História Sonho Possível - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 2
Palavras 694
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Ecchi, Famí­lia, Harem, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Primeiro/Segundo capítulo~
Espero que gostem~

Capítulo 2 - Um longo dia


É, caiu a ficha. Aqui estou eu, em frente a uma casa enorme.

Estou realmente surpresa, parece até um bom lugar de viver, agora resta conhecer os vizinhos. Sempre fiquei com um pé atrás sobre gente rica, afinal, muitos deles são preconceituosos quando se trata de pessoas de classes mais baixas.

Foi aí que olhei para trás. Ali estavam meus novos vizinhos.

Como proceder? Sendo antissocial como eu, não sei se vou conseguir fazer amigos. Céus, como estou nervosa.

-Ei, você é a nova garota, não é? É um prazer! Qual é seu nome?-Disse uma garota do grupinho, dirigindo-se a mim.

-Eu.......Eu.................- nesse momento eu virei meu rosto e falei Louise, baixinho.

-Louise do que?

-......O sobrenome realmente importa?

-................-Ela olhou pros colegas, com um ar autoritário- Na verdade, importa sim...

 Nesse momento meu nervosismo se tornou raiva. Definitivamente, terei problemas aqui.

-Se o que você quer saber, eu não tenho um sobrenome conhecido, de gente rica como você.

-........Entendo! Não.... Se preocupe com isso, não é um real problema...Era só curiosidade...

Agora estou com peso na consciência. Ótimo, fui rude com quem acabei de conhecer.

-Ah…. Perdoe-me então –volto a tremer- Eu irei arrumar minhas coisas agora, até depois! –Aceno e vou correndo para minha nova casa, estou realmente ansiosa.

Vou direto onde minha mãe indicou que é meu quarto. Abro a porta e me surpreendo, é realmente o que sempre sonhei. Apesar do jeito meio rude e grosseiro, eu realmente gosto muito de rosa, e coisas fofas. É um quarto digno de uma Lolita, eu definitivamente amei. Rosa, com uma cama de dossel, desenhos de borboletas nas paredes e uma decoração clara, uma penteadeira e uma mesa para o notebook. Simplesmente perfeito, claro e agradável. Abro a janela e vejo aquele mesmo grupo de adolescentes. Eles pareciam conversar. Forcei os ouvidos para escutar.

- Vocês não viram? Ela é uma pobretona a gente não deveria nos misturar com gente da laia dela. –Disse a garota que me abordou antes

- Ela parecia gentil –disse uma garota baixinha ao extremo. Até mesmo menor do que eu. Loira, e muito fofa.

- Idiotice!

- Ela realmente não parecia nada mal – Disse um garoto tímido, com um tom de cabelo loiro escuro, ou um tipo de castanho claro...Ou até mesmo arruivado.

- Eu percebi seu olhar Brandon. Você achou ela bonita, uh? –Falou animada, uma garota muito parecida com o tal Brandon.

-Bobagem. -Falou, corando quase imediatamente.

- Realmente estão todos contra mim?! Ela não pode fazer parte do nosso grupo. E você Brandon, está delirando? Tem garotas muito mais bonitas perto de você.

Depois disso eu simplesmente não ouvi mais. A raiva tomou conta de mim de um jeito absurdo. Sabia que não iria dar certo. Essa gente não gosta de mim.

Na mesma hora desci, correndo, e fui em direção àquela vadia.

-Com licença. É isso que acha de mim? Acha que sou inferior? Pois saiba que eu prefiro ser “inferior” aos seus olhos do que fazer parte de um grupo de gente fútil que se acha superior por algo como dinheiro. É deplorável ver um ser humano tratar outro assim por causa de classes sociais. Saiba também que algo banal e insignificante como a sua opinião não vai me fazer sentir rebaixada. -Todos já me olhavam abismados-......vadia.

A expressão deles foi impagável. Eu nunca me senti tão bem na vida. Saí sem delongas de perto deles, com um ar de satisfação, até que alguém me puxou pelo braço.

-O que você quer?!-Falei irritada.

-.....Você foi incrível. Acredito que nesse momento, minha expressão que foi impagável. Quando eu imaginei que um garotinho riquinho ia me dizer que fui incrível ao dar um tapa verbal na cara da amiguinha dele?

- Ah tá certo, o que você quer? Está tentando me enrolar é? Quer levar um tapa?

-Não eu...Só....-ele me soltou, acho que perguntava à si mesmo por que fez aquilo.-...Perdão.

-Tá. Agora me deixe em paz –voltei a andar nervosa.

~~

Mais tarde eu estava pensando sobre tudo isso. Foi estranho, porém divertido. Talvez eu deva tentar falar ao menos com aquelas garotas...De qualquer forma, cansativo.No que será que tudo isso vai dar?


Notas Finais


Wiih
Obrigado a você que leu até o final *^*
Espero que tenha gostado ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...