História Son of Hela. - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Nórdica
Visualizações 7
Palavras 643
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Super Power, Suspense
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Welcome back, meu amores.
Fiquem com o terceiro capítulo da história. Onde finalmente teremos o destaque em nosso protagonista, Patriccio Petrova.

Capítulo 3 - CHAPTER THREE: Unleashed Power.


        Quando sua mãe finalmente descansou o nosso jovem semideus não foi capaz de suportar e como sua família já sabia da verdade, fez de tudo para manter o equilíbrio nele, mesmo que todas as tentativas fossem em vão. Professores, familiares e padres passaram a perceber que Patriccio não era mais aquela luz em pessoa. Seus cabelos que outrora era de um loiro vivo e iluminado, começaram a ficar opacos, com mechas pretas, algumas tatuagens apareceram na pele dele e foi isso que mais assustou. "Como um garoto de onze anos tinha tatuagens e ninguém viu?" Era a bronca que seus professores e padres davam em seu pai Lucca, que estava ficando cada vez mais devastado e cansado de tudo isso.

 

        — Por que? Me diz o porquê de eu ter que cuidar de uma criança que nem é minha? Que tem demônios dentro dela? — Dizia Lucca completamente enfurecido na sala com seus demais parentes. 

        — Ele é filho e único herdeiro de Katherine, apesar dos pesares, ela fez isso pela família e por você. Ele pode ser um "demônio", mas é como os antigos dizem, todos temos demônios para cuidar e alimentar. — E foi com essa frase do avô materno de Patriccio que a reunião entre eles se encerrou.  

 

        Passaram-se alguns meses e nada de melhoras, apesar de todo o luxo e mimo que ele recebia, a falta de sua mãe era cada vez maior e as trevas o dominavam cada vez mais. Cabelos negros, olhos cinzas, pele levemente rajada, tatuada e apesar dos banhos, o cheiro de carniça era forte demais para alguns. E foi então que seu potencial começou a aparecer, várias e várias noites o menino deixava de dormir para ficar levitando os objetos de seu quarto ou até mesmo lançando névoas negras por toda a casa e causando assombros em seus serviçais. Com seus doze anos, ele já era educado em casa pelo próprio pai e sua aparência só piorava, pois ele passou a não ter uma noite de sono sequer porque a necessidade de aumentar seu potencial era maior. A cada dia que passava, sua maestria das forças mágicas se tornavam mais potentes e devastadoras. Recusando qualquer noção de equilíbrio ou limite, o garoto passou a desejar reter somente o controle de seu próprio poder, mesmo que isto significasse a aniquilação das autoridades que buscavam impedi-lo.

  

        E em um belo dia, ou não, isso aconteceu. Sr. Lucca saiu de seus aposentos e seguiu o filho até o jardim, esperando poder conversar com ele em seu momento único. Entretanto, ao chegar, se pegou com uma cena horripilante, seu garotinho com apenas doze anos com uma aura negra, cinzas orbitando seu corpo e um esquilo coberto pela mesma aura, porém, com suas partes espalhadas pelo jardim, não antes de ser torturado por completo por Patriccio, que sorria e se debatia de prazer com tal feito. No momento em que seu pai tentou se aproximar, um pulso de energia lhe atingiu, fazendo-o voar alguns metros para longe. A voz estridente e sobressaída do pequeno podia ser ouvida na casa inteira juntamente de sua risada e gritos de agonias. 

 

        — Você não pode me deter ou controlar, meu potencial é ilimitado. Eu sou a força morta que rege toda a terra, pai. — Todos podiam sentir a ironia na pronuncia de tal palavra. — Você não tentou me ajudar, mas quer me controlar, que patético.  

 

        Foi então que várias esferas negras surgirão do chão, orbitando ao redor de Pat, e num grito de ataque feroz e pesado, todas as esferas se chocaram contra o corpo de seu pai, Lucca desacordou ali mesmo, provavelmente morto, e foi então que o seu filho – Pat – percebeu ter alcançado todo o seu potencial, o auge de sua magia negra. Ele alcançou todo o seu Poder Irrestrito. (Unleashed Power). Mesmo que seu corpo tenha caído desmaiado após tal feito.  

To be continued... 


Notas Finais


Espero que estejam gostando de ler o mesmo tanto que eu amei escrever.
Beijos de Luz e Trevas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...