História Somewhere Only We Know - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Sehun
Tags Baekyeol, Chanbaek
Exibições 16
Palavras 3.983
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Fluffy, Shoujo (Romântico), Slash
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello Nebulosos *-*

Meu primeiro trabalho nesse user, então tô meio tensa... Vou amar à todos e espero que me amem idem ×

Essa one shot está no armário há um bom tempo, resolvi, finalmente, postá-la para enaltecer (do meu modo) esse couple lindo <3

Esse trabalho foi inspirado na canção Somewhere Only We Know da Lily Allen (Link nas notas finais).

Espero que gostem, ela é bem fluffy e bem cut cut, haha.

Tenham uma incrível leitura, muito obrigada ❤

Capítulo 1 - How I met my love


Fanfic / Fanfiction Somewhere Only We Know - Capítulo 1 - How I met my love

"E se você tiver um minuto por que nós não vamos

Falar sobre isso num lugar que só nós conhecemos?

Isso poderia ser o final de tudo

Então por que nós não vamos

Para algum lugar que só nós conhecemos?

Algum lugar que só nós conhecemos"

- Somewhere Only We Know (Lily Allen)


• <3 •


A razão pela qual o amor existe é bem simples na minha ideia. Antes de tudo, entenda que eu sou um homem apaixonado por outro homem, não que isso vá influenciar minha história. Ou talvez sim. Mas isso não depende do meu ponto de vista, e sim do seu. Espero que esteja aberto para ler sobre a história entre eu e o cara que está dormindo tranquilamente ao meu lado, seu nome é Byun BaekHyun e ele é o amor da minha vida.

‘Mas ChanYeol, você só tem vinte e cinco anos, como pode ter certeza de que ele é o amor da sua vida?’

Talvez eu não tenha certeza, entende? É algo que só o tempo sabe e talvez o destino também. Porém, talvez eu não acredite no destino, prefiro acreditar em mim mesmo. Aliás, quantos ‘talvez’ eu já disse? Me perco sempre nessa conta de talvez para cá e para lá. 'Se' e 'talvez’ são as palavrinhas chave do amor, nunca sabemos se dará certo ou não, se aquela pessoa é ou não é sua alma gêmea. Não tem como saber isso aos vinte e cinco anos.

‘Você acredita em alma gêmea?’

Pelo incrível que pareça, não, eu não acredito nisso. Eu acredito que o coração de Byun BaekHyun encaixa perfeitamente junto ao meu, num sentido figurado, é claro. Nos entendemos, compreendemos e ajudamos. Nós nos amamos e eu sinto isso em cada ‘Bom dia' que ele deseja a mim, junto daquele sorriso lindo que ele tem.

PS: Sim, eu passarei praticamente o relato inteiro me referindo a Byun BaekHyun como o homem mais perfeito do mundo, pois ele é perfeito para mim, perfeito no meu mundo. Eu sou um completo idiota apaixonado.

Voltando ao assunto inicial, vou explicar minha ideia sobre o amor.

Ah, o amor... Ele tende ser puro como uma criança e doce como uma bala de morango. Não machuca e nem fere, talvez, magoa às vezes mas possui também o poder de cura. O amor te faz viajar para um novo mundo, um lugar cheio de afeto e esperança. Amor é compreensão. Amor é um sentimento inexplicável, não é possível dizer exatamente o que pode ser sentido com ele, cada um ama da maneira que entende. E onde ele está? Bom, ele está presente nos pequenos gestos, simples palavras e grandes carinhos.

Ah, o amor é lindo, mesmo não sendo possível explicá-lo da maneira que gostaria.

‘E como você conheceu o amor?’

Não vou dizer como conheci o amor puro e sim como conheci o meu amor.


• • •


Em mais uma quarta feira, lá estava eu, morrendo de sono enquanto tentava caminhar pelo corredor sem tropeçar em algo ou esbarrar em alguém. Diríamos que eu alto do jeito que sou, se esbarrar em alguém vai ser estrago total para a vítima. E já não bastava meu sono, minhas olheiras de quem ficou olhando o pátio pela janela a noite toda por insônia, ainda existe Oh Sehun para piorar meu humor.

"Park ChanYeol, você está ou não me escutando?"_O mais novo e chato perguntou dando um tapa em minha nuca, coisa que doeu.

"Aish...! Oh Sehun, você tem sérios problemas, hum”_Respondiirritado, passando a mão pela área agredida que estava ardendo pelo tapa.

"Primeiro deles é: você não sabe usar a forma de tratamento hyung! Pra você é ChanYeol hyung!. Em segundo: você tem que parar de ser tão chato, tem apenas treze anos, qual seu problema? Você nem é desse andar!"_Expliquei enquanto puxava Sehun pela orelha, no intuito de guiá-lo até a escadaria que o levaria para o andar de baixo.

"Aigoooo, ChanYeol!!! A orelha grande e poderosa é a sua, não a minha. Me solta, aaaaah!!!"_Sehun reclamou alto demais, fazendo todos os outros garotos que passavam pelo corredor olhar.

Dei um tapa no mais novo, fazendo-o reclamar novamente, e após uma série de xingamentos direcionados a Oh, consegui me livrar dele. Suspirei pesado e ainda com sono, virei os calcanhares e segui a caminho da sala de música. Por sorte, ainda faltavam alguns minutos para o sinal tocar.

Ah sim, Oh Sehun, preciso falar dele para explicar sobre um certo tipo de amor. O amor da amizade. Por mais que ele tenha me irritado muito na época escolar, não posso negar que ele foi um grande amor meu, meu melhor amigo. Sendo no mais novo, Sehun estudava no andar abaixo do meu, mas por sorte conseguimos dividir o quarto no prédio dos dormitórios. Aliás, ele era - e é até hoje - a única coisa que me animava durante os cinco dias que ficava trancado no colégio.

Após muito custo, consegui chegar até a sala ampla e cheia de instrumentos musicais. Mas logo ao entrar na sala, revirei o olhar e logo segui até alguma das cadeiras dispostas em U para melhor aproveitamento das explicações do mestre. Pois a pior coisa era entrar na aula e dar de cara com o garoto mais idiota do colégio, o mais chato, mais metido e o mais assanhado: Byun BaekHyun.

Fiquei observando o piano, a bateria, o contra baixo e especialmente meu maior amor: o violão. Talvez aquele instrumento fosse o grande motivo para que eu amasse as aulas de música com toda minha força. Cantar como vocal nunca foi bem o meu forte, eu arrisco bem no rap e sempre dá certo. Mas ainda assim tocar violão era meu melhor talento.

Quando a aula começou, ela seguiu interessante já que o professor explicou sobre um tal trabalho do qual teríamos que fazer o cover de alguma música. Enquanto o senhor explicava, eu tentava me controlar para não levantar da cadeira e ir até onde BaekHyun se encontrava e bater nele com todas as minhas forças. Não entendia bem aquela fixação dele de ficar me observando a aula toda!

Como tudo sempre dá errado para quem vos fala, Park ChanYeol, o cover seria em dupla. Para piorar mais: as duplas seriam escolhidas por sorteio. De verdade, com todas forças eu orava a todos os santos que não fosse ele o escolhido mas...

"Última dupla: Park ChanYeol e... Byun BaekHyun!"

Pelos deuses, tudo, menos isso. Tudo menos fazer um cover com Byun BaekHyun!

Byun BaekHyun, quinze anos, estudante da turma C e vocalista principal do coral. Sonho de consumo de qualquer garota do prédio feminino e objeto de zoação dos garotos do time de basquete. No caso, meu time de basquete. Gay assumido e também popularmente conhecido como aumenta galhada dos namorados, já que traiu o ex mais de três vezes. Um tanto atirado demais e muito cara de pau. Metido e arrogante só porque é um dos mais ricos do colégio inteiro.

Metido também porque tem uma voz incrível - disso ninguém discorda - e sabe tocar piano melhor que qualquer um da sala. Pequenos motivos pelo qual odiei qualquer relação profissional com Byun.

"Então, BaekHyun... O que pretende fazer... Para o trabalho. Alguma música em mente?"_Perguntei desviando o olhar do menor a minha frente.

"Hyung"

"Hum?"

"BaekHyun hyung, sou mais velho. Por favor. E sim, tenho algo em mente. Soube que toca violão lindamente"_Byun completou ainda me fitando com certa curiosidade no olhar.

"Para de me olhar assim, eu não gosto de você!"_Exclamei irritado, cruzando os braços e desta vez encarando o menor sentado a minha frente.

"Só porque eu dei em cima do seu amigo? Grande coisa! Todo mundo desconfia da sexualidade do Sehun... Eu só tentei... Ajudá-lo a descobrir...!"_Byun tentou se justificar, coisa que não fez sentido algum.

"Vá se foder, Byun! Só vou fazer esse trabalho com você porque eu realmente preciso dessa nota. Não sou rico como você que pode entrar em qualquer faculdade por aí!"_Disse frio, sem expressão.

"Suas orelhas..."_Byun comentou tentando se aproximar delas com a mão.

"Que merda você tá..."

"Seus brincos são lindos! Sério, são incríveis! Queria poder usar também, mas minha mãe não deixa"_Byun completou bufando ao final, talvez irritado pela opinião da mãe.

E talvez, eu odiasse o jeito meio bipolar de BaekHyun.

Nunca o tratava como BaekHyun ou Baek hyung como ele pediu, era sempre Byun. Foi Byun nas aulas de música, Byun nos ensaios a noite no quarto dele, Byun nos ensaios na casa dele no fim semana. Segundo Byun, precisávamos treinar muito, por mais que eu achasse altamente desnecessário tanto treino. Ele implicou com meu dedilhado que eu faço desde pequeno, reclamou do meu timbre de voz, mas após muito trabalho ele finalmente me elogiou.

Sehun quase decepou minhas orelhas ao saber que eu faria um trabalho com o garoto que jurou provar a homossexualidade dele. Ele me xingou de todos os nomes que sabia, e eu me perguntei várias vezes sobre como com apenas treze anos ele sabia tanta coisa.

Quase um mês após a proposta, chegou o grande dia. Todas as turmas, de A a D estavam no grande auditório do colégio. Prometi a mim mesmo que não ficaria nervoso, mas era impossível seguir a promessa com Byun dando gritos de histeria ao meu lado, pelo fato do brilho labial do mesmo ter acabo.

Eu não fui pago para aturar. E a cada dia que passava, mais eu sentia vontade de estrangular aquele garoto. Pois ele atendeu todas as minhas expectativas sobre ele, e até me mostrou que consegue ser pior do que dizem.

Por fim, nossa apresentação foi a melhor de todas. Claro, comigo tocando violão lógico que ficaria belíssimo. Confesso que devo elogios a voz de Byun e seu talento no piano. Talvez essa combinação fosse útil na música, apenas isto a nada mais.

Claro, já que após ganharmos a nota máxima, aplausos de pé dos alunos e muitos elogios, nossa relação foi cortada. Fiz aquele garoto menor que eu e o mais metido nunca mais falar comigo pois eu estava cortando relações. Ele não contestou a apenas concordou, dando de ombros e saindo da sala de música.


• • •


Passaram alguns meses e a cada dia que passava, menos o Byun me olhava na aula de música, nem me observar no treino de basquete ele fazia. Não que eu me incomodasse, estava até feliz com esse afastamento do menor. Ele parecia uma mosquinha que sempre estava lá, onde eu estava.

"É impressão minha ou você está de novo procurando o BaekHyun?"_Sehun perguntou, tirando-me de uma busca que eu nem notava estar fazendo.

"Não estou procurando ninguém!"_Ditei sério, sentando na arquibancada e pegando a garrafinha de água ao meu lado.

"Para de fingir, vai. Desde aquele trabalho, a cerca de quatro meses atrás, o Byun não aparece perto de nós. Você fica procurando com o olhar e quando não acha, bufa e cruza os braços."_Sehun contou calmo, fazendo-me arregalar os olhos.

"EU NÃO FAÇO ISSO!"_Gritei assustado.

"Para e gritar, idiota! E você faz sim! Quando encontra ele, ou melhor, os olhares de vocês se encontram, você fica todo besta”_O mais novos deu de ombros, voltando a observar o time na quadra.

Talvez, apenas talvez eu estivesse me acostumado com os olhares de Byun. É normal isso, quando você se acostuma com algo, é estranho a ausência disso. Mas logo do BaekHyun? Não!

“ChanYeol”_Me virei pronto para bater em Sehun, mas por sorte, parei a mão no ar.

“C-Calma! Não precisa me bater, é sério!”_BaekHyun exclamou assustado, com os olhos arregalados, então abaixei a mão na hora. Não notei quando Sehun saiu e eu fiquei ali, parado, encarando o lourinho.

“Bom, Sehun saiu porque eu pedi. Não bata nele, por favor”_O menor se explicou, vendo que eu não falaria nada.

“Fala logo o que quer”_Pedi sério, cruzando os braços.

“Então, eu vou embora e só volto ano que vem, sabe, vou viajar pra China. Não que isso importe para você, eu entendo. Mas não me ignora, é sério! Vocês fez isso pelos últimos meses, melhor, fez nos últimos onze-“_O mais velho falou tão rápido, que se eu não fosse esperto, jamais entenderia o que ele havia dito.

“Respira, pode ser?”_Então ele respirou fundo. “Realmente, saber que você vai viajar, não muda muito em mim”

“É que eu não posso ir embora, sem antes fazer uma coisa. Sei que vou me arrepender se não fizer”_Ele se explicou, olhando fixamente para as próprias mãos.

“E o que seria isso?”_Perguntei sem real curiosidade.

BaekHyun respirou fundo, inalando todo ar possível e expirando com pesar. Ele levantou o olhar lentamente, e eu sentia um nervoso do caramba com ele me olhando daquela forma. O loiro me encarou, olhando bem nos meus olhos e engoliu em seco. E eu? Eu estava confuso e totalmente sem reação!

Senti seu corpo se colar mais ao meu, aproximando-se na arquibancada. Uma ultima encarada. Então aconteceu. Seus lábios selaram timidamente os meus, num simples selinho demorado. Minha reação foi a mais desesperada possível, nem fechar os olhos eu fechei.

Me afastei do mais velho, descolando nossos lábios e o empurrando pelo ombro. Ele abriu os olhos imediatamente e os arregalou, assim como eu estava. Olhei rapidamente para os lados e para a quadra, por sorte – e raridade – estávamos sozinhos na quadra.

Engoli em seco e enviarei o garoto à minha frente. Se estava pensando corretamente? Claro que não!

Puxei o loiro pela nuca e colei novamente nossos lábios, dando um selar demorado. BaekHyun segurou timidamente minha camisa, apertando-a entre os dedos. Novamente, sem pensar, novo meu lábios contra os finos do outro, vendo-o restringir timidamente o osculo que começou a se formar. Também timidamente, sua língua entrou em contato com a minha, aprofundando o momento.

Se naquele momento me perguntassem o que eu estava fazendo, honestamente, nem eu sabia! Até poucos minutos antes, eu estava odiando o garoto e- Bem, pode ser que eu não odiasse. Vez ou outra, mascaramos os sentimentos com um suposto ódio, certo?

O beijo estava calmo, porém intenso. Não era primeira vez que eu beijava um garoto, mas algo parecia diferente. O modo tímido e aparentemente nervoso de BaekHyun, não combinava com sua fama agitada. Talvez fossem apenas boatos.

O ósculo foi findado com selares, como se nossos lábios fossem imãs que não gostariam de se separar. Mantive meus olhos fechados por alguns segundos, eu temia abri-los, estava temendo tudo, não entendia nada do que acontecia.

“Desculpa”_Byun sussurrou, fazendo-me abrir os olhos imediatamente.

“O quê?”_Perguntei baixo, fitando as orbes marejados do mais velho.

“E-Eu tenho que ir!”_O loiro se virou rapidamente e desceu praticamente correndo pela arquibancada.

“BAEK-HYUNG!”_Gritei e o mesmo parou no meio do caminho, virando para me olhar. “Boa viagem, até ano que vem!”

Ele ficou sem reação por alguns segundos, mas logo abriu um sorriso que ia de orelha à orelha. Se curvou e sorriu mais um pouco antes de entrar correndo em direção ao prédio dos dormitórios.

Talvez, apenas talvez eu não odiasse BaekHyun. Talvez eu fosse sentir falta de toda aquela ‘obsessão’ dele por mim. Apenas talvez, eu gostasse um pouquinho dele.


• • •


Quando notei a falta que os olhares e as fofocas sobre ele faziam falta, comecei a descobrir um pouco mais sobre esse tal sentimento. Pois quem diria que, aquele garoto que eu odiava, se tornaria o grande amor da minha vida.

Assim que ele voltou da China no ano seguinte, ele mesmo se aproximou de mim e de Sehun. Claro que no começo o Oh odiava a ideia, mas acabou por aceitar. E eu, gradativamente fui aproveitando cada vez mais aquela amizade.

Então, num desses nossos passeios ao parque, ele se declarou. Era apaixonado por mim desde muito tempo, por isso parecia me comer com o olhar. Ele tão tímido e tão lindo, naquele dia, tive a certeza de que gostava dele. Que o amaria num breve futuro.

Ainda sim, se me perguntassem o que é amor, eu jamais saberia.

Nós conhecemos na escola, e todos sabem que amores assim raramente são levados a sério. Porém, nós levamos. Nosso namoro foi levado até a formatura, onde fomos o único par homoafetivo da festa inteira. Quem diria que Byun BaekHyun, no final das contas, se apaixonaria e ficaria com uma pessoa só?

E quem diria que Park ChanYeol se apaixonaria por Byun BaekHyun.

Conheci sua – milionária – família, seus amigos e pessoas importantes para si. Tudo aquilo se tornou algo muito importante para mim, eu sentia a necessidade de mostrar à todos o nosso amor e a seriedade dele.

Mas como todo relacionamento tem seus altos e baixos, nós tivemos brigas feias; onde no final, eu sempre terminava afogado em lágrimas, buscando ajuda em Sehun. E nossa maior briga, me deixou muito mal. Quase terminamos, foi a pior parte da nossa história.

“Hunnie, ele estava sendo grosso demais! Não precisava daquilo tudo!”_Exclamei choroso, com a cabeça apoiada nas pernas do mais novo e o corpo jogado no chão. Estávamos daquele jeito desde que eu – praticamente – invadi o apartamento do Oh.

“Me conte exatamente o que aconteceu, Yeol”_Sehun pediu calmo, ele já estava acostumado a lidar com aquilo.

“Eu entendo que ultimamente ele nada atolado de coisas da faculdade, pois eu também estou, é o último ano. Mas ele não precisa descontar todo o estresse em cima de mim! Entende isso?”_Bufei irritado e dei impulso para me sentar ao lado do magrelo.

“Eu meio que entendo, o Hannie fica assim às vezes por conta do trabalho. É normal”_Ele respondeu básico, me fazendo arregalar os olhos. Como ele tratava aquilo tão naturalmente.

“ Vai se ferr- Bem, esquece. Como você consegue amolecer tanto o coração do Lu Han?”_Perguntei inconformado com a simplicidade na resolução de problemas do casal HunHan.

“Hm…”_Sim, ele pensava_“Nós temos um lugar especial onde sempre o levo nessas situações, poderia você, achar um cantinho só seu e do BaekHyun”

“Que ideia mais… Genial!”_Era mesmo genial, o Baek adora surpresas. Séria essa, a melhor forma de resolver nossos problemas?

“Eu sei, idiota. Eu perguntei pro Luggie enquanto você tava aí, morrendo de chorar”_Sehun deu de ombros, com a cara mais cínica do mundo.

“Que amigo hein, Oh Sehun… Que amigo massa…”_Suspirei indignado_"Eu conheço um lugar bem legal, na verdade eu acho que só eu conheço. Achei-o bem por acaso mesmo”

“Então leve-o logo até lá, e pare de me perturbar senhor ChanYeol. Vai, vai!”_Sehun me empurrou, fazendo-me seguir em direção à porta.

“PRA VOCÊ É CHANYEOL-HYUNG!”_Gritei autoritário, assim que a porta foi fechada em na minha cara.

Murmurei um ‘Eu meio que te odeio, Oh' e segui andando até a casa de BaekHyun, que por sorte, era próximo dali. Já sabia exatamente onde levar o meu Baek, o problema seria convencê-lo a ir comigo até lá.

Por um acaso, em um dos meus passeios de moto, descobri um local lindo!

Cheguei na casa de BaekHyun e abri a porta, pois graças a sorte, eu tinha uma chave. Caminhei com passos silenciosos até o quintal e encontrei o menor cantarolando algo, sentado na beira da piscina. Fui até ele é o abracei por trás, deixando um selar em seu pescoço.

“Já disse que sua voz é linda?”_Perguntei com um sorriso, não sendo retribuído por outro.

“Hoje, ainda não. Mas nem tente me comprar com elogios, ainda estou bravo”_O mais velho disse sério, sequer se virou para me olhar.

“Aigooo, amor! Para com isso vai! Abre um sorriso e vamos para um lugar bem legal”_Ditei irredutível e puxei o menor para que me acompanhasse.

Ele tentou negar, até segurou na porta para não ser arrastado por mim. Mas eu sou mais forte, e levei ele comigo sim. Do jeito que estávamos, subimos na minha moto que estava estacionada em frente a sua casa.

BaekHyun estava de cara fechada, e mesmo com o capacete pude ver sua cara amarrada quando paramos no semáforo. Tentei não ligar para o mau humor que se tornava comum para o Byun, então apenas segui o caminho que conheci acidentalmente.

Demorou cerca de uma hora e meia de viagem, até chegarmos num caminho florido e gramíneo. Precisamos descer da moto e seguir andando por mais vinte minutos. Tentei me aproximar do mais velho, e até abraçá-lo, mas ele sempre se afastava.

Quando chegamos no jardim, BaekHyun abriu um pequeno sorriso no canto dos lábios. Entrelaçou sua mão na minha timidamente, e permitiu ser guiado por mim. Puxei-o pela mão para caminharmos pela área aberta, e sua expressão era engraçada. Ele estava com a mão livre na boca, disfarçando sua surpresa pela beleza do local.

Quando pisamos na grama e em pequeninas flores que jaziam secas, o sorriso do menor se intensificou. Seu olhar seguiu pela grama, pelas flores, os raios de sol atravessando as árvores e finalmente o lago.

Senti meu coração se aquecer ao vê-lo sair correndo em direção ao lago, ele passou a mão pela água, sorrindo pra mim logo em seguida. Caminhei a passos calmos, mas logo fui – praticamente – esmagado por um abraço apertado de BaekHyun.

“Esse lugar é lindo!” _Ele comentou maravilhado, com o rosto na curva do meu pescoço.

“E você é lindo”_Sorri simples e ele afastou o rosto para me olhar_“Eu te amo, meu amor”

“Desculpa pelo meu estresse nos últimos dias, tenho muita coisa pra fazer, muito estresse. Mas assim, eu amo muito você, muito mesmo! Desde que te vi pela primeira vez, já me senti totalmente apaixonado. Enfim… Eu amei esse lugar, e eu amo você”_BaekHyun disse praticamente atropelando todas as palavras, se atrapalhando no meio delas e gesticulando desesperadamente com as mãos.

“Você nunca vai perder essa mania de falar muito rápido, certo?”_Recebi um aceno em resposta_"Bem, eu descobri esse lugar faz um tempo e queria te trazer aqui. Esse vai ser o nosso lugar, ok?”

“Nosso lugar?” _O moreno perguntou confuso.

“O lugar especial do nosso amor”_Respondi selando sua testa.

“Um lugar que só nós conhecemos” _Ele completou sorrindo.

“Assim como o nosso amor, que apenas nós conhecemos” _Finalizei, puxando-o para se sentar ao meu lado na grama, para que pudéssemos observar as folhas caindo das árvores.

Sorrimos.

Nos deitamos lado a lado, ainda com as mãos entrelaçadas.

Nos olhamos durante bons minutos.

E nos beijamos. Não um beijo erótico e cheio de malícia. Era um beijo apaixonado.

Pois sinceramente, eu sou completamente apaixonado por ele.

Apaixonado pelo sorriso.

Apaixonado pelo carisma.

Apaixonado por simplesmente tudo que é ligado à Byun BaekHyun.

Pois isto é o amor, na minha ideia.

É gostar de cada pedacinho e cada detalhe da pessoa. Respeitar as diferenças, tentar entendê-las e quem sabe até vivencia-las. Gostar dos defeitos e aprender a lidar com eles. Saber entender e ajudar em qualquer circunstância. Ficar juntinho. Dar carinho. Dar atenção. Ser sempre feliz. Isso é amor!

Ficamos conversando, trocando carícias e curtindo a brisa gostosa daquele lugar que abrigava apenas nós e nossos corações. No meio disso tudo, notei o cansaço aparente em Baek, então fiz um cafuné e abracei ele de forma aconchegante. Então ele dormiu.

Pois esse cara que está dormindo ao meu lado agora, é quem eu quero levar pro resto da vida. Não ligando para o preconceito e sequer notando as diferenças.

Tudo começou de um pequeno e irrelevante ódio adolescente, que se moldou num relacionamento. Que virou um namoro. Que se transformou numa grande paixão. E, finalmente... O amor.

Disse tantas vezes a palavra amor. Mas é porque essa é a minha palavra preferida, ela me lembra tudo! É por isso que vale a pena viver. Se o amor não aparece agora, ele virá em breve. Se não vier em forma de namoro, virá em forma de amizade. Pois cada sentimento é de uma forma, ninguém ama igual a ninguém.

Mas de uma coisa eu tenho absoluta certeza: eu descobri o amor, e vou mantê-lo num lugar onde somente nós conhecemos.

É o nosso cantinho, o nosso ninho...

Eu te amo, BaekHyun.


Notas Finais


Quem gostou, Tocantins por favor (piada terrivelmente horrível!)

Eu amei escrever e espero que tenham tido uma boa experiências lendo, sim? ×

Link da música: https://youtu.be/mer6X7nOY_o

Muito obrigada pela atenção, Nebulosos ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...