História Sons of Survival-Interativa - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Interativa, Originais, Sobrevivencia, Zombies, Zumbi
Visualizações 17
Palavras 2.129
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela, Survival, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Pessoal o primeiro cap espero não decepcionar. Críticas são sempre bem vindas

Capítulo 4 - Trash Catcher Unity


Após o ódio corroer o garoto, ele sai da sala, a qual estava com a porta escancarada devido a maçaneta quebrada. Ray olha para o objeto, depois para o ambiente fora da sala e sente um aperto no coração se lembrando do momento que mudou sua vida. Isso faz lágrimas escorrerem do olho do menino que olha em seu entorno mais uma vez. Tudo estava destruído. Cadeiras, mesas, extintores e absolutamente qualquer coisa que podia ser usado como forma de resistência tinham sido utilizados e agora se encontravam no chão juntamente aos falecidos jovens. No meio de corpos e mais corpos ele não achava ninguém que reconhecia ou convivia dentro do orfanato. Assim saí antes que as outras portas de salas se abram com outros sobreviventes e corre daquele orfanato o qual já tinha trazido para o garoto sofrimento demais. Quando o loiro se encontra na calçada, ele fica aflito e olha para todos os lados com medo de que as aberrações ainda estivessem por lá. Sabendo que o lado direito daquela extensa rua era sem saída, o jovem correu a sua esquerda com a maior velocidade que podia sem se importar para onde iria parar ou o que faria. Eis que este se surpreende com o fato de mesmo depois daquele ataque sanguinolento ele ainda ter a capacidade de correr igual a um jaguar e não sentir nenhuma sequela. Dúvidas sobre seu destino surgem na cabeça de Ray que continua correndo como nunca, mas repentinamente quando percebe se depara com uma horda de aberrações e corpos a sua frente. Sua respiração para e seus músculos se contraem sentindo o desespero da situação. As criaturas estavam paradas formando um círculo o qual rodeava uma pilha de mortos e sangue fresco no meio da rua. A cena era digna de um filme de terror, porém infelizmente não era nada que o garoto já não tivesse presenciado a algumas horas.

Ray reconhece alguns dos corpos de garotos do orfanato, nenhum deles era de Mili ou Sam o que o tranquilizava. Ao se voltar novamente para situação, estando sem arma e vendo todas as monstruosidades de costas no meio da passagem cheia de carros: o garoto simplesmente decide que o melhor a se fazer é virar para o lado ao contrário e passar despercebido. Ele prende novamente a respiração e anda calmamente, pois sua vida dependia disso. A rua continha trinta metros até a próxima bifurcação,mas nessa situação parecia ter quilômetros e a transpiração do garoto já era intensa. Seu nervosismo faz com que nos últimos dez metros Ray tropece em um corpo e caia de barriga no chão resultando em um estrondo. Era como se ele soubesse que ali tudo estava acabado. Olhou o corpo no chão e era de um amigo de Will, que tentara fugir da horda por aquele exato caminho. O menino acha ridiculamente irônicas e solta uma risada sem nenhum sentido.

As aberrações se viram para o garoto e gritam todas juntas em um coro infernal. Elas vão se aproximando e cercam o jovem que já passara por isso uma vez nesse mesmo dia. No entanto diferentemente do primeiro ocorrido, as feras apenas o observavam como se esperassem alguma coisa. Ele se sente confuso, mas a verdadeira surpresa acontece quando um som de motocicleta chega em seus ouvidos. As feras se viram na direção do som e têm prontamente suas cabeças tiradas de seus corpos de maneira maestral pelo motorista da moto. Ray sente o sangue das criaturas espirrar em sua cara e dá inexplicavelmente um sorriso de canto de rosto como se a situação tivesse alguma graça. O motorista tira o capacete se revelando uma garota que grita desesperada:

Sobe logo na moto! Vamos! Vou te tirar daqui!



 

-De volta ao orfanato-

 

    Mili chora descontroladamente. Ela não sabia o que doía mais: ter perdido a votação para líder do conselho ou não ter mais Ray por perto. Ela entrou na sala, a qual Ray deveria estar, e vê apenas sangue espalhado pelo chão. A lembrança do que havia ocorrido nessa sala chega e faz a morena se sentir culpada. Nesse contexto de nostalgia chega Sam, que age como se nada tivesse acontecido mantendo-se equilibrada, e pede para Mili a ajudar na busca por sobreviventes no meio do vasto orfanato. A mais nova permanece imóvel olhando para aquela porta e se movimenta apenas depois de Sam gritar mais três vezes com ela.

A busca por todo orfanato destruído demorou uma hora e após os sobreviventes reunidos eles organizaram tudo. No final da tarde, tendo feito o melhor que podiam o conselho foi reunido com a liderança de Will:

Vamos lá galera que o negócio vai pegar fogo- Will tentava esconder a tristeza de perder seus amigos e focava apenas em sua vitória.

Will, vamos se reunir amanhã, por favor- pedia Mili quase caindo de cansaço e choro.

Desculpe Mili, mas devo concordar com Will uma reunião agora é mais do que necessário- Sam interrompe antes que aquilo virasse uma confusão desgeneralizada.

Não me interrompam! Eu sou o líder aqui e agora as coisas vão ser diferentes! Me entreguem os formulários dos novos sobreviventes e do resto das equipes que sobraram.- Will analisava aquilo preocupado com os resultados do ataque.- Tudo bem os danos em todos os setores foram horripilantes, mas vejamos o que temos aqui com a carne fresca…

Carne fresca?- uma menina com madeixas coloridas pergunta confusa com o termo usado pelo líder e de certa forma indignada. A garota se mostrava pronta a entender tudo o que qualquer um dissesse, mas diante do deboche parecia ter ignorado o pedido de Will para não ser interrompido.

É assim que irei me referir a vocês novatos a partir de agora e…- Will tenta concluir já irritado com intromissões constantes.

Não sabia que um líder chamava os únicos que sobraram e podem ajudar ele em momentos difíceis por nomes ridículos- o mais velho novamente é interrompido dessa vez por um menino o qual tinha uma serenidade de se espantar e falava com muita convicção.

Meu amigo quem é você pra falar desse jeito comigo e achar que tem algum direito- o mais votado pelo conselho se projeta à frente do garoto que mantém sua irmã atrás de sua perna a protegendo

Não sou seu amigo e se você se aproximar mais algum centímetro teremos problemas- ele olhava diretamente nos olhos de Will

Problemas?- uma risada sádica sai da boca do chefe o qual se aproxima mais do garoto.

Como esse…- o menino dá uma rasteira no seu superior e faz ele cair com suas costas voltadas ao chão. O que restara do conselho ria com a situação ou ao menos dava um sorriso de canto de rosto.

    A situação tinha ficado fora de controle foram necessários que outros dois novos sobreviventes ajudassem a conter o novo líder que queimava como chamas após ser satirizado. Os outros membros do orfanatos continuavam parados observando o escândalo causado por Will e o menino novo. Este que não deixaria nenhum tipo de boçal se fazer de líder ou dono da verdade para cima dele, pois poucas pessoas eram mais justas que o garoto de olhos claros com sua irmã. Devido a confusão, Sam se vê obrigada a se pronunciar:

Todos quietos! Will controle-se você é líder desse grupo agora seus tempos de brigão acabaram.- Sam olha para a irmã do garoto problema, um outro garoto muito jovem na sala o qual também estava com seu irmão e Mili que já não conseguia mais conter sua lágrimas.Vendo a situação a menina toma uma decisão rápida- Mili leve os menores daqui eles não precisam ouvir nada disso e você não está com condições de continuar essa reunião- os garotos pensaram em contestar a saída de seus irmãos, mas ao olharem para a cara da latina viram a honestidade da garota e que este não era o momento certo para se oporem a suas decisões. Mili e os mais jovens saem da sala e Sam continua- Agora você com cara emburrada seu nome rápido- ela dizia tudo sem pestanejar.

Meu nome é Matthew Ablaev Blackwood- o jovem causador de intrigas disse diretamente.

Matthew, sei que você busca respeito, porém você é novo por aqui tome cuidado com o que faz e com quem arruma briga- ela disse como se desse um sermão no moreno.

Posso lutar minhas próprias batalhas- rebateu o menino

Isso eu percebi, mas por aqui você será parte de uma máquina que contém várias peças então não compre discussões sem motivos. Você parece ter uma personalidade forte então falarei de um jeito que você entenda. Cale a boca agora e deixe eu falar ou se não você terá problemas comigo e o conselho inteiro. E acredite se quiser você não quer isso- Matthew fecha a cara, mas entende que a situação é crítica, já os outros novatos viam a lição tomada por seu companheiro e tomavam nota de não estressar Sam novamente- Will se você concordar gostaria de passar para eles suas funções e explicar como será daqui em diante- o maior de idade assenti com a cabeça e passa a palavra para garota- Perdemos cerca de três quintos de todos os membros do orfanato e nos encontramos em uma situação complicada- ela dá uma pausa. A notícia era complicada- Então os membros permanentes restantes do conselho decidiram fazer de seu grupo os mais novos buscadores de recursos ou como gostamos de chamar Unidade Trash Catcher.

    Os novatos começam a gritar e reclamar sem pensar duas vezes. Esse anúncio era praticamente um atestado de óbito com um nome de grupo escrito nele. Os nervos estavam a mil. Nem Sam e muito menos Will tentavam acalmar a situação, pois sabiam a seriedade. Os trash catchers eram aqueles que saiam do orfanato para buscarem recursos e faziam a guarda noturna. Resumindo orquestravam as piores e mais perigosas tarefas do orfanato, sendo assim compreensível a resposta de todos. No meio da confusão ouve-se um grito.

Ahhhhhh parem!- o menino emo com pele pálida tinha pronunciado suas primeira palavras desde que chegara no orfanato- Vocês só reclamam! Se não estivéssemos aqui estaríamos mortos ou em situações miseráveis. Bem eu não me importo muito, mas sei que vocês se importam então fiquem quietos para escutarmos o resto e eu poder ir dormir porque esse dia já foi muito entediante pro meu gosto- todos olhavam espantados e em silêncio para o garoto.   

Estou ciente do descontentamento de todos. No entanto vimos potencial em vocês.- Will se aproveita do silêncio para tomar a palavra para si.

Você nem conhece a gente- disse um garoto de olhos azuis e topete escuro.

Muito pelo contrário. O senhor esquentadinho é Matthew Ablaev especialista em krav maga e lutas corpo a corpo. Você é Michael Miller. Atlético e ágil, resumindo muito útil lá fora. Posso falar o mesmo de Christian Walker, seu amigo de cabelo castanho ali no fundo. Darla Parker e Evylian Mohn inteligentes e calmas o que uma equipe de verdade precisa. E por último Matheus Rodriguez. Ele é frio, não se pressiona e simplesmente uma máquina se tiver no grupo certo.- Michael e todos os outros do grupo olhavam para ele com uma cara de espanto. Realmente Will tinha feito sua lição de casa. Ele admitia para si que não tinha total convicção das coisas as quais falava, mas era preciso ser dito para acalmar a todos e eles se sentirem capazes. Havia funcionado a mudança de humor era evidente e o grupo tinha relaxado um pouco. O que deu uma oportunidade para Will continuar seu discurso- Sei muito mais de vocês do que imaginam- ele olha com uma risada sarcástica para Matthew- Mas não vou mentir vocês são muito necessários aqui e essas missões são muito mais perigosas do que qualquer um pode sequer imaginar. No entanto essa é a decisão final e última proposta do conselho. É pegar ou sair fora daqui lá pra fora com as aberrações- Will agora os pressionava. Era admirável a capacidade retórica do garoto diante de totais desconhecidos praticamente os unindo contra uma injustiça em comum.

Acho que no final não é como se tivéssemos muitas opções.- Eva se vira para todos e diz essas palavras. Contudo ao em vez dessas palavras soarem maldosas ela fazia estas saírem com uma calma inimaginável e uma sutileza de uma flor- Pessoal admito que não conheço nenhum de vocês, mas ou é isso ou é rua então mesmo me doendo admitir concordo com o líder falsificado. Temos que nos unir nesse momento. - ela olha para todos e eles estão sorrindo com sua piada. Ela os encara como se fizesse uma pergunta e estes respondessem mentalmente. Ela toma um ar para falar e solta uma última frase falando por todos- Parabéns, somos seus novos trash catchers.


Notas Finais


Vlw pelo apoio ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...