Eu nunca me imaginei falando isso, mas EU AMO A SOPHIA, e não é só porque ela é linda, mas porque ela é inteligente, divertida, carinhosa, meiga, tímida. Eu não consigo ficar longe dela, eu sinto falta de ver o sorriso dela...por favor, me ajuda.

Marco olhou para o homem na frente dele e Tom o observou e reconheceu sinceridade no olhar. Tom então pegou um papel e escreveu algo e entregou a Marco:

─ Aqui está o que você veio me pedir.

Marco leu o que estava escrito no papel.

─ Ela está nos Estados Unidos?

Tom fez que sim para ele.

─ Vou imediatamente passar na casa do Luis Enrique para avisar que vou ter que me afastar do time por alguns dias.

─ Você vai colocar sua carreira em risco.

─ A Sophia é mais importante para mim, vale a pena arriscar.

Marco se virou e estava saindo quando Tom o chamou:

─ Reus?

Marco se virou e olhou para o homem que disse a ele:

─ Boa sorte!

Marco abriu um sorriso:

─ Obrigado.

Marco pegou o carro e foi para a casa de Luis Enrique que o recebeu estranhando a visita do jogador. A esposa dele estava junto na sala. Marco explicou que teria que se ausentar por alguns dias de Barcelona e percebeu a face não muito feliz do treinador. Ele então decidiu contar toda a verdade e falou sobre Sophia.

─ Sr. Reus, eu não tenho nada a ver com seus problemas de coração. O time precisa de você.

─ São somente alguns dias...

Quando Luis Enrique ia estourar, a esposa dele foi quem falou.

─ Amor, deixa o garoto ir atrás da felicidade dele, se ele não for, vai ficar com a cabeça na moça e não vai render, deixa ele tentar falar com ela.

Luis Enrique olhou para a esposa e olhou em seguida para Marco. Marco estava ansioso pela resposta do técnico, se bem que ele estava decidido no que iria fazer, somente queria ir sem problemas com o clube.

─ Está bem Sr. Reus, vá resolver sua vida, mas eu espero que você volte focado para o campeonato.

─ Obrigado senhor.

Marco se levantou e se despediu do casal e foi para a casa dele, chegou e arrumou uma passagem e já foi preparar a mala para a viagem. No dia seguinte Marco estava voando rumo a Califórnia. Ele desembarcou em Los Angeles e alugou um carro para ir a Santa Barbara, mas como chegou tarde, foi para um hotel e deixou para procurar Sophia no dia seguinte.

Os dias de Sophia em Santa Barbara eram bastante similares, ela acordava cedo, corria na praia, voltava para casa e ficava relaxando e pensando em um novo cardápio para o restaurante. Falava com o gerente do restaurante algumas vezes por dia para resolver qualquer problema pontual. No fim do dia, alguma amiga de infância vinha buscá-la e elas saiam para se distrair.

Numa tarde, ela estava descendo do carro da amiga quando viu alguém na frente da casa:

─ Marco?

Ele ficou olhando para ela, Sophia estava linda, estava bronzeada pelo sol e o cabelo tinha clareado um pouco. Os olhos se destacavam na face dela, essa imagem de saúde contrastava com o branco leite da pele de Marco.

─ Oi.

─ O que você está fazendo aqui? – Sophia estava realmente surpresa.

─ A gente precisa conversar e eu não saio daqui até você me deixar falar com você.   

Sophia rolou os olhos, sabia o quanto Marco era teimoso e acabou o convidando para entrar na propriedade. Marco ao entrar notou a riqueza da família Allen, a casa era gigante, mas o terreno onde ela estava era incrível, muito verde, uma piscina linda, tudo muito bonito e bem cuidado. Eles se sentaram numas cadeiras na entrada da casa com vista para o jardim. Em pouco tempo apareceu uma empregada perguntando se eles queriam alguma coisa e Sophia pediu sucos.

─ Como você me achou aqui?

─ Seu pai.

Sophia estranhou o fato do pai ter passado o endereço a Marco, ele tinha ficado muito bravo com o que tinha acontecido entre os dois. Foi Marco quem explicou:

─ Eu quero te contar o que eu disse a ele e explicar como eu me sinto. Ele confiou em mim, eu espero que você também acredite.

─ Eu ainda não acredito que você veio até aqui só para falar comigo. E os jogos do Barça?

─ Nada é mais importante para mim do que você Sophia.

Sophia o encarou e os sucos e alguns petiscos foram servidos. Marco esperou a senhora deixar os dois a sós e começou a falar.

─ Eu não consigo ficar longe de você Sophia, eu tomei uma decisão muito errada quando me deixei influenciar pelo Robin, eu admito que errei, mas você me deixou me aproximar de você novamente e me perdoou apesar de tudo. Eu estava feliz de poder conviver novamente com você, mesmo que fosse como amigos, porque eu preciso estar com você, conversar com você, ver seu sorriso.

Sophia ficou tímida e desviou o olhar do de Marco que a olhava profundamente.

─ O problema é que estar perto de você me faz te querer cada vez mais e não só como amiga.

─ Do mesmo jeito que você quer ficar perto da sua amiga modelo alemã, né Marco?

─ NÃO! Eu não quero nada com ela, foi tudo um mal-entendido, a gente não é nem amigo, somente a conheço e a estava ajudando.

─ Engraçado, porque para mim parecia que vocês tinham bastante intimidade.

─ Não é verdade...

─ Ah não?

Sophia levantou e começou a andar na frente de Marco:

─ Quantas conhecidas saem na revista em situações românticas com você? E quantas conhecidas você leva numa festa privada da namorada de um grande amigo? Claro, deve ser a mesma conhecida que sobe no seu apartamento sem avisar, que te toca como se toca um namorado e que te cobra por ter uma outra garota no seu apartamento.

Marco se levantou e foi até ela e a segurou pelos ombros a fazendo olhar para ele:

─ Eu sei que tudo faz parecer que eu e a Scarlett temos alguma coisa, mas eu juro que não é assim. Por favor, acredita em mim Sophia, EU TE AMO e não consigo mais ficar longe de você. Por favor, volta comigo para Barcelona, volta para mim, oficialmente, vamos morar juntos, não sei, eu quero estar perto de você todos os momentos.

Sophia olhava para Marco e lágrimas voltaram a escorrer pelo rosto dela, ela estava em uma luta interna, tudo que ela sentia por Marco lutando contra o medo de se machucar novamente. Marco pelo seu lado tinha jogado todas suas fichas, ele precisava ter Sophia de volta.

─ Eu não sei Marco, não estou preparada para ter meu coração despedaçado outra vez, eu não vou aguentar...eu vim para cá para esquecer de tudo e me reerguer, você vindo aqui não está ajudando.

Marco via o sofrimento e a aflição de Sophia e não queria mais vê-la assim, mesmo que ele fosse quem ficasse com o coração despedaçado. Ele deu um beijo carinhoso na testa dela e limpou as lágrimas de Sophia.

─ Desculpa, nunca foi minha intenção te magoar. Eu sinto muito se te fiz sofrer assim.

Ele soltou Sophia e pegou a carteira que estava em cima da poltrona que ele estava e foi caminhando em direção a porta que foi aberta pelo segurança. Marco respirou fundo ao sair da casa de Sophia, tudo estava terminado definitivamente, ele a havia perdido. Marco atravessou a rua e ficou olhando para o mar em frente dele, viu umas pedras e foi até lá se sentar para organizar as ideias olhando o mar.

Sophia assim que Marco saiu se ajoelhou e soltou o choro que estava preso, ela pensou em quanto aquele homem mexia com ela.


Notas Finais


Agora acabou de vez?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...