História Sonho - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Personagens Originais, Sehun
Tags Amor, Drama, Exo, Exo-l, Novela, Oh Sehun, Romance, Sehun, Sonho
Exibições 42
Palavras 1.344
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


* Protegida por uma força misteriosa , pra vocês não me matarem*
Desculpa pela demora gente, mas depois de muito tempo resolvi mostrar uma foto da Milena kkk espero que gostem dela.
* saca só o poder desse casaaaaaaal gente * eles não podem acabarrrr.
Mais uma vez agradeço aos comentários e ao carinho é smp muito bom poder ver isso <3
Espero que gostem do capítulo.

Capítulo 22 - Eu preciso


Fanfic / Fanfiction Sonho - Capítulo 22 - Eu preciso

Dormir? Quem disse que eu consegui? Depois daquela bomba que recebi, ontem à noite eu não preguei o olho, nem por um segundo. O alarme já tinha tocado e já estava na hora de ir para a escola o que me deixava bem triste. Hoje eu tenho certeza que estarei parecendo um zumbi na escola, mas eu tinha que ir e precisava falar disso pra Anne, ontem eu não consegui contar para ela, tem que ser hoje, não irei conseguir contar outro dia.

Com muito esforço levantei da cama e fui tomar banho, pra vê se eu parecia menos zumbi. Tomei banho e escovei os dentes, peguei o uniforme escolar e fiz um penteado no cabelo. Fui tomar café e logo parti para a escola, como sempre Anne estava toda sorridente no portão.

— Unnie, finalmente... o que achou de ontem? Eu particularmente adorei. Acho que devemos sair mais vezes juntas e esquecer os oppa um pouco. — riu.

— Isso é verdade, eu também adorei, mas tem uma coisa que eu tenho que te contar. — disse preocupada. — E se eu não te contar agora, não irei conseguir depois.

— Unnie, o que foi? — ela colocou a mão no meu ombro.

— Daqui a uma semana, eu irei voltar para o Brasil. — disse com os olhos fechados.

— O que? — ela fez um olhar preocupado. — UMAAAA SEMANAAAAAA?... — ela gritou.

— Anne. — tampei a boca dela. — Você está maluca?  — franzi o cenho.

— NÃO, NÃO ACEITO. — ela continuou falando alto. 

— Eu, estou pensando no que fazer sobre isso, eu não quero ir, não agora. Mas depois do lance com o Sehun, meus pais estão preocupados comigo, acham que estou ficando deprimida. E logo agora que estou realmente bem. — praticamente sussurrava.

— Então, o que vai fazer? Não pode dizer para eles que quer ficar por causa do meu primo... 

— Eu sei Anne, está vendo isso? — apontei para minhas olheiras. — Eu não preguei o olho à noite inteira pensando nisso. Sinto que estou enlouquecendo. 

— Eu também vou enlouquecer junto Unnie. Temos que pensar em uma maneira. Você sabe o quão sua falta eu irei sentir se for?. — Falávamos enquanto entrávamos na escola. — Olha, você tem sido minha amiga desde de sempre, você me viu quando ninguém mais via, sofreu comigo e eu não tenho palavras pra agradecer tudo que você fez por mim, e... eu não posso deixar você ir. — disse com tom triste.

— Aish, Anne está sendo tão difícil, eu não quero ir mesmo..

—Bom... — bateu o sinal.— Teremos que pensar nisso depois da aula.

___________________//_________________

A aula como sempre demorando pra acabar, sempre que penso "Quero chegar em casa rápido" a aula demora uma enternidade para chegar ao fim, e ainda bem que os problemas de ultimamente não afetaram meu rendimento escolar, pois senão estaria no  Brasil á muito tempo atrás. Assim que saímos, Anne grudou em meu braço, ela não estava tão animada quanto como chegou, e eu não gostava de vê-la assim, ainda mais quando sei que eu sou culpada por isso.

— Anne, melhora essa carinha. — aperto as bochechas dela. — Por favoooorrrrrrrrr. Vaaaaaaaaai...

— Bom, unnie, eu não estava esperando receber a bomba que recebi sua hoje.. Mas eu vou te ajudar, você não vai embora.. — ela fez uma carinha fofa.

— Ok Anne. — rio de lado. — Agora vamos embora, né? Aposto que não quer deixar seu chinês esperando. — rio alto.

— Aigoo unnie, ele só virá à noite. E... Não fala essas coisas que eu fico com vergonha. — ela sussurrou.

— Aaaaaah Anne — rio —Até parece, rum.

— E você? Não tem uma porta te esperando? Hein? — ela disse com cara de deboche.

— Aish, Anne, ele não é porta, rum. — virei os olhos.

— Ok, tchau unnie, até mais. — ela me abraçou.

— Até Anne. 

Vou caminhando para casa, o mesmo percurso de sempre, pensando em tudo que eu ia perder indo embora. O problema é que sou egoísta e não queria perder mão de nada daquilo, da minha melhor amiga, de Sehun, de tudo que eu consegui aqui. Mas parei de pensar no que eu perderia, e comecei a pensar na solução dos meus "problemas".

Enquanto estava caminhando, eu vi um carro me seguindo, mas eu não dei bola, afinal, podia ser coisa da minha cabeça. Continuei andando... mas aquele carro não saía da minha cola, comecei a apressar o passo, preocupada. De repente... o carro passou reto. 

— O que foi isso? — parei na rua e me enconstei na parede. — Que droga!. — Coloquei a mão no peito e respirei fundo. — Apenas, continue andando Milena, foi coisa da sua cabeça.

Continuei seguindo meu caminho, afinal de contas, ele já tinha ido embora... Virei a esquina da minha rua e sinto que.... alguém me puxou para dentro do carro.

— O QUE É.... — pergunto assustada mas logo paro quando vejo a pessoa na minha frente. — Sehun... o que foi isso? Você quase me matou do coração. Meu Deus. — bato nele. — Não faça mais isso. 

—Aí — ele coloca a mão onde bati. — Desculpa é que não tínhamos certeza se era você.

— Não tinha uma forma melhor de me encontrar não? — pergunto brava.

— Não, pior que não... Digamos que estou meio encrencado com o que eu fiz no programa, e tem gente querendo minha cabeça, mas não me importo, por sorte, os hyungs estão me ajudando a lidar com isso.

— Aish, podia ter mandando mensagem pelo menos?!

— Isso não irá acontecer de novo. — me dá um selinho. — prometo.

— Ok, mas foi bom você ter me encontrado agora. Preciso te dizer uma coisa. — peguei nas mãos dele.

— Diga. — ele olhou nos meus olhos.

— Eu vou voltar ao Brasil, daqui à uma semana.

— Você o que? — Seu semblante mudou rapidamente.

— Bom.. e-e-e-eu to tenta... 

— Milena... — ele corta. — Respira fundo.

— Hum — eu respiro. — Estou tentando resolver isso, eu não preguei o olho essa noite e — rio soprado. — Não estou conseguindo pensar em outra coisa que não seja relacionada á isso. Eu só tenho certeza de uma coisa. Eu quero ficar, sinceramente. 

— Milena... olha — ele levantou meu rosto. — Daremos um jeito nisso também, eu já quase te perdi uma vez e não quero que isso aconteça de novo.. — ele pegou nas minhas mãos. — Você disse que enfrentaríamos o meu problema juntos e é isso que devemos fazer agora. Independente do que virá depois, devemos enfrentar isso juntos. O meu problema é seu, o seu problema é meu, e assim os problemas deixam de ser individuais e começam a ser em conjunto.

— Sehun... — dou um sorriso encantada. — Saranghaeyo. — Dou um beijo, como costumavámos dar, apaixonado.

______________//______________

Sehun, não tinha nada pra me dizer, apenas tinha ido me ver, ele estava tentando recompensar o tempo perdido que tivemos quando "aquela da qual não devo dizer o nome" fez aquilo, bom, não tínhamos muito tempo pra conversar, então ele falou comigo rápido e logo voltou à SM, de qualquer forma, ele voltaria à noite.

Fui para casa depois do susto, aproveitei pra tomar um banho de novo e vê se conseguia dormir um pouco na parte da tarde, já que eu não tinha dormido absolutamente nada na noite anterior.

....Horas depois...

— Milena, filha...

— Hummmm?? — disse sonolenta.

— Iremos resolver algumas coisas á respeito da viagem, então vamos sair. Se cuide.

— Hummmm, ok — Disse dormindo.

____________________//_________________

Acordei eram 18:00hrs, Sehun disse que passaria por volta das 19:00, troquei minha roupa por um macacão, trancei o cabelo e fiquei esperando por ele. Meus pais não estavam em casa essa noite, eles foram resolver algumas coisas que me disseram enquanto eu estava dormindo que não entendi e nem prestei atenção, por estar com muito sono.

Esperei um pouco e logo Sehun apareceu, assim que eu olhei na janela ele fez sinal de "espera" e começou a escalar a parede de casa.

— Que que você está fazendo seu maluco? — perguntei da janela. — Desci rápido — E quando olhei para o carro, ele estava partindo. — Sehun.... — ele continuava subindo.

— Isso cansa, mas você irá me recompensar por isso... — ele sobe e tira a sujeira da roupa.

— Que que você... — sou interrompida por um beijo dele.

— Milena... — ele para e recobra o ar. — Eu preciso... dessa noite com você. — ele fala olhando fundo nos meus olhos.


Notas Finais


Espero que tenham gostado gente <3
P.S: não aguento esse horário de verão, socorro!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...