História Something Good - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens JB, Youngjae
Tags 2jae, Amorzinho, Choi Youngjae, Fluffy, Got7, Im Jaebum, Jaebum, Jaebunicorn, Something Good, Youngjae
Exibições 129
Palavras 2.343
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Fluffy, Shonen-Ai, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁ, MEUS UNICÓRNIOS! ♥
Sim, decidi chamar os leitores assim, YAY *w* <333

Eu tô muito na vibe de fazer oneshot, por isso peço desculpas mais uma vez para aqueles que estão esperando pelo capítulo 3 de "So Far Away" T_T Ele vai sair, eu prometo! Tentei ser útil nesse feriadão, onde fiquei 5 dias em casa, mas não saiu NAAAAADA, eu só consegui dormir e procrastinar todos esses dias, ME PERDOEM POR FAVOR )):

No entanto, ontem eu tava ouvindo Something Good (e ainda estou ouvindo IUHASDIUHDSIAH) e essa música é tão maravilhosa que me deu vontade de escrever sobre ela. Como o compositor é nosso querido Defsoul, eu decidi que seria bom escrever sobre 2jae. <33 É minha primeira história sobre 2jae e é beeeeeeem fluffyzinha e clichê (adoro uns clichês de vez em quando, me julguem ;---;).

E juntando ao fato de ser "sobre" Something Good, eu também lembrei de 500 Dias Com Ela, então a situação foi baseada nesse filme <3

A imagem da fanfic eu peguei no googlão mesmo, apliquei uma PSD marota e escrevi o trecho da música. Não sei nem de quem é a imagem original, mas mesmo assim dou os devidos créditos. <3

Espero que gostem, ficou beeem simples mesmo, mas eu gosto de história simples e espero agradar vocês. >< Sugiro que leiam ouvindo Something Good pra entrar ainda mais na vibe, porque é muito fofo ;-; eu amo essa música, pqp, JB sempre me surpreende com suas letras <333333

Boa leitura, unicórnios. Nos vemos lá embaixo ♥

Capítulo 1 - Capítulo Único


Finalmente mais um dia cansativo na gravadora chegava ao fim. 

Era sexta-feira, para alegria de Jaebum, que poderia finalmente deitar a cabeça em seu travesseiro após um banho quente, fechar os olhos e esvaziar a mente, na intenção de acordar apenas no domingo a tarde, mas sabia que seria humanamente impossível; acordaria no sábado de manhã para um dia inteiro morrendo de tédio.

A temperatura estava muito baixa, o inverno chegara com ainda mais rigidez que no ano passado e obrigava todos a ficarem em suas casas. No entanto, lá estava Jaebum trilhando seu caminho de volta para o apartamento que dividia com seu melhor amigo Jinyoung, torcendo para não encontrá-lo mais uma vez se esfregando no sofá com o "amigo" Mark Tuan. Havia sido uma cena difícil de engolir e deveras constrangedora, algo que Jaebum desejava jamais ter que encontrar novamente.

Ainda não conseguia entender por que diabos os dois namoradinhos não assumiam logo aquele relacionamento escondido que já era mantido há mais ou menos um ano, mas ele mesmo não entendia muito sobre esse assunto, então não se via no direito de dar palpites. 

Pois é... Dava para contar nos dedos de apenas uma mão as vezes que Im Jaebum compartilhou sentimentos românticos com outra pessoa. Aliás, os raros episódios de sua vida onde saía com alguma garota não dava nem para se chamar de relacionamento, já que acabavam na mesma noite. 

Jinyoung, com toda a liberdade que tinha, chamava Jaebum constantemente de velho ranzinza. O mais velho tinha apenas vinte e quatro anos, mas, segundo Jinyoung, sua alma tinha o triplo da idade. Era um verdadeiro milagre quando Jaebum dava as caras em algum encontro com os amigos, mas não era surpresa para ninguém quando o mesmo ficava apenas por vinte minutos antes de voltar para o apartamento.

Além disso, Jinyoung se questionava todos os dias sobre como Jaebum era capaz de compor músicas tão lindas sobre amor e coisas do tipo se nunca tinha sentido nada daquilo. Se nem mesmo Jinyoung, que conhecia o amigo desde as fraldas, conseguia entendê-lo, então ninguém nunca conseguiria.

O ruivo andava devagar, mesmo querendo chegar logo ao apartamento para tirar todos aqueles casacos pesados que o protegia do extremo frio. Devido à neve exagerada, muitos carros não conseguiam transitar pela cidade e isso incluía os táxis, então a única alternativa fora caminhar. 

Não foi um problema tão grande para Jaebum, pois adorava o frio, a quietude e a paisagem branca e pacífica do inverno. No entanto, ficara muito feliz quando finalmente virou a esquina, deparando-se com o prédio de treze andares onde morava.

Passou pelo pátio, dando uma rápida olhada para as inúmeras caixas de papelão próximas da lixeira ─ nem mesmo o caminhão de lixo estava trabalhando, já que aquelas caixas estavam ali há pelo menos dois dias. 

Uma família nova havia se mudado, mas Jaebum não se importava com os novos moradores; não tinha tempo para isso, mesmo eles morando em seu andar. A única coisa que sabia era que se tratava de um casal e seu filho adolescente de dezoito anos, obtendo essas informações através de Jinyoung que fora socializar com os vizinhos e oferecer ajuda.

Jaebum passou pela portaria, despertando com um breve cumprimento o porteiro que cochilava em sua cadeira aparentemente desconfortável, empacotado em seus vários casacos. Sem delongas, o ruivo apertou o botão para chamar o elevador e esperou até que este chegasse, permitindo-o entrar para digitar os números um e dois no painel ao lado da porta.

Aquela ação fazia parte de sua rotina; digitar os números de seu andar, chegar rapidamente sem interrupções àquele horário e adentrar o apartamento sem precisar falar com ninguém. Por esse motivo, Jaebum não tinha nenhuma expressão diferente em seu rosto, sempre aquele ar de tédio e monotonia que cercavam a sua vida, esperando tudo se desenrolar conforme era feito todos os dias.

Mas naquele dia foi diferente.

─ Ei! Ei! Segure a porta, por favor!

O pedido de tom elevado fez Jaebum despertar de seus próprios pensamentos e segurar a porta do elevador que já fechava, fazendo-a abrir novamente para um menino de cabelos castanhos e pele muito alva conseguir entrar.

─ Muito obrigado! ─ Respondeu o desconhecido com um sorriso aberto e, Jaebum teve que admitir, radiante.

O ruivo não entendeu o porquê, mas não conseguiu nem mesmo responder ao agradecimento do rapaz de aparência jovem e sorridente. Sabia que a falta de resposta poderia interferir em seu pré-julgamento, então forçou-se a assentir com a cabeça, mas ainda houve a falta de sorriso.

Não era do feitio de Jaebum distribuir sorrisos a desconhecidos, mas esse não fora o motivo para ele não sorrir naquele momento. Ele estava embasbacado com alguma coisa daquele que estava ao seu lado, o que era deveras estranho, ele sabia disso. Nunca acreditou no besteirol clichê de "amor à primeira vista", sabia desde o início que essas coisas aconteciam apenas em filmes chatos de romance, mas não entendeu por que a boca ficara seca de uma hora para outra.

Ele queria olhar para o lado, para o menino que tinha enormes fones de ouvido cobrindo as orelhas e uma música alta ecoando do objeto, mas sabia que isso seria estranho demais e por isso focou no display de pavimento que indicava os andares por onde o elevador passava. Estranhamente, o elevador subia devagar, ou seria apenas a sensação que Jaebum sentia?

Não percebeu quando seu pé direito começara a bater no chão em ritmo constante, em sua costumeira reação de quando estava ansioso demais. Por que ele estava se sentindo daquele jeito? Era difícil de entender quando não havia motivos aparentes para tal coisa. 

Oitavo andar ainda, parecia que estavam subindo a cada um minuto apenas.

Discretamente, Jaebum olhou para o lado e viu que o garoto tinha seus olhos fechados enquanto ouvia uma música desconhecida. Foi então que o encarou descaradamente, começando pelos cabelos bagunçados com estilo, descendo pela mandíbula de ângulo perfeitamente marcado e parando por alguns segundos nos lábios preenchidos e naturalmente rosados.

Ele era realmente muito lindo e Jaebum não conseguia entender de fato o que estava sentindo. Jaebum quase fora pego quando o desconhecido abriu os olhos para mexer no celular ─ ou então fora descoberto, mas o outro preferiu não comentar nada, nem esboçar qualquer reação. O ruivo desviara o olhar para os andares que subiam retardadamente, tossindo numa tentativa falha e vergonhosa de disfarçar.

Conseguiu ver com a visão periférica quando o garoto apertara um botão do celular e, logo após, outra música começou a tocar. 

O coração de Jaebum pareceu congelar quando reconheceu a música nova. Ele conseguia ouvir bem graças ao volume excessivamente alto dos fones de ouvido e um sorriso automático entortou o canto de seus lábios; Jaebum não conseguia acreditar naquela coincidência.

Não acreditava em destino ─ achava outra coisa estúpida e dramática ─, mas qual seria a probabilidade daquele desconhecido estar ouvindo a sua música? Sim, aquele garoto que Jaebum nem sabia o nome estava ouvindo uma de suas melhores composições. Sem se importar se o outro estava vendo ou não, o ruivo lançou-lhe outro olhar, apenas para encontrá-lo novamente de olhos fechados, como quem estivesse curtindo a música ao máximo.

E então foi pego perdido mais uma vez no rosto de traços perfeitos daquele ser e constatou que ele parecia um quadro pintado por um artista perfeccionista. O coração mais uma vez apertou no peito, deixando Jaebum levemente irritado por saber que não fazia sentido algum estar sentindo aquelas coisas estranhas demais. 

Estava ficando doente? Era a única coisa que conseguia pensar.

Ainda olhava para o tal garoto quando o elevador, depois do que pareceu uma eternidade, finalmente alertou ter chegado ao décimo segundo andar, fazendo-o desviar o olhar abruptamente.

Jaebum queria sair dali o mais rápido possível, mas o menino que vestia calça preta e casaco branco saiu a sua frente ─ fazendo o ruivo se questionar por um breve segundo como ele conseguira ouvir tão bem se estava com aqueles fones enormes. Foi então que o Im percebeu que ele era o morador novo do prédio e que por isso nunca tinha o visto ali antes. Ele já estava quase na metade do corredor quando o elevador anunciou que as portas estavam se fechando, despertando Jaebum de mais um de seus devaneios.

Empurrou as portas que já fechavam e deu passos rápidos até alcançar o novo vizinho, sendo impulsionado por algo desconhecido, e só notou que havia gritado por ele quando o mesmo se virou, retirando os fones de ouvido que ainda tocavam a música Something Good.

─ Sim?

As palavras fugiram por alguns segundos, já que não sabia o que dizer, e Jaebum acabou se atropelando um pouco quando fez a primeira tentativa, mas respirou fundo para se recompor e conseguiu formular a frase corretamente sem parecer um idiota:

─ Você... Gosta dessa música? ─ Claro que não era dessa forma que se iniciava um diálogo decente, mas quando notou o erro já era tarde demais. ─ Eu pude ouvir no elevador. ─ Completou com um sorriso um tanto sem graça.

─ Ah, sim! Eu gosto muito dessa música. ─ O garoto respondeu com aquele sorriso doce, prendendo mais uma vez o Im.

Jaebum se pegou sorrindo levemente, foi incontrolável. O desconhecido gostava muito da música dele... Aquela resposta fizera seu coração palpitar mais uma vez, um sentimento novo e estranhamente bom.

─ Posso perguntar por que você gosta tanto dessa música? ─ Ele sabia que aquela pergunta poderia soar muito estranha e invasiva, mas as palavras simplesmente saíram. Jaebum queria realmente saber mais sobre o outro.

─ Ah, bom... ─ O moreno fez uma breve pausa para pensar, Jaebum não conseguia acreditar que ele realmente parara para responder aquela pergunta ridícula. ─ Essa música é especial por causa da vibe que ela passa, sabe? Eu coloco os fones, fecho os olhos e meu corpo inteiro relaxa, eu entro totalmente no clima. ─ Ele gesticulava e abriu um sorriso singelo enquanto falava, Jaebum já estava hipnotizado pela forma como ele se entregava a cada palavra. ─ Eu gosto muito do grupo que a canta, eles fazem um ótimo trabalho, mas gosto ainda mais do compositor...

─ Do... compositor? ─ Jaebum o interrompeu sem querer, pois tinha sido pego de surpresa pela última frase.

─ Sim! Eu realmente amo todas as músicas que ele compõe, são maravilhosas! ─ Jaebum estava chocado e ao mesmo tempo sentia uma sensação de felicidade extrema enquanto o ouvia. ─ Ele coloca tanto sentimento no que escreve que acaba passando para quem ouve, é incrível o que ele faz. Eu já era interessado por música antes, mas depois de conhecer as composições desse cara, eu passei a me dedicar mais. Defsoul é minha inspiração, espero poder conhecê-lo algum dia e dizer tudo o que sinto e o quanto ele é importante para mim.

Jaebum piscou algumas vezes enquanto as palavras do outro o atingiam em cheio. Tinha a impressão de estar em outra realidade, o corpo estava tão leve que parecia flutuar. O desconhecido agora fitava o chão, como se estivesse envergonhado do que acabara de dizer, provavelmente devido à intensidade de seus sentimentos por um simples compositor.

O ruivo nunca na vida imaginou que seria tão importante para alguém, ele apenas escrevia o que achava que os fãs do grupo musical gostariam de ouvir, não passava disso. No entanto, aquele menino tinha aparecido de repente em sua vida, como se fosse obra do destino, por mais que não acreditasse em tal coisa. Jaebum, mesmo escrevendo sobre amor e paixão todos os dias de sua vida, não conseguia descrever o que estava sentindo.

Por fim, quando achou que deveria dizer algo para evitar mais constrangimento, soltou uma risada anasalada e abriu um sorriso tímido que fez seus olhos quase se fecharem. Aproximou-se mais do novo vizinho, ficando apenas a um metro de distância, recebendo novamente o olhar do outro como resposta e... Ah, ele era realmente tão bonito que parecia roubar o ar dos pulmões de Jaebum.

─ Muito prazer, eu sou Im Jaebum, seu vizinho. ─ Estendeu a mão para o garoto, que não demorou muito para retribuir o gesto e abrir mais um largo sorriso.

─ Eu me chamo Choi Youngjae, é um prazer conhecê-lo.

Jaebum olhou para as mãos conectadas e finalmente entendeu quando os casais apaixonados diziam sentir um leve formigamento quando se tocavam nem que fosse por um instante. Isso o fez sorrir mais uma vez; quantas vezes tinha sorrido depois que conhecera aquele menino? Provavelmente mais do que sorria em um único mês.

Os olhares se encontraram e Jaebum recebeu o sorriso angelical de Youngjae como resposta, seu coração pareceu parar de bater antes de voltar com batimentos fortes e pesados.

Quando escreveu a música "Something Good", Jaebum não pensava em nada nem ninguém como fonte de inspiração. Realmente apenas escrevia o que via em outros casais, como em Jinyoung e Mark, coisas que serviriam como trilha sonora durante a vida amorosa dos ouvintes. No entanto, naquele momento, Jaebum se perguntava se tinha alguma habilidade de prever o futuro através de suas composições, já que se sentia exatamente da forma descrita na canção.

Há apenas poucos minutos atrás, Im Jaebum era um descrente quando se tratava de qualquer sentimento romântico à primeira vista, escrevia apenas o que rimava e o que venderia para gravadoras, mas agora seria diferente.

Jaebum não deixaria aquele menino escapar, seria uma loucura, ele não poderia perdê-lo, queria sentir mais daquilo que todo mundo falava com tanta paixão. Sabia bem que era uma completa loucura e precipitação o que estava sentindo por Youngjae, não o conhecia por mais de dez minutos, mas sentia algo estranhamente bom em relação a ele. Iria querê-lo por perto sempre, isso era certeza.

Era até engraçado e irônico, pois nunca se imaginou vivendo um dos clichês que mais detestava em filmes de Hollywood. A partir daquele momento, ele lutaria para que todas as suas letras mais lindas tivessem apenas um nome por trás de toda sua inspiração:

Choi Youngjae.


Notas Finais


Eu disse que seria bem simples <33
E realmente espero que tenham gostado ><

Eu prometi capítulo de So Far Away pra semana passada, mas eu trabalhei e, como disse antes, dormi esse feriado inteiro :c Mas nessa semana sai, orem comigo pra esse bloqueio criativo ir embora de vez porque não to aguentando mais :ccc

Pra quem gosta de Markjin, virei com duas oneshots deles também, depois outra história de 2jae vai surgir por aqui (short fic). <333

UNICÓRNIOS DO MEU CORAÇÃO, obrigada por terem vindo e por terem lido. <33

Até a próxima,
Annyeoooooooong~~~ ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...