História Someone like you - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Marc-André ter Stegen, Marco Reus
Exibições 147
Palavras 1.692
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Vamos parar de sofrer meninas?

Capítulo 17 - E agora?


Fanfic / Fanfiction Someone like you - Capítulo 17 - E agora?

A velha governanta da casa veio até a parte de fora da casa e viu Sophia no chão chorando, ficou bastante preocupada, se ajoelhou ao lado da menina e a levantou e trouxe para o sofá. Sophia deitou no colo da senhora e ficou chorando com a mulher passando a mão no cabelo dela e a fazendo se acalmar. Sophia então se abriu para a mulher, disse tudo que estava sentindo, o amor enorme que sentia por Marco, mas o medo de se machucar, mesmo porque ele já a tinha magoado mais de uma vez. A mulher ouviu a tudo calada e quando falou foi bem sabia:

─ Sophia, minha menina. Você é tão diferente da sua irmã que sempre é tão racional para as coisas, mas nunca foi tão medrosa. Se você não se abrir para a vida, dar chance ao amor e quebrar a cara, você nunca vai viver de verdade. A vida é assim, feita de momentos bons e momentos ruins e são nesses momentos ruins que as pessoas crescem. Você precisa crescer. O rapaz largou tudo para vir aqui falar  para você o que ele sente, eu acho que se você realmente o ama, devia dar uma chance a ele.

Sophia se levantou do colo da mulher e ficou olhando para ela por alguns instantes:

─ Você tem razão.

─ E o que você está esperando para ir atrás dele? Esperando ele voltar para a Espanha?

─ Como eu vou saber onde ele está?

─ Essa casa tem seguranças para quê?

Sophia sorriu para a mulher e foi correndo até a portaria da casa falar com o chefe da segurança.

─ Jimmy, eu preciso de sua ajuda, eu preciso achar aquele rapaz que esteve aqui hoje, e isso é meio urgente.

O homem deu uma risada para ela.

─ Isso é fácil D. Sophia

Sophia olhou para ele sem entender:

─ Você sabe em qual hotel ele está?

─ Não, mas ele ainda não pegou o carro, foi para a praia e eu acho que está sentado nas pedras.

Sophia deu um beijo na bochecha gorda do homem que a conhecia desde criança e foi correndo para a praia. Atravessou a rua correndo, sem olhar para os lados e ouviu uma buzina forte. O segurança que via tudo por uma câmera ficou branco, mas depois sorriu.

Sophia identificou Marco e foi até onde ele estava. Marco não viu ninguém se aproximar, estava perdido em seus pensamentos, olhando o pôr do sol. Somente notou a presença de alguém quando Sophia se sentou ao lado dele na pedra. Ele a olhou surpreso, mas não falou nada, ficou olhando para ela e reparando em cada detalhe daquele rosto perfeito, mas que estava com a ponta do nariz vermelha de tanto chorar, os olhos ainda molhados, e o cabelo bagunçado pelo vento. Ela estava linda.

Sophia olhou para Marco e notou o sofrimento no rosto dele e foi Marco quem falou:

─ Eu não queria ter te feito chorar...

Sophia pegou a mão de Marco entre as dela e ele olhou para ela sem entender.

─ Eu sou uma boba e imatura, uma garota que sempre teve tudo fácil na vida e que não sabe lidar com perdas.

─ Você perdeu de uma maneira brusca sua mãe e seu primeiro namorado.

─ Não justifica eu me fechar numa concha e querer bloquear sofrimentos – ela deu uma pausa para respirar e ver como falaria o restante – eu te amo Marco e os momentos bons que a gente passa junto fazem valer a pena arriscar sofrer novamente, eu posso me decepcionar, mas eu vou ter vivido, me divertido, amado, sido feliz, e isso que importa. Se você me perdoar por tudo que eu fiz ou falei, eu queria ter você ao meu lado novamente.

Marco não falou nada, somente ficou olhando para Sophia, linda, frágil, mas querendo lutar e ser feliz. A mulher que ele ama e queria ao lado dele. Então Marco fez um carinho no rosto de Sophia, colocou o cabelo dela atrás da orelha e a trouxe para um beijo. Sophia passou os braços ao redor do pescoço de Marco e começou a acariciar a nuca dele e os dois ficaram assim se beijando ao pôr do sol por um longo tempo. Quando escureceu, Marco notou Sophia gelada e arrepiada:

─ Melhor a gente entrar ou você vai ficar doente.

Sophia olhou para Marco e sorriu, ela se levantou e deu a mão para ajudá-lo a se levantar. Ele pegou a mão dela e ao levantar a abraçou e disse suavemente no ouvido dela:

─ Eu te amo Soph, e nunca mais vou deixar você ficar longe de mim.

Sophia abraçou Marco bem apertado e eles voltaram para a casa dela. Jantaram juntos e Marco disse que iria para o hotel. Sophia sugeriu que ele ficasse na casa dela e ele disse que as coisas dele estavam no hotel e ele precisava pegar. Ela combinou de ir com ele e no caminho Marco contou da conversa dele com o pai dela e da licença que Luis Enrique tinha dado a ele.

Ao chegarem no quarto do hotel, Marco começou a beijar Sophia com amor, ela correspondeu aos beijos, aos poucos o desejo foi falando mais alto e eles foram tirando a roupa um do outro, delicadamente, olhando cada parte do corpo do outro que ficava descoberta, se abraçaram, se tocaram, se beijaram, deitaram e fizeram amor. De uma maneira diferente da última vez que tinham tido uma relação, dessa vez foi com calma, lentamente, com carinho, muito amor e no final dormiram exaustos, nos braços um do outro e com seus corpos entrelaçados.

Quando Sophia despertou na manhã seguinte e levantou a cabeça encontrou com olhos pequenos mas despertos olhando para ela:

─ Faz tempo que você acordou? – Sophia questionou

─ Na verdade eu quase não dormi, não queria perder um detalhe de você...faz tanto tempo que não tinha você nos meus braços.

Sophia corou e deu um selinho em Marco. Ela foi tomar banho e ele deu uma cochilada. Enquanto ela juntava as poucas coisas dele que estavam fora da mala, Marco tomou banho e eles encerraram a conta dele no hotel. Tomaram café da manhã ao estilo americano em uma lanchonete e foram para a casa de Sophia, eles viram a passagem para aquele dia mesmo no período da noite e Sophia aproveitou o dia para mostrar para Marco a cidade que ela nasceu e cresceu.

Conversaram bastante sobre o futuro deles e Marco convenceu Sophia a morar com ele em Barcelona. Fizeram planos e estavam bastante felizes e carinhosos um com o outro.

─ Você que vai contar pro ursinho que vai me levar para morar na sua casa.

Marco fez uma careta e Sophia riu e o beijou:

─ E se ele ficar bravo e resolver vender meu passe?

─ Azar dele, eu vou ficar mais longe dele se tiver que me mudar de cidade com você.

Marco deu seu sorriso mais lindo, torto mas sincero e a beijou apaixonado. Voltaram para Barcelona, avisaram aos mais próximos que estavam juntos, o que gerou uma grande comemoração na família de Marco que adorava Sophia. Tom ficou satisfeito ao ver a filha feliz novamente, Marc ficou feliz pelo amigo, somente Daniele achava que Marco não merecia perdão, mas era uma decisão que somente a amiga poderia tomar.

Sophia ao se mudar para o apartamento de Marco fez algumas mudanças de acordo com o gosto dela e deixou o apartamento com a cara dos dois. O casal estava numa felicidade só, o desempenho de Marco tinha melhorado muito em campo, ele jogava um futebol alegre e solto, fazendo um ótimo trabalho de equipe com Suarez e Messi. Eles estavam marcando vários gols por partida. Sophia sempre ia aos jogos no Camp Nou para alegria do pai e Marco sempre que marcava um gol, fazia um coração com as mãos.

Apesar de estarem juntos, Marco e Sophia não tornaram público o relacionamento (apesar de diversas pessoas questionarem o namoro deles). Em entrevistas Marco sempre dizia que estava comprometido e feliz, mas sem falar com quem. Eles não queriam que o fato de Marco namorar a filha do dono do clube gerasse comentários.  

Robin acabou descobrindo do namoro dos dois quase sem querer numa conversa com Melaine em Dortmund.

─ Seu irmão não apareceu mais por aqui.

─ Ele anda bastante ocupado, são muitos jogos e treinamentos e ele está numa fase ótima e sem contusão, então não tem muito tempo livre.

─ Tenho visto ele realmente bem nos jogos. Ele parece feliz, não tem mulher na jogada não? – Robin piscou para Melaine

─ Desde que ele e a Sophia voltaram, o Marco está bem mais animado, parece outra pessoa.

─ Que bom para eles.

Robin se despediu de Melaine e foi se encontrar com Marcel num bar. Contou ao amigo sobre a novidade a respeito de Marco e Marcel ficou feliz por ele:

─ Parece que o Marcinho gosta mesmo dela, bom para ele que eles voltaram.

─ O Marcinho nunca foi e nem nunca será homem de uma mulher só, essa garota deve ter feito um feitiço com ele.

Marcel gargalhou da ideia de Robin.

─ Você está muito criativo hoje.

Os dois mudaram de assunto e ficaram bebendo, porém, uma ideia começou a se desenvolver na mente de Robin. Ele já não gostava de Sophia por ela atrapalhar os negócios da Pursuit e recentemente ele estava irritado com Marco pelo amigo não o estar ajudando mais, portanto ambos iriam conhecer um outro lado de Robin Kaul.

Sophia voltou ao restaurante com ideias de um cardápio novo e também com ideias novas para o restaurante, ela queria ampliar o local porque estava sendo um sucesso desde o lançamento. Com o novo cardápio do almoço, o restaurante acertaria também o paladar infantil, fazendo o espaço também ser ideal para famílias. Nessa nova empreitada, Sophia conversou bastante com seu conselheiro Ferran Adrià e ele sugeriu a Sophia ter um sócio para ter maior investimento. A sugestão dele foi de um outro pupilo que tinha estagiado em um de seus restaurantes: Jordi Cruz.


Notas Finais


Agora é só amor, ou será que...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...