História Somos uma família? - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Tekken
Personagens Jin Kazama, Jun Kazama, Kazuya Mishima
Tags Família, Luta, Tekken
Visualizações 9
Palavras 1.403
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oooiii gente voltei e desta vez me superei e vou dizer o porque: com apenas uma frase (o titulo) consegui pensar praticamente no cap inteiro, só o começo mesmo que eu não sabia muito como fazer, afinal eu não faço rascunho nem nada do tipo (é, eu não faço rascunho), quando eu vou escrever, escrevo direto pra postar, e deve ser por isso que às vezes tem erros!
Falando em erros, se caso verem algum erro, agradeço se me avisarem; estou sempre revisando mas nem sempre acho tudo mas...
Chega de enrolar

Boa leitura e até as notas finais... (essa nota ficou grande né?)

Capítulo 25 - Que diabos eu tenho que fazer?


Fanfic / Fanfiction Somos uma família? - Capítulo 25 - Que diabos eu tenho que fazer?

Pov Kazuya

Bem... Ainda não sei bem como vou fazer Jin me odiar menos, afinal o garoto tem um ódio por mim... Enfim, estive pensando e pensando e... Pensando e não cheguei a nenhuma maldita conclusão, ele é uma pessoa difícil de lidar e conhecer se bem que até parece um pouco comigo antes de conhecer Jun

-Tio?

-Sim Asuka? - ela esta com Steve 

-Eu e Steve vamos sair ta? - como assim?

-Onde vão?

-Cinema - olhei para o relógio que marcava 21:00

-Ta de noite

-E?

-E, que você não vai sair de noite, ainda mais com um garoto - que absurdo

-Mas a tia deixou

-Isso é problema dela, estou dizendo que você não sai?

-Mas...

-Nada de mas, vai pro seu quarto e tira esse projeto de roupa - ela esta com um vestido curto e colado ao corpo

-Mas... - ela ainda esta aqui?

-Vai logo - ela vira e sai da sala mas volta em poucos minutos acompanhada por Jun (aí foi golpe baixo)

-Kazuya, eu disse que ela poderia ir com ele

-Mas olha como ela esta vestida

-É coisa de jovens

-Mas... - ela vai até o meu ouvido

-Deixa de ser bobo se ela sair, podemos namorar. O que acha disso? - sexo? Claro! Jun sempre sabe como me convencer

-Ta certo Asuka, pode ir

-Valeu. Vamos Steve, antes que ele mude de ideia - ah não vou mudar não! Eles saem de casa

-Então Jun... - pego na cintura dela e nos beijamos e o clima foi esquentando... Quando dou por mim, já prensei Jun na parede e estou quase tirando sua camiseta e ela abrindo o botão da minha calça e as coisas estão cada vez melhores e...

-Hm...? Oi? - quebramos o beijo e vemos Jin, ele esta com uma cara bem sonolenta

-Algum problema querido?

-Além de ter a visão mais perturbadora da minha vida? Não, eu só queria saber onde posso pegar um copo d´água

-Pode deixar que eu pego - Jun sai da cozinha e me vem a seguinte pergunta na cabeça: por que na hora que estamos indo namorar, sempre tem alguém atrapalhando?

-Aqui querido - Jin bebe todo o líquido -Como esta se sentindo?

-Bem... Meu peito dói um pouco mas... Só isso mesmo

-Não esta na hora do remédio? - pergunto meio que avisando Jun do horário

-Verdade, senta no sofá Jin - como ele obedece ela mas não a mim? -Posso? - ela já tem na mão a seringa e Jin apenas assente. Logo no que Jun enfia a agulha no braço dele, Jin estremece um pouco -Tudo bem Jin?

-Hu-hum - ela injeta o líquido e tira a agulha do braço dele

-Pronto amorzinho. Toma, comprei hoje mais cedo e... Pensei que... Fosse gostar - ela entrega uma barrinha de chocolate -Se você não gostar... - ela fica muda quando ele a abraça

-Agradeço - eles se separam

-Não precisa me agradecer por nada - ela solta uma lágrima

-Tudo bem?

-Tudo bem sim amorzinho, desculpa, eu sou muito sentimental às vezes - na verdade, Jun esperou por anos para poder abraçar Jin, vejo que ela finalmente conseguiu

-Bem... (bocejo) Se você não se importa, acho que vou dormir um pouco - ele coça os olhos

-Mas você acordou agora pouco! - como ele pode acordar e no segundo seguinte querer dormir?

-O que? Vai ficar controlando o que eu faço? - ele sempre tem que ser assim comigo?

-Pode ir dormir se quiser Jin - Jun

-Até depois - Jin volta para o seu quarto

-Você esta indo bem com ele

-Acha mesmo Jun?

-Acho sim, desta vez Jin não foi tão agressivo com você e...

-E...?

-Se você quiser mesmo fazer as pazes com Jin, basta desarma-lo - ele tem arma?

-Como assim? - ela sorri com ternura

-Você já percebeu que Jin sempre esta na defensiva com você?

-Um pouco difícil não perceber!

-E se você no meio de uma briga simplesmente o desarmasse 

-E como eu faço isso? - dá uma dica lógica mulher!

-Ele sempre espera briga mas se você não quiser lutar, ele não vai saber direito o que fazer

-Tudo por que eu não quero lutar? - não me parece muito coerente

-Exato, por exemplo: se nós dois começarmos a brigar e do nada eu te beijo. Você não iria ficar confuso?

-Ia - agora acho que entendi

-Já sabe mais ou menos o que fazer. Já volto

-Onde vai?

-Meu anjinho dormindo

-Vou junto - entramos no quarto de Jin em silêncio para não acorda-lo. Fecho a janela e cortina, deixando o quarto mais escuro

-Mãe...? - ele a chamou de mãe?!

-Shh shh... Volta a dormir - ela acaricia o cabelo dele. Ela volta sua atenção para mim -Não é bom ver ele assim? Calmo, tranquilo

-É bom sim - me sento na cama com cuidado -Queria poder recuperar o tempo que perdemos com ele

-Kazuya, aos poucos estamos fazendo isso, essas coisas levam tempo e... Estamos indo bem

-Jun - por que ela esta chorando? -O que foi querida? - ela sorri

-Ele me chamou de mãe... Achei que nunca mais ouviria isso - dou um abraço apertado nela

-Você ouviu Jun e tenho certeza de que esta não foi a última vez

-Você esta certo amor - ela enxuga as lágrimas -Vem, vamos deixar nosso menino descansar - saímos do quarto dele e fomos para o nosso

-Onde tínhamos parado mesmo? - ela dá um sorriso malicioso

-Acho que... - ela tira a camiseta e abaixa um pouco a minha calça -Lembrou agora?

-Claro - tiro a minha calça, o sutiã dela e Jun tira minha camisa; deito Jun na cama e me deito em cima dela

-Eu amo você, Jun Kazama, você é meu anjo

-Eu amo você, Kazuya Mishima, você é meu demônio - deve ser por isso que combinamos: anjo e demônio

Abro a gaveta do criado que esta do lado da cama e tiro um preservativo. Vocês devem estar se perguntando por que eu tenho uma camisinha no móvel do lado da cama e eu digo que: tenho vários escondidos pela casa afinal nunca se sabe quando eu e Jun... Vocês sabem né?

Horas depois...

 (N. A.: acharam que ia ter alguma parte de besteirinha né? Não nesta fanfic, a não ser que vocês queiram)

Estamos deitados na cama, Jun esta deitada com a cabeça no meu peito enquanto eu mexo em seu cabelo

-Tia chegamos - eles tinham que chegar agora?! -Boa noite tia, noite tio - ainda bem que já foram dormir

-Amooor

-Diga minha anjinha - seus olhos... Me perco neles cada vez que os vejo, como se fosse a primeira vez

-Eu vou tomar banho e depois fazer um lanche pra nós, ta bom?

-Ta - um selinho rápido e ela  vai para o banho. Depois de uns minutos, Jun sai do banheiro e eu entro, nada melhor que um bom banho depois de namorar

Minutos depois...

Tomei o bendito banho e fui para a cozinha, Jun estava conversando com Jin, é incrível ver como eles se dão tão bem e falo sério mesmo

-Oi amor

 -Oi querida - para variar Jin nem me olhou na cara -Oi Jin - mas isso não me impede de tentar falar com ele

-O que você quer?

-Apenas falar com você, não posso? - ele se levanta da cadeira

-Não, não quero nada com você

-Mas eu quero - falo com calma e sei que estou provocando ele

-O que quer de mim? - ele levanta a voz

-Quero ser seu pai

-Eu não preciso de você - ele levanta ainda mais a voz e isso realmente me irrita

-Não precisa de um pai? - pergunto furioso

-Não, não preciso - estamos cara-a-cara e nos seus olhos tem uma fúria que parece ser incontrolável

-Que diabos eu tenho que fazer Jin?

-O que? - ele me encara surpreso

-O que eu tenho que fazer pra você ver que eu só quero ser seu pai?

-... - ele até abre a boca mas parece que as palavras simplesmente sumiram

Acho que isso foi o que Jun quis dizer sobre "desarma-lo", pela primeira vez vejo que meu filho não tem resposta alguma para me dar, nem mesmo um ataque. Isso realmente me surpreende e Jun também nos olha surpresa, tenho certeza de que ela não esperava por essa


Notas Finais


Por hoje é só espero que tenham gostado e apenas pra avisar que em breve lançarei uma fic sobre Jin e Hwoarang. Na real minha ideia é:

1º: Jin x Hwoarang

2º: segunda temporada de "podemos recomeçar", essa sequência não será obrigatória ler a primeira, só vai ter leves referências e nada mais

3º: Kazuya x Jun

E bem mais pra frente fazer uma ou duas do "Nanatsu no taizai"

Té a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...